Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Glenn Greenwald: Mídia brasileira parou de fingir que acredita na democracia

Por Miguel do Rosário

27 de julho de 2016 : 12h32

O editorial é do Estadão, mas vale para toda a grande mídia, que aliás no Brasil funciona como um sistema unificado.

O jornalista Glenn Greenwald matou a charada:

ScreenHunter_243 Jul. 27 12.02 ScreenHunter_242 Jul. 27 12.02

Eu traduzo os tweets. Do primeiro em diante:

1 – A razão pela qual o Estadão não quer eleições é porque  ele prefere a pessoa lá instalada (Temer) a que poderia ganhar eleições – ou seja, ele se opõe à democracia.

2 – Aqueles mais raivosamente negam que o impeachment seja um golpe são os mesmos que defendem que o povo não participe na escolha do novo presidente.

3 – Alguém poderia traduzir isso, para que o mundo possa ver: a mídia brasileira desistiu de fingir que acredita em democracia.

***

O editorial do Estadão explica a fraude da Folha, que tentou (e conseguiu, com ajuda das redes de TV, em especial da Globo, que reproduziram apenas a pesquisa fraudada, e não a denúncia da fraude) enganar a opinião pública brasileira.

A mídia, porta-voz do golpe, morre de medo de um novo processo eleitoral, que obrigue os candidatos a externarem posições francas sobre o salário-mínimo, os programas sociais, o tamanho do Estado.

A mídia quer substituir o processo eleitoral por suas próprias pesquisas privadas, que ela frauda e manipula como se não houvesse amanhã.

As críticas? São silenciadas, ou tratadas como coisa de “blogs pró-Dilma”.

Detalhe: os puxa-sacos da Globo que quiserem criticar Glenn Greenwald, não se esqueçam que Glenn, além do Pullitzer, ganhou também um prêmio Esso com reportagem publicada… na Globo, sobre a espionagem criminosa do governo americano a milhões de brasileiros.

Aliás, por que os EUA espionaria milhões de brasileiros, hein?

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José Ruiz

04 de agosto de 2016 às 10h44

o que será que os militares de médio escalão pensam ao ver tudo isso? Me parece claro que os generais, comandantes supremos das FA, abandonaram a Dilma chorando sozinha na estrada, mas e os outros? Eles não percebem que o país está sendo invadido, e consequentemente TODOS que direta ou indiretamente contribuem para este golpe (esta invasão) são traidores? O que os militares fazem com traidores?

Responder

    José Ruiz

    04 de agosto de 2016 às 10h45

    ou será que é uma força exclusivamente de enfeite? Quando muito, se volta contra os pobres..?? Foi prá isso que o Lula comprou aqueles caças suecos?

    Responder

Euripedes Batista

28 de julho de 2016 às 12h07

Alguém tem que parar esses caras!

Responder

Guanabara

28 de julho de 2016 às 11h47

Na visão deles, a democracia é uma “ditadura da maioria”. Que seja então, da minoria dita “esclarecida”. Simples assim. Qualquer semelhança com a visão dos governos militares no passado (o povo é ignorante) NÃO É mera coincidência.

Responder

Deixe um comentário