Cafezinho 5 minutos – comentários diários de Miguel do Rosário

O debate entre candidatos na Globo

Por Miguel do Rosário

05 de outubro de 2018 : 07h28

Ontem aconteceu o último debate entre os candidatos a presidência da república, na Globo. Assista e comente!

O link da Globoplay está aqui.

Se souber de outros links com vídeos do debate, poste nos comentários!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

54 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

marcelo

05 de outubro de 2018 às 20h36

Miguel, se você notar, na última pergunta para em que a Marina faria, o Bonner pegou um dos papéis que seria o tema da pergunta dela dentro da urna de vidro, como todos os outros. Só que imediatamente ele soltou e trocou por outro que estava mais no fundo. A Marina fez a pergunta dela e em seguida foi a vez de Álvaro Dias, que escolhei Haddad para responder. Bonner voltou à urna de vidro e, agora sim, sorteou o tema Corrupção para que o Haddad respondesse. Não me pareceu nenhum um pouco acaso.

Responder

CezarR

05 de outubro de 2018 às 19h22

Notícia boa: Ciro disparando nos trackings de hoje. Notícia ruim: Bolsonaro se aproximando do primeiro turno. Usam até montagem do Lula pedindo votos ao Bolso em zaps no Nordeste

Responder

Adam Smith Comuna

05 de outubro de 2018 às 19h14

Michel Temer, depois de dizer: “Vocês podem apoiar quem quiserem, menos Ciro Gomes”, agora diz que a polarização é boa para o país!

Michel Temer quer Haddad e Bolsonaro no segundo turno!

O voto anti-Temer é Ciro Gomes!

Responder

    Alexandre Neres

    06 de outubro de 2018 às 00h11

    Certos comentários seriam trágicos se não fossem cômicos. No meu modo de entender os guardiães da democracia são os partidos políticos. Temer seria contra o PDT? Não me parece o caso, até porque esse arremedo de partido vota rachado e lhe deu votos preciosos para aprovar medidas totalmente contrárias à população. Nesse caso, então, somente Ciro poderia personificar o salvador da pátria, o ungido para enfrentar o eixo do mal, o único que reúne condições morais para empreender essa cruzada, o imaculado para derrotar os pervertidos.

    Haddad não presta. Boulos não presta. Quem presta? Os membros da chapa Alcirina? Em um período da campanha adverso como este, diante de uma situação deveras delicada, só uma visão míope e estreita para direcionar uma artilharia pesada para o alvo errado. Em momentos capitais, determinados posicionamentos desvelam muito do que as pessoas se esforçam para ocultar. Quem poderia acreditar, por exemplo, que Cristóvam Buarque se imaginasse de esquerda tempos atrás?

    Responder

Adam Smith Comuna

05 de outubro de 2018 às 18h59

PT agora espalhando que mudar voto de Haddad para Ciro ou Boulos vai eleger Bolsonaro no primeiro turno, MENTIRA! Mais um estelionato eleitoral com mentiras e terrorismo, aproveitando-se da ignorância que eles criaram.

Não vote em quem tenta te enganar!

Os robôs petistas só usam de falácia para tentar influenciar! Adjetivam publicações ou quem publicou sem tocar em qualquer conteúdo!

Haddad é mentiroso e cínico: mentiu sobre seu apoio a Eunício Oliveira; tentou sugerir que o Ciro copiou sua proposta, Nome Limpo, quando foi o contrario; diz que vai “combater os bancos” mas sua proposta é reduzir imposto do cartel bancário!

Não vote em quem precisa te enganar!

Responder

Justiceiro

05 de outubro de 2018 às 18h36

Cadê meus comentários, Miguel?

Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

05 de outubro de 2018 às 16h28

Já deu tempo de sobra para analisar, moderar e, liberar meu comentário. Que por sinal não contém ofensa a nada nem a ninguém, incrível, muito ao contrário de 90% do que se lê no blog. Nem é uma ideia somente minha tamanha a semelhança física do rosto. A não ser que se trate de figura abjeta ao blog, o que não acredito. Não compreendo a demora. É muito bom o comentário ? Muito ruim ? Qual é ?

