Coletiva de Rodrigo Maia (ao vivo) sobre medidas contra a crise

Vote Freixo 50: A verdadeira nova política

Por Tadeu Porto

07 de outubro de 2016 : 17h38

Por Tadeu Porto* (@tadeuporto), colunista do Cafezinho
A partir de hoje, passarei a escrever uma série de textos, intitulada “vote Freixo 50”, com argumentos sobre a importância de se eleger Marcelo Freixo como prefeito do Rio. Conto com a colaboração dos leitores e leitoras do Cafezinho, não só para participar do debate – o interno aqui conosco e o externo com os eleitores e eleitoras cariocas – mas também para  compartilhar essas idéias o máximo possível.

Bom, a priori acredito que essa primeira coluna precede uma explicação básica e Ética: como sou mineiro de nascimento e título eleitoral não votarei no Freixo, apesar de fazer essa campanha (#xatiado).

Entretanto, não dá para abandonar a cidade maravilhosa num pleito tão importante[ Defendo Freixo só porque, Rio eu gosto de você…], afinal, uma vitória do deputado estadual é um resquício de esperança para qualquer brasileiro ou brasileira que acredita numa nova maneira de governar. Entre Freixo e Crivella só encontramos em comum o nome Marcelo, de resto são completamente diferentes. Cito alguns exemplos abaixo:

Campanha política

O perfil das campanhas talvez seja o argumento central da diferença gritante entre os dois candidatos cariocas. Segundo a prestações de contas do TSE (acesso dia 07/10/16 no aplicativo do tribunal para Android chamado “Candidaturas”), observamos que Crivella recebeu no total R$ 4.678.300,00, sendo 27.300,00 de pessoas físicas e incríveis R$ 4.651.000,00 de doações de partidos. Enquanto isso Freixo recebeu o total de R$ 760.637,60, muito mais diversificadamente distribuídos em 79.670,00 de pessoas físicas, 405.808,00 de doação pela internet. 13.159,60 de doação de candidatos e 26.200,00 de doações de partido.

A análise quantitativa por si só demonstram o abismo entre os potenciais prefeitos: o ex-ministro da pesca arrecadou seis vezes mais que o professor carioca. Todavia, o diagnóstico qualitativo talvez denote, ainda mais, a enorme disparidade entre a velha e a nova política: Crivella conta com o financiamento altamente concentrado no fundo partidário, dinheiro público que aumentou consideravelmente no início de 2015 (o legislativo aumento três vezes a proposta do executivo na época); já Freixo conta com as contribuições financeiras altamente diversificadas, com sua maioria oriunda de doações espontâneas da internet, feitas por muitas pessoas, o que demonstra um engajamento coletivo da campanha Psolista infinitamente superior ao engessado subsídio de poucos partidos que alimenta a coligação do Crivella.

Ou seja: por um lado temos um candidato ancorado no velho fundo partidário e do outro temos as doações de internet com viés mais solidário e participativo. A diferença fica gritante, não é?

Coligações PRN/PR/PTN x PSOL/PCB

Nas disputas de coligações, um argumento fatídico falaria por si só: os paritdos PRN (do próprio Crivella), o PR (do vice Mac Dowell indicado pelo Garotinho) e o PTN fazem parte do Centrão, bloco controlado pelo ex-presidente da câmara Eduardo Cunha (juntos, esses partidos representam 30% dos votos contra a cassação de Cunha) enquanto o PSOL foi o partido que, junto com a REDE, foi responsável pela representação no conselho de Ética da Câmara que culminou na expulsão do deputado federal carioca.

Todavia, dá para ir além do argumento “pró-Cunha x anti-Cunha”: o PSOL foi responsável por barrar, mesmo com pouquíssimos deputados, a tentativa de anistia do crime de caixa dois no parlamento. O deputado que tentou emplacar esse absurdo, primeiro secretário que presidia a mesa no lugar de Rodrigo Maio, foi o paulista Beto Mansur, do próprio Partido Republicano Brasileiro e, obviamente, companheiro de partido do Crivella.

Bom, por hoje é só galera. Vamos ao debate, com muita tranquilidade e paciência, para ganhar essas mentes e corações contraditórias que residem na cidade maravilhosa!

“Vaaaaai, ser desse jeitoô!!!”

