Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

EUA venderam à Noruega caças que espionam o próprio comprador

Por Tulio Ribeiro

26 de novembro de 2017 : 05h40

(crédito imagem: Pakistan defense)

A Noruega adquiriu 40 aviões de combate modelo F-35 junto aos Estados Unidos. Deste montante, 3 unidades foram entregues no começo de novembro. Segundo as considerações do diretor do projeto, general Morten Klever : ¨Estes caças são cruciais para modernização contínua de nossas forças armadas e nossa capacidade para preservar a segurança e os interesses da Noruega e nossos aliados.¨

Não obstante os F-35 voem pela Noruega , eles cumprem outra função nada republicana ao simplesmente espionar o país comprador enviando informações ao fabricante estadunidense. Um paradigma ¨Snowden¨ de operar, já utilizado contra Angela Merkel e Dilma Roussef, agora se valendo da questão militar.

Junto com as aeronaves, os EUA fornecem o ¨arquivo de dados da missão¨(ou 53º Eletronic Warfare Group’s Partner Suport).

Este conjunto é um software que deveria permitir ao piloto uma ¨extraordinária consciência situacional¨. Entretanto, para surpresa dos noruegueses, depois de cada voo o programa sofisticado transmite automaticamente dados confidenciais aos servidores da Lockheed Martin em Fort Worth (Texas).

O contrato assinado pelo país nórdico referente a 40 unidades mais 12 opções de compra giram em torno de 8,36 bilhões de dólares, incluindo equipe de apoio, simuladores, armas, treinamentos e a certeza de ser ¨espionado¨ pela potência mundial.

Tulio Ribeiro

Túlio Ribeiro é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

61 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EDMAR GOMES DA SILVA

27 de novembro de 2017 às 15h08

??

Responder

antonio jamo

27 de novembro de 2017 às 07h34

Se a noruega comprou essas armas aos EUA é porque sao aliados e uns aliados sao sempre da mesma aliança portanto é de louvar essa inovaçao da morten klever

Responder

Frederico Andrade

27 de novembro de 2017 às 06h49

Só idiotas comunista são contra os Estados Unidos, viva Bolsonaro! Se pudermos vamos comprar armas dos americanos.

Responder

    Marcus Padilha

    27 de novembro de 2017 às 15h18

    Idiota bolsominion, não seria melhor que o teu ‘mito’ fabricasse armas e equipamentos no Brasil, gerando empregos e conhecimentos aqui? Que porra de patriotismo é esse que coloca interesses dos americanos A FRENTE dos interesses do nosso país?

    Responder

Girombudo

27 de novembro de 2017 às 05h31

Quem compra, o faz já sabendo. Quem se propõe a falar sobre assunto militar também deveria saber disto.

Responder

Nyk0l

26 de novembro de 2017 às 22h24

No momento estou mais preocupado com
Smartphones, Computadores , SmartTV , Monitor de Bebe , Câmeras de segurança,
bonecas conectadas a internet, Smartwatches, Sensores, assistente digitais, consoles de vídeo games, A lista de gadgets conectados a internet que podem estar espionando você e sua família é enorme.

Responder

R.Bittencourt

26 de novembro de 2017 às 21h47

Nunca foi novidade, só Israel pode modificar o sistema de combate do F35… Isso garante a eles que ninguem pode espionar… Os F18SH tbm vem com essas modificações de software espião… Deveria haver um boicote dessa suposta parceria, ainda mais agora com essa descoberta nos aviões F 35… Sei que também isso acontece com os navios fabricados em estaleiros americanos que usam uma especie de transponder embarado pra dar a localização de cada navio de combate fabricado a outros paises… Sem vergonhas e safados !

Responder

Rubens cioto

26 de novembro de 2017 às 19h57

Israel comprou 50 caças f35 porém vão desenvolver seu próprio software. O jato preferido pela aeronáutica era o F 18 ,do Lula era o Rafalle francês. É bom lembrar que 50 por cento em valor do jato sueco são componentes fabricados no USA como turbinas e avionicos.

Responder

    Jorge

    26 de novembro de 2017 às 23h04

    Não tem pra onde correr,se eles tem o monopólio de aviônicos de caças,todos os equipamentos desses espertalhões,viram batizados.

    Responder

Graciano de Cayres Andre

26 de novembro de 2017 às 19h56

JESUS CRISTO ESTÁ VOLTANDO PREPARA TE.

Responder

    Wellington

    27 de novembro de 2017 às 00h59

    Espera sentado para ver se ele vem

    Responder

Graciano de Cayres Andre

26 de novembro de 2017 às 19h53

ESTAS MÁQUINAS VOADORAS NÃO PASSAM DE SUCATA QUE MATAM VIDAS INOCENTES , O SERES HUMANO SÓ PRESTAM PARA ISSO PARA CRIAR ARMAS PODEROSAS E BOMBAS NO CLEAR.

Responder

Alonso T Dalla Bernardina Pereira

26 de novembro de 2017 às 20h29

Quando lembro do projeto Sivam !! Lógico que os USA obtem informações em tempo real do espaço aéreo Brasileiro, não so isso é claro

Responder

Rodrigo Leite Bari

26 de novembro de 2017 às 18h28

Que bosta de artigo.

Responder

Carlos Oliveira

26 de novembro de 2017 às 20h13

O país que quiser ser soberano, precisa desenvolver sua própria tecnologia, pois com o que existe hoje, além de espionar

Responder

    Carlos Oliveira

    26 de novembro de 2017 às 20h16

    Além de espionar é possível derrubar uma aeronave, com um simples sinal de satélite.

    Responder

Ulisses Gondim

26 de novembro de 2017 às 18h03

Cara que noticia falsa, pesquisei em toda net não vi nada referente a isso. Viaja não. Vão espionar o que conversa dos pilotos? Planos de vôo?

Responder

Bobão

26 de novembro de 2017 às 16h29

Cara você deveria estar trabalhando como escritor de novelas da rede Bobó….kkkkk… até porque a Noruega é tão bocó…. coitadinha…faz-me rir….kkkkk

Responder

Marco Rodrigues

26 de novembro de 2017 às 18h00

Se podem espionar podem desligar. Estupidez norueguesa.

Responder

Julio

26 de novembro de 2017 às 15h33

Depois do SIVAM o Brasil só compra dos EUA de perder a vergonha na cara. Acertada a pressão da FAB pelos suecos.

Responder

Jose cezar teixeira de castro

26 de novembro de 2017 às 15h26

Não creio que o comprador fique em situação confortável por ser espionado. Creio nesse aspecto que a compra feita pela FAB. Adquirindo o caça Gripen é seu pacote tecnológico com transferência de tecnologia, tenha sido amelhor opção. Pois o EUA. Quer te vender, mas junto quer saber o que vc está desenvolvendo. No Português bem claro vá plantar coquinho.

Responder

    Octavio

    26 de novembro de 2017 às 16h57

    Sem dúvida!! E a Aeronáutica sempre disse isto. Todos sabem que os EUA e a França não fazem transferência de tecnologia. Por isto, a ligação do Bolsonaro com os EUA, não é uma relação de reciprocidade, mas sim de dependência.

    Responder

Miguel Rodrigues

26 de novembro de 2017 às 16h23

Os noruegueses tem anos de experiência em construção e engenharia de aviões de guerra, os caças grifem são usados em combate à anos e despontam de tecnologia avançadissima no certo adquiriram para melhorar sua tecnologia e melhora lá!

Responder

Adler

26 de novembro de 2017 às 14h16

Não tem o que fazer, compra deles, dos Russos ou da Suécia (neutra). Sendo que os dois eixos bilaterais tem maior tecnologia.

Responder

Marcelo Machini

26 de novembro de 2017 às 15h39

Abaixo o imperialismo yanque.

Responder

Marcelo Machini

26 de novembro de 2017 às 15h37

Cavalo de tróia moderno que transpõe as nuvens.

Responder

Ernesto Ferreira De Souza Neto

26 de novembro de 2017 às 15h06

PRÉ-SAL BRASILEIRO BANCANDO DE TABELA OS F-35 PARA A NORUEGA .

Responder

AMICO Di Bronte

26 de novembro de 2017 às 12h57

Não há nenhuma novidade nisso. Todos os acordos que envolvem armas são monitorados pelo vendedor. No caso dos USA, praticamente toda a indústria bélica do ocidente e de países compradores de sua tecnologia e equipamentos tem financiamento americano. Portanto….
Quanto a comentários sobre pré sal e Brasil prefiro nem comentar.

Responder

Tiagomaverick

26 de novembro de 2017 às 11h49

Em caso de um possivel conflito contra os EUA será que esses operariam na sua capacidade total??

Responder

    Octavio

    26 de novembro de 2017 às 17h04

    Simplesmente não operariam. E não operariam até contra um aliado dos EUA. Um exemplo disto foi na guerra das Malvinas, quando a Argentina invadiu as ilhas Malvinas, indispondo-se com a Inglaterra. Nesta guerra, a Argentina tinha equipamento francês. O famoso míssil EXOCET, lançado pelos aviões argentinos, foi desativado remotamente pela França, atendendo o pedido do seu aliado, a Inglaterra. Os militares argentinos tiveram que mexer no sistema de mísseis para os ativar novamente. Presente de grego dos franceses. SÓ UM IMBECIL ANTIPATRIOTA, ELEITOR DO BOLSONABO, DEFENDE COMPRAR ARMAS DA FRANÇA, DA INGLATERRA OU DOS EUA.

    Responder

      Evaldo

      26 de novembro de 2017 às 20h01

      Mas o Brasil comprou os submarinos com tecnologia francesa! Não seremos monitorados também?

      Responder

        Jorge

        26 de novembro de 2017 às 23h33

        Dos franceses a marinha Brasileira comprou a tecnologia de construção de estruturas,os equipamentos embarcados pode vir da Alemanha,Cores do sul até da Suécia se eu não estou enganado.

        Responder

      BatistaRabelo

      27 de novembro de 2017 às 00h51

      Isso não é verdade, tanto q os únicos navios ingleses q os argentinos afundaram foram com esses mísseis.

      Responder

Wagner Moraes

26 de novembro de 2017 às 10h54

Miguel, talvez estejam dizendo software, mas na realidade é um algoritmo descritivo!!!! Uma rotina lógica que trabalha com entrada e saida de dados, com diversos objetivos, e um deles enviar dados a um endereço ip especifico ao fim de cada missão da aeronave.

Responder

Moacyr Antonio Coelho

26 de novembro de 2017 às 12h31

Aposto que é uma compra imposta pelos EUA. Após um remake da guerra fria, praticamente impoem a venda de suas armas, para quem não as produz. Duvido que eles precisem desse avião, até porque, acredito que um SU russo, o derrube e também porque duvido que americanos passem todos os segredos de pilotagem ou que recebam um treinamento exaustivo, porque é caro, muito caro, segundo que existem opções mais palatáveis na própria Europa, acredito que assuntos mal resolvidos entre eles, acabem atuando em favor dessas compras estúpidas. Éh, Morten Klever, grande cara ou negócios de Estado.

Responder

Fausto Amaral DE Barros

26 de novembro de 2017 às 12h13

Algum-alguém disse: “Os eeuu não têm amigos, mas interesses”. E não adianta — não foram, não são e nem nunca serão confiáveis.

Responder

    Jorge

    26 de novembro de 2017 às 23h35

    Esse é o resumo da discussão..

    Responder

Geraldo Peteam

26 de novembro de 2017 às 12h09

Caças americanos são os preferidos de nossos militares. Como cachorrinhos fazemos tudo o que eles querem.

Responder

    Canuto

    26 de novembro de 2017 às 15h33

    Será por isso que preferiram o Gripen????

    Responder

      Octavio

      26 de novembro de 2017 às 17h05

      Os militares preferiram o Gripen. Justamente por causa da transferência de tecnologia.

      Responder

        Luiz Felipe

        27 de novembro de 2017 às 02h19

        oS MILITARES PREFERIRAM OS SUKOI – RUSSO

        Responder

          Frederico Andrade

          27 de novembro de 2017 às 06h56

          Caças horríveis!! Prefiro os F35.

Maria Do Céu Medeiros

26 de novembro de 2017 às 12h08

Nossa riqueza, pagando a “segurança” nacional dos “receptadores”. E o Brasil a vê navios.

Responder

Mar

26 de novembro de 2017 às 10h02

O governo Dilma e Lula fizeram bem em não comprar os caças dos EUA, em retaliação os EUA manda a farsa jato incriminar o Lula pela escolha de outro país.

Responder

    Canuto

    26 de novembro de 2017 às 15h36

    O Lula queria o Francês, a força aerea foi que bateu o pé pelo Gripen, por causa da transferência de tecnologia.

    Responder

Regina Maria Souza

26 de novembro de 2017 às 11h44

Como a Noruega vai pagar os supercaças? Com o lucro do nosso pré-sal, a educação e a saúde de nossas crianças. Parabéns Pedro Parente et caterva.

Responder

    Evaldo

    26 de novembro de 2017 às 20h05

    A Noruega possui um fundo soberano de mais de um trilhão de dólares, paga dando risada!

    Responder

Flavio R. Cavalcanti

26 de novembro de 2017 às 11h40

extraordinária consciência situacional de “estar sendo” grampeado.

Responder

Fernando Salvo

26 de novembro de 2017 às 11h22

Eu já sabia! Os compradores vão se assustar quando descobrirem que os EUA podem derrubar esses aviões remotamente.

Responder

Catarina Aversa

26 de novembro de 2017 às 11h16

será, uma dúvida, que a compra dos caças suecos pelo governo do PT ofenderam a vigia dos americanos???? será?

Responder

    Moacyr Antonio Coelho

    26 de novembro de 2017 às 12h32

    Eles estão com essa compra entalada na garganta.

    Responder

      Jorge

      26 de novembro de 2017 às 23h43

      E nos já estamos com eles entalado do nariz ao estômago a muito tempo,por tantas covardias que já fizeram com o nosso povo,e nem por isso os brasileiros deixam de arriar as calças para eles.

      Responder

Luiz Henrique Zaidan

26 de novembro de 2017 às 10h34

EUA é o câncer do mundo!

Responder

Alan

26 de novembro de 2017 às 07h14

É que no final das contas isso nunca dá nada para os yankees, assim como foi nos casos Merkel e Dilma.
É mais ou menos aquele ditado “ruim com eles, pior sem eles”, nenhum governo do mundo, exceto Cuba e Coréia do Norte, quer se indispor de verdade com os americanos, fingem uma certa indignação e fica por isso mesmo, ams quando eles são a vítima eles colocam o mundo ocidental inteiro pra trabalhar pra eles, como no pós 11/9 onde eles praticamente obrigaram todos os países a adotarem medidas de segurança que só serviam para eles em portos, aeroportos, imigração, exportações, burocratizando e demandando tempo em todos os sistemas.

Responder

Amós Peixe

26 de novembro de 2017 às 09h05

O que esperar da maior nação terrorista da história?

Responder

jose carlos lima

26 de novembro de 2017 às 07h04

… Ingleses, que abocanharam de graça parte do pre-sal, transformando as Malvinas numa super-base militar….EUA, cujas petroleiras se apossaram de outra parte do butim, instalam bases na Amazonia e se apossam da Base de Alcantara….a Noruega, que passou a ser dona do pre-sal, se arma…. e o povo brasileiro veremos o Brasil transformado em maior produtor mundial de petroleo mas tudo de propriedade de paises estrangeiros: nem imposto pagarão…caso poluam o meio ambiente nem serao multados,: vai encarar Ibama…

Responder

    Roger

    26 de novembro de 2017 às 10h28

    O brazil nao e tao tonto assim pra retirar petrolio tem um gasto enorme e parte do q retirar esses paises uma parte fica com o brazil imagine o petrolio hoje esta valendo quase nada por isso que a venezuela esta em crise financeira tambem os eeuu sao autosuficientes em petrolio por isso eles pararam de comprar o resultado foi a baixa do preço

    Responder

    Jorge

    26 de novembro de 2017 às 23h49

    Que eles aproveitem o máximo das vantagens que estão conseguindo,porque a hora final deles esta chegando.

    Responder

Josė Carlos Lima

26 de novembro de 2017 às 08h52

todos os paises q se apossaram do pre sal estao se armando ate os dentes

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?