Responder

Diego Baptista

05 de outubro de 2018 às 16h21

Porque será que só se encontra o debate só nesse canal bozonarista?

Responder

Justiceiro

05 de outubro de 2018 às 15h37

Pois é, Miguel. Aconteceu de novo. Cirão jogou pétalas no amarelão e selou um possível acordo para o segundo turno e um ministério.

Só que a parada vai terminar no dia 7 e Cirão não vai levar nada, a não ser a pecha de ser, no final, comandado por Lula.

Responder

NeoTupi

05 de outubro de 2018 às 15h35

Os grandes vencedores do debate foram Haddad, Boulos e Ciro. Haddad mostrou uma capacidade de responder críticas com inteligência, firmeza e sobriedade difícil de se ver em debates. Foi o grande vitorioso, pois os adversários queriam desconstruí-lo e, em vez disso, surgiu a imagem extremamente positiva para quem não o conhecia. Mostrou-se um homem público sério, com bons propósitos, capaz de vencer adversidades quando atacado (portanto, capaz de resolver crises e problemas), sem perder o controle diante de provocações.
Boulos teve o bom desempenho de sempre, passando sua mensagem.
Ciro também se saiu bem, passou uma boa imagem.
Alckmin perdeu porque foi muito cara de pau: negou fatos como o PSDB ter indicado 4 ministros de Temer, negou perdas de direitos na reforma escravagista, coisa que todo trabalhador sabe que perdeu.
Marina continuou perdida sem saber a que veio. Meirelles não tem jeito. Álvaro Dias foi destaque negativo porque encheu a cara antes do debate e estava até balançando.
Mas o grande derrotado foi o Bozo, que fugiu do debate (poderia ter ido e participado sentado). Vai continuar tendo o voto neste primeiro turno da extrema-direita e do eleitor que ligou a tecla foda-se e vota inconsequentemente. Mas perdeu votos de eleitores que se interessam por conhecer melhor em quem votar. Isso se refletirá nas urnas no domingo.

Responder

    degas

    05 de outubro de 2018 às 15h39

    Será que agora, com esse desempenho vencedor, o Boulos chega a 0,3%?

    Responder

      ari

      05 de outubro de 2018 às 16h50

      Comentário absolutamente idiota

      Responder

Alexandre Neres

05 de outubro de 2018 às 15h23

Para me abster de comentar sobre trolls, bolsominions e certos candidatos que amarelam tal qual um pato da Fiesp, que talvez pelo vazio de ideias fogem ao e do debate, merece registro a postura do Boulos, do Ciro e do Haddad ontem na Globo. Foram grandes, não ficaram de picuinhas e demarcaram as diferenças sem perder de vista o perigo que representa o fascismo, mostrando estar à altura do desafio que terão de enfrentar em um momento adverso. Votaria em qualquer um deles de olhos fechados no segundo turno.

Responder

    Rosalie Cantlin

    06 de outubro de 2018 às 20h48

    Concordo plenamente com você. Posso postar seu comentário na minha página do FB? Te darei os créditos

    Responder

NeoTupi

05 de outubro de 2018 às 15h20

Neste debate Haddad, Ciro e Boulos agiram de forma inteligente e atuaram em bloco. Mesmo preservando e demarcando suas diferenças, debateram em alto nível. Todos os 3 saíram maiores do que entraram no debate e causaram boa impressão.
Os candidatos de direita também atuaram em bloco: Alckmin, Marina, Meirelles e o bebum Álvaro Dias (este escalado para esculachar Haddad, porém se deu mal tamanha a falta de sobriedade e as respostas firmes de Haddad).

Responder

degas

05 de outubro de 2018 às 14h40

Pelos números da Paraná, considerando que a abstenção total deve ficar nos 20% de sempre e deve ser muito maior na renda mais baixa do que na mais alta (como sempre acontece, beneficiando o candidato dos mais ricos), Bolsonaro se elege no primeiro turno se chegar a 40 ou 41% de intenção.

