Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

Ocultação de documentos fez justiça italiana soltar Pizzolato

Por Miguel do Rosário

30 de outubro de 2014 : 02h41

cda725ca54a31277db4879a21c3a4a00260b1677


 

A mídia brasileira manda uma porção de repórteres para a Itália, para atazanar Andrea Haas, esposa de Henrique Pizzolato, ou para acompanhar a decisão da Justiça local, e não apura nada.

Porque a nossa imprensa não manda jornalistas à Itália para investigar, mas para manter a farsa de pé.

A decisão da justiça italiana que soltou Pizzolato foi, como sempre, distorcida.

Focaram apenas num dos argumentos da defesa, que é a precariedade terrível das prisões brasileiras.

Em comentário do post anterior sobre o mesmo assunto, um leitor nos dá o link de matéria publicada num jornal italiano.

Enquanto a íntegra da sentença não é liberada, temos que garimpar pedrinhas de informação aqui e lá, e jogar fora tudo que vem da mídia brasileira, que só sabe mentir, distorcer e manipular, sobretudo quando o tema é a Ação Penal 470, uma grande farsa na qual, ela mesma, a imprensa brasileira, é uma das artífices principais.

Pois bem, entre os argumentos da defesa aceitos pela Justiça Italiana, e que a mídia escondeu, está a ocultação, em detrimento do réu, das provas colhidas em inquérito paralelo – o 2474.

Ou seja, a Pizzolato foi negado, durante fase decisiva do processo, o acesso ao Laudo 2828, e a outros documentos que provavam sua inocência. Estes documentos foram escondidos no Inquérito 2474, o famoso gavetão, que só hoje está sendo liberado ao público.

O Inquérito 2474 era um aprofundamento das investigações sobre o mensalão (ao contrário do que alegaria Joaquim Barbosa, que mentiu descaradamente sobre o tema). Ele trazia elementos que permitiriam à Justiça, aos réus e à sociedade, entender o contexto das denúncias, num quadro maior. E trazia documentos, reitero, que inocentavam Pizzolato, como o Laudo 2828, feito pela Polícia Federal, a pedido do próprio Joaquim Barbosa e da Procuradoria, e que atestava categoricamente a inocência de Pizzolato e Gushiken.

Pizzolato não era o responsável pela movimentação dos recursos do Fundo Visanet, que, aliás, ao contrário do que oportunisticamente fingiu entender o STF, era de natureza privada (sobre isso, há até um episódio divertido, descrito no post “O dia em que Ayres Brito tomou LSD“).

As únicas provas contra o ex-diretor de marketing do BB foram assinaturas suas em memorandos internos, não deliberativos, sobre o Visanet. Mas esses memorandos continham assinaturas de outros diretores do BB, que nunca foram citados na Ação Penal 470.

Os documentos definitivos sobre os verdadeiros responsáveis (entre os quais não está Pizzolato) pelos recursos do Fundo Visanet foram criminosamente ignorados pelo STF.

Outro argumento da defesa aceito pela Justiça italiana foi a violação do duplo grau de jurisdição. Pizzolato não tinha mandato político e, portanto, deveria ser julgado em primeira instância, e não num STF transformado em tribunal midiático de exceção.

Pizzolato não podia, porém, ser inocentado porque a sua participação no desvio dos recursos do Fundo Visanet constituem o pilar de toda a Ação Penal 470.

Por isso, ele tinha que ser condenado de qualquer jeito, e os documentos que provavam sua inocência tinham que ser ocultados.

Conforme esperávamos, a Justiça italiana, infensa às pressões da mídia brasileira, começa a desmontar a farsa.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

61 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

FERNANDA

13 de novembro de 2014 às 04h20

O JUIZ Q TRAIU O BRASIL!!!!
QUE COMÉDIA, Q PALHAÇADA……. ADVINHA QUEM PAGOU PRO JB PRA ELE COMPRAR UM APTO DO MAIS ALTO LUXO EM MIAMI/EUA…. OLHA A PROVA AI…. ESTE APTO VALE ACIMA DE 5 MILHOES, MAS ELE JB FALA Q FOI POR 1 KKKKKKKKKKK
É O PRÊMIO QUE ELE GANHOU DO PSDB POR TER JULGADO RAPIDAMENTE O MENSALÃO DO PT…E O MEGA MENSALÃO DO PSDB ESTÁ AGUARDANDO JULGAMENTO HÁ (16) DEZESSEIS ANOS ENGAVETADO! E JB FEZ DO JULGAMENTO, UM ESPETÁCULO PARA A MÍDIA!
http://plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=74343
http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/10/joaquim-barbosa-voto-lula-dilma.html
http://www.jornali9.com/noticias/denuncia/cnj-investiga-relacao-de-barbosa-com-psdb-e-farsa-do-mensalao-cai-por-terra
http://www.contextolivre.com.br/2013/03/nao-acreditem-nos-surtos-do-joaquim.html
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/139707/Ives-Gandra-condenados-ter%C3%A3o-de-ser-indenizados.htm
http://www.megacidadania.com.br/italia-solta-pizzolato-e-ve-erros-sequenciais-do-stf/

Responder

Raimundo Amora Ramos

02 de novembro de 2014 às 17h01

Entre os argumentos da defesa aceitos pela Justiça Italiana, e que a mídia escondeu, está a ocultação, em detrimento do réu, das provas colhidas em inquérito paralelo – o 2474. Ou seja, a Pizzolato foi negado, durante fase decisiva do processo, o acesso ao Laudo 2828, e a outros documentos que provavam sua inocência. Estes documentos foram escondidos no Inquérito 2474, o famoso gavetão, que só hoje está sendo liberado ao público.

Responder

Miguel do Rosário

01 de novembro de 2014 às 09h23

“Fuleiro e bobalhão”… Ora, esperemos o texto do Acordão da Sentença. Aí vamos ver quem é “bobalhão”.

Responder

Ricardo F Tupper

01 de novembro de 2014 às 05h37

– (y) !!!

Responder

Jorge Correa

01 de novembro de 2014 às 02h17

Precisamos da decisão italiana traduzida e publicada imediatamente.

Responder

nilo walter

31 de outubro de 2014 às 17h55

Parece que na 2474 consta a firma em que trabalhava o filho de JB, que recebeu dois milhões da Visanet . Vocês esperavam o que do JB ???

O deputado João Paulo/SP , fez sua defesa da Tribuna Câmara e informou que a Globo recebeu uma grana alta . Distribuiu até uma cartilha sobre o caso . vai demorar , mas aa verdade prevalecerá . Queremos justiça para todos/as . E não sou petista .

Responder

Marcos A. P. Pecci

31 de outubro de 2014 às 19h36

midia golpista manipulando, enganando e mentindo impunemente! Lei de meios já!

Responder

Messias Franca de Macedo

31 de outubro de 2014 às 00h55

EXTRA!

####################

Henrique Pizzolato, no all’estradizione in Brasile per il banchiere condannato

FONTE: http://www.ilfattoquotidiano.it/2014/10/29/henrique-pizzolato-allestradizione-in-brasile-per-banchiere-condannato/1177522/

NOTA: matéria Traduzida através do ‘google ferramentas de idiomas’

