Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

US Flag Around the Earth --- Image by © Images.com/Corbis

Estranha “coincidência”?

Por Redação

23 de novembro de 2016 : 11h19

Cooperação dos procuradores brasileiros com a justiça norte-americana pode ter fornecido provas contra a Petrobras. Em depoimento, procurador impede testemunha de relatar encontro com autoridade dos EUA, e atitude coloca em cheque o cumprimento do tratado que o Brasil firmou em 2001 com o país, que coloca o Ministério da Justiça como autoridade central.  Estranho mesmo é que, em nota, o MPF afirmou que o assunto é sigiloso e que nada diria a respeito. O Ministério da Justiça também preferiu não se manifestar. É o silêncio dos inocentes?

Na Folha de SP

Defesa de Lula vê elo suspeito da Lava Jato com EUA

Por Thais Bilenky

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva levantou a suspeita de que a força-tarefa da Operação Lava Jato colabore em caráter não formalizado com o governo dos Estados Unidos.

“A revelação feita em audiência de que o Ministério Público Federal estaria trabalhando junto com autoridades americanas parece não estar de acordo com o tratado que o Brasil firmou em 2001 com os EUA que coloca o Ministério da Justiça como autoridade central para tratar esse tipo de questão”, disse à Folha Cristiano Zanin, advogado do petista.

“Além disso, não há nenhuma formalização nos processos de que tivemos conhecimento até o momento.”

Em nota, o MPF afirmou que “o assunto em questão é sigiloso” e que, portanto, não se manifestaria. Procurada, a Justiça não se pronunciou.

Zanin se referiu ao depoimento feito nesta segunda-feira (22) por Eduardo Leite, ex-executivo da Camargo Corrêa.

O delator chegou a dizer que foi procurado pelo Departamento de Justiça americano por intermédio de representantes da operação, mas voltou atrás, após reação do procurador Diogo Castor de Mattos e do juiz Sergio Moro.

“Foi uma busca do governo americano através da força-tarefa no qual [sic] fomos procurados para saber do interesse de haver partilhamento ou de a gente participar de um processo lá”, afirmou Leite, inicialmente.

Zanin, então, perguntou se a Lava Jato havia intermediado o contato. Mattos interrompeu, argumentando que perguntas sobre colaboração no exterior haviam sido indeferidas em depoimento anterior, de Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da Setal.

Moro, então, afirmou que “a outra testemunha disse que não ia responder, que não se sentiu segura. A testemunha [Leite] está respondendo e o defensor dela está aqui presente. Então, se tiver algum óbice, imagino que…”

O procurador voltou a protestar. O delator, por fim, afirmou que “gostaria de consertar. Do procedimento, eu não tenho domínio, quem tem é meu advogado. Eu entendo que deve ter havido uma comunicação”.

Pouco antes, Mendonça Neto afirmara que “não sabia se podia responder” à indagação da defesa de Lula se ele firmou acordo de colaboração em outro país, além do Brasil. Moro impediu o questionamento por conta de um possível acordo de confidencialidade do delator.

“Não reconheço a soberania dos Estados Unidos no nosso país nem na nossa Justiça”, interveio José Roberto Batochio, também advogado do ex-presidente.

“Eu também não reconheço, doutor. Mas acontece que a gente tem de se preocupar com os reflexos jurídicos para a testemunha. Certo?”, respondeu o juiz.

Mais adiante, Mendonça Neto foi autorizado a responder se viajou aos Estados Unidos, desde que não especificasse a finalidade.

“Fiz várias viagens”, afirmou, relatando que foram no ano passado. “Fui talvez entre quatro ou cinco vezes.”

Na semana passada, na sede da ONU em Genebra, Zanin havia abordado a suposta colaboração da Lava Jato com autoridades americanas.

“Nos EUA, abriram ações bilionárias contra a Petrobras usando de elementos enviados pelo juiz Sergio Moro”, disse, em referência a processos movidos por empresas estrangeiras na Justiça de NY.

“Estamos apurando como eles estão trabalhando”, disse o advogado.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Barretosss marcos

25 de novembro de 2016 às 15h48

Por isso o governo dos EUA estão pedindo um absurdo para encerrar os-processos de lá. Inclusive, o acordo com os delatores da Odebretch não foi fechado porque os EUA pediram muito dinheiro, justamente porque estão munidos de muitas provas fornecidas pelos nossos ilibados procuradores.
Então, quer dizer que o MP e juízes brasileiros estão mandando informações pra lá, prejudicando a Petrobras e até mesmo a solução dos processos aqui???
PUtz, é demais. Absurdo!

Responder

Sandra Francesca de Almeida

23 de novembro de 2016 às 21h59

Chocante!

Responder

Gr K

23 de novembro de 2016 às 18h18

Boicote aos EUA. no que pudermos.
Compram tudo e põe a colônia Brasil para trabalhar para eles.

Responder

Gr K

23 de novembro de 2016 às 18h15

EUA sempre metendo o nariz onde não é chamado, mais, o corpo inteiro onde não é da sua conta. IRRITANTE.

Responder

    17Abril2016

    23 de novembro de 2016 às 18h46

    Nesse caso nao duvido que esse juiz traira entregou o servico por inicuativa proprua. Pura trairagem.

    Responder

RosLucc

23 de novembro de 2016 às 17h17

O fato de ficar indicado num julgamento por ele mesmo, que ele é informante de estrangeiros, é algo seríssimo. É bem desrespeitoso para com um país. Alguns países iriam cortar relações entre si por causa disso. A Turquia prendeu vários informantes como Moro, que participaram ativamente da tentativa de golpe na Turquia neste ano. Isto é bem mais sério que as corrupções verdadeiras ou falsas que ele investiga de forma irregular, isso simplesmente não pode acontecer.

Responder

Italo Rosa

23 de novembro de 2016 às 16h10

O juizinho e o MP, $erra, todos trabalhando “sigilosamente” contra os interesses nacionais, defendendo os pobres fornecedores americanos. Temer citado como informante da embaixada americana. O golpe é mais do que a violência histórica da Casa Grande contra a Senzala. É a submissão cordata ao imperialismo. Como pode haver gente tão canalha assim? Se fossem americanos e fizessem lá o que estão fazendo aqui seriam presos por traição.Figuras desprezíveis, a serviço de interesses alheios e opostos aos do Brasil. Mais ainda que absurdo, é repugnante. A mídia golpista alicia boa parte da população para apoiar essa destruição deliberada da soberania nacional. O Brasil está sendo traído por essa corja.

Responder

fausto

23 de novembro de 2016 às 15h45

Todo mundo já sabe disso e não acontece nada.
É mais provável Porto Rico se emancipar.
O Brasil não é um país; é um aglomerado de gente.

Responder

nelodecarvalho

23 de novembro de 2016 às 15h17

O Brasil desgraçado por traidores e juízes corruptos.

A Lava-Jato só tem um inimigo, esse inimigo não é a corrupção, é o PT, Dilma e Lula.

Acordem brasileiros, estamos no Século XXI é preciso não se deixar enganar.

Responder

miudeza

23 de novembro de 2016 às 14h25

e´´é caso de paredão!

Responder

Albert Fanon

23 de novembro de 2016 às 14h21

Esses capachos ianques no MPF ….. especificamente contra eles, valeria a pena ressuscitar a antiga Lei de Segurança Nacional e enquadrá-los pro crime de lesa-soberania!

Responder

Sérgio Silveira

23 de novembro de 2016 às 14h11

Reparem, lendo o texto, como o canalha do moro faz de tudo para impedir que a defesa de Lula tenha a confirmação da colaboração da pf, mpf e delatores com os eua!

Responder

    Albert Fanon

    23 de novembro de 2016 às 14h24

    Sim, é compreensível….Moro quer proteger seu mandantes..

    Responder

      miudeza

      23 de novembro de 2016 às 14h27

      não é grana não?

      Responder

        Albert Fanon

        23 de novembro de 2016 às 14h47

        Provavelmente há honorários por serviços prestados no meio….

