Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

Chapa PT, PCdoB, PDT, PSB pode eleger 21 governadores em 2018

Por Theo Rodrigues

18 de maio de 2018 : 09h15

Por Theófilo Rodrigues

Desde o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e a prisão do presidente Lula, no início de 2018, uma sensação geral tomou contou do imaginário político brasileiro: o cenário de terra arrasada para o campo da esquerda e da centro-esquerda no país.

As pesquisas de opinião que apontam para a surpreendente consolidação da extrema-direita através da candidatura de Jair Bolsonaro pelo PSL também contribuíram para esse clima de desolação geral à esquerda do espectro político.

Contudo, um olhar com lupa e uma observação mais refinada das conjunturas estaduais demonstra que a situação não é exatamente tão desesperadora quanto se supõe. Pelo contrário, essa análise mais detalhada autoriza, inclusive, certo otimismo para o campo progressista que inclui legendas como PT, PCdoB, PSB e PDT.

Esse campo político possui hoje nove governadores com amplas chances de reeleição. São eles: Camilo Santana (PT) no Ceará; Rui Costa (PT) na Bahia; Wellington Dias (PT) no Piaui; Fernando Pimentel (PT) em Minas Gerais; Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão; Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco; Rodrigo Rollenberg (PSB) no Distrito Federal; Waldez Góes (PDT) no Amapá e Amazonino Mendes (PDT) no Amazonas.

O bloco formado por PT, PSB, PDT e PCdoB também deve apoiar a reeleição de pelo menos três candidatos de outras legendas como Suely Campos (PP) em Roraima, Belivaldo Chagas (PSD) em Sergipe e Renan Filho (MDB) em Alagoas.

Há também três governadores que não poderão tentar a reeleição, mas que possuem candidatos fortes de sucessão como Marcus Alexandre (PT) no Acre, João Azevedo (PSB) na Paraíba e Acir Gurgacz (PDT) em Rondônia.

Há, por fim, candidatos de oposição regional, mas que aparecem muito bem colocados para a disputa como Kátia Abreu (PDT) no Tocantins, Roberto Requião (MDB) no Paraná, Helder Barbalho (MDB) no Pará, Renato Casagrande (PSB) no Espírito Santo e Fátima Bezerra (PT) no Rio Grande do Norte. Com menor chance aparece a candidatura oposicionista de Miguel Rossetto (PT) ao governo do Rio Grande do Sul. Mas, como historicamente o estado nunca reelegeu um governador, há esperanças para o petista.

O calcanhar de Aquiles desse campo popular democrático é regional. Os partidos de esquerda e centro-esquerda possuem grandes dificuldades de expressão eleitoral nos populosos estados do sudeste. Em São Paulo, as pesquisas apontam que os três principais nomes da disputa virão da direita do espectro político: João Dória (PSDB), Celso Russomanno (PRB) e Paulo Skaf (MDB). No Rio de Janeiro, tudo indica que a disputa será entre Eduardo Paes (DEM) e Romário (PODEMOS). Na região centro-oeste ocorre o mesmo fenômeno. O PSDB possui, atualmente, os governadores de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Independente da tática adotada no plano nacional – se predominará a fragmentação com as candidaturas presidenciais de Lula (PT), Ciro Gomes (PDT) e Manuela d´Ávila (PCdoB), ou se haverá concentração em torno da candidatura de Ciro – o fato é que, nos planos estaduais, é possível construir desde já alianças que unifiquem esse campo.

A literatura especializada argumenta, com algum grau de consenso, que o primeiro passo para a eleição de bancadas parlamentares fortes no Congresso Nacional é a construção de palanques estaduais fortes. Em outras palavras, governadores tendem a eleger em seus estados a maior parte dos deputados federais e senadores.

Se esse campo progressista, cuja bancada não passa hoje de irrisórios 22% do Congresso Nacional, pretende ampliar seu espaço em 2019, alterando a correlação de forças congressual, então precisa desde já superar divergências menores e construir fortes palanques regionais.

Apostar no sectarismo, no isolamento político e em palavras de ordem como “tudo ou nada” é o primeiro passo para o fracasso.

Na trilha de Maquiavel, é sempre bom recordar que nem tudo está perdido para o ator que exerce sua virtude política.

Theófilo Rodrigues é professor do Departamento de Ciência Política da UFRJ.

Theo Rodrigues

Theo Rodrigues é professor do Departamento de Ciência Política da UFRJ.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

84 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luiz Paulo

23 de maio de 2018 às 12h38

Análise esclarecedora, ampliou um pouco minha percepção um tanto pessimista a esse respeito.
No mais, tendo a concordar com os argumentos apresentados em favor da construção de unidade onde for possível. Se não garantirmos a formação de uma bancada parlamentar mais à esquerda, ainda que conquistemos o executivo, já vimos como esse filme acaba.
O final do texto resume bem o primeiro obstáculo a ser superado:
“Apostar no sectarismo, no isolamento político e em palavras de ordem como ‘tudo ou nada’ é o primeiro passo para o fracasso”.