Henrique Pizzolato permanece na Itália. Os juízes do Tribunal de Apelação de Bolonha rejeitaram o pedido do Estado brasileiro de extradição para o ex-chefe do Banco do Brasil, condenado em casa 12 anos e 7 meses no escândalo ‘Mensalão’ e preso em fevereiro, em Maranello (Modena ). O governo brasileiro vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão. As acusações contra Pizzolato são corrupção, peculato e lavagem de dinheiro. A decisão foi comunicada pelo advogado do Estado do Brasil Michele Gentiloni, acrescentando que, pelos motivos que temos que esperar 15 dias. Henrique Pizzolato foi divulgado pelo Tribunal de Apelação de Bolonha, em uma van da polícia prisional. “É muito confuso – disse o defensor do ex-banqueiro, advogado. Alexander Sivelli de Modena, os repórteres perguntaram como ele reagiu à decisão dos juízes – porque ele foi libertado da prisão imediatamente “. que rejeitou o pedido de extradição do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no julgamento do chamado Mensalão, o Tangentopoli brasileira.

Sivelli então resumiu os argumentos apresentados pela defesa contra a extradição. Em primeiro lugar, o fato de que o Brasil “não deve ter a julgamento perante o Supremo Tribunal”, mas um processo “normal assim como os outros réus que não tinham tido uma função pública”. Então, “a violação dos dois níveis de jurisdição” e “o fato de que ele não foi autorizado a reunir provas do inquérito paralelo”. Finalmente, provavelmente decisivo, de acordo com a defesa, “o problema das prisões, porque o outro lado não tem sido capaz de refutar os nossos documentos.” A referência é a falta de garantia de respeito aos direitos humanos nas prisões brasileiras, apoiadas pela defesa.

Responder

Rafael Cavalcante

31 de outubro de 2014 às 02h01

na verdade até apurou. mas sabiam q n podiam divulgar os motivos

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de outubro de 2014 às 23h52

PIZZOLATO: JUSTIÇA ITALIANA ALEGOU TRÊS RAZÕES PARA NÃO EXTRADITÁ-LO

Imprensa brasileira só tem falado em uma.

por Tereza Cruvinel
30/10/2014

Foram três as alegações da justiça italiana para negar a extradição de Henrique Pizzolato para o Brasil mas a grande imprensa só tem se referido a uma delas, as péssimas condições dos presídios brasileiros, que apresentariam “risco de o preso receber tratamento degradante”. As outras duas têm a ver com as anomalias do julgamento da Ação Penal 470, a do mensalão mas têm sido omitidas. Os magistrados italianos apontaram também o fato de não ter sido observado, no julgamento de Pizzolato pelo STF (bem como para os demais réus) o direito universal ao duplo grau de jurisdição e a ocorrência de omissão de provas apresentadas pela defesa.
(…)
Das três alegações da justiça italiana, a imprensa brasileira só tem mencionado uma. Por que será?

FONTE: http://terezacruvinel.com/2014/10/30/pizzolato-justica-italiano-alegou-tres-razoes-para-nao-extradita-lo/

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de outubro de 2014 às 22h50

… O ilibado senhor Henrique Pizzolato e a esposa dele, a digníssima senhora Andrea Haas, têm absoluta razão em condenarem, veementemente, a covardia e a tibieza do Partido dos Trabalhadores!

Eximo o presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff em função do protagonismo Institucional que ambos exercem!

E, por extensão, os petistas ministros e diretores de órgãos e empresas estatais!

No entanto, os parlamentares do PT, desde os vereadores aos senadores, demonstraram falta de solidariedade e indisposição para promover o lídimo contraditório, denunciando os arbítrios e crimes hediondos perpetrados durante a FARSA jurídico-midiática do julgamento de exceção da Ação Penal 470!

Os parlamentares do PT poderiam ter utilizado as tribunas, os meios de imprensa, os encontros com os movimentos sociais…

Os parlamentares do PT se omitiram, fizeram “vistas grossas” a toda sorte de casuísmos, bizarrices e factóides…

Permitiram que o PIG pautasse o debate de forma monocrática – estupidamente parcial, tendenciosa e, deliberadamente, capciosa!

Os parlamentares do PT poderiam ter denunciado as violações aos direitos humanos em relação às vítimas de um julgamento eivado de anomalias e aberrações!

Agora, esperamos que o PT acompanhe a Revisão Criminal e todos os seus desdobramentos! E que, pelo menos enquanto instituição democrática, exija os reparos e os desagravos àqueles torturados e maculados impiedosamente pela sanha assassina e irresponsável dos fascigolpistas da DIREITONA ‘nacioná”!…

Ainda há tempo para o Partido dos Trabalhadores diminuir – um pouco – o peso das suas dívidas e culpas!

Responder

Sonia Beligerante

30 de outubro de 2014 às 21h12

Estah desmontada de vez a farsa do mensalao. Faccamos um abaixo assinado solicitando o indulto de Natal a todos os atingidos e procure se os meios juridicos para reverter esta farsa

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de outubro de 2014 às 20h20

Humilde sugestão ao ínclito e impávido jornalista Miguel do Rosário, extensiva a todos os blogueiros ‘sujos’ do Brasil!

Providenciar uma entrevista com o casal Pizzolato!

Por questões de logística, a entrevista poderia ser realizada através da internet (e-mail) ou por telefone!

Respeitosas e democráticas saudações,

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia
BRASIL – em homenagem ao ilibado casal Pizzolato!

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de outubro de 2014 às 20h11

… Creio que está na hora de realizarmos um abaixo assinado tendo como os primeiros signatários personalidades da estirpe de Celso Antônio Bandeira de Mello, Fernando Moraes, Hildegard Angel, Chico Buarque de Holanda, Dalmo Dallari, Leonardo Boff…

Assinaturas via internet e em locais públicos!

O abaixo assinado pela divulgação da Verdade factual atinente à Ação Penal 470!

#############

E a trama (sic) dá um bom roteiro de filme – e de livro!

Oxalá, algum diretor de cinema e/ ou escritor se interesse(m)!

Esse capítulo da [verdadeira] História do Brasil terá que ser reescrito – com as tintas das verdades!

A Verdade Vos Libertará!

Responder

Messias Franca de Macedo

30 de outubro de 2014 às 19h55

… Eu não encontro palavras para descrever os meus sentimentos!…

Durante A FARSA do julgamento do MENTIRÃO, muitas vezes nós comentamos acerca da inocência do honrado Henrique Pizzolato!

E fazíamos ponderações simples, por exemplo: no Colegiado da Diretoria de Marketing do Banco do Brasil, os diretores responsáveis e autorizados a liberar recursos eram os senhores Cláudio Castro de Vasconcelos e Léo Batista dos Santos – funcionários indicados desde a época do governo FHC!

O funcionário de carreira do Branco Brasil Henrique Pizzolato era responsável pela análise técnica de projetos! E não dispunha da prerrogativa de liberar recursos para pagamentos a empresas de publicidades ou de quaisquer outras áreas!

Leitor(a), agora, pasme, os senhores Cláudio Castro de Vasconcelos e Léo Batista dos Santos não foram arrolados no processo atinente à Ação Penal 470, vulgo MENTIRÃO!

Portanto, os senhores Cláudio Castro de Vasconcelos e Léo Batista dos Santos não foram perseguidos pela Justiça [Justiça?!] nem tampouco pela sociedade ensandecida porquanto pautada pela ‘opinião publicada’ da grande MÉRDIA nativa – terrorista, subversiva e fascigolpista!…

O golpe jurídico-midiático torturou pessoas inocentes; permitiu que pessoas fossem tripudiadas publicamente, sem dó nem piedade; assassinou reputações; DESMORALIZOU a corte suprema brasileira e o ‘miniSTÉRIO’ Público do robert(o) gurgel e do antonio fernando de souza…

E MAIS: os 75 milhões de reais movimentados, além de pertencerem a um fundo da empresa privada internacional VisaNet [hoje Cielo], foram utilizados para o pagamentos de serviços de promoção e publicidades do cartão de crédito do Banco do Brasil bandeira Visa, como atesta o vídeo seguinte:

Fernando Morais e Raimundo Pereira explicam erros do mensalão

http://www.youtube.com/watch?v=R_aoUPiXIxU

EM TEMPO: todos os brasileiros e brasileiras de bem deste país têm a obrigação moral, a responsabilidade ética, o dever de honra ao respeito absoluto aos preceitos humanísticos e democráticos de exigir que esta farsa hedionda seja revelada à nação!

