03.04 Coletiva do Ministro da Saúde

Retratos de uma agenda entreguista: Mishell e a volta às margens do Ipiranga

Por Tadeu Porto

08 de setembro de 2016 : 10h08

Por Tadeu Porto*(@tadeuporto), colunista do Cafezinho

Gostaria eu, nessas possibilidades quânticas de mundos paralelos ou viagens no tempo, de se aproximar de D. Pedro I e dizer: “Vossa Majestade [a educação atravessa o tempo], sinto muito lhe dizer, mas nessa lógica booleana que o senhor proferiu as margens do Ipiranga estamos mais próximos da morte do que da independência”.

Quase dois séculos passados do dia escolhido para representar nosso “desligamento” oficial da coroa portuguesa, talvez a única independência que o Brasil tenha seja o estádio de futebol onde meu querido Galo derrota seus adversários (caiu no horto, tá morto).

É relativamente factível afirmar que não existe independência no Brasil, afinal não há como aceitar um país efetivamente independente com a desigualdade social que existe aqui, onde parece ser natural que mais da metade da população não possua o essencial dos direitos humanos como, por exemplo, saneamento básico [sei que existe centenas de outros exemplos, como saúde e educação, mas, convenhamos, a falta de rede de esgoto, por si só preenche o argumento].

E o mais simbólico da nossa imaturidade enquanto nação é viver, em pleno 2016, um golpe de Estado que nos atrasa, ainda mais, na caminho em busca da real emancipação. Um grande exemplo disso – além do retrocesso no pouco que avançamos na igualdade social que certamente virá com os cortes dos gastos sociais – está na destruição do nosso mercado de petróleo mediante aplicação de uma agenda liberal, entreguista e fracassada, que só favorece quem já muito ganha com a má distribuição da nossa renda e riqueza: a elite nacional que veste a hipocrisia de verde amarelo enquanto abana o rabo para os EUA como um cachorro  vira-lata.

No mês da independência, não há nada pra comemorar em termos da nossa soberania. A gestão Temer/Parente se prepara para entregar a NTS (Nova Transportadora Sudeste) que, basicamente, controla o escoamento de Gás pelos gasodutos do sudeste. Em outras palavras, ficará nas mãos de multinacionais estrangeiras os “pedágios” que nosso combustível gasoso irá pagar para abastecer industrias, termoelétricas e domicílios no Brasil, e o compromisso social do insumo, que pode ser fonte de energia alternativa, ficará a mercê do lucro de fundos de investimento como o canadense Brookfield.

E, infelizmente, não fica só por aí. Enquanto Temer recebe o CEO da Statioil que ganhou de presente um campo de alta rentabilidade do Pré-sal (uma pechincha de R$ 8,5bi que vale, no mínimo, R$ 22bi), José Serra recebeu o presidente da Shell, cujo diretor de global de Exploração e Produção declarou, sem a menor cerimônia em entrevista ao Estadão, que não pretende continuar com o desenvolvimento da industria naval no Brasil (“No nosso mercado, temos de manter baixos custos, ou não sobrevivemos à concorrência. Costumamos estimular a competitividade da indústria local, mas não estamos em posição de dizer que trabalharemos com qualquer preço.”).

E mais: semana que vem a câmara pode colocar em votação o (PL 4567/16), que entrega efetivamente o Pré-sal, tirando a Petrobrás dos leilões futuros e deixando o caminho livre, leve e solto para as demais petroleiras pegarem nosso óleo bruto e o levarem para casa. Como já foi feito com nosso Pau-Brasil, Ouro, Borracha ou Café, sem deixar aqui um rastro sequer de industrialização.

Ou seja, da cadeia produtiva de petróleo – commodity mais importante do mundo atual – continuaremos dependentes, no mínimo, de derivados (cujo dispêndio prejudicou a Petrobrás no começo da década) e mão de obra especializada (navios e equipamentos voltarão a serem feitos fora do Brasil), sem contar o abandono da geopolítica do óleo e gás (continuaremos com peso insignificante nas negociações mundiais sem ter o poder efetivo da produção, a despeito das reservas enormes).

Michel Temer e a elite política entregam de bandeja toda a estrutura de um país, a soberania e o futuro de uma nação, simplesmente para manter o povo longe das tomadas de decisões estratégicas – não suportam um greve como a dos petroleiros que controlou o preço internacional do barril – e continuar com a alta concentração de renda que permite que seus filhos e filhas, como o Michelzinho, possuam com menos de 10 anos de idade um patrimônio que muitos brasileiros e brasileiras sequer vão chegar perto de ter em uma vida inteira de trabalho.

Apenas um golpe tão baixo, que usou e abusou da mídia para ludibriar a opinião pública, consegue transformar um suposto dia da independência num espetáculo entreguista que angustiante e trágico. Somente essa ruptura institucional, a usurpação descarada do voto popular, consegue colocar em prática uma agenda antinacionalista e autodestrutiva, que não seria escolhida nem para completar aquela peladinha de Futsal com nove participantes.

E se do golpe nascem a resistência e o enfrentamento, tenho sinceras esperanças de ver os filhos e filhas que não fogem a luta se insurgirem contra o eterno Brasil colônia, uma vez que  a escuta do Ipiranga as margens plácidas parece não ter sido suficiente para acordar a população da necessidade de uma independência material.

A luta virá: pela Petrobrás, pela energia, pela água, enfim, pela autonomia e protagonismo do nosso país e pelas mãos de um povo heroico que não deve temer.

Mas enquanto ela não chega, nesse sete de setembro não há muita coisa a celebrar.