Responder

Hildermes José Medeiros

19 de maio de 2018 às 12h39

Ótimas notícias para quem está sendo massacrado por análises destorcidas, que não podem condizer com a realidade, porque o campo progressista tem 47% das intenções de voto no primeiro turno, na pesquisa estimulada CNT/DMA de maio, com Lula concorrendo, claro, com 32% e a direita junta pontua 28%, mesmo percentual dos votos bancos e nulos somados. É o esperado que esse seja o quadro, inclusive para deputados e senadores, por certamente os golpistas que foram ao microfone da seu voto pelo impeachment-golpe etão bem identificados, independente do partido onde agora estejam. Agora. uma coisa: lembra do filme “Dr. stranglove” com o Peter Seller? Interpreta aquele nazista, cujo braço involuntariamente se erguia na saudação “Heil Hitler’, em situações as mais indevidas. Pois bem, nada a ver com nazismo, trata-se de um progressista, o texto mostra, mas que está na furada de querer que Ciro Gomes possa congregar o campo progressista, já no primeiro turno. Não dá amigo, Na estimulada referida, Ciro pontua menos de 6%, que reflete muito do que representa para o eleitorado. Lula não concorrendo, é racional o PT abrir mão de 32% de votos, com indicação de, se chegar ao segundo turno vencer com 45%, mais do dobro de qualquer candidato, exceto Bolsonaro, que pontua menos da metade de Lula? Não, mesmo! Do mesmo nível de Ciro, com menor rejeição, o PT tem alguns nomes. Não vai acontecer, porque o Golpe não impedirá Lula de concorrer, preso ou não, mas para congregar o campo progressista, portanto, tem nomes e estrutura para o embate, além de tempo de televisão.

Responder

    Vitor

    22 de maio de 2018 às 11h55

    A esquerda é ruim de voto no legislativo….

    Responder

Diego Baptista

19 de maio de 2018 às 09h36

Concordo:

“A literatura especializada argumenta, com algum grau de consenso, que o primeiro passo para a eleição de bancadas parlamentares fortes no Congresso Nacional é a construção de palanques estaduais fortes.”

“Apostar no sectarismo, no isolamento político e em palavras de ordem como ‘tudo ou nada’ é o primeiro passo para o fracasso.”

A esquerda brasileira, sobretudo aquela envolvida no jogo político-intitucional-eleitoral, deveria ler mais Maquiavel, esse grande e lúcido humanista, e deixar de frescura.

Responder

Maurício Tupinambá F. de Sá

19 de maio de 2018 às 04h49

Miguel do Rosário , estou de acordo com nosso companheiro Delano , a união dos Progressistas é fundamental para recuperar os danos que esse maldito golpe roubou do povo Brasileiro , que as forças Progressistas faça nessa eleição o número máximo de Deputados , Senadores , Governadores e finalmente que o Presidente seja um Homem ou Mulher combativo/a e fiel ao Programa dos Progressistas e liberte o Presidente Lula pois não acreditamos mais no Judiciário.

Responder

Cláudio

19 de maio de 2018 às 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: Poesia contra a distopia (Distopia = Ideia ou descrição de um país ou de uma sociedade imaginários [!??!!!????] em que tudo está organizado de uma forma opressiva, assustadora ou totalitária, por oposição à utopia. “Distopia”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, [consultado em 13-10-2016].) : Poema(s) acróstico(s) de autoria do PoeTa anarcoexistencialista Cláudio Carvalho Fernandes para o maior e melhor brasileiro de todos os tempos : Luiz Inácio LULA da Silva :

L ouvemos quem bem merece o mais pleno louvor:
U m homem simples, como as coisas boas da vida,
Í ntimo camarada, nosso irmão e amigo de valor,
Z elando sempre pelo bem da humanidade querida.

I nimigo dos maus, amigo dos bons, trabalhador
N ascido do povo que muito o ama e admira,
Á rvore de bons frutos, os de melhor sabor,
C onsciência plena de tudo que no mundo gira,
I magem perfeita do homem de si senhor,
O humano defensor de humana lira.

L uz de nossa gente, lutador incansável,
U m verdadeiro herói do povo brasileiro,
L úcido e consciente do mais admirável
A mor pelo ser humano e verdadeiro.

D igno e sincero, fraterno e muito humano,
A migo do povo, honesto e sempre lhano.

S eja o meu/nosso canto para te louvar,
I sso que a voz do povo já disse várias vezes:
L ula, o BraSil vive mais feliz só por te amar,
V itória da melhor sorte no número treze,
A fazer do brasileiro a humanidade a se ampliar.
::
Autor: Cláudio Carvalho Fernandes (PoeTa anarcoexistencialista)
.:.
L uz do povo brasileiro,
U m digno e fiel lutador,
L astreando com real valor
A honra do BraSil inteiro.
.:.
L ula livrou 36 milhões da pobreza,
U m feito memorável, sem precedentes,
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes.
.:.
L ivrando da miséria extrema 36 milhões de brasileiros,
U m feito sem igual, que, por si só, já bastaria,
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia.
.:. ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ * * * * * * * * * * * * * | * * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas, ou seja: sem vaselina) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
* * * * | * * * * * * * * * * * * * ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ?????????????????????
:: ????????????????????? ::

Responder

Alan

19 de maio de 2018 às 00h36

>> Miguel, você não se envergonha de escrever isso, não:
“”Ciro mudou de partidos para continuar leal a Lula””.
Theo Rodrigues, por gentileza, envie esta mensagem ao Miguel. rs

>>Quer dizer que Ciro mudou de partidos por lealdade ao PT?
Você acredita mesmo nisso ou está apelando para um discurso simplório que jamais pescará eleitores politizados? Se é por lealdade, porque não se filiou logo ao PT. Me desculpa, mas essa NÃO cola!!

Ciro muda ao sabor das circunstâncias. É um sobrevivente dos círculos partidários. Muda de partido sempre que se sente preterido para vôos mais altos.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de maio de 2018 às 09h48

    Alan, eu não “acredito” nisso. Olhe as datas. A razão para se mudar de partido, aliás, em geral é sempre essa: quando o partido rompe com o governo com o qual o político quer ficar alinhado. E vice versa.

    Responder

claudio

19 de maio de 2018 às 00h24

É triste ver os incautos, entrando na onda da direita para se destruírem. Parece que vejo, os mais astutos a dividir o espólio de Lula: “eu fico com aquela mão de 4 dedos atras de minha imagem pois isso me renderá muitos votos do Lula”, outro “eu fico com o discurso em nome da Dona Lidu que deu dignidade ao Lula e servirá para eu abocanhar meus votos”, outro “eu vou encampar a parte do Lula em que ele diz ser uma ideia, quem sabe essa ideia seja a minha melhor ideia”. Basta! aves de rapina, a carne ainda está quente e o defunto não está morto. Para vosso desespero, ele não morrerá,e pior para os abutres, ele erguerá uma Nação de oprimidos, seja como o próximo presidente, ou seja elegendo seu legítimo herdeiro, aquele que defenderá o legado do melhor presidente da historia democrática do Brasil. AGUARDEM.

Responder

Nilo Ricar

18 de maio de 2018 às 21h48

Essa união é um *golpe” no golpe…. Tomara que se concretize cada vez mais….

Responder

Afonso Celso de Oliveira

18 de maio de 2018 às 20h59

Acho que em 05/08/2018 teremos a chapa PSB/PT,sendo Joaquim Barbosa/Haddad.O teste já foi feito.Leva no primeiro turno.

Responder

Pablo

18 de maio de 2018 às 20h41

Quando vc acredita que Ciro vai fazer um governo de esquerda também especula.
Quando vc acredita que o Golpe vai deixa-lo fazer um governo de esquerda e não derruba-lo também especula.

Responder

Wilton Santos

18 de maio de 2018 às 19h48

O PT devia lançar o Haddad como candidato a governador de São Paulo. Lançar o Luiz Marinho é pedir para ser derrotado. O partido provavelmente vai ficar em 5º lugar na disputa, com algo em torno de 15% dos votos. O partido despreza os eleitores paulista, a região com o maior número de vagas para deputado federal (70 ao todo) e uma população maior que todo o Nordeste. Lançar um candidato tão inexpressivo e sem nenhum carisma numa região tão importante é mais um daqueles monumentais erros do PT.

Outra coisa, o Lula tem 32% de apoio incondicional nas eleições. Se essas mesmas pessoas votassem no PT o partido teria 164 de 513 deputados federais e 26 de 81 senadores. O problema da legenda é ficar usando o capital político do Lula para eleger adversários, com tem ocorrido sistematicamente. Esses partidos como PDT e PSB não tem nada de esquerda. O PDT do Rio de Janeiro é tão sujo quanto o PMDB e o PSB de São Paulo é linha auxiliar da máquina política tucana que controla o judiciário e todo o aparelho repressivo do estado.

É melhor o PT sair sozinho e usar o capital político para eleger candidatos do partido, pois na hora que a coisa apertar esses partidos ditos de “esquerda” vão apunhalar pelas costas o governo que não atender os interesses obscuros dessas legendas. O PSB e o PDT foram determinantes no golpe, isso sem falar que votaram praticamente de forma unânimes pela intervenção federal no Rio de Janeiro. .

Quem mais se beneficia com essas alianças são essas legendas de alugueis e não o PT. Se hoje o PSB e o PDT se reivindicam de esquerda é por mera conveniência eleitoral, pois a direita está saturada. Dependendo da temperatura do momento esses partidos vão para a direita correndo!

Responder

Fred Abreu

18 de maio de 2018 às 19h38

Sou e sempre fui de esquerda, mas em Brasília o Rollemberg faz um dos piores governos da história. Duvido que chegue ao segundo turno.

Responder

Tiago Orengo

18 de maio de 2018 às 19h29

Considerar o PSB que votou massivamente pelo impeachment que apoiou o Aécio no segundo turno como esquerda em pleno 2018 é passar um pouco dos limites não acha Miguel? Ali dentro tb tem outros nomes como Gukacs que votaram pelo impeachment qual o objetivo embarcar na canoa que naonfoi golpe e que a prisão do lula não é política?

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de maio de 2018 às 10h04

    Os governadores do PSB se articularam contra o golpe. Tem gente de esquerda no PSB sim. E temos que empurrá-lo para a esquerda, não o contrário. O artigo é do Theo, não meu.

    Responder

    Jose

    19 de maio de 2018 às 14h57

    Corretíssimo. Exemplo disso são os Bornhausen do sul do país que foram para o PSB na época do sassarico daquele que morreu no desastre do avião… Direita de estar com Figueiredo na época da Novembrada, onde chapuletaram o Cesar Cals no calçadão da Felipe Smith.

    Responder

Alexsandro Bourscheid

18 de maio de 2018 às 19h03

No Rio Grande do Sul o Jairo Jorge do PDT está mais forte do que o Rosseto, estão em pé de igualdade, mas o Jairo Jorge tem maior potencial de crescimento e no Mato Grosso do Sul o candidato mais bem colocado na pesquisas é o Odilon do PDT

Responder

Rogerio

18 de maio de 2018 às 17h41

O artigo concorda claramente com o depoimento recente da deputada portuguesa Joana Mortágua: a esquerda brasileira tem que ampliar o leque de alianças.

Responder

FELIPE

18 de maio de 2018 às 17h23

Se o Ciro tem tanta certeza que Lula não vai disputar, pois será impedido, por que o Ciro não aceita ser vice na chapa com Lula? Lula sai, unge seu vice(Ciro) e a eleição tá no papo.

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de maio de 2018 às 17h25

    Não é saudável um candidato “ungido” por alguém, Felipe. Por respeito ao processo de debate democrático, é importante que o candidato se apresente como candidato a presidente e convença os eleitores, por seus próprios méritos, seja Haddad ou Ciro.

    Responder

      FELIPE

      18 de maio de 2018 às 17h27

      Miguel, o Ciro quer é os votos ungidos do Lula rs.

      Responder

      FELIPE

      18 de maio de 2018 às 17h34

      Acerca de propostas para convencimento de eleitores, essa eleição não dará espaço para isso. Vai ser decidida pela emoção. Política com fígado.

      Responder

Delano

18 de maio de 2018 às 17h18

Miguel, estamos debaixo de um maldito golpe!, imaginar que Lula será solto por esse judiciário golpista e podre é pura ilusão.
O único caminho para derrotar o golpe e libertar Lula é nessas eleições o povo votar e eleger um congresso onde a maioria dos deputados e senadores são de esquerda progressistas unidos para derrotar as forças golpistas com o uso do poder de uma maioria parlamentar de esquerda! Fora isso não existem a mínima chance de vencer o golpe.
As pesquisas colocam qur esse precisa ser o foco da esquerda, mas ela ainda está cega e desnorteada com a prisão de Lula e pode perder uma chance de ouro para realizar isso, converter os votos de Lula para eleger 350 deputados e senadores e fazer um congresso de esquerda.
Apartir daí é expurgar o golpismo do judiciário da mídia e enquadrar os golpistas por força de lei votada por essa ampla maioria de esquerda no congresso. Essa forte unidade hegemônica de esquerda não poderá perdoar e ceder a qualquer tipo de acordo com os golpistas ou conciliação. A maioria parlamentar de esquerda terá que agir como uma blitzkrig em cima da mídia do judiciário e de todos os vendilhões e propagandistas e feitores deste maldito golpe.
É urgente que se aproveite a oportunidade.
Segundo as pesquisas o povo vai protestar nas urnas e não nas ruas até às eleições. O que precisa é focar a estratégia para divulgar a lista desses nomes de esquerda, deputados e senadores e esclarecer o povo para votar neles porque só elegendo é ganhando a maioria no congresso é que o golpe se derrotado.
Votar para um congresso de esquerda deve ser o lema daqui pra frente nessa luta contra o golpe e pela liberdade e anulação dos atos golpistas e das condenações de Lula. Os blogs precisam escrever e convencer as pessoas de encamparem essa ideia o mais rápido possível ou se perderá a única chance de derrotar os golpista.

Repito e atenção!
Usar o capital Lula para eleger um congresso nacional de esquerda já!
Acordem blogueiros e esquerda!
Essa é a chave para derrotar o golpe, anular as condenações de Lula , as leis golpistas, e de quebra enquadrar os golpistas e emplacar uma pauta política totalmente de esquerda. O apoio ao Ciro para não deixar a direita e Bolsonaro ganhar a presidência tem que ser levado em conta sem receios se o foco da esquerda for eleger um congresso de esquerda o presidente eleito terá que seguir a pauta da esquerda, o congresso tem mais poder e isso não pode ser esquecido. É hora de sair da cegueira causada pela prisão do Lula e partir para a ação.
Cadê a lista de candidatos a deputado e senador progressista e de esquerda rodando?

Responder

Delano

18 de maio de 2018 às 17h16

Edu estamos debaixo de um maldito golpe!, imaginar que Lula será solto por esse judiciário golpista e podre é pura ilusão.
O único caminho para derrotar o golpe e libertar Lula é nessas eleições o povo votar e eleger um congresso onde a maioria dos deputados e senadores são de esquerda progressistas unidos para derrotar as forças golpistas com o uso do poder de uma maioria parlamentar de esquerda! Fora isso não existem a mínima chance de vencer o golpe.
As pesquisas colocam qur esse precisa ser o foco da esquerda, mas ela ainda está cega e desnorteada com a prisão de Lula e pode perder uma chance de ouro para realizar isso, converter os votos de Lula para eleger 350 deputados e senadores e fazer um congresso de esquerda.
Apartir daí é expurgar o golpismo do judiciário da mídia e enquadrar os golpistas por força de lei votada por essa ampla maioria de esquerda no congresso. Essa forte unidade hegemônica de esquerda não poderá perdoar e ceder a qualquer tipo de acordo com os golpistas ou conciliação. A maioria parlamentar de esquerda terá que agir como uma blitzkrig em cima da mídia do judiciário e de todos os vendilhões e propagandistas e feitores deste maldito golpe.
É urgente que se aproveite a oportunidade.
Segundo as pesquisas o povo vai protestar nas urnas e não nas ruas até às eleições. O que precisa é focar a estratégia para divulgar a lista desses nomes de esquerda, deputados e senadores e esclarecer o povo para votar neles porque só elegendo é ganhando a maioria no congresso é que o golpe se derrotado.
Votar para um congresso de esquerda deve ser o lema daqui pra frente nessa luta contra o golpe e pela liberdade e anulação dos atos golpistas e das condenações de Lula. Os blogs precisam escrever e convencer as pessoas de encamparem essa ideia o mais rápido possível ou se perderá a única chance de derrotar os golpista.

