Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Vendas de Natal crescem sobre 2010

Por Miguel do Rosário

27 de dezembro de 2011 : 13h27

O ano de 2010 assistiu ao maior crescimento econômico em muitas décadas, e a prosperidade atingiu o ápice durante o Natal, cujas vendas saltaram 15,5% na semana do Natal (18 a 24 de dezembro) sobre mesmo período do ano anterior, segundo a Serasa.

Em 2011, com todos os problemas econômicos mundiais que vimos no mundo, as vendas deste Natal, segundo a mesma fonte, foram ainda maiores que no ano anterior, registrando um modesto mas relevante aumento de 2,8%.

Os jornalões alardearam manchetes que falam em “frustração”, “decepção”, mas a verdade é que, se houve surpresa, foi o vigor da economia. Todos os números são positivos. As vendas em shoppings cresceram 5,5%. As vendas do comércio eletrônico subiram 20%.

Conjugado a isso, um número que explica, em parte, porque o aumento das vendas não foi ainda maior: a grande maioria das famílias preferiu reduzir suas dívidas a gastar em presentes. Decisão sensata, sempre sugerida por especialistas em economia doméstica. O nível de endividamento do brasileiro caiu em dezembro, em relação ao ano passado.

Para termos uma ideia do que é, de fato, um Natal frustrado, basta olharmos para a Grécia, cujas vendas natalinas caíram 30% este ano, sendo que o ano que serve de base à comparação, à diferença do Brasil, já havia sido medíocre.

No Valor, a matéria que trata do mesmo tema conclui com um parágrafo contendo informações quase subversivas por parte de uma das mais importantes representantes do varejo paulista:

Na contramão das pesquisas de outras entidades, o levantamento preliminar da Associação Paulista de Supermercados (Apas) para as vendas do setor mostrou aumento real de 6% entre 1º e 24 de dezembro em relação a igual período de 2010. O balanço parcial superou a expectativa de alta de 5% da entidade. Para Martinho Paiva, diretor da Apas, o resultado foi “muito bom, especialmente diante do cenário macroeconômico mais difícil atualmente. A compra de alimentos não foi afetada pelo desaquecimento da economia”, disse.

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro