Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Por que a gritaria do MBL contra uma exposição de arte foi um enorme tiro no pé

Por Pedro Breier

12 de setembro de 2017 : 11h29

(Ilustração do livro Suruba para Colorir, da editora Bebel Books. Alguém dê um exemplar para a galera do MBL pintar e de repente sossegar um pouco)

Por Pedro Breier

Os jovens-velhos do MBL, as “senhoras de Santana de 20 anos”, como definiu magistralmente a Socialista Morena, conseguiram com que o Santander cancelasse a exibição da exposição de arte “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, que estava em cartaz desde agosto em Porto Alegre.

Muito embora seja surreal convivermos com este moralismo tosco se metendo na arte, creio ter sido mais um glorioso tiro no pé de Kim Kataguiri e demais caretas do MBL.

Em primeiro lugar, porque essa revolta contra uma exposição que mostra alguns tabus sexuais – o que, e isso é óbvio até mesmo para leigos como este que vos escreve, não significa necessariamente apologia – lembra muito o regime nazista de Hitler, que baniu o que era considerado “arte degenerada”.

Detalhe: em 1937 foram exibidas, em Munique, 600 obras censuradas e apreendidas pelo regime, enquanto eram exibidas, em outro ponto da cidade, as obras preferidas dos nazistas. A “Exibição da Arte Degenerada” teve quatro vezes mais frequentadores do que a da arte carola. O povo gosta mesmo é de putaria (inclusive os caretas reprimidos do MBL, no fundinho de cada alma assustada com o avanço da liberdade).

As práticas do MBL são, muitas vezes, típicas de uma milícia fascista. Um dos vídeos divulgados pelo grupo mostra um rapaz transtornado mostrando as obras e dizendo que o curador da exposição deveria estar preso. Ao alçarem-se a condição de censuradores de exposição de arte só confirmam a pecha de fascistas.

O segundo motivo pelo qual a gritaria histérica do MBL não deu tão certo assim foi a forte reação ao cancelamento da exposição. Esse tipo de bizarrice não passa incólume mais.

Os “argumentos” dos projetos de censuradores foram desmontados um a um por textos de grande qualidade que explicaram, detalhadamente, os porquês de ser um absurdo o cancelamento. Deixo aqui o do Pablo Villaça, só para exemplificar.

As obras, cuja apreciação ficaria restrita a quem tivesse visitado a exposição, se espalharam e atingiram  um número incalculavelmente maior de pessoas.

Obras “degeneradas”, clássicas ou não, passaram a ser postadas em profusão nas redes sociais. Piadas com a sanha moralista dos jovens-velhos, como esta do Sensacionalista, também pipocaram.

A Editora Veneta lançou a “semana da arte degenerada”, oferecendo desconto de 50% em livros eróticos, pornôs e “escandalosos”, no que foi seguida pela Alameda Editorial.

Haverá um ato hoje, em Porto Alegre, pela Liberdade de Expressão Artística/Contra LgbttFobia, com milhares de confirmados no evento do Facebook.

A cereja do bolo seria a exibição da exposição em outro lugar, um sucesso garantido de público. Tomara que aconteça.

Considerando tudo isso, os que somos contra o preconceito, a caretice e a censura, só podemos dizer uma coisa ao MBL: muito obrigado!

 

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve n'O Cafezinho desde 2016, sendo atualmente um dos editores do blog.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

70 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Valéria

15 de setembro de 2017 às 15h14

A censura é inimiga da democracia, entretanto gostaria de propor uma reflexão sobre a hipótese de não ser Jesus, mas os deuses das religiões de raiz afro a serem ironizados e ao invés da naturalização da pedofilia e zoofilia, fosse a homofobia ao abrigo da “arte”. Será que seria essa mesma a opinião dos que agora taxam de censura os valores de alguns?

Responder

Vaniere

14 de setembro de 2017 às 22h28

Vamos a pontos que creio serem importantes:
O que é:
Censura?
Facismo?
Arte?

