Bolsonaro e Haddad na Redenews

Imagem: TV Record

Sobre a entrevista de Bolsonaro à Record

Por Pedro Breier

06 de outubro de 2018 : 15h45

É difícil crer que a entrevista da Record com Bolsonaro, exibida no mesmo horário do último debate antes do primeiro turno, tenha realmente acontecido.

A começar pelo singelo fato de que se tratou de um crime eleitoral, já que não houve a concessão do mesmo tempo de exibição a outros candidatos, como determina a lei. O Ministério Público e o TSE, aparentemente, vão fingir que não viram – e tem gente que acredita que o problema das eleições são as urnas. Louco, né?

Também é duro crer que um candidato tão despreparado lidere as pesquisas.

Bolsonaro basicamente transitou, durante a entrevista, entre o antipetismo apocalíptico e a insistência em pautas morais distorcidas e irrelevantes no atual momento do país. Discutir se os pais têm o direito de dar palmadas nos filhos, por exemplo, é realmente um assunto ao qual um candidato a presidente deve dar prioridade? Não há pautas muito mais urgentes, como os caminhos para o Brasil sair da crise econômica, por exemplo, a serem discutidas?

Bolsonaro usa o velho truque da direita para desviar o asssunto das discussões realmente importantes. As pautas morais, como as palmadas nos filhos ou um obscuro “kit gay” que nunca foi distribuído em escola nenhuma, servem para criar uma cortina de fumaça e escantear o debate principal: qual o modelo econômico que iremos adotar?

O proposto por Bolsonaro (ou melhor, pelo obscuro Paulo Guedes) é um aprofundamento do modelo adotado por Temer, um dos presidentes mais rejeitados da nossa história. O governo Temer é uma evidência mastodôntica de que o liberalismo econômico é um sistema perverso para os trabalhadores e, portanto, para a absoluta maioria da sociedade.

Bolsonaro tenta esconder isso puxando o debate para as pautas morais. Seu vice e seu guru da economia, entretanto, deixaram bem claro que um governo Bolsonaro será inimigo de quem depende do trabalho para sobreviver. Crítica ao 13º salário, ao terço de férias e proposta de aumento de impostos para pobres e classe média não deixam margens para dúvidas sobre a quem um governo Bolsonaro vai servir.

Aliás, perguntado sobre a sua posição quanto ao 13ª salário, Bolsonaro desconversou e não respondeu.

Além de tratar de temas irrelevantes e de não apresentar proposta concreta alguma – fora a estupidez de armar a população -, Bolsonaro mentiu compulsivamente:

– Negou que prega o ódio e que existem áudios dele falando pejorativamente de negros e mulheres. Uma rápida pesquisa no Google resulta em diversos áudios e vídeos de Bolsonaro esculachando negros, mulheres e gays.

– Disse que colocam esses rótulos nele porque não podem chamá-lo de corrupto. Bolsonaro foi pego com uma funcionária fantasa em seu gabinete na Câmara; ela vendia açaí no horário de expediente. Ou seja, corrupção clássica, só para ficar em um caso. Existem vários outros que envolvem o candidato e seus filhos, como o crescimento inexplicável no patrimônio de um destes: 432% em 4 anos.

– Disse que o Brasil deixou de ser respeitado internacionalmente nos últimos 13 anos. É notório que o Brasil nunca esteve tão bem cotado internacionalmente quanto nos governos petistas.

A resposta à pergunta sobre o forte movimento “Ele Não” foi bizarramente sem nexo: Bolsonaro criticou os artistas que “mamam na Lei Rouanet”. O homem é uma máquina ambulante de clichês delirantes da direita.

O momento de fascismo aberto da entrevista foi quando o candidato disse o seguinte:

Temos que dar um pé no traseiro do socialismo, do comunismo. Não podemos admitir esta ideologia em nosso Brasil. Será o fim da nossa pátria se o PT chegar ao poder.

A única ideologia que não pode ser admitida em uma democracia é a que não admite outras ideologias. Ou seja, em uma democracia séria, Bolsonaro não poderia dizer as barbaridades que diz. Além do mais, o PT, para quem ainda não reparou, está longe, bem longe, de ser socialista ou comunista.

O momento em que Bolsonaro mais se aproximou de alguma proposta concreta foi quando disse que visitou outros países como Coréia do Sul, Israel e Estados Unidos e “quer fazer igual” aqui. Só isso. “Quero fazer igual”. Não diz o que, como, por que. Nadica de nada.

Sei que muitos eleitores não se importam com as atitudes preconceituosas ou com as mentiras deslavadas.

Seria legal, contudo, se ao menos percebessem o evidente e absoluto despreparo de Bolsonaro para presidir um país de qualquer tamanho. Imagine do tamanho do Brasil.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ricardo Cassiano

09 de outubro de 2018 às 14h44

Eleitores do Bolsonaro, falem sobre as propostas dele para os trabalhadores e para a economia do país. Vocês têm algo a falar sobre isso?

Responder

Emílio Beckmann

08 de outubro de 2018 às 15h33

É difícil crer que um condenado preso dê ordens para um candidato à presidente da república.

Responder

sei lá

08 de outubro de 2018 às 11h51

Um dos dirigentes do PT disse que a prioridade agora é criar uma “zona de conforto” para que pessoas que rejeitam Bolsonaro, mas ao mesmo tempo são críticas ao PT, apoiem Haddad, num movimento suprapartidário e da sociedade civil “pela democracia”.
Traduzindo: setores do partido do mensalão, do petrolão e do financiamento de ditaduras defendem que Haddad disfarce o projeto chavista de poder do PT em afetações de moderação capazes de render votos contra Bolsonaro em nome da democracia solapada pelos petistas.

A “zona de conforto” do PT é o cinismo.

Responder

sei lá

08 de outubro de 2018 às 11h50

Nesse 7 de outubro histórico, houve uma hemorragia dos votos daqueles que pretendiam estancar a sangria da Lava Jato.

Foram varridos: Dilma Rousseff, Fernando Pimentel, Beto Richa, Eunício Oliveira, Romero Jucá, Lindbergh Farias, Vanessa Grazziotin, Marconi Perillo, Roberto Requião, Jorge Viana, Delcidio do Amaral, Marco Antonio Cabral, Daniele Cunha, Cristiane Brasil, Leonardo Picciani, Roseana Sarney, Sarney Filho, Edison Lobão, Paulo Skaf, Benedito de Lira, André Moura, Valdir Raupp, Garibaldi Alves Filho e Wadih Damous.

De graúdos, só escaparam Renan Calheiros e Ciro Nogueira.

Responder

antipaneleiro

07 de outubro de 2018 às 21h45

O sucesso do Bolsonazi está no bolso das pessoas: o celular com WhatsApp, o mesmo instrumento que organizou 2013, que desabasteceu as principais cidades com a greve dos caminhoneiros. Sem o veneno exalado pelas telas dos smartphones (que de smart não tem nada), o Bolsonazi não estaria em primeiro, nem mesmo com toda a ajuda do Judiciário. Tive uma vizinha que se mudou para uma casa do programa minha casa minha vida. Ela odiava a Dilma, votava nos tucanos (que no município tinham tirado a filha dela do ensino gratuito e jogado numa PPP com uma associação religiosa em que tinha que pagar uma taxa mensal). Ela não desgrudava no celular! Sem cibersegurança, o destino do Brasil será o esfacelamento. Os resultados mostram que o NE não aceitará o fascismo tupiniquim. Triste sina, mas esta terra maravilhosa chamada Brasil está fazendo parte de um experimento social que as ciências humanas já estudaram exaustivamente no século XX. Acho que em 5 anos, o Brasil tal qual o conhecemos, não existirá mais.

Responder

    Emílio Beckmann

    08 de outubro de 2018 às 15h35

    Boa ideia!
    Vamos tirar os celulares da população!

    Responder

Faruscco

07 de outubro de 2018 às 18h24

Enganar-nos exatamente como o PT fizera!

Estamos livres! Mas a cultura artística no Brasil está morta.

Graças!, estamos livres da breguice do petismo! Graças ao Dallagnol e ao Palocci.

Além de ser medíocre em inteligênica em projetos e medidas de macroeconomia, o PT é, também,
em cultura, em arte, em e-du-cação, barango, brega, POPULISTA,
embusteiro, cafona, de mau gosto, nivelando por baixo, Kitsch.
Sempre ODIANDO tudo que se trata de ALTA-CULTURA e tudo
aquilo que é positivamente de ELITE!

O PT é uma negação em Economia. Mas o é também em cultura,
valorizando apenas lixo e a BAIXA-CULTURA.

O PT foi em 13 anos uma besta-fubana.
[e tem gente baranga que o adora! Adora & ama o PT! — Dá pra acreditar?].

Finalmente! Livres do barango! Obrigado Palocci & Dallagnol.

Responder

Marcelo de Oliveira Soares

07 de outubro de 2018 às 07h44

O Brasil merece é um Bozonazi. Ele é a personificação do brasileiro completo. Depois que vi uma massa de trabalhadores/escravos terceirizados de serviço de limpeza de um hospital dizendo que agora era o “mito” eu desisti. A alienação dessas pessoas é tão grande que não há salvação possível para elas. Que fiquem sem direitos, que fiquem sem 13° salário, que se explodam.

Responder

    Capanema

    07 de outubro de 2018 às 08h08

    Dor de cotovelo de perdedor…

    Responder

Guimarães Roberto

07 de outubro de 2018 às 07h16

O que os seguidores do Bozo querem é ter o direito de ameaçar, agredir e atirar sem serem responsabilizados. E pior, o país corre o risco de ser entregue às pms. Caso isso venha a acontecer elas vão implantar a máfia de norte a sul, de leste a oeste. Sem dó nem piedade. Hoje, só as contravenções contribuem, mas com o Bozo no poder, todos os estabelecimentos legalmente instalados vão ter que contribuir para a caixinha. O pequeno e médio empresariado ainda não conseguiram enxergar esse detalhe. Por enquanto estão só com ódio ao PT. Hoje é só um lanchinho, mas depois vão ser sócios do empreendimento. Se liguem senhores!

Responder

    Deivid

    08 de outubro de 2018 às 20h54

    Deicha de c inguinorante teu doido ptista

    Responder

Jessé Oliveira Guimarães

06 de outubro de 2018 às 22h11

Mas o interessante é que o Bolsonaro já disse que votou em Lula. Teria mudado ele ou o natal ?

Responder

Josa

06 de outubro de 2018 às 21h45

Miguel a invasão de fascistas no blog,não achas que foi devido tua posição contra o pluralidade do voto chamando voto útil ,

Responder

    Capanema

    07 de outubro de 2018 às 08h09

    Discordou, virou fascista… Esse tipo de pensamento é fascista…

    Responder

Maurício José Campelo de Lacerda

06 de outubro de 2018 às 20h14

Que repórter mais imbecil. Infelizmente falou algo certo, porem incompleto: O PT não é comunista nem Socialista. Só esqueceu de dizer que é partido de ladrão e corrupção junto com tantos outros.

Responder

    cid elias

    07 de outubro de 2018 às 00h17

    Ei cabra mau caráter, tu de ladroagem deve entender bem, e pra mim tu deve ser corrupto. Viu como eh bom?

    Responder

    Antonio Passos

    07 de outubro de 2018 às 05h12

    Kkk Você acredita mesmo nisso ? Kkkkkk Depois do golpe, de Temer, Tacla Duran, Aécio “mata primo”, etc você ainda acredita nessa fake do milênio ? Kkkkk. Vai ser jumento assim lá na turma do Bostanaro. Kkkkk

    Responder

Samara

06 de outubro de 2018 às 19h28

Falou pouco e falou merda.
Não tem milhares de audios do Bolsonaro xingando mulheres, negros ou gays. #FakeNews.
Não admitir o Comunismo não significa não admitir outras ideologias, e isso nem é fascismo. #FakeNews.
Essa é a verdadeira cara do jornalismo esquerdista brasileiro. Parabéns pela coragem porque senso não tem.

Responder

    Jessé Oliveira Guimarães

    06 de outubro de 2018 às 22h15

    Pode não ter milhares, mas que tem muitos tem. E é o “MITO” gravado ao vivo. Agora querem desconhecer a sua obra porque alguns generais mais inteligentes disseram que era para ele maneirar? Isto está em página inteira de O Globo. Não adianta tentar reescrever a história.

    Responder

Rodrigo

06 de outubro de 2018 às 16h51

Olha sobre as palmadas em um filho você pode imaginar o seguinte que as “LEIS” do Brasil atual protegem a quem?
Vagabundo tem mais direito que pessoas de bem?
Policiais X bandido quem tem direitos?
Direitos HUMANOS e para qual tipo de pessoa? Do Bem ou do Mal!!!

Então amigo na minha opinião você pode ser estudado mais falta um pouco ainda para você pensar que nem ele porque ele quer por direitos certos para pessoas Certas, E É DIREITO DE UM PAI EDUCAR SEUS FILHOS DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL PARA O MUNDO

Responder

    ari

    06 de outubro de 2018 às 17h05

    Cada candidato tem o eleitor que merece. No caso, Bolsonaro tem você

    Responder

      Rodrigo Cardoso Condeixa da Costa

      06 de outubro de 2018 às 18h49

      Que vergonha desse meu xará… Aliás, nunca senti tanta vergonha alheia como nestes últimos meses. Deu uma vida inteira e algo mais…

      Responder

    Nostradamus ( banquinho & psiquiatra )

    06 de outubro de 2018 às 18h15

    Cidadão, você é psicopata, separa as pessoas em boas e más. É um estúpido, completo. Tanto o policial quanto o bandido tem direitos seu boçal. Você não alcança o que está acontecendo na sua psique ao escolher este fascista para salvá-lo de seus monstros. Você projeta neste lixo podre, escorrendo chorume o que vai dentro de você, um espírito de porco. Mas não é só você não…

    Responder

Luiz Cláudio Pedroso da Fonseca

06 de outubro de 2018 às 15h58

Pois é, Pinochet “uniu” o Chile de tal forma, que estão até hoje reconhecendo e separando as partes.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com