Bate papo com Joana Mortágua, deputada portuguesa!

Considerações sobre a infâmia

Por Miguel do Rosário

28 de Maio de 2012 : 08h48

(Ilustração capa: pintura a seis mãos, de Warhol, Basquiat e Clemente).

Vamos direto às novidades do escândalo Gilmar-Lula. Para quem não sabe do que se trata, sugiro dar um giro por outros posts do blog depois voltar aqui.

O Globo simplesmente – e inacreditavelmente – escondeu Nelson Jobim. Logo ele, orgulho da mídia de oposição por sua orgulhosa e bem sucedida independência. Mesmo antipetista e mais ligado ao PSDB do que ao governo, Jobim conseguiu ser ministro de Lula e Dilma. Aliás, foi ministro justamente por essa característica. Ele era uma espécie de ponte entre o tucanato midiático e o governo. Durante o chamado “caos aéreo”, Lula nomeou Jobim para acalmar setores apavorados da classe média. Deu certo. Jobim deu meia dúzia de declarações em tom chauvinista e terminou a crise. Foi demitido em 2011 por Dilma Rousseff após começar a dar entrevistas dizendo que votara em José Serra.

Recentemente, Jobim voltou a ganhar destaque nos jornais por sua intervenção num evento do PMDB, no qual advogou que o partido assuma posições independentes do PT.

Ou seja, Jobim tem tudo para ser um queridinho da grande mídia.

Pois mesmo assim, O Globo impresso de hoje não dá a informação de que Jobim declarou, a um jornalista da própria empresa, Jorge Bastos Moreno, que a reportagem da Veja é inverídica, de que Lula não pressionou Gilmar Mendes a adiar o processo do mensalão, e que os dois não ficaram sozinhos.

Ao invés disso, o Globo traz matéria, estranhamente assinada pelo próprio Moreno (no site, ainda mais bizarramente, a matéria vem anônima), na qual o encontro entre Lula e Jobim é reconstruído através de um curioso método:

Convém esclarecer, também, que tudo isso e o que se segue foram reconstruídos seguindo os rastros das conversas que o ministro Gilmar Mendes passou a ter com vários interlocutores sobre o ocorrido.

Por que a versão impressa do Globo não publicou a entrevista de Jobim ao blog do Moreno, a única que de fato trazia novidades? Por que exigiu que Moreno escrevesse uma matéria contradizendo a própria fonte, e baseado em “rastros de conversas”?

Bem, a resposta é fácil. Basta ler a coluna de Noblat, publicada no mesmo dia. Ou conferir a incrível manipulação do jornal a partir de uma entrevista de Celso de Mello ao site Consultor Jurídico, notoriamente ligado a Gilmar Mendes.

O Conjur entrevistou Celso de Mello neste domingo, antes que Mello tomasse conhecimento de que a única testemunha da conversa entre Mendes e Lula havia negado veementemente seu conteúdo. Mello respondeu a partir de uma hipótese.

Mello deixa bem claro, porém, o condicionante de sua frase: “a conduta do ex-presidente da República, se confirmada, constituirá lamentável expressão de grave desconhecimento das instituições republicanas.”

A postura de Mello, de qualquer forma, nos lembra a lamentável influência que a Veja e órgãos da grande mídia ainda exercem sobre o espírito de magistrados. Esperemos que o ministro, vendo que sua fala foi manipulada, e constatando que a informação na qual se baseou estava equivocada, reflita sobre os danos que, apesar de involuntariamente, causou à estabilidade política, o que constitui uma irresponsabilidade e uma infração ética de sua missão como juiz da corte superior. Diante do histórico da revista, Mello deveria ter pedido tempo para se informar melhor. É absurdo que os ministros do Supremo ainda sejam manipulados tão facilmente.

Pois é, excelentíssimo Mello: a notícia não foi confirmada. Lula e a única testemunha, Nelson Jobim, negaram o teor da conversa. São dois contra um. O Conjur, ao menos, informa, ao final do texto, que Jobim rechaçou a matéria da Veja. O Globo, ao invés disso, optou pela seguinte chamada na capa (observe o subtítulo):

Além de pedir o “impeachment” de Lula na capa, o Globo dá o seguinte título à matéria (onde não informa, repito, que Jobim negou o conteúdo da conversa, nem que Mello falava hipoteticamente):

À Folha, o ex-ministro, além de negar a conversa, acrescentou uma informação nova (para assinantes do UOL):

O ex-ministro se diz surpreso também com o relato de que Gilmar teria ficado perplexo com a conversa.