O MBL pode ser tosco e “careta” mas vi uma série de “caretas” reinvindicando particularmente e antes. Então não considero o MBL responsável pela “censura”. Afinal, sem ele muitos “caretas” se indignariam sozinhos.
O Santander é uma empresa privada que depende de clientes para obter lucro. Então creio que se o cliente não ficou satisfeito com alguma posição da empresa, tem todo o direito de não querer manter o relacionamento com ela (afinal isso também é liberdade. Ninguém é obrigado, não é mesmo!?)
Sendo assim não creio se caracterizar censura, neste caso. Visto que o banco cancelou a mostra, com medo do prejuízo, mas poderia defende-la até o fim se quisesse.
Bom, vamos lá… a comoção e indignação geral se deu não somente pela “arte” mas por esta estar aberta a crianças. O que considero realmente absurdo.
Creio que expor sexo a 3, entre outras, não sejam causas LGBT. Até porque, gostando ou não, eles vão fazer do mesmo jeito (sem generalizar) e nem por isso tem que ser exposto.
Também não é considerável causa LGBT, fazer sexo com animais, escrever vagina em óstia, colocar Jesus em objetos eróticos, ou fazer com que crianças vejam essas coisas.
Afinal houve manifestações de homossexuais contra a mostra também.
Vale ressaltar que “o povo” não gosta de putaria, isso deve se restringir a algumas pessoas, que claro, sempre tem.
Algo importante também é dizer que até os leigos, por mais que não gostem, imaginam que arte é a contemplação do belo. Sexo é sim, Belo! A banalização dele, não é.
Colocar questões religiosas, junto a sexuais banalizadas, não me parece ser belo, mas ofensivo. Afinal, viva a diferença! (Tem quem pense diferente disso, e a liberdade também os comtempla).
Vi de todos os lados pessoas indignadas sim, e tem umas que até perdem o limite do que falam (considerando os comentários das publicações). Mas vi também, agredirem pessoas que foram até a manifestação a favor da exposição pra perguntar e debater sobre os pontos mais polêmicos.
Poderiam responder, opinar de forma inteligente. Mas por faltar respostas embasadas, preferiram quebrar a câmera, bater…. isso parece mais com censura e facismo.. dos que as ações antes realizadas.
Desconstruir valores a partir daquilo que você acredita (sim, porque tem pessoas que tem valores diferentes), não parece liberdade de expressão. Afinal, essa se dá quando você sabe que seu direito começa onde termina o do outro… Então, há limites! E quando não se concorda, há diálogo. Ao menos deveria ser assim….
Tudo isso não parece a defesa de uma causa, mas a imposição de algo que uma parte (creio ser maioria) das pessoas não concorda, tipo “enfiar guela abaixo”, sabe?
Quanto a ideologia de gênero tão requerida incisivamente, tem muitos homossexuais, que apesar de serem, entendem que biologicamente, quem nasce com pênis é menino e quem nasce com vagina é menina.
Inclusive psiquiatras que alertam sobre a questão dos que diferem disso. E por fim, quem apresenta comportamentos prematuros diferentes do biológico, podem acompanhar psicologicamente e tomar suas decisões, sem que o mundo concorde – isso também é liberdade)
É certo que há ignorância de ambos os lados, neste caso e em tantos outros, que se briga pela razão. Motivador das guerras.
Finalmente, concordo com você, que tudo isso trouxe uma abrangência maior do que o esperado à mostra QUEERMUSEU. Concordo também, que isso foi bom!
Muita gente acordou a partir dela para o fato da imposição de “causas” onde se leva o filho de um “careta” nessa mostra de “arte” para censurar o direito do “da família careta” de tratar com ele sobre a sexualidade.
Tendo muitos despertado com todo esse alvoroço e reagido, só tenho a dizer: Obrigada Santander!

Ass: Careta

Responder

Vaniere

14 de setembro de 2017 às 19h43

Vamos a pontos que creio serem importantes:
O que é:
Censura?
Facismo?
Arte?

