Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Exército alerta golpistas: Dilma é a comandante em chefe

Por Miguel do Rosário

15 de maio de 2015 : 18h12

Coxinhas, paneleiros e golpistas vem acumulando derrotas sucessivas.

Primeiro foi o anúncio de que a China investirá R$ 160 bilhões em obras de infra-estrutura no Brasil, matando o golpe que a “República do Paraná”, com apoio da mídia, queria aplicar no país, usando desemprego e recessão para criar um clima de impeachment.

Depois a FGV informou que a inflação caiu pela metade nos primeiros dez dias de maio.

A Petrobrás voltou a bater recordes de produção e o valor das ações, apesar do vai e vem da especulação internacional, tem registrado uma recuperação notável nos últimos meses.

E agora, o Comandante do Exército Brasileiro, o general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, acaba de aplicar um cala boca histórico nos irresponsáveis que desejavam repetir o golpe de 64.

Villas Boas não poderia ser mais claro. Dirigindo-se diretamente aos brasileiros que pedem intervenção militar, o general explicou que é preciso “compreender as normas da democracia brasileira antes de propor soluções sem fundamentação legal”.

Para boas, o desejo de intervenção militar “não tem nenhum fundamento. O Exército é uma força de sustentação do Estado Democrático de Direito e deve obediência à presidente da República, que é nossa comandante-em-chefe”.

Boas explica que “não é papel das Forças Armadas fiscalizar o governo, derrubar o governo ou interferir na vida política do país”.

Os marchadeiros tem muita sorte de termos um governo profundamente democrático, porque é muito raro, mesmo em democracias maduras, como EUA e a maioria dos países europeus, que se permita manifestações assumidamente golpistas.

Nos EUA, marchas pregando golpe militar como a que fazem aqui talvez fossem empasteladas como um atentado à segurança nacional.

A prova do golpismo da nossa imprensa é que as declarações do general Villas Boas à agência de notícias RD News foram divulgadas no dia 11 de maio e nenhum jornal as repercutiu.

Procure no Google. A informação foi vergonhosamente sonegada pela mídia.

Ou seja, após a cobertura intensiva das marchas em prol do impeachment e intervenção militar, a mídia se recusa, inacreditavelmente, a noticiar a posição definitiva do comandante do exército brasileiro, de que não compete às forças armadas intervir no processo democrático.

*

Comandante do Exército defende a democracia e rechaça golpe militar

Por Jacques Gosch, na RD News

4da11bc903c60fca2d94b97fa7bc29dc
General Villas Bôas, comandante do Exército durante a vista a Mato Grosso

O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, rechaçou qualquer possibilidade das Forças Armadas interferirem na situação política do país. Segundo o oficial, os manifestantes que reivindicam intervenção militar contra a presidente Dilma Rousseff (PT) nas ruas ou nas redes sociais estão completamente fora da realidade. “Não é papel das Forças Armadas fiscalizar o governo, derrubar o governo ou interferir na vida política do país”, garante.

Manifestantes reclamam da corrupção, especialmente na Petrobrás, dos aumentos nas contas de luz, do preço da gasolina, cortes em programas como o Fies, além da elevação da inflação, entre outros problemas. Pelo Brasil, obras estão paradas por falta de pagamento. Em Mato Grosso, por exemplo, estão paralisadas as duplicações da BR-163, que são de competência do Dnit.

Apesar da situação, o general ressalta que as missões do Exército estão escritas no artigo 142 da Constituição, sendo que os marcos legais da atuação são muito bem definidos. As declarações do general Villas Bôas foram dadas ao Rdnews, durante as comemorações do sesquicentenário do nascimento do Marechal Cândido Rondon, em Mimoso.
De acordo com o general, os manifestantes que pedem intervenção militar precisam compreender as normas da democracia brasileira antes de propor soluções sem fundamentação legal. “Isso absolutamente não procede. Não tem nenhum fundamento. O Exército é uma força de sustentação do Estado Democrático de Direito e deve obediência à presidente da República, que é nossa comandante-em-chefe”, completa.
Villas Bôas ainda lembra que, em tempos de paz, o Exército deve se preparar em tecnologia e em capacidade de se projetar onde for necessário se fazer presente. O comandante também defende o papel estimulador do desenvolvimento científico e tecnológico no país. “O Brasil ainda tem uma grande parte do seu território a ser completamente integrado à dinâmica do desenvolvimento nacional. E as Forças Armadas são indutoras do desenvolvimento Muitas vezes as únicas prestadoras das necessidades básicas à população. Falo da região Amazônica”, explica.

Para o general, a participação do Exército em ações de segurança pública devem ser casuais, pontuais e episódicas. “Em relação à segurança pública, a problemática dos nossos centros urbanos é o que passa pelas nossas fronteiras. Segundo a Polícia Federal, cerca de 80 % da violência urbana está ligada ao narcotráfico. O Exército está desenvolvendo ferramentas como Sisfron para monitorar e intervir em tempo real contra o narcotráfico e contrabando de armas”, conclui o comandante.

Golpe militar

Após a renúncia do presidente Jânio Quadros, em 1961, ocorreram uma série de fatos que culminaram no golpe de 1964. Militares, com apoio de setores da sociedade, que temiam um golpe de esquerda, assumiram o

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Fernando

06 de abril de 2017 às 17h58

Hahahahahaha… deixe-me rir porque não aguento tamanha malandragem desse site comunista aplicando sua técnica conhecida de “Acuse-os daquilo que você é, ou seja os comunistas queriam dar o golpe no Brasil como o Maduro fez porque a Dilma consultou o Aldo Rabelo sobre decretar estado de defesa e só o seu governo causou desgraça e desemprego e calamidade no Brasil só ela deveria ser rechaçada e não o pais. Ai os generais foram ao ministerio da defesa que quem comandava é Aldo Rabelo comunista e disseram a Aldo Rabelo, ele foi informado de que o Regimento Militar era muito claro. Ordem absurda não se cumpre. E mais. É dever de todo militar dar voz de prisão a quem ousa expedir qualquer tipo de ordem absurda. Recado mais claro, impossível.

Aldo foi à Dilma e informou que não haveria qualquer apoio para o Estado de Defesa.

O comando do exercíto deu um cala boca nos comunistas que eles sim como em 1935 e 1964 e por ai vai queriam dar o golpe da ditadura comunista no Brasil e agora mais uma vez os militares impediram a Dilma e a turma comunista de dar o golpe comunista, coisa que eles sim tentaram fazer em 1964 e o regime militar foi necessario para impedir qualquer tentativa comunista de fazer do Brasil uma Cuba com regime totalitario que oprime seu proprio povo.

Nossa bandeira nunca será vermelha e os intervencionistas sabem claramente do movimento comunista no Brasil e na america do sul e estão cansados e queriam uma solução rápida.

Veja que quem escreve o artigo coloca os intervencionistas como os errados e não os ladrões de PT Lula, e a Dilma que desgraçou o pais e eles sim coniventes e sabidos da robalheira estavam dando golpe no pais.

E o General só não atendeu aos intervencionistas porque viu que podemos sair dessa cituação e rechaçar os comunistas sem intervenção, se pensa que sou burro e não vi malandragem nesse artigo ta enganado, ta claro que assim como em 1964 que os militares sairam como os errados e os comunistas como os defenssores da patria agora querem fazer o musmo se fazendo de vitimas e querendo serem os injustiçadinhos sendo os maiores golpistas da patria vão para cuba, corea do norte e para a Venezuela vocês não são Brasileiros são sovieticos.

Responder

felipe

12 de setembro de 2016 às 08h34

E vocês nem são tendenciosos né? Fazendo propaganda do governo de Dilma. Sejamos imparciais e objetivos, assim como o jornalismo pede, e não assim: “Coxinhas, paneleiros e golpistas vem acumulando derrotas sucessivas”, “A Petrobrás voltou a bater recordes de produção e o valor das ações”, ” China investirá R$ 160 bilhões em obras de infra-estrutura no Brasil, matando o golpe que a “República do Paraná”. Muito tendencioso viu!

Responder

Cacau Heinzelman

12 de maio de 2016 às 10h50

CAiu sem os militares. Com certeza a democracia é algo lindo. :D

Responder

Raphael

27 de setembro de 2015 às 11h35

O “desgoverno” moribundo ainda respira, aguardando lentamente seu destino . . .
Os vagabundos, canalhas e ladrões que roubam e apoiam tal corja serão rechaçados !
E nunca mais teremos os PTralhas no poder !

Responder

Eduardo

17 de junho de 2015 às 17h10

Todos que lesão a pátria, sem exceção, devem ser punidos! Se quisermos um futuro melhor para nossos filhos, temos que tratar do presente! As lambanças de nossos governos há décadas é vergonhosa. Temos tudo para sermos uma potência em todas as áreas, inclusive a do conhecimento, mas esta última não interessa a ninguém! Por isso, acho que devemos nos livrar destes que tiram proveito do povo, um a um até que tenhamos um grupo político patriota, que governem para todos, pois se não for assim não vai ser para nenhum!

Responder

filho

19 de maio de 2015 às 17h16

Parabéns General pelo espírito democrático. Dilma, vamos aumentar o investimento em nossa Defesa, além de prudente para uma nação que agora desperta, incentivamos e desenvolvemos a tecnologia e indústria pátrias. A respeito do tema sugiro a leitura do novo e brilhante artigo de Mauro Santayana.
http://www.maurosantayana.com/2015/05/o-recado-das-armas-os-militares-e.html

Responder

Fabio

18 de maio de 2015 às 18h02

O golpe não vem mais das forças armadas, o golpe vem do judiciario, do MP e mais do que nunca, do Renan e do Cunha.

Responder

Eduardo

17 de maio de 2015 às 02h07

Pois é narcotráfico … Então regulamentem a porra do uso das drogas.Só pode droga líquida alcoólica?Ou fumar nicotina ? e não cannabis ? não sou a favor das drogas, sei o mal que representam.Mas nosso país-zinho de HIPOCRISIA CrÔNICA, proibe jogo, e todo mundo joga clandestina ou oficialmente.A alternativa dos miseráveis excluídos se tornou o tráfico ,senão aumentariam consideravelmente os já altíssimos índices de roubos à bancos,sequestros e latrocínio, é um sossega Leâo para a indecorosa desigualdade social de nossa republiqueta colonizada e mestiça.

Responder

enganado

16 de maio de 2015 às 12h54

Gostaria de ver a focinheira do FHC, metido a filosófo da Direita, depois de saber do discurso do general. Olha aí FHC, o Mikhail Andreyevich Suslov foi o que foi porque não era viracasaca e com isto era respeitabilíssimo. Vá estudar mais!

Responder

Almir

16 de maio de 2015 às 11h46

Paneleiros manipulados pela rede globo, vocês perderam DE NOVO. Espere só o PL 4330 começar a “render frutos” pros patrões. Eu quero ver a cara dos coxinhas trabalhando 5 horas a mais, pra ganhar 40% a menos e sem poder tirar férias. Quem mandou votar na direita? Ah, foi a rede globo… Então prepare o lombo, futuros escravos!!!

Responder

Haroldo Aquilles Andrade

16 de maio de 2015 às 08h44

Maior atentado ao Estado de Direito é um comandante das Forças Armadas rechaçar golpe de Estado. Isso mostra o quanto nossa democracia é falha. General, Almirante Brigadeiro não podem e nem devem falar política, a não ser a das armas que comandam. Triste democracia essa nossa.

Responder

    Wladimir

    18 de maio de 2015 às 11h53

    Não é de dar dó a frustração do coxinha golpista do Haroldo, vendo sua sanha ir ralo abaixo! Dá uma olhadinha da Constituição Federal, principalmente no “caput” do artigo 142!

    Responder

    Carlos Adonias

    18 de maio de 2015 às 20h49

    Entendo sua posição, Haroldo, mas o barulho está grande demais, o que, talvez, justifique a intervenção verbal do general. Eu disse intervenção? Oops!

    Responder

Maria Penha da Silva

16 de maio de 2015 às 06h54

Exército alerta golpistas: Dilma é a comandante em chefe. O cafezinho

Responder

Dora Lima

16 de maio de 2015 às 01h36

O Jogo virou! Coxinhas só acumulam derrotas!

Responder

Roberto de Paulo

15 de maio de 2015 às 21h35

Esta vai para vocês,coxinhas idiotas,só resta enfiar o fuzil no lugar que só vocês sabem,quer que desenhe.

Responder

Jair Corgozinho Corgozinho

15 de maio de 2015 às 23h51

#globogolpista

Responder

Leila Maria

15 de maio de 2015 às 23h12

#PSDBblindadopelaMidia

Responder

Roberto Tadeu

15 de maio de 2015 às 23h11

Chupa seus coxinhas nazistas

Responder

Marcelo Rossi

15 de maio de 2015 às 22h49

Coxinhas: façam Harakiku !

Responder

Jorge Leôncio

15 de maio de 2015 às 21h55

tem que mandar esses coxinhas pro Iraqui, para o exercito Islamico Decaptar todos eles !!rsrs

Responder

Vitor

15 de maio de 2015 às 18h30

Muito lúcido o general! Não concordo com algumas coisas da introdução do texto, mas esse “não viaja” que ele mandou nos golpistas foi excelente!

Responder

Mauricio Gomes

15 de maio de 2015 às 18h18

Chupem essa manga coxinhas nazistóides e golpistas. Daqui a pouco prevejo a Veja, Olavo de Carvalho, Lobão, BolsoASNO e Caído (ops, Caiado) dizendo que nosso exército é comunista e bolivariano…será que irão chamar o chapolin colorado ? kkkkk

Responder

Deixe um comentário