“Lula saiu antes dele e não houve indignação nenhuma do Gilmar. Isso só apareceu agora na revista”, argumenta Nelson Jobim.

Quem deu o furo sobre  a negativa de Jobim foi o Estadão, em matéria destemida. Uso o adjetivo destemida para diferenciá-la daquela escrita por Jorge Bastos Moreno (a primeira, com fatos; não a segunda, com “rastros de conversa”), repleta daquela covardia travestida de ironia, na qual ele procura atenuar a negativa, firme, do ex-ministro com a ridícula insinuação de que ele estaria com “voz estranha”.

Pena que o destemor do Estadão tenha se limitado a sua editoria virtual. A negativa de Jobim não consta da versão impressa.

É realmente incrível que, num caso dessa gravidade, os editores neguem ao leitor, na maior cara dura, uma informação fundamental para se entender a história em sua plenitude. E isso em tempos de internet, quando a grande maioria do público interessado no tema perceberá a manobra. Não precisavam acreditar em Jobim, mas bloquear a informação?

Voltando ao Globo, a coluna do Noblat aborda o caso igualmente sem uma mísera menção à negação de Jobim ou Lula. Discorre sobre caso baseando-se exclusivamente no relato de Gilmar à Veja. O início é de um desrespeito estarrecedor:

 

Repare na citação sobre Dirceu, provavelmente mais uma invencionice. Há uma só palavra citada: “desesperado”, o resto são colchetes e parênteses. A palavra parece dizer mais sobre o estado de espírito do jornal do que do ex-deputado.

A baixeza de Noblat não conhece limites. Iniciar uma análise atribuindo a postura de Lula ao efeito dos remédios contra o câncer me parece, este sim, um recurso desesperado.

Observe a afirmação: “Para chegar bem ao seu final, a CPI terá que dar em nada”. Noblat vocaliza a enésima ameaça da mídia à CPI. E mais uma vez atribui sua criação exclusivamente ao presidente Lula, quando ela foi criada a partir da assinatura de mais de 400 deputados e senadores.

Por essas e outras razões, os parlamentares não podem se acovardar perante a mídia,  e sobretudo jamais esquecer que o juiz final de sua atitude na CPI não será a mídia, nem a blogosfera, mas a história.

PS: Leia também esse post, com entrevista de Jobim ao Zero Hora, principal jornal do Rio Grande do Sul, onde o ex-ministro diz o seguinte:

ZH – Lula pediu ao ministro Gilmar Mendes o adiamento do julgamento do mensalão?

Nelson Jobim – Não. Não houve nenhuma conversa nesse sentido. Eu estava junto, foi no meu escritório, e não houve nenhum diálogo nesse sentido.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

alex

29 de Maio de 2012 às 09h36

COLLOR: TRATA-SE DE UMA REVISTA QUE SE ESPECIALIZOU EM FAZER VÍTIMAS”

http://www.conversaafiada.com.br/video/2012/05/28/video-collor-acusa-gurgel-de-acao-criminosa/

Responder

Francisco de Alcântara

29 de Maio de 2012 às 01h39

Lula, a partir de agora , é um brinquedinho na mao de Jobim, que pode destrui-lo na hora que quiser, apenas confirmando a historia de Gilmar mendes.

Lula morreu esta semana…

Responder

Francisco de Alcântara

29 de Maio de 2012 às 00h30

Lula e seu PT saem derrotados por qualquer ângulo:

Conseguiu a condenação dos seus afilhados mensaleiros que o entregarão de bandeja.

Se houve a conversa, Lula vai para a cadeia por obstrução de justiça.

Se NAO houve a conversa, Lula esta na mao de Jobim , o queridinho das Forças Armadas se a coisa degringolar..

LULA se matou nesse episodio….

GAME OVER PARA O SAPO BARBUDO E SEU PT!!

Responder

Vivi

28 de Maio de 2012 às 19h12

Miguel, antes da imagem do blog do Noblat você escreveu:

“Discorre sobre caso baseando-se exclusivamente no relato de Jobim à Veja…”

Acho que o certo seria “no relato de GILMAR À Veja”, não é não?