Ele tem 34,9. E entre os eleitores dos demais candidatos, a intenção para o segundo turno se divide em: 12 Adad, 9 Bolsonaro, 7,6 nenhum. Basta que boa parte desses 9 decidam antecipar seu voto para o primeiro turno que ele ganha.

Responder

Justiceiro

05 de outubro de 2018 às 14h29

Muito bom postar o debate. É que o Brasil todo assistiu a entrevista do capitão à Record e só mudou de canal quando esta terminou. Já pegou o debate andando.

Responder

Luis Castro

05 de outubro de 2018 às 14h26

O momento não é de desunião e sim de somarmos forças contra o inimigo maior que é o fascista Bolsonaro. Vamos parar com essa disputa idiota que só favorece o inimigo. Meu candidato é Haddad, mais estou torcendo para que esteja ocorrendo a onda cirista, como ocorreu a onda verde Marina na primeira eleição da Dilma, onde ela chegou ao patamar de 20% . Com o encolhimento da Marina, esse eleitorado dela tem que ir para algum candidato, acredito que o favorecido pode ser perfeitamente o Ciro. Esse eleitorado é em sua maioria de esquerda e foi para Marina pelo desencanto com o PT, agora decepcionados com o apoio dela ao Aécio, acho que caminham para o Ciro. A primeira pesquisa a sinalizar para essa tendência foi a Poder que traz Ciro com 15%.. Vamos torcer para que essa onda cirista esteja ocorrendo para a aumentar a nossa soma de forças no segundo turno.

Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

05 de outubro de 2018 às 14h03

É………………………………………………………………….13 !

Responder

    Justiceiro

    05 de outubro de 2018 às 14h24

    13 é o número do Lula, mas ele não é candidato.

    Vote no 17 que é o número do Addad.

    Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

05 de outubro de 2018 às 14h02

O que vejo em meu espelho d´água ? Esta bacia foi arredada para cá, ainda está tremendo, a água não serenou ainda… sim… pronto!… Lula!… cada vez mais parecido com Sócrates, olhem as fotos atuais dele e os mármores que o retratam. Mas se recusa a tomar o veneno que alguém golpista lhe ministra, não morre o Lula e, nunca vai morrer. O tal veneno como feitiço que virou contra o feiticeiro antipetista já contaminou a sociedade roubando-lhe a paz, a soberania, a justiça, tudo já foi à breca. Lula não morreu.
Conhecemos a nós mesmos ? Vimos que não! As famílias então se dividiram, foram brigas de foice, foram grupos desfeitos na internet, foram pessoas de bem indo para a lata de lixo mais sujas que pau de galinheiro com mentiras e mais mentiras. Ódio ao Lula. Amor ao Lula. Gente que come bem, filé… Gente que come mal, não come… comia.
O povo vê ser feito de tudo contra o Lula. O povo vê ser feito de tudo contra a nação.
Confio no povo que vai votar 13. Haddad Lula & Manuela, eu voto!

Responder

Adecio

05 de outubro de 2018 às 13h58

Caso saia derrotado dessas eleições, o PT apenas colherá o que plantou. Ninguem atrai a confiança do eleitor com mistificações grosseiras da realidade e uma politica de alianças hegemônicas que sufoca qualquer discurso, a esquerda, que não seja tutelado pelas prioridades da burocraria do partido. Quem manda no Brasil é o povo, não é Lula, Gleise, Dirceu ou quem quer que queira… É o povo e a inteligência do povo! Acaba aqui essa tecnocracia petista! Com Ciro ou com Bolsonaro, ela terminará!

Responder

Jandui Tupinambás

05 de outubro de 2018 às 12h22

Miguel,

sinceramente. Seu espaço de comentários ficou poluído demais. Iria pontuar algumas coisas inclusive elogiar Ciro. Mas o nível tá insuportável.

Você plantou, agora você colhe.

Sei lá quando conseguirei voltar….

Responder

    JC

    05 de outubro de 2018 às 13h42

    Colega, só tá assim porque está aberto. Praticamente sem moderação. Ignore-os. O Miguel não filtra por ideia e sim por nível de baixaria nos comentários. A maioria desses irritantes são minions, não exatamente ciristas

    Responder

    Serg1o Se7e

    05 de outubro de 2018 às 13h50

    Esquerdistas não conseguem conviver com o diverso, com o contrário, com o dissonante.
    Por isso o eleitorado está de saco cheio.
    Chega de a esquerda kgar regras para todos.
    Está ruim aqui? Crie e mantenha um blog totalitário para defender a democracia.
    Pelo menos isso o Miguel tem de bom – mantém a democracia no blog dele.

    Responder

    CezarR

    05 de outubro de 2018 às 14h34

    Para ler aquela ladainha que você escreveu no Nassif? Para você o Ciro só serve se abanar o rabinho para o PT!

    Responder

Menestrel

05 de outubro de 2018 às 12h06

Espero ver Miguel apoiando Haddad no segundo turno e liberando meus comentários contra o fascismo.

Responder

Menestrel

05 de outubro de 2018 às 12h02

Ciro não tem chances , agora é Haddad contra o fascismo.

Responder

Alan Cepile

05 de outubro de 2018 às 11h34

O PT, associado ao vice da Dilma, criaram ummonstro, e esse monstro ao que parece vai ser o nosso presidente.

OREMOS

Responder

    CezarR

    05 de outubro de 2018 às 11h47

    Não acredito em pesquisa do Paraná pesquisas, mas é aterradora a situação. Calculava que com a manobra espúria de 05 de agosto, o PT estava colocando Bolsonaro contra Alckimin no segundo turno, mas o eleitor está quase resolvendo por Bolsonaro já no primeiro. SE ACONTECER O PIOR, A CONTA É TODA DO PT! PERDEMOS A ELEIÇÃO MAIS GANHA DA HISTÓRIA PELA ESQUERDA!

    Responder

      devanir marchioli

      05 de outubro de 2018 às 12h44

      Concordo contigo plenamente, essa seria uma eleição para ganhar de lavada, de humilhar para sempre os golpistas, era só ter Ciro como cabeça de chapa e hoje mesmo a três dias das eleições já poderíamos estar comemorado a vitória o primeiro turno….. Enfim, pode botar mais essa derrota na conta do PT

      Responder

      Alan Cepile

      05 de outubro de 2018 às 12h53

      A direita vencendo ela vai dar um prêmio à esquerda pela generoso auxílio dado para alcançar a vitória.

      O nome do prêmio será “Troféu Marília Arraes de Ouro” com a direita eternamente grata.

      Responder

        CezarR

        05 de outubro de 2018 às 14h35

        Com uma cabeça de ouro sobre uma bandeja!

        Responder

Mané

05 de outubro de 2018 às 11h15

FHC tinha 49% de intenção no 1º turno . Foi para o 2º !!! Dilma 42% ,Aécio 28 %- Deu 2º turno !!!

Responder

    Menestrel

    05 de outubro de 2018 às 12h05

    Sim, não há chances nenhuma do Bozo ganhar no primeiro turno.
    Os amigos ciristas podem votar tranquilos no Ciro, a gente não faz terror psicológico, mas acredito que todos como fortes militantes virtuais estarão aqui no segundo turno junto com Haddad, não é?

    Responder

    devanir marchioli

    05 de outubro de 2018 às 12h46

    Situações diferente, nessas situações que você citou, ambos estavam estagnado no percentual de votos, com o “coiso”, esta diferente, ele está crescendo assustadoramente,

    Responder

    Justiceiro

    05 de outubro de 2018 às 14h28

    Mané, quando foi que FHC disputou o segundo turno?

    Fiagá deu duas cipoadas no presidiário em primeiro turno.

    O teu apelido não nega o que você é: M A N É

    Responder

    degas

    05 de outubro de 2018 às 14h33

    Quando FHC foi para o segundo turno?

    Responder

devanir marchioli

05 de outubro de 2018 às 10h36

Acaba de sair o resultado da Paraná Pesquisas, resultado extremamente preocupante, o “coiso” sobe ainda mais e já está com 41% dos votos validos. Estamos em uma situação delicada demais neste momento, uma vez que Haddad parece ter atingido o teto das transferências de votos. Temos que sair as ruas com tudo se quisermos pelo menos garantir o segundo turno

Responder

    david marques

    05 de outubro de 2018 às 10h38

    Acabei de ver essa pesquisa também, situação delicada, se o Bolsonaro continuar subindo desta forma, acho que acaba no primeiro turno a eleição

    Responder

    Janaina

    05 de outubro de 2018 às 10h41

    Gente onde vamos parar, se o facista continuar crescendo desta forma, vai acabar ganhando já neste domingo… Acho que Miguel sempre teve razão em defender uma chapa com Ciro.

    Responder

    Luiz Caldani

    05 de outubro de 2018 às 10h43

    será que essas pesquisas são verdadeiras????? se for realmente é preocupante

    Responder

    Serg1o Se7e!

    05 de outubro de 2018 às 11h03

    Sugiro ir com uma camiseta com a cara do Lula para votar!
    rsss

    Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    05 de outubro de 2018 às 16h59

    Vão descabelar justo agora ? Parecem tolos ou patinhos paneleiros infiltrados. Firmeza !!! É 13….. OK

    Responder

O JUIZ

05 de outubro de 2018 às 10h19

Ontem vimos uma cena patética.
O Rei dos Falsos Profetas, o Bispo Pedir Mais Cedo, reuniu seus aprendizes de feiticeiros, junto com o demônio bolnossauro.
Aliás, todos farinha do mesmo saco.
Lá estavam o malafaiaiaiá, desequilibrado que jogou seu rebanho de ovelhas ignorantes no banhado, e lá as deixa clamando por socorro, para que seu ego seja satisfeito.
Outro, o tal “pastor” Cráudio que se acha engraçadinho e que transformou o altar em picadeiro, e ali transforma a palavra de Deus em comédia para o deleite dos acéfalos que lhe dão audiência.
Tinha mais um, mas com tamanha insignificância que não merece referência.
Essa gangue se acha representante dos evangélicos.
Só que nunca foram.
Estão ficando biblionários enquanto o povo que os segue deixa de comprar pão para sustentar o império desses canalhas.
Todos usando o nome de Deus em vão, o que certamente lhes custará uma condenação eterna.
Mas, eles nem mesmo acreditam no “Deus” verdadeiro, então não sabem o que isso significa.
Deixaram esse povo em um nível de fanatização tão elevado, que o tornaram gado de manobra.
Antigamente isso só acontecia com a globo, mas vê-se que sua escola cresceu.
Lamentei muito ver um respeitável Jornalista, PHA, puxando o saco do patrão para garantir seu belo salário, postando matéria em seu blog comemorando a vitória da TV do bispo sobre a globo.
Por aí se mede o nível de credibilidade de um jornalista.
Pra mim esse foi para o esgoto junto com a TV e a Igrejinha do patrão.
Brasileiros, sem ser religioso, ou fanático, posso assegurar que os tais “evangélicos” dormiram no ponto e o demônio tomou conta de suas Igrejas através desses Falsos Profetas, pois apoiar um crápula como o bolnossauro é o primeiro passo para o inferno.
Vamos nos unir e fazer de tudo para vencer essa guerra.
Ou estaremos literalmente mortos.

Responder

Alexandre Neres

05 de outubro de 2018 às 09h47

Ninguém merece esse Sérgio um-sete-um aí abaixo. Mudando de assunto, a Rede Globo não se emenda mesmo, mais uma vez apronta uma daquelas. Pós-debate, enquanto os candidatos aguardavam para dar entrevistas, permitiu que um oficial de justiça adentrasse o recinto para intimar Ciro Gomes a respeito de uma ação proposta pelo lixo Dória. Lamentável.

Responder

Paulo

05 de outubro de 2018 às 08h59

Só eu que não perco meu tempo com debate eleitoral?

Responder

Serg1o Se7e

05 de outubro de 2018 às 08h14

Não vou comentar o debate. Debate que tem o traço Boulos e não tem Amoedo e Daciolo não dá para comentar.

Vou comentar, ou melhor, “colar” outra coisa:

Uma extensa ficha corrida

Preposto de Lula na disputa presidencial, Fernando Haddad responde a 32 processos, que vão do recebimento de dinheiro da Lava Jato a denúncias por improbidade administrativa e superfaturamento de obras. O candidato reproduz o modelo petista de malfeitos na gestão pública

Germano Oliveira
04/10/18 – 17h00 – Atualizado em 05/10/18 – 07h30

Fernando Haddad não foi escolhido pelo presidiário Lula para substituí-lo na corrida presidencial por acaso. Ele carrega o mesmo DNA dos malfeitos de seu padrinho político encarcerado na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril. O candidato do PT à Presidência responde a 32 processos na Justiça, que o colocam como um dos campeões da ficha de ilícitos cometidos na vida pública. Na extensa folha corrida, Haddad, já réu em dois processos, é acusado de receber dinheiro de caixa dois de empreiteira condenada na Operação Lava Jato, denunciado por crimes de Improbidade administrativa, suspeito de superfaturamento de obras e serviços, acusado pelo desvio de recursos e até da aplicação ilegal de dinheiro público. Não bastasse seu envolvimento direto em inúmeras irregularidades, o presidenciável petista se cercou na campanha rumo ao Palácio do Planalto, a mando de Lula, de assessores e coordenadores igualmente processados por crimes no Petrolão, dando indicativos concretos de que o partido reativará – num eventual futuro governo – a máquina de corrupção azeitada durante os 13 anos de PT no poder. Pior. Além do risco de retrocesso ético, a eleição de um novo poste de Lula para o cargo de presidente resgatará a ameaça da ineficiência e da incompetência administrativa que marcou a gestão de Haddad tanto à frente da Prefeitura de São Paulo, como do Ministério da Educação.

Dinheiro de caixa dois

Formado em Direito pela tradicional Faculdade do Largo do São Francisco, Haddad sempre alardeou pautar sua vida pública pelo caminho da retidão. A narrativa, como quase tudo no PT, não pára em pé. Basta jogar uma lupa sobre sua vida pregressa para se perceber que o presidenciável petista é lobo com cútis de cordeiro –ou seja, encontra-se tão encrencado quanto seus padrinhos políticos petistas. A Kurier Analytics, uma empresa de gestão de informações jurídicas, foi quem levantou, a pedido de ISTOÉ, a ficha corrida de Haddad na Justiça e catalogou a existência de 31 processos contra o ex-prefeito, apurando o número da ação, a vara em que está ajuizada a causa e os motivos dos procedimentos. A reportagem acessou um por um dos processos. Na relação, apenas não constava a 32ª ação contra o petista, por correr na Justiça Eleitoral. Versa sobre o recebimento de caixa dois na campanha a prefeito em 2012 e cuja denúncia, formulada pelo promotor Luiz Henrique Dal Poz, foi aceita pelo juiz Francisco Shintate.

Como desdobramento da operação Lava Jato, o ex-prefeito é acusado de ter recebido, em 2013, R$ 2,6 milhões da Construtora UTC para o pagamento de uma dívida contraída junto a gráficas. O dinheiro não foi contabilizado e chegou ao PT por meio do doleiro Alberto Youssef, segundo delação do ex-presidente da empreiteira Ricardo Pessoa. Como contrapartida, a Constran, do grupo UTC, ganhou uma licitação de R$ 417 milhões promovida pelo prefeito para a construção de um terminal rodoviário em Itaquera, segundo denúncia do promotor Marcelo Mendroni.