O MBL pode ser tosco e “careta” mas vi uma série de “caretas” reinvindicando particularmente e antes. Então não considero o MBL responsável pela “censura”. Afinal, sem ele muitos “caretas” se indignariam sozinhos.
O Santander é uma empresa privada que depende de clientes para obter lucro. Então creio que se o cliente não ficou satisfeito com alguma posição da empresa, tem todo o direito de não querer manter o relacionamento com ela (afinal isso também é liberdade. Ninguém é obrigado, não é mesmo!?)
Sendo assim não creio se caracterizar censura, neste caso. Visto que o banco cancelou a mostra, com medo do prejuízo, mas poderia defende-la até o fim se quisesse.
Bom, vamos lá… a comoção e indignação geral se deu não somente pela “arte” mas por esta estar aberta a crianças. O que considero realmente absurdo.
Creio que expor sexo a 3, entre outras, não sejam causas LGBT. Até porque, gostando ou não, eles vão fazer do mesmo jeito (sem generalizar) e nem por isso tem que ser exposto.
Também não é considerável causa LGBT, fazer sexo com animais, escrever vagina em óstia, colocar Jesus em objetos eróticos, ou fazer com que crianças vejam essas coisas.
Afinal houve manifestações de homossexuais contra a mostra também.
Vale ressaltar que “o povo” não gosta de putaria, isso deve se restringir a algumas pessoas, que claro, sempre tem.
Algo importante também é dizer que até os leigos, por mais que não gostem, imaginam que arte é a contemplação do belo. Sexo é sim, Belo! A banalização dele, não é.
Colocar questões religiosas, junto a sexuais banalizadas, não me parece ser belo, mas ofensivo. Afinal, viva a diferença! (Tem quem pense diferente disso, e a liberdade também os comtempla).
Vi de todos os lados pessoas indignadas sim, e tem umas que até perdem o limite do que falam (considerando os comentários das publicações). Mas vi também, agredirem pessoas que foram até a manifestação a favor da exposição pra perguntar e debater sobre os pontos mais polêmicos.
Poderiam responder, opinar de forma inteligente. Mas por faltar respostas embasadas, preferiram quebrar a câmera, bater…. isso parece mais com censura e facismo.. dos que as ações antes realizadas.
Desconstruir valores a partir daquilo que você acredita (sim, porque tem pessoas que tem valores diferentes), não parece liberdade de expressão. Afinal, essa se dá quando você sabe que seu direito começa onde termina o do outro… Então, há limites! E quando não se concorda, há diálogo. Ao menos deveria ser assim….
Tudo isso não parece a defesa de uma causa, mas a imposição de algo que uma parte (creio ser maioria) das pessoas não concorda, tipo “enfiar guela abaixo”, sabe?
Quanto a ideologia de gênero tão requerida incisivamente, tem muitos homossexuais, que apesar de serem, entendem que biologicamente, quem nasce com pênis é menino e quem nasce com vagina é menina.
Inclusive psiquiatras que alertam sobre a questão dos que diferem disso. E por fim, quem apresenta comportamentos prematuros diferentes do biológico, podem acompanhar psicologicamente e tomar suas decisões, sem que o mundo concorde – isso também é liberdade)
É certo que há ignorância de ambos os lados, neste caso e em tantos outros, que se briga pela razão. Motivador das guerras.
Finalmente, concordo com você, que tudo isso trouxe uma abrangência maior do que o esperado à mostra QUEERMUSEU. Concordo também, que isso foi bom!
Muita gente acordou a partir dela para o fato da imposição de “causas” onde se leva o filho de um “careta” nessa mostra de “arte” para censurar o direito do “da família careta” de tratar com ele sobre a sexualidade.
Tendo muitos despertado com todo esse alvoroço e reagido, só tenho a dizer: Obrigada Santander!

Ass: Careta

Responder

Valéria

14 de setembro de 2017 às 10h30

Ser contra a ca reticências e conservadorismo é um direito seu. Ter uma opinião diferente é direito meu. Ou só posso ter uma opinião igual a sua?

Responder

    Valéria

    14 de setembro de 2017 às 10h32

    Caretice*

    Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

13 de setembro de 2017 às 21h52

Putaria se faz com puta. Putaria com esposa é algo novo. Aliás, como se faz putaria sem uma puta? Cara, como você é ridículo.

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

13 de setembro de 2017 às 21h48

Sofrem do mesmo mal da Globo: falam no Lula todos os dias, em todos os seus veiculos. Resultado? Lula cresce nas pesquisas. Aí vem o desespero deles. Obrigado Globo. Obrigado MBL.

Responder

Wanderson

13 de setembro de 2017 às 13h29

“Voces nao sabem que os perversos nao herdarao o reino de Deus?
Não se deixe enganar,nem imorais,nem idolatras,nem adulteros,nem os efeminados,nem ladroes,nem avarentos,nem alcoólatras,nem caluniadores e nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus”
1Cor. 6.9-10.
É preciso que aconteça para se cumprir a profecia.

Responder

Alex de Paula Souza

13 de setembro de 2017 às 13h10

Podem reabrir e festejar à vontade. Desde que não seja com meu dinheiro e que tenha restrição de idade.

Responder

Luís

13 de setembro de 2017 às 11h01

“Putaria” eu faço entre quatro paredes com minha parceira. Não precisa expor de maneira esdrúxula, desnecessária e forçosa imagens fúteis e pífias que não querem dizer nada e só inflamam boa parte das pessoas. É aquela velha chatice de querer glamourizar e tornar Arte “obras” sem qualquer relevância e conteúdo (de fato) artístico. Também não me venham com esse discurso pobre e já cansativo de “não gosta, não vá ver”, “não gosta, não leve seu filho”. Vivemos em sociedade e a informação está cada vez mais acessível a todas as pessoas. Portanto, devemos ter cuidado SIM com o que propagamos por aí. Escolas levaram, de maneira irresponsável, as crianças e os adolescentes até a “exposição”, fugindo ao controle dos pais. NADA justifica se utilizar de imagens e esculturas ridículas só para querer polemizar gratuitamente. Se queriam realmente jogar em pauta temas em discussão, pois que fizessem um seminário organizado, com profissionais entendidos do assunto, e não gente tola pagando de “artista”. Deveria, também, haver uma restrição em relação à faixa etária aos que têm acesso (no caso, maiores de 18 anos). Criança nenhuma deveria pisar os pés e ver aquele tipo de “obra” ali. Criança nenhuma (nem adultos) entenderia o “blá blá blá conceitual” que só os próprios “artistas” e curadores querem associar às suas “obras”. Não é assim que se faz uso da Arte em benefício da reflexão e conscientização de uma sociedade. Isso é só mais uma tentativa (que infelizmente deu certo) de provocar polêmica barata e ganhar visibilidade em torno de temas hiper glamourizados, divulgados e valorizados como essa coisa de LGBT e “diversidade sexual”. Tudo isso é falsa liberdade, liberalismo de fachada! A vida pede um pouco de polidez, educação, respeito e outras coisas mais que estão em falta na sociedade.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de setembro de 2017 às 11h47

    inacreditável a jequice desse pessoal.

    Responder

      Brizolla

      13 de setembro de 2017 às 18h13

      Esse maluco, Luis Anonimo, consegue ser mais pseudo-moralista que o meu Avô.

      Responder

    Naiara

    13 de setembro de 2017 às 23h50

    Olha parabéns, viu! Com todo este embasamento o sr já está apto a receber em sua casa dois títulos altamente certificados: crítico de arte/curador e fiscal do cu alheio, moral e bons costumes da terra brasilis, com padrão governo temer de qualidade!

    Responder

Felipe Henrique Perillo de Sousa

13 de setembro de 2017 às 10h58

Censura!? Porque a população não tem o direito de se indignar com uma “exposição de arte” paga com dinheiro público?

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de setembro de 2017 às 11h48

    ué, o dinheiro é público, não é seu. eu aprovo o uso e acho que deveria ter mais.

    Responder

      Bel Barreto

      13 de setembro de 2017 às 16h03

      O Rosário do seu nome é o mesmo da Maria? só pra saber.

      Responder

      Felipe Henrique Perillo de Sousa

      13 de setembro de 2017 às 19h09

      Justamente é de todos. O que o MBL fez não foi censura foi um boicote e só deu resultado pois muitas outras pessoas(contribuintes) também se sentiram ofendidas isso é um direito de todos os pagadores de impostos questionar onde esse capital está sendo direcionado.

      Responder

        Rogerio Ravara

        15 de setembro de 2017 às 04h21

        Claro, quem censura são os outros. O MBL só faz boicote… que fofos! Quem te mandou escrever essa m* foi o mamãecaguei, aquele babaca que tá acostumando a apanhar na cara?

        Responder

Carla Ramos

13 de setembro de 2017 às 09h12

Arte, que tipo de arte e essa, que zomba com a fé dos outros? Escrito nas hóstias sagradas aquelas palavras, Maria carregando um chimpanzé, Jesus Cristo pregado na cruz daquele jeito. Aqueles quadros ridículos, simbolizando as crianças como travestis. Me desculpem, mas, isso não é arte não.

Responder

    Daniel

    13 de setembro de 2017 às 12h38

    Se a igreja fosse só paz e amor, seus símbolos nao seriam criticados. Avise os padres e pastores para deixarem de fiscalizar o c* alheio e não haverá mais revide. Do contrario, nunca terão paz. E, caso vc nao saiba, existem meninos afeminados q se travestem por vontade propria. O quadro foi realizado a partir de fotos q as pessoas enviaram sobre sua infancia com o nome “criança viada”. Ou seja, a pedofilia está só na sua cabecinha.

    Responder

Lu

13 de setembro de 2017 às 07h29

Muito boa a sua posição!

Fiquei indignada com a censura!

Povo desinformado.

Responder

Katy

13 de setembro de 2017 às 06h20

“Expressão Artística não deve ser um cheque em branco! ” Leiam o excelente texto no Estadão. Nada contra liberdade dos artistas, mas que se colocasse, no mínimo, uma censura de idade mínima. Mas não, exposição visitada por diversos alunos do ensino fundamental… Tenho filho 12 anos, não gostaria que ele fosse… O tema, pode atrair alguns bizarros, mas eu tenho livre arbítrio e jamais iria nessa exposição… Mas e as crianças, que deveriam estar em sala, e ao menos, consultada sua família se essa “arte” está de acordo com a educação moral e religiosa dos pais???? Alguém nesse café perguntou isso? # FicaAdica!

Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 09h08

    Não quer que seu filho de doze anos vá à exposição, proíba-o de ir, simples!
    Se seu filho não lhe obedece nem lhe ouve é um problema de vocês. O que não dá é exigir que terceiros façam por seu filho o que você como mãe não foi capaz de fazer.
    O mundo é incontível!

    Responder

Patrícia Camargo

13 de setembro de 2017 às 05h40

Que engraçado…
Pablo Villaça apoiou o boicote da esquerda que acabou cancelando a exibição do festival Cine PE, pois o festival também exibiria o filme do Plano Real.
Agora que foi a esquerda que acabou censurada por motivações religiosas e políticas, ele se comporta como o senhor da liberdade que odeia censura.
É muita hipocrisia.

Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 08h57

    Não quer que seu filho de doze anos vá à exposição, proíba-o de ir, simples!
    Se seu filho não lhe obedece nem lhe ouve é um problema de vocês. O que não dá é exigir que terceiros façam por seu filho o que você como mãe não foi capaz de fazer.
    O mundo é incontível !

    Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 09h24

    Se uma forma de arte é também uma forma de propaganda política, por que não pode ser combatida politicamente? Pode, sim!
    Votei em Lula em todas eleições, mas não tive interesse em assistir ao filme “Lula, o filho do Brasil”. Um filme sobre um político ou grupo de políticos vivos deve ser uma propaganda política e, por mim, deve ser tratada como tal, ainda que também tenha seu conteúdo artístico.

    Responder

      Ale

      13 de setembro de 2017 às 11h59

      Você é uma piada… “Então se você não obedece sua mãe ”
      “Não quer que seu filho de doze anos vá à exposição, proíba-o de ir, simples!
      Se seu filho não lhe obedece nem lhe ouve é um problema de vocês. O que não dá é exigir que terceiros façam por seu filho o que você como mãe não foi capaz de fazer.
      O mundo é incontível !”
      …. Então se você não se obedece de não ir assistir o filme… Deixe que os outros assistam.

      Responder

Leonardo - Livraria Otelo

13 de setembro de 2017 às 02h09

O jornalismo brasileiro está viciado na expressão ‘tiro no pé’. Depois da infernal ‘a pergunta que não quer calar’ a moda agora é o tal tiro. Já são mais de 100 matérias. A falta de criatividade dos profissionais da área é insuportável.

Responder

Dirceu

13 de setembro de 2017 às 00h58

O povo gosta de putaria? Qual povo? Por que eu fasso parte do povo brasileiro e não gosto de putaria Mem que uma escola levasse um filho meu em uma “exposição” como essa onde tem tudo o que devemos repudiar zoofilia homens transando com animais racismo dois homens fazendo suruba aparentemente com um jovem negro pedofilia crianças sendo abusadas a afronta contra o cristianismo com imagens de símbolos da igreja a a santa óstia com palavras de baixo calão quem defende isso sim gosta de putaria e não o POVO como vc colocou

Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 09h11

    Avisa a escola que não quer que seu filho vá a essa exposição. As escolas normalmente consultam os pais. Caso a escola não aceite seu aviso, mude de escola. Tem escola e arte para todo gosto.
    Viva e deixe viver!

    Responder

    juarez hott

    14 de setembro de 2017 às 14h04

    Ai! “fasso” dói!

    Responder

Dorival Barreto

13 de setembro de 2017 às 00h31

Esculturas nuas gregas devem causar pânico, desmaios e imprecações a esse povo. E aquelas famosas gravuras japonesas, nem pensar! Que gente virtuosa! Será que ficaram enganchadas na Idade Média? Ouvi dizer que, séculos atrás, as mulheres eram cobertas com lençóis (abriam um buraquinho) e… faziam sexo… Será que essa gente ainda pensa assim? Sei não, as cenas de telenovelas… Quando eu era moço, não podia assistir a filmes da Brigite Bardot. Fui ver “E O Diabo Criou A Mulher…” e achei o filme tão casto que fiquei com vergonha!

Responder

Márcio Martins

12 de setembro de 2017 às 23h24

Tirada sensacional! Muito obrigado…hahahahahahaha…este MBL! Que tosqueira!

Responder

Úrsula

12 de setembro de 2017 às 23h18

Que MBL? Kkkkkkk

O rapaz do vídeo não tem nada a ver com MBL. Na boa, quem apoia uma carniça daquela exposição só pode ser doente mental. Sinceramente!!

Responder

    Alisson

    13 de setembro de 2017 às 10h38

    Em tempo, minha cara.

    Não existem pessoas no mundo todas iguais a você. Tem gente de todo tipo no mundo, e todas as pessoas e seus gostos devem ser respeitados, bizarros ou não. Sobretudo com relação ao assunto sexo. Existem os mais diversos fetiches possíveis no mundo, e cada pessoa tem o seu. Cada pessoa se satisfaz sexualmente de uma forma. O que uma obra de arte daquele jeito faz é como apresentar um programa qualquer, onde as pessoas que gostam e se identificam e podem ir livremente ver. Quem não gosta não é obrigado a ver nem a ir. Quando você assina uma TV a cabo existe uma listagem de programas pra todos os gostos, inclusive os pornôs… vê quem quer. Assina quem quer.
    O que o MBL fez foi tentar impedir que TODAS as pessoas vissem. Isso é censura. Impedir que as pessoas vejam o que quiserem, é uma tremenda censura, e com certeza um ato fascista. Pessoas assim, incapazes de entender e respeitar o próximo, sim, são doentes mentais.

    Responder

Edemir de Almeida Moura

12 de setembro de 2017 às 22h51

Porque insistem em dizer que o povo BRASILEIRO é o MBL.

O Brasil está contra essa podridão que vocês chamam de arte.Mas não passa de uma terrível bosta pra não dizer pior.

Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 09h07

    Cada estilo artístico tem seu nicho. A arte que pretende agradar “o Brasil” será certamente a mais insossa imaginável.
    Se “o Brasil” está contra essa podridão, conforme aferido pelo Instituto Achístico do Edemir, ainda restam pessoas que apreciam essa podridão.
    Eu particularmente não tenho nenhum apreço por 99% das manifestações artistíca com que já tive contato, mesmo assim defendo que todas possam existir e que o filtro do gosto individual dê a cada uma delas o seu destino, entre o esquecimento e a eternidade. Triste é uma obra ser eternizada pela censura.

    Responder

      Alisson

      13 de setembro de 2017 às 10h51

      É isso aí Antônio… Se houver um único cidadão brasileiro que se familiarize e goste desse tipo de arte, não se pode usar “Brasil está contra”. A maioria do povo pode não concordar, mas se houver cidadãos que queiram ver, então, é pra esses que a exposição existirá.. Até agora eu não entendi onde está a obrigatoriedade em ir ver a exposição…. Vai quem quer! As pessoas não sabem respeitar os gostos alheios, dá nisso.

      Responder

eder

12 de setembro de 2017 às 21h59

olha sinto descordar, mais quem define o que é arte? tudo pode em nome da arte? chama uma galeria de arte renomada e pergunta a opinião ? pendura um quadro desses na sua sala de dois doido estrupando uma cabrita kkk fora a qualidade dos desenhos, orrivel .pra mim um gibi porno é muito mais arte então. é apologia a zofilia ,pedofilia estrupo e tudo sim.podia ser retradato o sexo beleza até uma suruba beleza ,mais apelaram ,mais não tem que comer uma cabrita comer um negro ponhar criança no meio e por ai vai. dois doido metendo a vara num negro, é vc rasgar a ética e queimar a filosofia, e pra que? só pra ir contra o mbl ? não gosto do mbl , mais não vou mudar minha opinião só pra ir contra o mbl, e outra a liberdade de expressão tambem garante a expressão de quem não gosta e quer criticar, fica a dica

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de setembro de 2017 às 08h12

    os trabalhos são de uma das maiores e mais famosas artistas brasileiras, adriana varejão

    Responder

Horus

12 de setembro de 2017 às 21h42

Esse cafezinho deve ser muito ruim, sustentado pela esquerdopatia. Se acham que foi tiro no pé, vão ver a indignaçao do povão. Vou fechar minha conta nesse banco que deve ter um marqueteiro muito ruim, mas as obras nem pra lixo não serve.

Responder

Nilton

12 de setembro de 2017 às 21h36

Mostre pornografia para seus filhos. Leve-os para uma orgia.

Pergunte para sua mamãe e para sua vovó que elas acham disso!

Responder

Irineu Moreira Fernandes

12 de setembro de 2017 às 20h32

O tempo dirá. Mas receio que estejam enganados. Há muita gente prontinha, ávida por se deixar emprenhar pelo ouvido por gente como Kim Catacoquinhos e seu estado maior. Do Oiapoque ao Chui. E o namoro de portão do PSDB, de olho gordo no eleitorado do bom e velho Bolso, com o MBL (existe ou é invenção?).