Responder

Elson

28 de Maio de 2012 às 18h44

Pergunta que não quer calar: Teria Gilmar Mendes sido agraciado com uma cota para membro do clube Cachoeira/Nextel? Por quê Lula iria pedir ajuda à um adversário político que não apita nada e ainda por cima é conhecido por andar na companhia de certo Senador que prestava serviço de despachante à um contra-ventor?
Lula seria no mínimo ingênuo para não dizer “burro”, procurar um sujeito que na maior cara de pau participou de uma armação afim de prejudicar seu governo.

Responder

Elson

28 de Maio de 2012 às 18h33

Hoje assistindo o Bom (?) Brasil, ouvi o Alexandre Garcia fazendo um comentário acerca dos ônibus que rodam o País amparados em uma liminar, para concluir seu raciocínio, Garcia fez questão de lembrar mais uma vez do mensalão. Parece que para a Globo, a causa de todos os males do Brasil tem origem e fim no mensalão.

Responder

Gerson Todd

28 de Maio de 2012 às 17h34

Dá-lhe Francisco, os petralhas estão desesperados porque sabem que há o risco do Lula terminar seus dias na Papuda… e o PT sumir do mapa. Nessas eleições, creio que o PT mingua uns 50%.

Responder

    admin

    28 de Maio de 2012 às 18h41

    Gerson, você é um número.

    Responder

Francisco de Alcântara

28 de Maio de 2012 às 16h09

Enquanto o barquinho do PT afunda, seus célebres companheiros tratam de pular fora. Primeiro foi Marco “Vox PoPTuli” Coimbra, entregando Ze Dirceu de bandeja.

Agora, até Frei Betto desanca a nojeira PTista:

http://www.dpf.gov.br/agencia/pf-na-midia/jornal/2012/maio/a-cpi-do-escarnio-frei-betto

Responder

    Helena Vargas

    28 de Maio de 2012 às 17h02

    O Miguel já comentou sobre esse texto do Frei Betto.

    https://www.ocafezinho.com/2012/05/28/as-criticas-a-cpi/

    Ele não critica o PT, mas a CPI.

    Falar que o PT está afundando é realmente não ter senso de ridículo. É o partido que está mais crescendo em número de filiados, em número de eleitos, em arrecadação, em tempo de tv.

    Outra coisa, Lula não é mais presidente. Não é mais autoridade. Mesmo que a mentira de Gilmar fosse verdade, não teria cometido crime nenhum em dar um “tapinha nas costas” do Gilmar e falar “e Berlim, hein?”

    O Gilmar é que tá com a chapa esquentando por lado dele e agora está desesperado. Ele era o maior amigo do Demóstenes Torres, viajavam juntinhos de mãos dadas pra Berlim. Partilham ligações grampeadas. Ambos namoravam o araponga Jairo Martins, operador de Cachoeira.

    Ai, ai, a situação tá braba pro Gilmar.

    Responder

      Francisco de Alcântara

      28 de Maio de 2012 às 17h21

      A piada da semana:

      “A Prefeitura de São Paulo está pleiteando com a Câmara Municipal uma maneira justa de homenagear o Lula. Querem dar o seu nome a uma das vias públicas mais importantes de São Paulo: a Marginal Tietê.

      Com isso, ela em breve se chamará: “MARGINAL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA”.

      Nada mais justo.”

    Francisco de Alcântara

    28 de Maio de 2012 às 17h25

    Afinal, se Jobim tivesse endossado a acusação de Mendes, ninguém menos do que o grande Lula estaria lascado. Aquilo a que se assistiu na sala do ex-ministro do STF e ex-ministro de Lula chama-se, entre outras coisas, “obstrução de justiça”, o que pode render, em caso de condenação, de um a quatro anos de cadeia, segundo o que caracteriza e prevê o Artigo 344 do Código Penal, a saber:
    “Usar de violência ou grave ameaça, com o fim de favorecer interesse próprio ou alheio, contra autoridade, parte, ou qualquer outra pessoa que funciona ou é chamada a intervir em processo judicial, policial ou administrativo, ou em juízo arbitral:
    Pena — reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa, além da pena correspondente à violência.

    Responder

Francisco de Alcântara

28 de Maio de 2012 às 15h49

LULA está desesperado, pois sabe que, na hora que a ALGEMA apertar o pulso do 1o condenado do Mensalão, esse cantará como um passarinho, em troca da delação premiada, e entregará a cabeça do Chefão Lula numa Bandeja.