As vítimas deste processo de exceção – espúrio, iníquo e criminoso – deverão ser indenizadas.

E todos os delinquentes que participaram da patifaria desumana terão que pagar pelo que devem! E não é pouco!

Patifaria criminosa executada com fins eminentemente políticos e eleitoreiros, o tal golpe jurídico-midiático protagonizado pelo rábula psicopata, atualmente no ostracismo [mais do que] merecido, proferindo palestras pagas pelos rincões do Brasil!

NOTA ACAUTELATÓRIA: tremeis fascistas, vem aí a Revisão Criminal, o julgamento do Henrique Pizzolato, na Itália, o Inquérito 2474, o Laudo Técnico 2828 da Polícia Federal…

[Fascigolpistas] Calma, a hora de vocês está chegando! Calma!

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia
Brasil – em homenagem ao ilibado Henrique Pizzolato e à digníssima senhora Andrea Haas!

Responder

    Francisco Alcântara

    30 de outubro de 2014 às 22h22

    Nossa Messias me tornei seu fã.Disse tudo e mais um pouco que eu gostaria. Parabéns.

    Responder

      Messias Franca de Macedo

      31 de outubro de 2014 às 22h46

      Prezado, consciente e generoso Francisco Alcântara,

      não deverá ficar pedra sobre pedra!

      É questão de honra! E de justiça!

      A [verdadeira] história do Brasil merece!

      Felicidades!

      Messias Macedo

      Responder

ricardo silveira

30 de outubro de 2014 às 18h18

O Governo brasileiro devia solicitar ao Governo italiano que Pizzolato fosse julgado na Itália, com todas as provas de acusação e defesa em mãos dos advogados, sem mídia para julgar, só a justiça, a de lá.

Responder

Transgênicos: a outra privataria

30 de outubro de 2014 às 18h33

Esse julgamento midiático e de exceção está sendo desmontado peça por peça. Ainda quero ver o JB se explicar muito!

Responder

zilda

30 de outubro de 2014 às 15h51

Vida longa pra você, Pizzolatto. Sempre acreditei em sua inocência. lamento pelo comportamento vil do PT, com você e com os outros “companheiros”

Responder

Marisi Araldi

30 de outubro de 2014 às 15h21

acharam o julgamento do mensalão uma verdadeira mutreta política !!!!!!!!! por isso recusaram a extradição!

Responder

Maria Do Carmo Morotti

30 de outubro de 2014 às 13h56

Torcendo por ele. Sempre!

Responder

Maria Do Carmo Morotti

30 de outubro de 2014 às 13h56

Torcendo por ele. Sempre!

Responder

C.Paoliello

30 de outubro de 2014 às 11h35

Miguel,nada a ver com o tema acima. É sobre a dificuldade em se acessar o seu blog. É muito demorado. E quando tento passar de um post para outro dentro do blog, dá a msg “Internal Server Error”. Admiro e frequento o blog e estaria disposto até a colaborar em sua manutenção se não fosse tão demorado seu acesso. Para mandar essa msg tive que mudar de navegador pois o blog fica bloqueado sem enviar a msg.