As contas de campanha de Haddad, na verdade, sempre foram uma espécie de caixa de Pandora do petista. Na campanha à reeleição para prefeito em 2016, Haddad ficou devendo R$ 2,1 milhões para o publicitário Giovane Favieri, da F5BI, em razão da locação de equipamentos de edição de vídeos. Favieri, investigado pela operação Lava Jato por receber dinheiro sujo em campanhas eleitorais, inclusive para o PT, entrou na 6ª Vara Cível com ação para receber o débito. No último dia 16 de agosto, o PT fez acordo para ele receber o dinheiro em parcelas até 2020. O mais suspeito, contudo, é que, no último dia 25, Favieri recebeu outros – ou seriam os mesmos? – R$ 2,1 milhões oriundos do caixa da campanha presidencial de Haddad, conforme registrado no TSE, também a título de locação de equipamentos para edição de vídeos.

Haddad parece mesmo não gostar de jogar às claras com a Justiça Eleitoral. Em declaração de bens obrigatória ao TSE, o presidenciável atesta que o apartamento em que reside em São Paulo vale a pechincha de R$ 90 mil. No Cartório de Registro de Imóveis, porém, consta que ele declarou ter pago R$ 120 mil pelo imóvel em 1998 e realizado um investimento de mais R$ 20 mil na compra de uma garagem, esta não declarada pelo presidenciável. O valor venal do apartamento é de R$ 997,9 mil – mais de 10 vezes a quantia orçada pelo candidato petista ao TSE.

Entre as dezenas de processos aos quais Haddad responde na Justiça, a maioria é composta por pelo menos 15 ações populares e nove por improbidade administrativa. Em uma delas, Haddad é acusado de superfaturar a ciclovia que liga o Ceagesp ao Ibirapuera, ao custo de R$ 54,7 milhões. Cada quilômetro custou para a Prefeitura R$ 4,4 milhões, bem acima do preço pago numa ciclovia na mesma região durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab, — R$ 617 mil por quilômetro. Nesse caso, o juiz Kenichi Koyama, da 11ª Vara da Fazenda Pública, já aceitou a denúncia e Haddad virou réu. Ele é acusado também de superfaturar a compra de salsicha para a merenda escolar. O Ministério Público Estadual o acusa ainda de desviar R$ 129,2 milhões de verbas destinadas ao Teatro Municipal. Nesse processo, estão envolvidos ex-assessores diretos de Haddad.

Não bastassem os processos, o candidato do PT ao Planalto acumula uma grande rejeição entre o eleitorado – acima de 40% segundo as últimas pesquisas de intenção de voto. A reprovação segue em curva ascendente. A aversão ao seu nome por parte do eleitor não constitui propriamente uma novidade. Haddad experimentou o infortúnio em 2016, quando acabou perdendo para João Doria (PSDB) no primeiro turno. Atualmente candidato ao governo do Estado, Doria desenvolve uma explicação para o baixo desempenho do ex-prefeito. Guarda relação com a fama de laborfóbico do candidato do PT à Presidência. “Ele não gostava de trabalhar. Chegava à Prefeitura às 10h e ia embora às 18h. Nos finais de semana não aparecia”, disse o tucano. Num rápido balanço de sua gestão, percebe-se que o petista deixou de cumprir grande parte das promessas feitas ao assumir o cargo. Prometeu construir 243 creches e só entregou 38. Prometeu erguer três novos hospitais, mas nenhum deles abriu as portas. Disse que iria construir 55 mil casas populares e só levantou 10 mil. O déficit de professores aumentou de 1.800 para 4.700 ao final de seu mandato. Um desastre.

Fraudes no Enem

A passagem de Haddad pelo comando do Ministério da Educação também foi marcada por intempéries. Desde a polêmica criação do chamado “kit gay” às fraudes na aplicação do Enem, que provocou um prejuízo de R$ 30 milhões aos cofres públicos. Logo no início de sua gestão, o petista virou alvo das primeiras reprimendas dos órgãos fiscalizadores. Uma ação da Controladoria Geral da União (CGU) detectou uma verdadeira “farra das passagens” no ministério. Conforme o relatório da CGU, em 2005 foram desembolsados R$ 3,3 milhões, um valor R$ 932 mil acima do teto estabelecido. “O gestor (Haddad) não adotou as providências necessárias para limitar os gastos com diárias e passagens, desconsiderando a Portaria da Subsecretaria de Planejamento e Orçamento – SPO”, descreve a CGU. Ainda segundo a auditoria a qual ISTOÉ teve acesso, a Controladoria fez uma análise minuciosa de gastos de 16 servidores, entre os quais Fernando Haddad, relacionada ao exercício financeiro de 2005 do MEC. O que a CGU descobriu é que o compromisso com a coisa pública não é uma máxima no petista. Para camuflar o péssimo desempenho no ministério, Haddad investia pesado em propaganda. Os gastos saltaram de R$ 9,5 milhões, em 2005, para R$ 30,1 milhões, em 2012.

Mesmo com uma gestão atabalhoada à frente do MEC, Haddad se manteve no cargo por sete anos, dois dos quais já no governo Dilma, que chegou a pensar em substituí-lo por Marta Suplicy. Mas Haddad era intocável. O petista só deixou o ministério em 2012, convencido por Lula a disputar a Prefeitura de São Paulo. Para catapultar Haddad novamente, desta vez ao posto de mandatário do País, Lula fez as vezes de tutor e coordenador informal da campanha. Conforme antecipou ISTOÉ na última edição, Lula montou um verdadeiro QG na cadeia, de onde articulou a cooptação de caciques do Nordeste e determinou até repasses de dinheiro, em troca do apoio de lideranças regionais a Haddad. Para torná-lo mais palatável ao núcleo duro petista, Lula o orientou a se inscrever na corrente majoritária do PT, a Construindo um Novo Brasil (CNB). Depois, destacou petistas de sua confiança para o assessorarem – todos investigados ou processados pela Justiça.

O tesoureiro da campanha petista é Francisco Macena, vereador do PT e que responde ao lado de Haddad pela acusação de recebimento de R$ 2,6 milhões da UTC para o pagamento de dívidas da campanha à prefeitura paulista em 2012. A ex-presidente Dilma Rousseff, uma das acusadas pelo STF como integrante do “quadrilhão do PT, coordena a campanha em Minas Gerais, onde é candidata ao Senado. A senadora Gleisi Hoffmann, presidente do partido, também investigada na Lava Jato, é quem toca a campanha no Paraná. Outro que exerce papel de destaque é ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que responde a duas ações de improbidade por prejuízos à estatal. Completam o time o presidente do Instituto Lula e o mais fiel escudeiro de Lula, Paulo Okamoto, Gilberto Carvalho, ex-chefe de gabinete de Lula investigado na Operação Zelotes, o ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, e Lindberg Farias, candidato do PT ao Senado pelo Rio – velhos conhecidos das páginas político-policiais que regressarão ao poder, se Haddad eleito for.

https://cdn-istoe-ssl.akamaized.net/wp-content/uploads/sites/14/2018/10/ie2546pag30a35_haddad.jpg

Responder

    Adam Smith Comuna

    05 de outubro de 2018 às 10h31

    Também não teve João Goulart Filho, Vera Lúcia.

    Também não teve um certo deputado covarde, que se diz contra a corrupção mas nunca fez uma denuncia de corrupção. Aquele que disse que ia fuzilar FHC por privatização e agora quer vender tudo.

    Responder

    Elena

    05 de outubro de 2018 às 14h50

    E vc acredita na QuantoÉ? Putz! Como vc é ingênuo…….

    Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    05 de outubro de 2018 às 16h20

    Vai colar uma folha de parreira na sua bunda seu safado de uma figa! Na frente bota uma folha de urtiga sem vergonha! E vai trolar nos quintos dos infernos para os diabinhos malucos te pegarem junto com uma nuvem de muriçocas. Depois passa água de sal e vai dormir vinagre.

    Responder

    jose carlos

    05 de outubro de 2018 às 16h50

    Quantas condenações?? Ah, sim. NENHUMA!!!!
    E você acredita na “QuantoÉ”, hum, sei.

    Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com