        Responder

Ocomentarista Tcomment

23 de novembro de 2016 às 13h06

É GRAVE!! CRIME DE LESA-PÁTRIA!!

Responder

Edemar Motta

23 de novembro de 2016 às 13h06

É notório que o pessoal da lavajato volta a volta viaja para a matriz. Talvez visitando a Disneylândia.

Responder

    Albert Fanon

    23 de novembro de 2016 às 14h22

    Vão para receber instruções dos patrões….

    Responder

Celso Junqueira

23 de novembro de 2016 às 12h58

O processo de destruição da Petrobras começou com FHC. Afundamento da P-36, desvalorização da empresa, etc. Foi interrompido nos governos Lula e Dilma. Agora volta com toda força em um plano que envolve PF, MPF, STF, imprensa e o governo dos EEUnidos.

Responder

Hilario Muylaert

23 de novembro de 2016 às 12h53

Moro, Janot, Dallgnol, traidores da Pátria:

a) FORCA
b) CADEIRA ELÈTRICA
C) PERPÉTUA

Responder

    Zeca Junior

    23 de novembro de 2016 às 14h52

    D) FUZILAMENTO (Depois cobrem o chumbo usado das famílias)

    Responder

MOREIRA

23 de novembro de 2016 às 12h50

Porra, estamos fodidos mesmo! O Brasil perdeu sua soberania pelas mãos de Moro. O Todo Poderoso. Imagina se fosse Ministro do STF! Acorda brasil!

Responder

Maarcos Lima

23 de novembro de 2016 às 12h31

O mais curioso nisto tudo é que não vemos ninguém, nenhuma autoridade ficar indignada, como se os funcionários públicos brasileiros devessem ser subservientes aos Estados Unidos.
gTem que ser um jornalista e os blogueiros se. Tendo em vista como se isto fosse uma coisa muito normal
Pergunto: SE ESTE ACONTECIMENTO FOSSE O INVERSO ????????????????

Responder

João Bosco

23 de novembro de 2016 às 12h19

Alta traição ao País. Cadeia pra eles.

Responder

    17Abril2016

    23 de novembro de 2016 às 18h44

    O preco da traicao eh o fuzilamento. Moro eDeltan sao traidores da Patria.

    Responder

Jose X.

23 de novembro de 2016 às 12h16

gente, que absurdo, judiciário e ministério público supostamente brasileiros trabalhando para outro país processar empresas brasileiras!!! isso aí é traição, se houvesses militares decentes nesses país toda essa gente estaria atrás das grades, condenadas por um tribunal militar

Responder

Natty

23 de novembro de 2016 às 11h35

meleca do caramba, petroleiras d olho no nosso pré sal, barganhando traidores da pátria, sob o mantro d processos juridicos inofensivos. Nojo

Responder

    Lúcia Maria de Souza

    23 de novembro de 2016 às 23h57

    Os traidores da nossa pátria, além do judiciário e ministério público são o PSDB, PMDB e seus partidos aliados. O que o Moro foi fazer nos EUA, um dia após a Dilma ter sido tiradaQuem tirou Suplicy do senado? Quem colocou Serra no Senado para depois transformá-lo em embaixador do Brasil e passar a vender nosso Pré-sal e a Petrobrás, cujas primeiras vendas foram no governo do FHC? Quem comprou os deputados idiotas e canastrões para votarem pelo impeachment da Dilma, pela venda do Pré-sal e pela aprovação da Pec 241 que impossibilita qualquer mudança e põe em absoluto atraso o nosso país? Quem abriu nossas porteiras para compras indiscriminadas no Brasil pelos americanos? São os mesmos que transformarão nosso país em colônia americana. O jogo está no xeque mate para os corruptos do Brasil e a mídia que se diz brasileira. E ainda tem coxinha burro, achando que seu maior trunfo foi ter tirado a Dilma da presidência. Às vezes dá uma raiva do nosso país ter tanto corrupto e tanto ignorante.

    Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina