Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Eduardo Cunha e CPI da Merenda: a desfaçatez da direita brasileira não tem limites graças à mídia

Por Pedro Breier

03 de agosto de 2016 : 10h00

Eduardo Cunha. Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

por Pedro Breier, correspondente policial do Cafezinho

Aliados de Eduardo Cunha adotarão a estratégia de esvaziar a sessão que votará a cassação do peemedebista, segundo nota no Painel da Folha.

O cálculo dos aliados de Cunha é de que 200 deputados não aparecerão no plenário para a votação. O Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tem dito que não colocará o caso em pauta com menos de 400 deputados presentes.

Vejam este trecho da nota:

O Planalto atua para empurrar a votação final para depois do julgamento de Dilma. “Eduardo não pode ir primeiro”, diz um líder do centrão, que ajuda o governo nos bastidores.

A capacidade da mídia cartelizada de controlar a narrativa ainda é impressionante.

As notícias sobre o governo Temer ajudando Cunha na tentativa de escapar da cassação viraram rotina e foram naturalizadas nos sites e jornais.

Não há repercussão, capas, editoriais, críticas contundentes, nada.

Mas isso só é possível nesse momento histórico, onde há um oligopólio inconstitucional nas comunicações.

Infelizmente somente daqui há alguns anos as coisas serão ditas como são de fato: o grupo político que derrubou um governo eleito pelo voto direto da população é especialista em corrupção e maracutaias. O sentimento anticorrupção da população foi manipulado para que os grandes corruptos brasileiros chegassem ao poder sem ter votos para isso.

Outra notícia de hoje é mais um tapa na cara de quem acreditou no blá blá blá contra a corrupção da direita brasileira.

O relator da CPI da Merenda na Assembleia Legislativa de São Paulo, Estevam Galvão, do DEM, excluiu os deputados suspeitos de envolvimento no esquema de desvio de dinheiro da alimentação escolar da lista de depoentes da comissão.

Dentre os excluídos estão o presidente da Assembleia, Fernando Capez (PSDB), e deputados do SD, PPS, PMDB, PSDB e PTB.

Todos esses partidos são fiadores do golpe e seus integrantes enchem a boca para falar da “roubalheira do PT”.

Repetindo porque é absurdo demais: os deputados citados nas investigações não serão ouvidos na CPI.

Lembremos ainda que a CPI da Merenda somente foi instalada após a ocupação da Assembleia pelos estudantes secundaristas.

É uma situação dantesca e emblemática dos nossos tempos.

Os deputados, em tese representantes do povo, se recusaram a investigar o roubo de dinheiro da merenda das crianças e jovens (!). Os estudantes, em um ato político inspirador, ocuparam a Assembleia Legislativa exigindo a criação da CPI. A base governista, que tem maioria, criou a CPI apenas para evitar mais desgaste político e agora promove uma farsa descarada, um deboche, ao nem mesmo ouvir os parlamentares envolvidos nas investigações.

Toda essa desfaçatez da direita brasileira em proteger seus corruptos de estimação enquanto aponta o dedo para o adversário só é possível graças à manipulação da informação pela mídia conservadora.

A democratização da mídia é a medida mais urgente para que possamos um dia acabar com o festival diário de cinismo e hipocrisia dos defensores da moral e dos bons costumes.

 

 

 

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve n'O Cafezinho desde 2016, sendo atualmente um dos editores do blog.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Welbi Maia Brito

04 de agosto de 2016 às 10h33

Assim que a Polícia Civil descobriu a máfia da merenda o governador Geraldo Alckmin determinou apuração imediata e punição exemplar aos envolvidos, seja quem, ou de que partido for. A Corregedoria do Estado, a Polícia Civil e o MP já avançaram bastante nas investigações. O governador apoia e incentiva todas as investigações do caso. Inclusive a CPI. Agora cabe aos deputados fazerem sua parte instalando a CPI para apurar quem são os responsáveis pela máfia da merenda.

Responder

Terceira Onda ?

03 de agosto de 2016 às 10h37

Mas não veremos bandeiras pela democratização da mídia, nas mãos de todos aqueles que estão nas ruas contra o golpe… à quanto tempo sabemos que a democratização da mídia é nossa maior bandeira? MAIOR… absolutamente maior !! A democracia Brasileira é a MÍDIA!

Responder

Marcos Augusto Neves

03 de agosto de 2016 às 10h22

…sem comentários, me dá asco só de ouvir a chamada do JN, o estômago embrulha na hora! Vou para os livros, deus me livre dessa mídia escrota.

Responder

    eto

    03 de agosto de 2016 às 10h36

    Totalmente de acordo. É tanta mentira, manipulação, panos quentes… voz para os corruptos e nada do contraponto. Desanimador.

    Responder

Claudio

03 de agosto de 2016 às 10h09

A mídia jamais faria sem um judiciário corrupto.

Responder

Deixe um comentário