P.s. Peço desculpas, esse texto era para ter saído ontem mas tive um contratempo e não consegui postar ;(

Tadeu Porto é diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (SindipetroNF)

Tadeu Porto

Colunista do Cafezinho e diretor da Federação Única dos Petroleiros e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Aparecida Lacerda Jubé

08 de setembro de 2016 às 20h01

Os estrangeiros ficam com nossos bens, os entreguistas com a propina, e o povo com os vazamentos, com a mortandade da fauna marinha, com a degradação do meio ambiente, as empresas da construção pesada, estrangeiras ficam com o mercado de bilhões de dólares e milhões de empregos, que poderiam ser das nossas, mas que a Lava-Jato destruiu, para deixar o mercado livre para as estrangeiras.

Responder

Dilma Coelho

08 de setembro de 2016 às 18h56

FORA TEMER – DIRETAS JÁ!

A maioria dos brasileiros quer novas eleições para presidente, mas isso não vai acontecer
a menos que a maioria de nós não reconheça a legitimidade do governo de Michel Temer. Junte-se à campanha para deixar o povo decidir quem deve liderar o nosso país e envie para todos:
ASSINE A PETIÇÃO
Apenas 13% dos brasileiros apoiam este governo – isso não é democracia! Nós somos o único
movimento no país que pode chegar a oito milhões de pessoas nas próximas horas.
Vamos construir o maior apelo para eleições antecipadas já visto –
junte-se agora e conte para todos:
https://secure.avaaz.org/po/brasil_fora_temer_loc/?bzyaReb&v=81113&cl=10643515481&_checksum=c5711c90725c5738635c7c4248c340d6fc05ccf9320b64aab6b6abc77e0c03f7

Grande parte da nossa elite política é corrupta. Mas, ao menos, sempre tivemos
a chance de escolher quem deveria nos liderar. Na semana passada o Congresso
substituiu a presidente por um homem “Ficha Suja” que está atacando o
direito das pessoas.
Essa é nossa chance! Assine agora e compartilhe com todos — vamos liderar um
movimento que forçará novas eleições:

Responder

    Osmar Gonçalves Pereira

    08 de setembro de 2016 às 19h35

    “Diretas já” sem pensar na estrutura eleitoral que temos? Tenho duvidas se esta é a melhor solução, gostaria de saber mais sobre como seriam estas eleições antecipadas, com quais regras eleitorais estaríamos lidando. Outra coisa: avaaz? mais duvidas sobre as reais intenções dos “sujeitos” por trás dessa estrutura.

    Responder

Elvi Got

08 de setembro de 2016 às 18h02

Mi Shell Temer o entreguista…
Wikileaks afirma que Michel Temer foi informante dos EUA
Temer teria dito “Quem quer que vença a eleição presidencial terá que vir até nós para fazer qualquer coisa”, teria dito o político. http://www.conversaafiada.com.br/economia/wikileaks-temer-foi-informante-da-embaixada-americana
Os autores dessa crise… PSDB/DEM/PMDB/PP/PR/PSC, sem a ação dos golpistas a nossa economia não teria ficado nem um ano no vermelho. A droga que mata a democracia no Brasil é o PSDB…

OS NOMES DOS (AS) INFAMES CANALHAS NAZIGOLPISTAS DE 2016!
Direto para a lixeira da história! Amaldiçoados para sempre, nomes e partidos políticos!
Acir Gurgacz PDT RO, Aloysio Nunes PSDB SP, Álvaro Dias PV PR, Ana Amélia PP RS, Antonio Anastásia PSDB MG, Antonio Carlos Valadares PSB SE, Ataíde Oliveira PSDB TO, Aécio Neves PSDB MG, Benedito de Lira PP AL, Cidinho Santos PR MT, Ciro Nogueira PP PI, Cristovam Buarque PPS DF, Cássio Cunha Lima PSDB PB, Dalirio Beber PSDB SC, Davi Alcolumbre DEM AP, Dário Berger PMDB SC, Edison Lobão PMDB MA, Eduardo Amorim PSC SE, Eduardo Braga PMDB AM, Eduardo Lopes PRB RJ, Eunício Oliveira PMDB CE, Fernando Bezerra Coelho PSB PE, Fernando Collor PTC AL, Flexa Ribeiro PSDB PA, Garibaldi Alves Filho PMDB RN, Gladson Cameli PP AC, Hélio José PMDB DF, Ivo Cassol PP RO, Jader Barbalho PMDB PA, José Agripino DEM RN, José Aníbal PSDB SP, José Maranhão PMDB PB, José Medeiros PSD MT, João Alberto Souza PMDB MA, Lasier Martins PDT RS, Lúcia Vânia PSB GO, Magno Malta PR ES, Maria do Carmo Alves DEM SE, Marta Suplicy PMDB SP, Omar Aziz PSD AM, Paulo Bauer PSDB SC, Pedro Chaves PSC MS, Raimundo Lira PMDB PB, Reguffe sem partido DF, Renan Calheiros PMDB AL, Ricardo Ferraço PSDB ES, Roberto Rocha PSB MA, Romero Jucá PMDB RR, Romário PSB RJ, Ronaldo Caiado DEM GO, Rose de Freitas PMDB ES, Simone Tebet PMDB MS, Sérgio Petecão PSD AC, Tasso Jereissati PSDB CE, Telmário Mota PDT RR, Valdir Raupp PMDB RO, Vicentinho Alves PR TO, Waldemir Moka PMDB MS, Wellington Fagundes PR MT, Wilder Morais PP GO, Zeze Perrella PTB MG.

Responder

Ocomentarista Tcomment

08 de setembro de 2016 às 11h39

DIRETAS JÁ!

Responder

Deixe uma resposta