Responder

    Jose carlos lima

    13 de setembro de 2017 às 07h02

    Interessante se notar que o pröprio nome MBL ė uma farsa. Trata-se de um trocadilho com a sigla MPL o Movimento do Passe Livre. Como se sabe, em junho 2013 a G lobo assumiu a liderança daquelas jornadas e o MBL pegou o embalo: vestiu a måscara de “apartidario”, com a ajuda da G lobo expulsou o MPL das ruas…na sequência a troupe fascista elegeu o Congresso que ai estå e asssim a direita nazi estava com o queijo e faca na mão para dar mais um golpe de Estado contra o povo e a democracia. Triste Brasil. #Lulaeuteamo

    Responder

Loide

12 de setembro de 2017 às 20h30

Concordo com o MBL, e acredito que a maioria dos brasileiros. Uma vergonha essa exposição. Imoral.

Responder

    Antonio Carlos

    13 de setembro de 2017 às 10h14

    A maioria dos brasileiros já furtou e/ou corrompeu alguma vez na vida e a maioria dos brasileiros acha que ladrões e corruptos devem ser mortos.

    Responder

Mauricio

12 de setembro de 2017 às 20h27

De nada.

Responder

Marc

12 de setembro de 2017 às 19h27

Hoje ocorreu um ato pacífico em frente ao local da exposição cancelada, após algum tempo, chegaram seis integrantes do MBL, um do Mamãe Falei começou a gravar um video e os participantes do ato não gostaram e os cercaram, questionando o que faziam ali, não mais que xingamentos. Os MBls fugiram para a proteção da polícia que chamou o choque e dissolveu a manifestação a cassetete, gás e balas de borracha. Duas pessoas estão presas. Resumo do que me foi contado.

Responder

    Julio

    13 de setembro de 2017 às 00h07

    Pessoas ultra-pacificas apenas gritaram com muita suavidade e ameaçaram com muito carinhoso e propriedade, pessoas que traziam nas mãos, agressivamente, maquinas fotográficas de grosso calibre em via pública. Justifica-se que se defendessem, heroicamente, os primeiros, diante da brutal interferência fascista ao comando, evidente, de Bolsonaro!

    Responder

    Suely

    13 de setembro de 2017 às 02h03

    Descupa mais acho que foi pouco. mostrar que crianças devem se prostituir, destorcer a imagem de jesus usar e ainda usar animais ahhhh va isso é obra de arte ???? Isso é cultura ??? pra mim e pra muitos graças a deus a maioria acha isso uma palhaçada e nao vai ser assim que o gays vao ter o repeito da populaçao pelo ao contrário ahhh DE NADA !!!!

    Responder

      Antonio Carlos

      13 de setembro de 2017 às 10h22

      Não vi a exposição. Mas pelo sei relato fiquei chocado: quer dizer que eles mostravam que crianças DEVERIAM se prostituir?
      Affff…
      Se se importam tanto com prostituição infantil deveriam estar lutando por melhores condições para a infância pobre. Se uma criança se prostitui em alguma parada de caminhão por esse país é por causa da pobreza que esses infelizes do MBL nunca combateram e não por uma exposição artística que nunca será vista uma dessas crianças pobres.
      Hipócritas nojentos!!!!

      Responder

Francisco

12 de setembro de 2017 às 19h03

Depois daquela suruba com Eduardo Cunha vem regular a suruba dos outros!

Eu heim!!

PS. Ninguém estava nem sabendo dessa exposição, que diabo de tara foi essa de procurar exposição de xibiu e de estrovenga pra mostrar pra todo mundo? Doria devia jogar uns jatos de água gelada nessa safadeza de MBL…

Responder

jose carlos lima

12 de setembro de 2017 às 19h02

Há quem ganhe com atos de regimes ditatoriais, a tortura da dinheiro pq os torturadores tomam os objetos das suas “presas”…estamos caminhando nesta direção…

Suíça deve colaborar a descobrir arte saqueada pelos nazistas

https://www.swissinfo.ch/por/correndo-contra-o-tempo_su%C3%AD%C3%A7a-deve-colaborar-a-descobrir-arte-saqueada-pelos-nazistas/37256068

Os nazi encenaram um teatrinho quando queimaram algumas obras de arte “degenerada”. O ato serviu da incineração serviu para propaganda da “pureza” nazi, apenas propaganda, pois quase a totalidade do acervo fora roubada pelos nazi, sendo que as peças foram vendidas para bilionários no mercado negro – branco né…

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2013/11/policia-alema-descobre-bacervo-de-arte-bilionariob-furtado-por-nazistas.html

Eu não sabia deste detalhe da venda das obras no mercado, fiquei sabendo ao assistir a uma palestra do professor
Ronaldo Entler

Ah sim, alguns dos artistas “degenerados” segundo a ótica nazi: Picasso, Matisse, Chagal, Franz Marc, Emil Nolde, Max Liebermann, Paul Rosenberg…

O caso Gurlitt

http://www.dw.com/pt-br/caso-gurlitt-um-thriller-no-mundo-da-arte/g-18083175

Responder

Carlos Bley

12 de setembro de 2017 às 17h49

O que diriam do Teto da Capela Sistina, pintado Michelangelo

Responder

Carlos

12 de setembro de 2017 às 17h01

Vejam : passava por aqui todos os dias.
Passava, hoje foi a última vez.
Essas “mídias alternativas” estão a fazer mais do mesmo! Enxugando gelo. Lavando roupa suja. Mesma merda do JN.