GAME OVER PARA O SAPO BARBUDO E SEU PT!!

Responder

Francisco de Alcântara

28 de Maio de 2012 às 12h29

O PT é o dono único da verdade.
Gilmar Mendes mente. Marco Aurélio e Celso de Mello mentem.
A VEJA, a Folha de SP, o Estadão, a imprensa toda mente.
A Globo, o SBT, a Band e a Gazeta mentem.
O STF todo mente.
A CGU, a Procuradoria da República e a Polícia Federal mentem.
Nao houve mensalão e Dilma demitiu ministros baseados apenas em boatos.
Palocci, Ze Dirceu e Lula são honestos.

E aqui, todo mundo baba e rasga notas de US$ 100.

GAME OVER PARA O SAPO BARBUDO E SEU PT!!!

Responder

    admin

    28 de Maio de 2012 às 12h35

    Perdeu, Playboy. Nem Celso de Mello nem Marco Aurélio corroboram a Veja. O primeiro cogitou uma hipótese. “Se”. O segundo não endossou. Gilmar Mendes está isolado.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/marco-aurelio-nao-endossou-versao-sobre-encontro

    Responder

      Francisco de Alcântara

      28 de Maio de 2012 às 15h56

      Ah, sim, esse POçO de honestidade chamado Luis Nassif:

      Pelo acordo, o devedor-executado teria sua dívida repartida em duas parcelas: uma de R$ 2,38 milhões (subcrédito A) e outra de R$ 1,9 mi (subcrédito B). Pagando a primeira, ficaria DESONERADO da segunda. Isso mesmo: R$ 1,9 milhões não precisariam ser pagos ao BNDES, banco público gerido pelo governo federal.

      Esse tal “subcrédito A”, nos termos do acordo firmado entre BNDES e Luís Nassif, poderia ser pago ATÉ O ANO DE DOIS MIL E DEZESSETE. Isso mesmo: praticamente dez anos depois da data da celebração do acordo. São 120 parcelas que, sendo pagas, eliminam a exigência do pagamento do tal “subcrédito B” e, vale reiterar, num acordo judicial firmado SEM QUALQUER GARANTIA DE BENS.

      Ainda assim, em agosto DESTE ano, o banco NOVAMENTE executou Luís Nassif, alegando o seguinte (termos da execução de número 582.00.2005.200321-5, que tramita na 17ª Vara Cível de São Paulo/SP):

      OS EXECUTADOS DE FORMA DELIBERADA DESCUMPRIRAM O ACORDO JUDICIAL (…) deixando de pagar as prestações relacionadas no acordo desde novembro de 2010” (grifos nossos, e a execução é datada de agosto/2011, dez meses depois da primeira parcela sobre a qual se alega inadimplemento).

      E mais:

      Desde então, a Exequente negociava com os devedores a retomada amigável dos pagamentos. No entanto, não obteve êxito”

      A execução, retomada, cobra de Luís Nassif o valor de R$ 5,42 milhões, determinando, nos exatos termos: “penhora de ativos em nome dos Executados até o valor da atual execução e honorários advocatícios”.

      E então, no dia 10 de agosto, o BNDES apresenta petição pedindo a “SUSPENSÃO DO PRAZO EM CURSO”, desonerando os devedores de uma multa de 10% prevista pelo CPC, entre outras coisas.

      O motivo? Seguem termos da petição (fls. 342):

      No entanto, tão-logo a v. decisão foi publicada, os devedores entraram em contato com a Exequente propondo o pagamento à vista de todas as parcelas em atraso do acordo até o próximo dia 15/08/11 (segunda-feira).

      Assim, diante desta proposta aparentemente firme e segura dos devedores em pagarem os atrasados e a intenção dos mesmos em continuarem honrando as demais parcelas do acordo no tempo e modo convencionados, a Exequente requer a SUSPENSÃO DO PRAZO EM CURSO…” (grifos nossos)

      Recapitulando: os devedores não pagaram a dívida contraída, nem renegociações, e foram executados. Em meio a penhoras e busca de bens, surge um acordo entre as partes, repartindo a dívida em duas parcelas (pagando-se uma em dia, os devedores se livrariam da outra, de R$ 1,9 milhões).

      Eles NÃO HONRAM o acordo, deixando de pagar as parcelas desde outubro do ano passado (informações prestadas ao juízo pelo próprio BNDES), são NOVAMENTE EXECUTADOS, mas o banco pede suspensão, pois os devedores disseram que vão pagar e o banco público federal notou intenção “firme e segura”.

      Tudo isso são fatos, com informações extraídas dos autos do processo, que tramita PUBLICAMENTE na 17ª Vara Cível de São Paulo/SP. Mas há outros pontos relevantes.

    Robin

    28 de Maio de 2012 às 14h32

    Porra Francisco, já passou da hora de tomar o seu remédio…

    Responder

    Adriano Matos

    28 de Maio de 2012 às 15h16

    Lendo a tentativa do Francisco em defender o indefensável, lembrei de um trecho da música ‘O Mundo é um moinho’:

    “…Quando notares estás a beira do abismo. Abismo que cavastes com teus pés.”

    Responder

    Francisco de Alcântara

    28 de Maio de 2012 às 15h44

    Jobim afirma que foi Lula quem pediu o encontro com Mendes, afimado no Zero Hora:
    .
    ZH — Lula pediu para o senhor marcar um encontro com Mendes?
    Jobim — Sim. Ele queria me visitar há muito tempo. E aí pediu que eu chamasse o Gilmar, porque gostava muito dele e porque o ministro sempre o havia tratado muito bem. Queria agradecer a gentileza do Gilmar. Aí, virou essa celeuma toda.

    ZH — Há quanto tempo o encontro estava marcado?
    Jobim — Foi Clara Ant, secretária do Lula, quem marcou. Lula tinha me dito que queria me visitar há um tempo atrás. Um dia me liga a secretária, dizendo que ele iria a Brasília numa quarta-feira (25 de abril) e que, na quinta, queria me visitar e ao ministro Gilmar. Ele apareceu lá por volta das 9h30min, 10h. Foi isso.

    ZH — Se não houve esse pedido de Lula ao ministro, como se criou toda essa história?
    Jobim — Isso você tem de perguntar a ele (Gilmar), e não a mim.

    ZH — O senhor acha que Mendes pode estar mentindo?
    Jobim — Não. Não tenho nenhum juízo sobre o assunto. Estou fora disso. Estou te dizendo o que eu assisti.

    GAME OVER PARA O SAPO BARBUDO E SEU PT!!

    Responder

Roberto Locatelli

28 de Maio de 2012 às 11h48

Eles poderiam ter entregado os anéis (Perillo, Demóstenes e Policarpo) para não perder os dedos. Mas resolveram optar pelo tudo ou nada. Então tá. Só que, conforme fazem os criminosos, eles tinham que ter combinado as versões antes. Por exemplo, como observou o blog do Mello, se o caso é “mais grave do que o mensalão”, então por que a Veja não deu capa? Por que preferiu colocar um nerd na capa?

Responder

Luiz Monteiro de Barros

28 de Maio de 2012 às 11h17

Miguel, ajude-me a entender.

A Veja é veiculo preferencial de publicidade de grandes empresas. Para a blogosfera isso é paradoxal. Para mim pelo menos é. Haverá o dia em que isto ficará mais claro na medida no qual os blogs receberem maior publicidade.

Qual o intento da Veja? Ela é a ponta do iceberg. A editora Abril já atua há muito nos moldes neocons (influir na formação mental de visão de vida). Tem a Fundação Vitor Civita atuando na área educacional (vacina-se para o provável entendimento que gerações em formação de sua atuação corporativista)
Isso eu intuo. Porem haveria uma conspiração planetária para a defesa de uma ideologia. Como sintetizar isto?

Essa ultima reportagem de Veja para mim é de uma ousadia antidemocrática inconcebível ter sido utilizada. Justifica que a resumamos como sendo PIG

Responder

Adriano Matos

28 de Maio de 2012 às 10h36

Acabo de ler uma entrevista do zero hora com jobim: Lula marcou encontrar gilmar no escritorio de jobim. PQP! É querer arranjar sarna prá se coçar…

Responder

    admin

    28 de Maio de 2012 às 10h41

    Adriano, a informação correta não é bem assim. Gilmar Mendes vinha tentando marcar uma entrevista com Lula há meses. Isso é o que diz Jorge Bastos Moreno, em sua matéria. Estava em contato com a Clara Ant há tempos. Enfim, encontraram um espaço na agenda de Lula para um encontro no escritório de Jobim.

    Jobim é ministro do STF e (ex?) amigo de Lula (não se esqueça que um dos trunfos de Lula é ser amigo inclusive de seus adversários políticos).

    http://oglobo.globo.com/pais/lula-gilmar-mendes-conversa-errada-no-local-errado-com-pessoa-errada-5039356

    Responder

      Adriano Matos

      28 de Maio de 2012 às 11h04

      Obrigado pela informação, Miguel. De fato esclareceu o contexto em que Lula se encontra com gilmar. O resto da “materia” é puro lixo, baseado nas declarações de um lado apenas. Puro lixo jornalistico.

      admin

      28 de Maio de 2012 às 11h51

      Digo, Jobim e Gilmar Mendes são amigos de Lula. Sendo que o último agora é ex-amigo.

      Francisco de Alcântara

      28 de Maio de 2012 às 16h00

      LULA PEDIU O ENCONTRO, AFIRMOU JOBIM AO ZERO HORA:

      Jobim afirma que foi Lula quem pediu o encontro com Mendes, afimado no Zero Hora:
      .
      ZH — Lula pediu para o senhor marcar um encontro com Mendes?
      Jobim — Sim. Ele queria me visitar há muito tempo. E aí pediu que eu chamasse o Gilmar, porque gostava muito dele e porque o ministro sempre o havia tratado muito bem. Queria agradecer a gentileza do Gilmar. Aí, virou essa celeuma toda.

      ZH — Há quanto tempo o encontro estava marcado?
      Jobim — Foi Clara Ant, secretária do Lula, quem marcou. Lula tinha me dito que queria me visitar há um tempo atrás. Um dia me liga a secretária, dizendo que ele iria a Brasília numa quarta-feira (25 de abril) e que, na quinta, queria me visitar e ao ministro Gilmar. Ele apareceu lá por volta das 9h30min, 10h. Foi isso.

      ZH — Se não houve esse pedido de Lula ao ministro, como se criou toda essa história?
      Jobim — Isso você tem de perguntar a ele (Gilmar), e não a mim.

      ZH — O senhor acha que Mendes pode estar mentindo?
      Jobim — Não. Não tenho nenhum juízo sobre o assunto. Estou fora disso. Estou te dizendo o que eu assisti.

      GAME OVER PARA O SAPO BARBUDO E SEU PT!!

Adriano Matos

28 de Maio de 2012 às 09h23

Incrível como gilmar pudesse esperar isso funcionar…

Se ele não combinou com jobim, bastava um desmentido pra estoria vir abaixo e ele ser de novo, desmoralizado. Mesmo com a blindagem e a mentira deslavada que o PIG utiliza na apuração da matéria.

A credibilidade deles tá descendo esgoto abaixo. Gente assim é perigosa. O Congresso não pode deixar de responder ao golpismo com uma lei dos medios.

Responder

    admin

    28 de Maio de 2012 às 09h28

    Adriano, golpismo assim se responde com a verdade. Quanto a Lei da Mídia, ela deverá se limitar à radiofusão. Mas eu acho que deveria se estudar alguma medida para se evitar que publicações como a Veja recebessem verba estatal.

    Responder

      Francisco de Alcântara

      28 de Maio de 2012 às 12h33

      Meldels,
      Assim a Carta Capital, o Conversa Afiada do Paulo Henrique Amorim, o Blog do Nassif e outros Blogs chapas brancas viveriam do que?

      Eles sao patrocinados em 100% por verba do Governo do PT…

      Yacov

      28 de Maio de 2012 às 15h14

      O que é muito bom, democrático e republicano, não achas, troll?!? Porque é que só os grande veículos deveriam receber verbas públicas!? Ahh… Antes que eu me esqueça: Vai morrer prá lá, vai mané!!! Sugiro o Blog do REI que cheira a DEFUNTO e ‘tá assim de ZUMBIS como tu, abestado.

      “O BRASIL PARA TODOS não passa na gLOBo – O que passa na gloBO é um braZil para TOLOS”

      Vivi

      28 de Maio de 2012 às 19h06

      Troll mal informado é demais, né?
      Esses veículos que ele citou não são patrocinados 100% pelo governo federal! Nem sabe o que fala, esse abobado!


Deixe uma resposta