Responder

maria nadiê rodrigues

30 de outubro de 2014 às 11h21

A não extradição de Pizzolato, que nada tem a ver com o caso Batiste, mas com a justiça brasileira, que derrapou em cima de artigos da Constituição para fazer média com a infelicidade dos réus, sobretudo engavetando processo contendo subsídio suficiente para melhor esclarecer a situação dos hoje condenados, ou de um inocente morto de desgosto, enfim, esse caso poderá vir a ser o que faltava a outros condenados para não desistirem da ideia de levar esse julgamento a foros internacionais. Ficaríamos de alma lavada se aquele ajuntamento de morcegos sentissem vergonha dos seus atos, se o Brasil, mesmo com o pouco que diz a imprensa sobre a permanência de Pizzolato da Itália (só parte dela), e que já nos causa vergonha, mais envergonhado ficará se Pizzolato vier a ser a redenção final por ter tomado seu rumo como quem foge de uma guerra. Na guerra tudo vale.

Responder

Carlos Roberto

30 de outubro de 2014 às 11h21

Como fazer senhores para que tal informação chegue ao povo por meio de um ou outro veículo de comunicação que não seja só a internet?

Responder

Romulo Scott

30 de outubro de 2014 às 13h19

O que se dizia na época era que Joaquim Barbosa queria a todo custo (inclusive passando por cima da lei) condenar a todos na AP 470.

Responder

Romulo Scott

30 de outubro de 2014 às 13h19

O que se dizia na época era que Joaquim Barbosa queria a todo custo (inclusive passando por cima da lei) condenar a todos na AP 470.

Responder

Jello Biafra

30 de outubro de 2014 às 11h13

Pizzolato é um mestre. A partir dele, o mundo vai ver o STF brasileiro se desmoralizar completamente (com exceção do ministro Lewandowski) que sabia o que estava acontecendo.

Responder

Veronica M Almeida

30 de outubro de 2014 às 12h42

Que vergonha para o Brasil

Responder

Veronica M Almeida

30 de outubro de 2014 às 12h42

Que vergonha para o Brasil

Responder

Art Fact

30 de outubro de 2014 às 12h42

O fato: o julgamento está cheio de furos e a verdade, obviamente, fica velada. Como corrigir isso?

Responder

Art Fact

30 de outubro de 2014 às 12h42

O fato: o julgamento está cheio de furos e a verdade, obviamente, fica velada. Como corrigir isso?

Responder

sergio

30 de outubro de 2014 às 10h26

alguém consegue a integra da decisão dos italianos?? não acho na net.
obrigado

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de outubro de 2014 às 11h12

    tb estamos atrás. acho que ainda não foi divulgado.

    Responder

S

30 de outubro de 2014 às 10h20

DILMA ESTELIONATÁRIA
Depois de acusar Aécio Neves de que os tucanos subiriam os juros se ele fosse eleito, a governanta Dilma Rousseff, 72 horas após ser reeleita, aumentou a taxa SELIC para 11,25% ao ano, reconhecendo que a inflação é fora de controle. O nome disso é estelionato eleitoral.

Responder

    zito rodrigues

    30 de outubro de 2014 às 10h45

    Vc tb ficou indignado(a) quando anunciaram racionamento em Sampa após a reeleição do “picolé de chuchu”?????

    Responder

    Roque

    30 de outubro de 2014 às 10h50

    Só não me faça rir… O “seus” juros eram de 45%… Precisa desenhar?

    Responder

    VIRGULINO

    30 de outubro de 2014 às 11h26

    Ele esta “exigindo” o terceiro turno. Fã de Lacerda.

    Responder

    angela

    30 de outubro de 2014 às 11h38

    Pelo que me consta o Banco Central tem autonomia.

    Responder

Montanhax

30 de outubro de 2014 às 09h59

Teria que ser investigada toda a AP 470. Mas, quem vai investigar o STF?
O congresso, com uma CPI da AP 470?

Responder

Tania Maria Machado

30 de outubro de 2014 às 09h57

A ESPOSA DE PIZZOLATO DISSE EM ENTREVISTA QUE ELE TEM COMPROVANTES QUE PROVAM QUE A REDE GLOBO RECEBEU 5 MILHÕES DESSES RECURSOS DA VISANET. A VERDADE TEM FORÇA DIVINA E ELA VIRÁ Á TONA.ASSIM A SOCIEDADE BRASILEIRA AMADURECERÁ POLITICAMENTE, DEIXANDO DE JULGAR SEM CONHECER A FUNDO CADA SITUAÇÃO, E COLOCANDO EM RISCO A NOSSA JOVEM DEMOCRACIA.

Responder

Zanália Das Graças Carneiro

30 de outubro de 2014 às 11h49

Será erro mesmo?

Responder

Arthur Caria

30 de outubro de 2014 às 11h26

Pois é. A mídia brasileira “sabe mais” que a justiça italiana, herdeira direta do direito romano. Pulitzer, ó Pulitzer, sábio profeta.

Responder

Tânia Merten

30 de outubro de 2014 às 10h50

Gostaria muito de ver um comentário do homem da capa preta agora!

Responder

Alcir Junior

30 de outubro de 2014 às 10h47

Os juizes italianos não assistem a mídia golpista brasileira.

Responder

Matheus Alexandre Guedes

30 de outubro de 2014 às 10h41

Coisas do Barbosa….

Responder

Alex Amaz

30 de outubro de 2014 às 10h38

O que acontece aos juízes que condenam réus ocultando provas que os inocentam? O que o Joaquim Barbosa fez não é um crime? Quem julga os juízes???

Responder

Vanessa Rochael

30 de outubro de 2014 às 10h38

Pois é… e a mídia aqui não revela os reais motivos da decisão da Justiça Italiana.

Responder

Daniel Rangel

30 de outubro de 2014 às 10h26

O STF, em sua maioria, foi nomeado pelo governo do PT. Onde vcs vêem golpe nisso? O cara é um criminoso e já disse q não será bode expiatório, deve ser por isso o alívio dos petistas. Tá na hr da militância pensar no país e não no partido.

Responder

    angela

    30 de outubro de 2014 às 11h57

    Daniel, eu tenho certeza que você está no lugar errado, não se trata de militância e sim de justiça, consegue entender

    Responder

Débora Mustafá

30 de outubro de 2014 às 10h24

Todos soltos!

Responder

Jadir Baphtista Baphtista

30 de outubro de 2014 às 09h39

o stf no brasil tentou na realidade da seu golpe nao colou e so preendeu os petista onde estao os verdadeiros mensaleiros do psdb

Responder

Carlos Ribeiro

30 de outubro de 2014 às 07h29

Já imaginem a dupla Gilmar Mendes/Sergio Moro no STF! O Juiz Moro terá de esperar mais um “cadim”, bobo!

Responder

João Só

30 de outubro de 2014 às 06h29

A Revisão Criminal deve ser pedida no momento adequado. O PT tem que fazer isso para anular esse argumento falso da direita.

Responder

Martin Mikoski

30 de outubro de 2014 às 07h26

Não vai sobrar pedra sobre pedra!

Responder

Marilza G Diniz

30 de outubro de 2014 às 07h08

Pizzolato é inocente!

Responder

Fauzi Achoa

30 de outubro de 2014 às 03h45

Um supremo sabujo da midia.

Responder

Marcia Santos Duarte

30 de outubro de 2014 às 04h47

Felizmente

Responder

    abaixo o pig

    30 de outubro de 2014 às 09h22

    E vejam como o Pizzolato é previdente: desde o começo do julgamento ele já havia providenciado passaporte falso (usando o nome do irmão morto), transferido um dinheirinho para a Europa e até comprado um ou dois imóveis por lá.

    Ele já sabia que os Ministros do STF (a maioria nomeados pelo Lula e pela Dilma) certamente inventariam que ele é criminoso.

    Responder

      Miguel do Rosário

      30 de outubro de 2014 às 09h25

      Claro que sabia, já havia sido tudo decidido.

      Responder

Deixe uma resposta