Repito e atenção!
Usar o capital Lula para eleger um congresso nacional de esquerda já!
Acordem blogueiros e esquerda!
Essa é a chave para derrotar o golpe, anular as condenações de Lula , as leis golpistas, e de quebra enquadrar os golpistas e emplacar uma pauta política totalmente de esquerda. O apoio ao Ciro para não deixar a direita e Bolsonaro ganhar a presidência tem que ser levado em conta sem receios se o foco da esquerda for eleger um congresso de esquerda o presidente eleito terá que seguir a pauta da esquerda, o congresso tem mais poder e isso não pode ser esquecido. É hora de sair da cegueira causada pela prisão do Lula e partir para a ação.
Cadê a lista de candidatos a deputado e senador progressista e de esquerda rodando?

Responder

    Cézar R M Lopes

    18 de maio de 2018 às 21h06

    Meu caro, para quem tem o STF na mão, o Congresso não ameaça. Lembre-se que o FHC passou 8 anos governando por medida provisória. O Congresso só é necessário para emendas constitucionais.

    Responder

vitor

18 de maio de 2018 às 16h01

É sério que estão considerando o FILHO DE RENAN CALHEIROS como esquerda? Meu Deus!

Responder

Bolívar

18 de maio de 2018 às 14h56

A frase algo preconceituosa que diz que a esquerda só se une na cadeia pode ser mais atual do que se imagina.
Vejo quatro correntes paralelas disputando os rumos da ala progressista da nossa política:
A primeira prega uma solução radical-revolucionária, no sentido de romper com instituições golpistas e preparar a revolta do proletariado, como defende o PCO.
Temos também a via místico-redentora, defendida pelos próceres do PT, que enxerga viabilidade de uma eleição ou posse de Lula, contra tudo e contra todos, governando nos padrões do presidencialismo de coalizão, manifestamente falidos, e dos quais a principal vítima foi a Dilma.
Uma terceira, vinculada à segunda, é a praticada por Guilherme Boulos, que vê na fidelidade canina a Lula (na minha opinião, autêntica) uma forma de se capitalizar politicamente para influir no cenário futuro ou mesmo capitaneá-lo.
Por fim, a via prático-maquiavélica, no sentido virtuoso, representada por Ciro Gomes, que a despeito de pregar que o impeachment foi golpe e que a prisão de Lula é injusta, não cai na armadilha maniqueísta montada pela mídia direitista, a qual, sabedora das diferenças dentro da esquerda, nada mais faz do que insuflar o conflito.
A meu ver, as duas que se mostram mais corretas, do ponto de vista estratégico, são a terceira e a quarta (ainda que eu respeite muito a primeira), porque se revelam calcadas na realidade empírica e não em um sebastianismo fora de contexto.
Torço para que a estratégia do PT esteja nesse sentido, ou seja, apostar em Lula como um grande catalisador de votos para os governos estaduais e legislativo.

Responder

    sergio ferreira

    18 de maio de 2018 às 15h08

    Essa “análise” me matou de rir.
    Você é um robô?

    Responder

    Curió

    18 de maio de 2018 às 15h40

    E o visionário vai governar junto com Ciro o que então se não for através de um presidencialismo de coalisão ? A primeira corrente já publicou e trabalha pelo Lula ou Nada, que é a opção dois. A opção três dá pra ver que com finalidade eleitoreira sofre de moléstia do cachorro. Além de ser direita pra carico. A quarta não é virtude maquiavélica coisa nenhuma mas voluntarismo com cheiro de nazifacismo muito acentuado. Nada a var com ” maniqueísmo criado pela mídia “. Sebastianismo engraçado esse com o Lula tendo o dobro dos votos dos outros todos. Lula está mais vivo como nunca, para o desespero de vocês todos, vira-latas, que gostam tanto dos USA cagando aqui na nossa cabeça! Nada haver USA ?

    Responder

      Paulo Rogério

      18 de maio de 2018 às 18h07

      Conte-nos mais sobre esse candidato “Nada”. Ou é apenas um eufemismo para Bolsonaro?

      Responder

      Curió

      19 de maio de 2018 às 09h13

      Corrigindo, nada a ver USA ?

      Responder

José Zimmermann Filho

18 de maio de 2018 às 14h10

O PT é o partido político preferido de um quinto da população, quase três vezes mais que o segundo, o MDB. O Lula tem um terço das intenções de voto dos brasileiros, e fatura primeiro e segundo turnos. Posso saber o que justifica hipóteses de PT como vice, e apoio a outro candidato, seja lá de quem for? Deram um golpe de Estado e prenderam o principal e único grande líder de oposição do país, então o que fariam com um “moderado” que não dançasse a música que tocam? Se o momento de confronto pesado não é agora, quando será? Agora que, creio eu, o PT cismou de voltar a ser o PT, vocês me vêm com alternativas light, diet, café com leite, e tapinha nas costas? Tô fora!

Responder

    Paulo

    18 de maio de 2018 às 15h56

    Nós vimos nas eleições de 2016 como o povo brasileiro adora o PT… Amigo, o povo já não cai mais na conversa mole do PT.

    Responder

      Luiz F Velho

      18 de maio de 2018 às 20h11

      Dispenso sua grosseira comiseração.

      Responder

Pablo

18 de maio de 2018 às 13h49

Vou te fazer a última pergunta por hoje Miguel. Antes da prisão do Lula a direita já tinha condenado Lula em segunda instância. Eles e nós sabíamos que pela Lei da Ficha Limpa Lula poderia ser impedido.Porém boa parte da esquerda se “convenceu” que Lula não poderia ser candidato depois da prisão.
Então um dos motivos da direita prender Lula foi convencer parte da esquerda que não adianta.Mas pq precisa convencer que não adianta? Se eles tem a arma jurídica de cassar a candidatura do Lula? Pq arriscar naquela prisão, que acabou sendo um impasse, se era mais fácil que Lula ficasse livre mas não fosse candidato ? Pq neste momento eles continuam tentando convencer que Lula não pode ser candidato?
Qual é o medo deles sabendo que Lula não pode ser candidato?

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de maio de 2018 às 15h11

    Não entendi, Pablo.

    Responder

      FELIPE

      18 de maio de 2018 às 17h21

      Se o Ciro tem tanta certeza que Lula não vai disputar, pois será impedido, por que o Ciro não aceita ser vice na chapa com Lula? Lula sai, unge seu vice(Ciro) e a eleição tá no papo.

      Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 20h35

      Tá claro,né? O que vc não entendeu?

      Responder

    Sergio Sete

    18 de maio de 2018 às 16h23

    Uma pergunta pra você, Pablo: você prega a desobediência em relação às decisões judiciais?

    Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 20h54

      Não,não fale isso.Manter a candidatura do Lula agora é desafiar o Golpe não uma medida judicial.

      Responder

Luiz F Velho

18 de maio de 2018 às 13h43

Direita se afogando. Dólar disparou. Não há candidato viável “do mercado”. Golpe ruiu. País à beira do caos econômico e social. Não irá demorar para Lula ser chamado da prisão para ser o próximo presidente e consertar a bagunça que fizeram. Estratégia do PT é corretíssima. Não há solução a não ser a liderança de Lula para interromper a luta de classes fratricida que tomou conta do país, sem que nenhuma força tenha poder para vencê-la agora.

Responder

    vitor

    18 de maio de 2018 às 16h31

    A sua falta de noção da realidade é quase comovente…. mas na verdade é triste só…

    Responder

Aurelius Jukcaz

18 de maio de 2018 às 12h55

Mais de 27 milhões de brasileiros estão desempregados e com subemprego.
Uma tragédia do golpe de estado. Com supremo e com tudo.
Torturam o povo de todas as formas.

Responder

Red Banner

18 de maio de 2018 às 12h37

Lula será esquecido na prisão, pegou 12 anos de cana por se aliar com o PMDB. Lula é centralizador e stalinista. Ciro Gomes é a esquerda viável, democrática do século XXI.

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de maio de 2018 às 12h46

    Lula jamais será esquecido. Ninguém pode ser preso por “se aliar ao PMDB”. O blog defende a liberdade de Lula, e uma grande aliança em 2018 para derrotar o golpe – e libertar Lula.

    Responder

Sepúlveda

18 de maio de 2018 às 12h04

A candidatura Lula subjudice é um convite ao terceiro golpe. E me desculpem os apaixonados, quem gosta de apanhar por mais de 2 vezes tem tara por surra. Lula não pode disputar, ponto. E nessas condições, a palavra final sobre sua candidatura não pertence a ele, mas ao partido adversário do judiciário que, como de costume, vai detonar a esquerda novamente. Lula não foi capaz sequer de assumir como ministro de Dilma quando nem mesmo ra denunciado, por que o PT acha que a Justiça que mantém Lula atrás das grades justamente para não ser candidato, de uma hora pra outra vai rever sua postura e permitir? Alguém se ilude com isso? LULA LIVRE! CIRO PRESIDENTE!

Responder

Paulo

18 de maio de 2018 às 11h57

A soberba precede a ruína…

Responder

Curió

18 de maio de 2018 às 11h49

Cenário de terra arrasada é na centro direita e no governo.
Sua análise é perfeita, tirando as duas primeiras frases.
Até os Sarney podem voltar ao poder no rastro de Lula!
Quem se opor ao Lula vai levar a maior lavada.
Não subestime a força do povo nem superestime as negociatas.
Engraçado que vocês já vão escrevendo ” bloco formado pelo PT + o diabo que o valha… ” assim na maior, como se fosse fato consumado, oficializado… Faça-me o favor! Convenhamos que vocês querem dar o beijo com a boca dos outros, para não dizer pior!
Terra arrasada não, indignação popular aguardando a hora dos projéteis votos na urna.
Vai ser um tapa na cara de vocês! Fala mansa para tirar o ovo sem cacarejo ? Não! Vai ter berro!
Engraçado! Qualquer tramoia de vocês não é desesperadora… só com Lula é desesperadora!
Rapazes inteligentes!
O sudeste está de saco cheio com o governo e caterva. O sudeste esta quebrando empresas fechando portas de lojas de montão. A crise vai ainda ser pior, agravada. E nem as exportações salvam os empresários agora com a corda no pescoço enquanto os ladrões governam e o Lula preso político. Lula ganha até aqui em Santa Catarina!
Agora você vem com esse papinho! De virtude pouca…
A virtude do PT é o voto do povo que não abandona o Lula de jeito nenhum sozinho em Curitiba!
E vocês querem cargos para seguir a farsa, blablablabla….

Responder

    Sergio Sete

    18 de maio de 2018 às 16h16

    “Quem se opor ao Lula vai levar a maior lavada.”

    Anotado.

    Responder

    Cézar R M Lopes

    18 de maio de 2018 às 21h12

    Pense me caro, quem quer cargo é a burocracia petista, louca para eleger o maior quadro possível às custas do Lula. A Gleisi e o Lindibergh (outro em quem nunca confiei) só estão afim chupitar a imagem do Lula. Vocês vão ver quem é que vai abandonar o Lula se essa loucura for adiante….

    Responder

Hairy Heart

18 de maio de 2018 às 11h42

Ala “revolucionária” do PT atacando Miguel do Rosário em 3…2…1…
.
Ah não… o artigo é do THEO RODRIGUES…
.
Ufa !!!
:-)))

Responder

Rafael

18 de maio de 2018 às 11h39

Só quero lembrar que o exercício da autocrítica nos interior dos partidos ( sobretudo PSB, PDT e PT) será tão decisivo quanto o combate exógeno. Fortalecer a consciência interior para sabermos exatamente quem somos e o que estamos a propor.

Responder

Pablo

18 de maio de 2018 às 11h27

Já que o analista colocou primeiro o PT na chapa para governadores, coloquemos primeiro o PT na chapa para Presidente, é a lógica não só diante dessa analise, senão pq o candidato do PT tem quase 40% dos votos.

Responder

    Hairy Heart

    18 de maio de 2018 às 12h02

    Filho… o candidato do PT está preso (FATO)
    o plano B do PT tem menos votos que Ciro (FATO)
    as instituições (leia-se Judiciário) não irão libertar Lula (FATO)
    .
    ACORDA !!!!!

    Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 20h31

      Ciro está a direita do Lula e do plano B e se está à esquerda não vai assumir ou também será derrubado.

      Responder

paulino camargo

18 de maio de 2018 às 11h10

Baseado nesta reportagem parece-nos que sobrará muito pouco para os tucanos. A tucanaida estão em extinção. Os bolsomerda perderão disputa e vai fazer oque fez lá em Curitiba :enfiar no rabo (um
deste rojões de três tiros) e explodi-lo. Serão mais seis meses de cama tratando das hemorroidas.

Responder

José Ricardo Romero

18 de maio de 2018 às 11h02

Notícia promissora. No entanto, não sei se se pode confiar em MDB, PP e PSB (salvo Requião que é confiável).

Responder

Guilherme Feranti

18 de maio de 2018 às 10h16

Ah, o velho cheiro do oportunismo! Sem acabar com o golpe, as eleições serão uma fraude, que parte disto vocês não conseguem entender?

Responder

    Miguel do Rosário

    18 de maio de 2018 às 11h45

    “Acabar com o golpe”? O golpe apenas será derrotado com muitas vitórias eleitorais e mudanças e reformas, ao longo de muitos anos.

    Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 12h19

      Bom, se precisa de muitos anos, chegamos à conclusão de que com o Ciro o golpe não acaba nem com reza brava.
      Mas só de eleições e reformas precisa Miguel? Onde que o povo mobilizado entra nas suas analises?

      Responder

        Miguel do Rosário

        18 de maio de 2018 às 12h32

        Tem de vencer as eleições presidenciais de 2018, as municipais de 2020, outra vez as presidenciais de 2022. E aí vamos vencendo o golpe. O povo precisa ser politizado antes de ir às ruas, senão vira a zona de 2013 e o povo vai defender Bolsonaro.

        Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 12h59

      Bom, você tá reconhecendo que pelo menos até 2022 nada de acabar com o Golpe. Diga isso para os 13 milhões de desempregados, e até para Lula, com essa leitura vai continuar preso até lá.
      Outra coisa, não precisa ter um povo 100% politizado, na Russia de 1917 havia um analfabetismo atroz , e o povo fez uma Revolução, em Cuba de 1959 também.Quando o povo saiu às ruas para defender Chávez em 2002 e acabou com o Golpe não havia uma politização forte , como há hoje por exemplo, Chavez estava no poder há menos de 4 anos.
      Vc precisa entender que manter a candidatura do Lula é enfrentar o Golpe, que cria um impasse. Não precisa ser politizado para entender que há uma injustiça contra Lula e no caso que isso se traduza cassando os votos do eleitor a mobilização aumente exponencialmente.
      Se a gente esperar para ter um povo 100% politizado para derrotar o Golpe e o povo ir para as ruas, meu amigo, vamos morrer esperando, e olha que eu sou um pouquinho mais jovem que vc, também novo.

      Responder

      Marcos

      18 de maio de 2018 às 15h54

      Seu plano seria ótimo se a presidente eleita não tivesse sido derrubada há dois anos atrás através de um “impeachment” fraudulento.

      Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 20h34

      É um processo que vc quer esperar 2 em 2 anos para melhorar em 60 o que eles estragaram em 2. Eles não esperaram as eleições, deram vários Golpes. E vão continuar dando, inclusive contra Ciro se for para esquerda. E ai? O que vc vai fazer? Vai chamar nos os radicais para defender Ciro na ruas? Ou vai esperar até 2022?

      Responder

Rafael Alves

18 de maio de 2018 às 10h13

Campo progressista para os escrivinhadores adolescentóides desse site são PP, PSD, MDB e golpistas do naipe de Acir Gurcacz, filhotes de Renan e de Jader…

O erro do PT em fazer composição com esses lixos é o que esse site adolescentóide apoia que se repita nas próximas eleições? Essa é a saída proposta?

Responder

Sandro

18 de maio de 2018 às 10h01

Nao podemos esquecer do mais importante. DEPUTADOS E SENDORES!!! Não adianta nada ficarmos brigando aqui por Lula e por Ciro Gomes, se não focarmos tb, no que eu acho o mais importante de todos na atual conjuntura, que é a eleição para DEPUTADOS E SENADORES!!!

Responder

    Curió

    18 de maio de 2018 às 11h56

    Deputados e senadores ?
    Basta Lula ser eleito que vão ficar todos de pires na mão diante do Palácio do Planalto!
    Isso é desde 1500!
    Só o Lula não pode fazer ?
    Vai fazer muito mais e a república de merda em que nos tornamos vai voltar a ser Brasil.

    Responder

      Miguel do Rosário

      18 de maio de 2018 às 12h34

      Sandro, não é bem assim. Tem que construir uma aliança política ampla, baseada no entendimento.

      Responder

Carlos Antonio

18 de maio de 2018 às 09h38

Excelente análise. Somente uma visão caolha do quadro atual insiste na fragmentação da esquerda. Insistir na candidatura de Lula a essa altura é uma utopia suicida.

Responder

Thiago Meck

18 de maio de 2018 às 09h36

Aqui no RJ deveriamos unificar o campo progressista em torno do Garotinho. O problema que as pontes políticas do nosso campo com ele são quase nulas.

Responder

    Marcos

    18 de maio de 2018 às 15h56

    Aí já é trollagem!

    Responder

      vitor

      19 de maio de 2018 às 10h03

      kkkkkkk escroto bagarai esse Thiago…

      Responder

Jota One

18 de maio de 2018 às 09h35

Muita calma nesta hora.
Acho que Ciro está indo com muita sede ao pote.
A ideia de deixar o PT em segundo plano não me parece adequada nem justa.
Considere-se, ainda, que Ciro não tem a menor chance sem o apoio do Lula.

Responder

    Alexandre

    18 de maio de 2018 às 17h36

    Não parece justa? O PT deve isso ao PDT!!! Brizola sujeitou o PDT por várias vezes aos interesses do PT e sempre foi chamado pelos chiitas do PT de populista! Pelo amor dos meus filhinhos!

    Responder

Sergio Sete

18 de maio de 2018 às 09h29

21 governadores? 21 de 27? Com tudo que está acontecendo?
Vou salvar esta matéria para voltar aqui após as eleições.

Responder

    Pablo

    18 de maio de 2018 às 12h24

    É,para Miguel e o analista eleger Lula que tem quase 40% dos votos é uma ilusão, mas eleger 21 governadores é facinho, facinho…
    A ideologia burguesa consegue disfarçar a verdadeira luta que é a luta de classes. Os moços vivem uma ilusão quase bíblica,um mundo ideal, todos lutando por um mundo melhor, onde não há conflitos,nem golpes, nem classes, só eleições e democracia.

    Responder

      Miguel do Rosário

      18 de maio de 2018 às 12h31

      Nosso campo de luta é a democracia. É nossa principal arma.

      Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 13h06

      A democracia, até no sentido burguês da palavra,não significa só votar de 4 em 4 anos,há outros elementos.
      Mas justamente a estratégia do Lula, que ainda vc não entendeu, é usar o pouco que resta da democracia , que é a possibilidade de eleição (e não a eleição em si) para manter a candidatura e colocar em xeque o Golpe, e debilitá-lo agora, antes da eleição. Depois da eleição isso pode favorecer Lula, um indicado do PT ou o próprio Ciro.
      Neste momento , eu já te falei isso, não está nada definido. Nem sequer em relação à candidatura do Lula, senão a direita já estaria preocupada com Ciro, e até iludiria nós a militância dizendo que Lula tem chances de ser candidato, para debilitar Ciro.A direita e a imprensa não faz isso, faz exatamente o contrário pq Lula tá vivo e pode ser candidato sim.

      Responder

        Miguel do Rosário

        18 de maio de 2018 às 15h15

        Muita especulação. Eu entendi o plano. E não gosto. Está totalmente equivocado.

        Responder

      Pablo

      18 de maio de 2018 às 20h39

      Quando vc diz que Lula retirar a candidatura vai favorecer imediatamente Ciro se ele indicar é especulação também, Lula pode desiludir tudo mundo e seu eleitorado apoiar o Boulos por exemplo ou o eleitorado se dispersar totalmente.
      Quando vc diz que não vão dar liminar também especula. Futuro é sempre especular, meu caro.

      Responder

    Marcos

    18 de maio de 2018 às 15h57

    Se esquecem que o PT perdeu 50% das prefeituras em 2016.

    Responder

      Sandro

      19 de maio de 2018 às 21h35

      exatamente. As proximas eleições veremos se o PT estará com essa bola toda.

      Responder

Deixe uma resposta