Bate papo ao vivo com Wadih Damous, sobre a prisão de Lula

Temer entrega aviação brasileira ao Tio Sam

Por Miguel do Rosário

22 de dezembro de 2017 : 14h49

É incrível a fúria entreguista do governo Temer, e de seus patrões no mercado financeiro, no sistema de justiça e na mídia, para entregar tudo que construímos de importante e avançado, nas últimas décadas, para interesses internacionais.

O regime de exceção implementado pelo impeachment sem crime está sendo mais nocivo ao país do que o golpe de 64.

Petrobrás, Eletrobrás, pré-sal, terras, Amazônia, engenharia, construção civil, pesquisa, mão-de-obra nacional, direitos sociais, garantias individuais, e agora a única indústria de ponta que possuíamos, no campo da aviação comercial: tudo está sendo desmontado para que o Brasil volte a ser colônia.

***

(Avião comercial da linha E2 e, ao fundo, KC-390, aeronave militar com capacidade para reabastecimento em voo. Foto: Embraer/Divulgação)

No site do SOS Brasil Soberano

A venda da Embraer representa prejuízo para o país e moeda eleitoral para Meirelles, diz historiador

POR VERÔNICA COUTO · 22 DE DEZEMBRO DE 2017

O interesse da Boeing em comprar a Embraer, oficializado nesta quinta-feira (21) pelas empresas, “causou profundo mal-estar nos setores militares do governo, que não foram avisados da existência dessas tratativas pelo Ministério da Fazenda”, afirma o historiador e ex-assessor estratégico do Ministério da Defesa, Francisco Carlos Teixeira. Segundo ele, a iniciativa tem o apoio do ministro Henrique Meirelles, da Fazenda, que pretende, com a operação, compensar o mercado pela derrota sofrida na reforma da Previdência, cuja votação foi adiada por falta de apoio no Congresso, e fortalecer seu nome junto ao PSDB para a disputa à Presidência.

Além das Forças Armadas, que desenvolvem projetos militares estratégicos com a Embraer, o próprio Michel Temer teria sido pego de surpresa, diz Francisco Teixeira, que duvida que o atual comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Rossato, concorde com a transação. Para o presidente da República, a venda da empresa iria colar de forma irreversível o selo de “entreguista” à sua gestão.

O governo brasileiro detém “golden share” na Embraer, uma classe especial de ação que permite vetar decisões relacionadas à “capacitação de terceiros em tecnologia para programas militares” e à “interrupção de fornecimento de peças de manutenção e reposição de aeronaves militares”, entre outras decisões. Pode, assim, impedir a evolução das negociações com a Boeing. A nota distribuída pela duas empresas confirma “conversações a respeito de uma potencial combinação, cujas bases ainda estão em discussão”.

Coincidentemente, Meirelles já havia consultado o Tribunal de Contas da União em 19 de julho sobre abrir mão da “golden share” da Embraer, da Vale e do IRB, além de marcar seu lançamento como pré-candidato em rede nacional para o mesmo dia em que o Wall Street Journal publicava, sem a ciência do governo brasileiro, as negociações sobre a venda da empresa. A fala do ministro ocupou quase a totalidade da propaganda eleitoral do PSD, veiculada nesta quinta-feira (21). A consulta do TCU começou a ser analisada em setembro e ainda não foi respondida.

Para Francisco Teixeira, derrotado no esforço de votar a Reforma da Previdência, Meirelles precisa apresentar feitos relevantes que o credenciem como preferido do mercado financeiro para as eleições de 2018. Privatizações de fôlego também poderão cacifá-lo como liderança liberal junto ao PSDB, de modo a garanti-lo como alternativa eleitoral tucana, caso o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, seja comprometido em investigações de corrupção e se torne inelegível ou idefensável politicamente.

Para o país, a venda do poder decisório do Estado sobre a Embraer só representa prejuízos. Na opinião de Francisco Teixeira, significa a perda do controle dos projetos estratégicos para a Defesa brasileira e da capacidade de investimento em alta tecnologia nacional. “A soberania nacional ficará à mercê dos embargos do governo norte-americano”, alerta.

Além disso, não são reais os argumentos utilizados pelos que defendem a operação – de que iria criar emprego e renda no país. “Não vai; quem diz isso não está lendo nada sobre o mercado ou está de má-fe”, diz o historiador. “O governo Trump tem se caracterizado pela interiorização da produção norte-americana. Já desmontou o Nafta e obrigou a transferir para os EUA as linhas de montagem do setor automotivo que funcionavam no México. A Boeing vai pegar a expertise da Embraer e gerar empregos nos EUA.”

Fake news como arma de negócio

As pressões internacionais para a captura da Embraer começaram a ficar visíveis dias antes da sua divulgação oficial, quando viralizou nas redes um vídeo falsamente atribuído à empresa, apontando o Brasil como o lugar dos “impostos mais altos do mundo”, com os carros, os juros, os pedágios “mais caros do mundo”, entre outras informações mentirosas.

“O vídeo já era parte da estratégia de tomada da empresa, desqualificando o Brasil como lugar de negócios, construindo uma narrativa para justificar a sua saída do país”, analisa Francisco Teixeira.

Outro front de batalha poderá ser as bolsas de valores de São Paulo e Nova York, onde está a maioria das ações da Embraer, “democraticamente pulverizadas”, segundo o historiador. A confirmação do interesse da Boeing já provocou aumento de 40% nas ações da Embraer negociadas no mercado.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Toco

27 de dezembro de 2017 às 14h01

Quero deixar uma sugestão de leitura obrigatória sobre um tema que tem sido pouco abordado pelos blogs, vlogs e sites que defendem os interesses do Brasil. O texto denuncia a censura feita por empresas de Internet norte-americanas contra o canal Hispantv. É muito grave, e tenho a sensação de que está prestes a acontecer com a mídia alternativa brasileira também!

“Libertad: concepto vacio para el imperialismo”
https://telesurtv.net/bloggers/Libertad-concepto-vacio-para-el-imperialismo-20171225-0001.html

Responder

Sebastião Farias

23 de dezembro de 2017 às 22h43

Essa informação, independente de suas vantagens ou desvantagens financeiras para o país, talvez, pouco importe para o mercado que, nesse momento, como a própria imprensa conservadora tem divulgado, pois é ele que orienta, sugere e manda na economia.
Agora, como cidadão e leigo no assunto mas, não analfabeto em educação política, cidadã e cultural, antevejo algo coerente em tudo isso, com os planos de dominação e colonialistas dos imperialistas, que no Brasil, nesse momento, navegam com ventos favoráveis a eles, algo que nunca aconteceu, nem nos 21 anos de ditadura cívico/militar/midiática, que o país foi obrigado a aceitar, de 1964 a 1985.
Agora, se o governo dos EUA, por questão estratégica e de segurança nacional, não autorizaria a venda da Boeing a outro país, por que o Brasil, logo ele, tem que fazer isso, se desfazendo de sua principal empresa de alta tecnologia aérea, de comprovada eficiência e respeitada, no mundo inteiro?
Caso se confirme a fusão não está muito claro, sobre quem absolve quem e, quem mandará e quem obedecerá?
Agora, perguntamos aos estrategistas oficiais da nação e, ao agentes públicos constitucionais, responsáveis por se posicionarem, analisarem, emitirem parecer e de zelarem pelo patrimônio público e pela segurança nacional, o que têm a dizer ao povo brasileiro, sobre os pontos positivos e negativos do negócio para a indústria aeronáutica, aeroespacial e para o rol de tecnologias de ponta de interesse estratégicos do país, do continente sul-americano e da defesa do Atlântico Sul?
É procedente, que o povo brasileiro, seja proativamente, informado e saiba com clareza, o que está acontecendo, de fato, com essa empresa do país ou não?. Aguardamos, como cidadão, uma resposta pública, da autoridade competente responsável.

Responder

Esmeraldo Cabreira

23 de dezembro de 2017 às 08h04

MILICOS BRASILEIROS , DAS TRÊS FORÇAS, SEMPRE SE ACADELARAM E CUMPRIRAM ORDENS DOS PATRÕES NO EXTERIOR…
A GUERRA DO PARAGUAI, A SERVIÇO DA INGLATERRA…. LEMBRAM?
EM 1964, DE FORMA MAIS EXPLÍCITA, A SERVIÇO DO TIO SAM E DO IMPÉRIO IANQUE!
E, AGORA , NOVAMENTE SE ACADELAM AOS IANQUES, EM MAIS UM GOLPE DE ESTADO, COM O STF E TUDO!
MILICOS SE CAGAM DE MEDO DE TER DE IR À LUTA CONTRA OS IMPERIALISTAS IANQUES… ASSIM, PREFEREM ENTREGAR , NA BANDAJA, SOB DESCULPAS DE POSICIONAMENTO IDEOLÓGICO (O TAL LIVRE MERCADO, DEFESA DA (QUÁ-QUÁ!) DEMOCRACIA, LUTA CONTRA (QUÁH-QUÁ!) O (QUÁH-QUÁ-QUÁH-QUÁH-QUÁH-QUÁ!QUÁH-QUÁ!) “COMUNISMO” !(QUÁH-QUÁ-QUÁH-QUÁH-QUÁH-QUÁ!QUÁH-QUÁ!
O MEDO DOS MILICOS BRASILEIROS REMOVE MONTANHAS……
SÃO APENAS COVARDES ENTREGUISTAS ACADELADOS…. BRIGAM BEM CONTRA OS CIVIS BRASILEIROS…. AÍ, APARECE A “BRAVURA , A CORAGEM, O PEITINHO ESTUFADINHO!!!!!
QUANDO SE TRATA DE DEFENDER O BRASIL CONTRA OS IANQUES, OUVIMOS…. TODOS DE QUATRO EM UM, DOIS , TRÊS…
POBRE BRASIL…
TODOS BRASILEIROS PATRIOTAS EM PROTO ALEGRE DIA 24….

Responder

    Geraldão

    23 de dezembro de 2017 às 11h10

    Irretocável

    Responder

Mojo

22 de dezembro de 2017 às 16h56

Embraer corre sérios riscos de se tornar mais uma grande farsa empresarial. Montada durante o governo militar com financiamento governamental. Depois privatizada, mas ainda contando com financiamento estatal BNDES / FINEP para agora ser vendida para dar lucros aos investidores estrangeiros. Pior ainda ter que ouvir da direita golpista que dizem que apoiam a venda da embraer para a boeing pois por princípio apoiam o livre mercado.

Responder

Guel

22 de dezembro de 2017 às 16h31

O problema é muito grande. Dizem que a maioria dos acionistas da empresa nem
nacionais são. Parece que a maioria dos acionistas já são estrangeiros.
Os trouxinhas adoram.

Responder

zemane

22 de dezembro de 2017 às 15h48

As forcas de ocupação colonial do brasil formadas por nativos estão garantindo de forma mais eficiente que uma base militar americana a posse do país pelos gringos . Isto sem que os gringos gastem um centavo. O povo brasileiro está pagando pela traição . Porque essa covardia dos blogues progressistas de não escancararem crime de traiçao que esses parasitas das ffaa estão cometendo. Que os fdp do judiciario façam isso é uma coisa. Que essa canalha que jurou “fidelidade a bandeira” faça é traição. Pena de morte.

Responder

Ze

22 de dezembro de 2017 às 15h03

Tô vendendo minha lojinha de 1,99 será que tem algum mericano para comprar?
Financio em até 36 vezes.

Responder

Deixe uma resposta