*Tadeu Porto é diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense

Tadeu Porto

Colunista do Cafezinho e diretor da Federação Única dos Petroleiros e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

MARIA

09 de outubro de 2016 às 03h32

QUALQUER UM COM JUIZO NÃO VOTA NESTE FREIXO BASTA PERGUNTAR PARA O SEU PARTIDO O QUE ACHAM DA VENEZUELA-PRA ELES EM UM PAIS ONDE O PRESIDENTE FERROU TUDO O MESMO TEM ALTA POPULARIDADE KKKKKKKKKKKK

Responder

MARIA

09 de outubro de 2016 às 03h30

A ULTIMA ESPERENÇA DA ESQUERDA É ESSE CANDIDATO AI KKKKKKKKKKK PERDERAM MAIS METADE DAS PREFEITURAS E AGORA ESTÃO AOS PRANTOS KKKKKKKKKKKKK

Responder

Antonio Passos

08 de outubro de 2016 às 20h27

Eu ia votar Freixo, mas como ele não quer Lula no palanque, eu não quero ele na minha urna. Dia 30 não saio de casa, vou engordar as abstenções. A democracia ACABOU mesmo, pra que manter a farsa ?

Responder

MARIA

08 de outubro de 2016 às 13h22

CAIU A MASCARA DO CAFEZINHO FUI CENSURADO MAIS UMA VEZ POR ESTE SITE QUE APOIA O COMUNISMO-SO VER OS PARTIDOS QUE ELES APOIAM PT,PCODB,PSOL,PCB TODOS COMUNISTAS-SE DEPENDE-SE DESTE SITE O BRASIL SERIA A NOVA VENEZUELA DA AMERICA LATINA 03

Responder

    Antonio Passos

    08 de outubro de 2016 às 20h26

    Porque não a nova CHINA ? Porque comunista é a CHINA. País que mais cresce no mundo, brevemente a maior economia do mundo, é COMUNISTA sim senhor, não tem eleição direta não, tem comitê e tudo mais. Vocês são ridículos, chamam de comunista quem vocês querem, de acordo com a conveniência. Não é o próprio país que define seu regime, são vocês da direitalha tupiniquim que dizem quem é comunista e quem não é. Vocês são é malucos.

    Responder

      MARIA

      09 de outubro de 2016 às 03h25

      brevemente a maior economia do mundo KKKKKKKKKK VOCE BEBEU ALGO?? KKKKKKKKKK A CHINA NUNCA VAI SER A MAIOR ECONOMIA DO MUNDO ENQUANTO NÃO MUDAR SEU REGIME E VOCE SABE PORQUE?? SIMPLES PORQUE COMUNISMO NÃO PRODUZ NADA APENAS CONSOME RECURSOS E QUANDO ESTES RECURSOS ACABAREM A CHINA VAI ESTAR F……………..DIDA

      Responder

MARIA

08 de outubro de 2016 às 13h21

VOCE AI DO CAFEZINHO QUE ME CENSUROU SAIBA QUE EU VOU INFERNIZAR SUA VIDA TODO DIA VOU VIM AQUI E POSTAR MENSAGENS-SE ME BLOQUEAREM A MINHA CONTA SIMPLESMENTE VOU CRIAR OUTRA SO VOU PARAR QUANDO VOCE TOMAR VERGONHA NA CARA E NÃO MAIS APAGAR MINHAS MENSAGENS 02

Responder

Eduardo Albuquerque

08 de outubro de 2016 às 09h57

Que coisa, o Rio é o centro do.mundo e parece que não ocorrerão eleições em outras cidades como Belém, Aracaju e Recife. Esse termo “nova política” vem de Eduardo Campos e Marina e todos já sabem o que sobrou do PSB e Rede. Rio bem que poderia deixar de ser provinciano.

Responder

guilhermenagano .

07 de outubro de 2016 às 23h20

O interessante é q o Crivella sai na frente no voto dos pobres e o Freixo tem vantagem no voto dos ricos! http://eleicoes.uol.com.br/2016/noticias/2016/10/07/crivella-tem-votos-dos-pobres-crivela-os-dos-ricos-aponta-datafolha.htm

Responder

Mannish Manalishi

07 de outubro de 2016 às 19h12

Na ALERJ foi presidente da CPI das milícias e é presidente da Comissão de Direitos Humanos.

Responder

Deixe uma resposta