Ajudem A ELUCIDAR AS MASSAS DAS REAIS DOS NOSSOS PROBLEMAS GRAVÍSSIMOS.

Sim , esse tal MBL é lixo,entretanto a tal exposição do Satãder é de fato um absurdo e realmente tinha que ser tirada do ar.
Francamente!
E adeus !

Responder

Lucas

12 de setembro de 2017 às 16h50

Brasil, terra do Memes e do “manda Nudes” que se ofende com a arte degenerada. Povo conservador, de moral e acima de tudo cristão.

Responder

Roberto Slomka

12 de setembro de 2017 às 16h28

Só fica a lição para os organizadores. Da próxima vez não procurem um antro capitalista sujeito a pressões fascistas para acolher a exposição.

Responder

Luiz

12 de setembro de 2017 às 16h24

O grande problemas dos moralistas sem moral é que enxergam em tudo sacanagem. A cabeça dessas pessoas é tão pequena que só conseguem ouvir e ver a figura patética e nojenta dessa kataguri (que ninguém informa que o financia). Uma sociedade plural, tolerante e moderna não permite práticas fascistas. Estou convencido que esse kataguri e e seus assemelhados tem algum problema de sexualidade mal resolvido. Acho bom se tratarem, pois, ficaram muito tempo perto de bolsonaro e agora tem graves problemas psicológicos quando veem uma mulher nua. Aliás, não existe cena mais maravilhosa no mundo do que uma mulher nua. Viva as mulheres, viva a diversidade, viva a cultura. Morram mbl e seus canalhas. Ps.: para aqueles que sustentam que o Brasil é uma país tradicional e católico, sugiro tirarem as viseiras. Todo tradicionalista de plantão é um pervertido oculto.

Responder

Carlos Alberto Silva

12 de setembro de 2017 às 15h47

Arte, você chama isso de arte, você quer dizer que isso não é nada? O Brasil é um País conservador e cristão, não vamos aceitar essa bandalheira. Fechei minha conta neste banco de tão indignado que fiquei, aí vem um tipo igual a você e diz, isso não é nada.

Responder

    Miguel do Rosário

    12 de setembro de 2017 às 15h54

    ahahaah a itália é cristã também. já viu a capela sistina, que fica dentro do vaticano?

    Responder

      Suely

      13 de setembro de 2017 às 02h15

      Estamos falando de uma merda que se chama brasil e nao iltalia mais torço para que essas “culturas” de vs vire lixo igual ao dono nao passa de um lixo nojento que fede pois fazer pouco com a cara dos brasileiro e que nao vai dar nao ou então vai expor na i talia já que la pode ok

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de setembro de 2017 às 08h10

        tô aprovando alguns comentários reaças para voces entenderem o nível da merda

        Responder

    Luís Ribeiro

    12 de setembro de 2017 às 22h15

    Conta aí pra gente o que é arte então, Carlos Alberto Silva. Desde o Íon de Platão e a Poética de Aristóteles que os filósofos divergem sobre isso e não chegam a nenhum consenso. Tô sentindo que você é o cara que vai nos trazer a luz.

    Responder

    Claudia Amaral

    13 de setembro de 2017 às 07h27

    Isso que eles chamam de ARTE! Quem deu tiro no pé foi o Santander , manchando a imagem corporativa ao se vincular a “artistas” de percepção e emoção destorcida! Viva Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Portinari e muitos outros que podem ser chamados de artistas!

    Responder

      Miguel do Rosário

      13 de setembro de 2017 às 08h08

      ~emoção distorcida~ o comunista portinari se revolve no túmulo ao ver fascistazinho dando vivas a ele.

      Responder

Sergio Henrique

12 de setembro de 2017 às 15h06

O Grande problema foi que a principio essa exposição estava destinada a crianças de escola publicas… nada contra a essa “arte” , que para mim não passa de lixo… Pode continuar porém para maiores de 18 anos e não para crianças e adolescentes…

Responder

    Miguel do Rosário

    12 de setembro de 2017 às 15h54

    lixo? porque tem nudez? vamos proibir crianças de frequentar museus de arte moderna?

    Responder

Nilson Moura Messias

12 de setembro de 2017 às 13h07

Movimento dos bestas e larápios

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina