História: Brizola na Unicamp em 1987

Argentina grita para América Latina ouvir

Por Tulio Ribeiro

07 de março de 2019 : 23h22

Quase todos países sul-americanos caíram em governos neoliberais, com uma onda propagandista e ideológica, principalmente bancada por grandes conglomerados que compraram os mais importantes espaços nas mídias tradicionais do continente. O resultado chegou com modelos de destruição do valor real do trabalho, privatizações subvalorizadas e a desconstrução do projeto de uma nação desenvolvida.

A Argentina não foi diferente , principalmente quando hoje o o dólar chegou ao patamar de 42 pesos, onde era 9,5 quando Mauricio Macri ascendeu em 2015. Neste mesmo dia uma pesquisa fita pela “Aragon y associados” apontou que 65% dos argentinos querem uma mudança de governo para eleição de 2019. É lógico que traduz , a destruição das escolas públicas, os tarifaços sobrevalorizando preços básicos e uma dolarização crescente solapando o poder de compra dos salários da nação que já foi o melhor Índice de Desenvolvimento Humano pela ONU, nos anos Kirchner.

Mas diante de tantas derrotas os ‘hermanos’ tem algo ensinar, manter a luta que vale a vida. É perceptível este paradigma quando professores argentinos chegam a declarar guerra ao presidente Mauricio Macri. Dezenas de milhares de professores de todo o país marcharam em Buenos Aires para exigir a abertura de uma discussão salarial em nível nacional e romper “o teto” de aumento de 18% proposto pelo governo aos sindicatos para uma inflação oficial de 48% em 2018.

Os professores e sua marcha fazem lembrar aos sul-americanos quão poderosos eles podem ser quando decidem se unir após uma causa comum. A cada passo deles representa mostrar a força para não perder mais e plantar politicamente um vitória nas eleição presidencial de 27 de outubro.

Os professores marcharam com aventais brancos, um símbolo da educação pública na Argentina, mas desta vez também se juntaram aos sindicatos de trabalhadores das escolas particulares. Todos concordaram com o repúdio da decisão oficial de não convocar paridade nacional, um requisito obrigatório por lei que desde 2006 que fixa o piso do aumento salarial a partir do qual as províncias negociam. Eles também rejeitaram a oferta de aumento de 18% oferecida pela província de Buenos Aires, onde quase metade das matrículas no país está concentrada e dá o tom para o resto do país. A proposta oficial reflete a inflação que o governo espera para este ano, mas os professores esperam que a alta recupere parte do salário perdido em 2016, quando os preços subiram para 40%.

“Chegamos para dizer ao presidente Mauricio Macri que não queremos voltar para as etapas mais críticas do nosso país, quando os professores estavam sob a linha de pobreza, para onde está nos levando este governo”

Concluiu Sonia Alesso da central Ctera, que foi acompanhada na marcha por outros líderes sindicais : Roberto Roberto Baradel (Suteba, Buenos Aires), Eduardo Lopez (UTE, porteños), os secretários-gerais da base sindicatos CTERA de outras províncias, Maria Lazzaro, (Sadop), Carlos De Feo (Conadu), Luis Tiscornia (Conadu ), Daniel Ricci (Fedum), Mirta Petrocini (Mobilizados professores argentinos).

Em cada passo, em cada grito de ordem, em cada discurso eles colocaram os quatro principais eleita pela discussão nacional baseada na luta pela paridade: são orçamento maior para o ensino superior, escolas seguras, bolsas para estudantes, aumento de cantinas escolares e copos de leite.

A guerra declarada pelos argentinos ,especificamente dos professores, parecem deles, mas não são mais! Elas se reportam a cada trabalhador latino-americano preso num capitalismo de caráter selvagem que resulta apenas em acumulo de renda impedindo a circulação da moeda. Seriam incontáveis as horas necessárias, para um dia de trabalho em busca de equilibrar os ganhos com os rentistas. As faixas não deveriam estar apenas na “Plaza de Mayo”, mas nas principais capitais do continente.

A ideia de transgredir e romper este modelo contínuo asfixiante, vindo da economia rentista, nos levam a uma luta que não cabe mais medo neste momento da história. Aos que veem e percebem se mantendo estáticos a hora chegará igualmente cedo. Os passos e os gritos dos argentinos nos reportam um caminho que se torna mais urgente possível. Se na maioria dos país americanos, a Europa e os Estados Unidos colocaram um vice-rei para nos recolonizar , temos de usar um nome só esquecendo questões menores , chamando todos de “luta”.

Tulio Ribeiro

Túlio Ribeiro é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jorge P.

09 de março de 2019 às 01h52

Argentina grita de um lado e a Venezuela do outro. Centro direita de um, extrema esquerda do outro. ?!?!?!

Responder

    Paulo

    09 de março de 2019 às 10h42

    Pois é! Mas os comentaristas aqui são zarolhos, repare!

    Responder

LUPE

08 de março de 2019 às 22h51

Caros leitores
É tudo muito parecido, porque o inimigo comum é o mesmo.
Ataca na França (Macron), ataca na Inglaterra, ataca nos EUA , >>>>>>>>>>> privatização do ensino público, ataque às pensões dos aposentados, privatização das estatais, medidas para empobrecer o povo (aumento criminoso do combustível na França e no Brasil entre outras, muitas outras medidas) .Medidas que a Grande Mídia esconde, não comenta, trata tudo com tranquilidade e sorrisos dos Bonner da vida e outros Bonners da vida Mundo a fora.
Talvez um dia as pessoas compreenderão tudo.
Em 2007 >>>> descoberta da imensa riqueza do pré sal
(que a Grande Mídia,
que é controlada pelos nossos inimigos,
procurou esconder, não comemorou, não noticiou devidamente,
até procurou desmerecer).
>>>> 2013 >>> A Grande Mídia lança a grande farsa da Lava Jato
para derrubar Dilma e o PT,
e derrubar também
a Lei criada pelo PT que protegia a imensa riqueza do pré sal da sanha,
da ganância dos Grandes Poderosos donos das
PETROLEIRAS ESTRANGEIRAS (SHELL, British Petroleum, etc)
>>>>> A Lava Jato leva ao golpe
que levou Temer ao Poder
e entregou o pré sal às petroleiras
a preço de quase nada. Clique em
https://www.google.com.br/search?q=temer+entrega+petr%C3%B3leo+pr%C3%A9+sal+petrobras+imagens&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjo7MPksvDgAhWGrFkKHaygDzgQ_AUIDigB&biw=1280&bih=577
>>>>> Com a cabeça envenenada pela Grande Mídia (e pelas redes sociais)
com violento ódio a tudo que é petismo (e esquerda)
o povo votou contra si mesmo,
elegeu o atual presidente e seu ódio ao petismo.
Na Argentina é tudo a mesma coisa : CORRUPÇÃO CORRUPÇÃO GRITADA PELA GRANDE MÍDIA (TRABALHANDO PARA O INIMIGO) >>>>>>>>>>>>>>> levando agente inimigo ao Poder para destruir o País.

Responder

    LUPE

    09 de março de 2019 às 14h33

    Em tempo, o texto foi cortado por eventual falha técnica.
    Os nossos inimigos
    (que fazem parte de uma Organização Mundial que consta
    dos maiores banqueiros e maiores investidores do Mundo)
    estão atacando no Mundo inteiro.
    >>>>>>>>> NOs EUA, na França, na Inglaterra (para citar apenas os mais importantes países/nações) estão atacando o ensino público, as pensões dos aposentados, as estatais de serviços públicos.
    Entrem no Google com palavras chave:
    PRIVATIZE PUBLIC SCHOOLS
    RETIRED PENSION ATTACK
    MACRON PRIVATIZATION ÉCOLES PUBLIQUES
    MACRON PRIVATIZATION entreprises service public attaque
    Clique em imagens e depois clique nas imagens para ver os textos.

    Responder

Paulo

08 de março de 2019 às 18h37

Direita, esquerda; capitalismo, socialismo; liberalismo, intervencionismo. O fato é que não existe nenhum país puro, nessa salada, que pudesse servir de modelo definitivo, até porque as no mundo econômico coisas são dinâmicas. Vejam a onda recente das reestatizações na Europa, atingindo empresas de fornecimento de energia, água e até de transportes (metrô de Londres)! O Brasil tem que encontrar seu próprio caminho. Com a economia voltando a crescer, viveremos melhor, quer sob uma vertente econômica, quer sob outra. E, a partir do momento que deixar de dar certo, urna no lombo dos políticos…

Responder

CARPOA

08 de março de 2019 às 11h40

Acabo de voltar de férias de lá,a situação está difícil ,muito difícil.
A guerra híbrida aplicada pela ditadura americana no Brasil,está sendo aplicada lá.
Condenação mediática de opositores,fake news, “delatores arrependidos ” justiça politizada e a favor do saqueo das riquezas ,compra de sentenças na farsa jato de lá !!!até isso.
Mas é diária a pressão sobre o capacho entreguista macri ,a derrota deles nas eleições de Outubro é quase certa.
A prisão de Cristina Kirchner ,ao contrário da de Lula aquí,será o estopim de uma revolta popular.
O aparato repressor de lá é mais sanguinário e reacionário que aqui,e comandado ,por ironía,por uma ex-guerrilheira ! mas, incrívelmente ,os caras enfrentam,não tem medo.
Acredito que a REAÇÃO aos sabujos americanos na nossa América Latina ,começará por lá,isso se a situação da Venezuela não acelera o processo.

Responder

    Carlos Eduardo

    08 de março de 2019 às 12h19

    Definitivamente argentinos e venezuelanos não tem nenhuma semelhança com os brasileiros.

    Responder

      LUPE

      08 de março de 2019 às 23h09

      cAROS “AMIGOS”
      Carlos Eduardo, Sergio, Sergio Araújo , Renato, ………….. e outros (ou são a mesma pessoa???????)

      Alerto e digo que é fácil reconhecer
      os “comentaristas” que vêm ao Cafezinho
      pagos em dólares pelos patrões deles.
      Patrões que são os nossos INIMIGOS
      que nos roubam nossas riquezas
      sob os auspícios do silêncio da Grande Mídia
      que com eles colabora.
      Basta observar em seus “comentários” são
      a SORDIDEZ sordidez,
      o não dizer coisa com coisa,
      o esforço em desviar raciocínios
      do que é tratado,
      ou o só NÃO DIZER NADA inteligível. E, SEMPRE QUE PODEM, ATAQUE AO P PT , AO LULA, À DILMA AO PETISMO, ÀS ESQUERDAS.

      COMO é do interesse, e como M ANDA M SEUS…………………………>> PATRÕES

      Responder

    Renato

    08 de março de 2019 às 12h56

    Pelo seu relato, caro militonto, tem-se a impressão que você foi passar as férias na Venezuela ! kkkkkk

    Responder

      Luiz Schmitz

      08 de março de 2019 às 14h11

      Quem é o tonto? Melhor que ser teleguiado! hehe

      Responder

        Sérgio

        08 de março de 2019 às 14h33

        Eu acho que sua mamãe não gostaria que você fosse tonto ou teleguiado, mas se tonto foi o máximo que você conseguiu ser, meus pêsames a ela ! hehehe

        Responder

      CARPOA

      08 de março de 2019 às 17h07

      O teu vômito verme miliciasno, só confirma tua miséria intelectual e tua ignorância.VTNC fdp!

      Responder

Sergio Araujo

08 de março de 2019 às 09h32

Os de esqueda andam meio atarefados nas aulas de tribunais ou em churrascarias de 1.000 $ por cabeça ultimamente.

A ex Presidente tambèm acabou de ser condenada a comprir prisào para corrupçào pelo Supremo Argentino, ainda precisa de decisào do congresso que votarà contra.

O conceito da legalidade na America do Sul è ainda um pouco destorcida.

A America do Sul precisa de alfabetismo e civilismo.

Responder

    lucio

    08 de março de 2019 às 10h06

    “O conceito da legalidade na America do Sul è ainda um pouco destorcida”.
    exatamente… na europa “certa gente” que comete crimes como apologia ao terrorismo (“vamos fuzilar a petralha”), ao fascismo, atentado á constituiçao, atentado aos poderes do estado, estaria na cadeia com 3 prisoes perpetuas… aqui os elegem presidentes…

    Responder

      Sergio Araujo

      08 de março de 2019 às 10h16

      Isso mesmo.

      Responder

      Sergio Araujo

      08 de março de 2019 às 10h17

      Acho que voce tem razào.

      Responder

      Alan Cepile

      08 de março de 2019 às 10h29

      O Brasil, de 2016 pra cá, se tornou especialista em fazer coisas que o mundo inteiro, ou nunca fez, ou deixou de fazer faz tempo.

      O slogan desse governo circense deveria ser “Brasil, o único entre todos”.

      Responder

        Sergio Araujo

        09 de março de 2019 às 08h47

        Otimo entào, estamos inovando !! Rsrs

        Responder

Bozo & Andrade Artigos para Festas Infantis

08 de março de 2019 às 08h55

Talvez esquecidos dos efeitos deletérios da Era Menem, os argentinos decidiram experimentar as dores do parto neoliberal.

Responder

    A MORTE PELO BRASIL & PELO MUNDO

    08 de março de 2019 às 09h42

    A Globo não mostra mas, estão disputando a tapa uma promoção de carne em Buenos Aires ! Eles só tem fotos do caminhão de lixo da Venezuela… PARTO NEOLIBERAL… param a foice da morte… estão se esfaqueando por um bife!
    Greve de caminhoneiros para depois da Páscoa… eico! Eu sou você amanhã…

    Responder

Alan Cepile

08 de março de 2019 às 08h41

É tudo culpa dos petralhas pixulekentos milytontos Lula abestados bandidos de estimação comedores de criancinhas!

HAUuahhuAHAuhAUahuAAuUHAUHAUAhAUHauhauauh

Responder

    Antonio Lisbôa Santana Filho

    08 de março de 2019 às 12h42

    É mesmo, palhaço…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

Nostradamus ( bacia & banquinho )

08 de março de 2019 às 08h34

Brasil depois da Páscoa… povo na rua gritando FORA BOLSONARO! ABAIXO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! FORA GUEDES! Vão para o Chile curtir a senilidade obscena!

Responder

kalifa

08 de março de 2019 às 07h18

Jorge veio para confundir e não para explicar
Fala, fala e nada fala
Onde existe Socialismo?
No Brasil?
Liberalismo fora dos livros?

Responder

    Jorge

    08 de março de 2019 às 08h49

    Vejo que há muita confusao. O Brasil nao é socialista, é um pais capitalista com economia moderadamente controlada (nao-livre).
    Nao confunda gastos sociais com liberalismo. É possivel ser muito liberal e ter alto nível de gastos sociais/PIB. Liberalismo é simsplesmente: “o governo nao influencia na economia e no livre-mercado”
    Pode ser liberal e ter um seguro social forte (como na Suécia) ou nao(como nos EUA ou Honk Kong).

    Socialismo é quando o governo intervem ou controla diretamente na economia e meios de producao por meios como Estatais, Incentivos seletivos, leis seletivas, mudancas constantes na regras, controle de lucros, impostos altos, selecao dos diretores das empreseas, etc..
    Isso nao funciona, geralmente paises que aplicaram essas praticas hoje possuem criancas de 14 anos trabalhando 20 horas por dia para ganhar 1 dolar, ex: China, Vietna, CoreiaN., Albania, Cuba e agora Venezuela indo para esse caminho

    Responder

      Carlos Eduardo

      08 de março de 2019 às 13h41

      Em Cuba 100% das crianças estão nas escola.

      Responder

        Sérgio

        08 de março de 2019 às 14h29

        No japão, na Inglaterra, nos EUA, no Chile, no Uruguai, na Itália, na França, na Alemanha, na Suíça também., caro militonto ……..Ah, no governo brasileiro do Petê também……mas aí veio o governo de Bolsonaro e mandou expulsar milhões de criancinhas da escola !

        Responder

          Carlos Eduardo

          08 de março de 2019 às 17h26

          Errou…. Os petistas vão agradecer seu comentário, mas lamento, não havia 100% de crianças na escola nos governos do PT.

          Responder

            Sergio Araujo

            08 de março de 2019 às 19h22

            O problema è que as poucas que frequentam saem analfabetas e sem as noçoes basicas de civilizaçào.

            Atè o Brasil nào reverter isso serà tudo uma perda de tempo inutil.

            Responder

      ari couto

      08 de março de 2019 às 16h38

      Fale mais sobre crianças cubanas e venezuelanas trabalhando 20 horas. Coisa do tipo onde, como, fonte, etc.

      Responder

Jorge

08 de março de 2019 às 04h47

Infelizmente o Brasil e a America do Sul em geral estao muito longe de serem considerados “liberais” para realemte sabermos o quanto poderiamos enriquecer. Somos vitmas ainda de governos controladores e intervencionistas, com muita burocracia.
Uma passeada na Suécia, Alemanha, EUA da uma boa nocao de como se pode atrair investimentos, gerar empregos e aumentar o Welfare social quando a economia é liberalisada e a regra do livre comercio é protegida.
Nao confundam socialismo com seguro social. O segundo sempre é consequencia do liberalismo. Socialismo é quando o estado controla a economia e isso nunca deu certo.
Há paises com mesmo seguros sociais como EUA, e outros com mais seguros como a Suécia, mas ambos essao no top 10 do rank de liberalismo. Nenhum dos 2 nunca foram socialistas.
Nao se deixem enganar pela propaganda enganosa que falam que socialismo = social democracia ou bem estar social.

Responder

    lucio

    08 de março de 2019 às 07h14

    vc estudou economia na faculdade de narnia. porcentual de gastos publicos em relaçao ao pib:
    – dinamarca 53.6
    – belgica 53
    – austria 50.3
    – suecia 49.7
    qualquer liberista diria que sao paises quase comunistas. mas me parece bem desenvolvidos.
    ao contrario os paises mais liberais, onde o governo meixe com apenas 5% do pib, se chamam afghanistao, sierra leoa, congo…

    Responder

      Naldo

      08 de março de 2019 às 08h02

      Não sei se seus dados estão certos.
      Mas achar que países socialistas ( comunista não existe), dependem unicamente sobre a razão gasto público / PIB é demonstrar falta de embasamento teórico .
      A economia política poderia lhe dá premissas melhores para argumentação .
      As linhas não são a proporção gasto/PIB , mas sim como alocar o gasto com políticas inclusivas ,educação ,saúde ,política laboral, gestões de equilíbrio racial…
      O texto é muito bom ,parabéns ao autor,e sua indignação mostra isto.
      Estuda mais e volta.!
      Salud

      Responder

        lucio

        08 de março de 2019 às 09h22

        naldo,
        falei por acaso “unicamente”? nao, era só um indice como exemplo. ou quer que eu faça um tratado num blog?
        na europa empregador NAO pode demitir quando quiser, os impostos sao altissimos, saude e educaçao particular quase nao existem, é tudo estatizado, tambem aquilo que nao parece. a % de impresarios/autonomos é apenas 10% (brasil 36%). do controle do estado nada escapa. empresas e autonomos tem que pagar os imposto antecipadamente. a diferença de renda entre patrao e empregado é minima.
        sabe destas coisas?
        no brasil 80% do territorio o estado nao existe, a maioria dos autonomos nem sequer tem cnpj e nao pagam imposto nenhum, trabalhador é demitido em 2 segundos. a diferença de renda entre patrao e empregado é assustadora.
        estes sao indices suficientes para te convencer?

        Responder

          Naldo

          08 de março de 2019 às 18h03

          Não tem lógica econômica sua caracterização .
          Usar a Europa com acumulação de divisas para ser parâmetro a nossa Argentina é ficar longe da realidade econômica .
          Pior é falar de comunismo como algo implantado . foi o pior axioma possível.
          Acho que o texto está muito acima do seus comentarios.

          Responder

            lucio

            08 de março de 2019 às 20h20

            naldo,
            eu acho que vc nao entendeu nada do meu comentario. eu só estava criticando a louca ideia de jorge segundo a qual a suecia, e outros paises similares, sao liberistas.

            Responder

      Jorge

      08 de março de 2019 às 08h54

      Liberalismo = Mercado Livre e nao-intervencao Estatal, com estabilidade jurídica.
      Na Africa nao existe liberalismo, ha intervencao de governos autoritarios e mudanca constante nas regras e leis (economia nao-livre)
      Gasto/PIB nao tem nada a ver com liberalismo, nestes paises que vc citou quase na há Estatais (muito menos que no Brasil), controle de lucros, controle de mercado ou outras práticas anti-liberalismo.

      Responder

      Sérgio

      08 de março de 2019 às 14h16

      Nem na faculdade de Nárnia o militonto Lúcio estudou. Todo o gasto realizado pelos governos é gasto público; ou o governo realiza gasto privado ? Os percentuais de gastos realizados pelos governos apenas refletem a carga tributária vigentes nos países desses governos; é só comparar . Ou o militonto acha que há governos malvados que arrecadam muito e gastam pouco ? Há duas básicas fontes de recursos de que os governos se servem para realizar seus gastos : arrecadação de tributos e financiamentos/empréstimos. Os governos que gastam muito têm alta arrecadação ou tem baixa arrecadação e pegam muito dinheiro emprestado. O militonto cita alguns países com altos gastos governamentais em relação ao PIB e com bom padrão de vida, mas também há países com menores cargas tributárias ( em consequência menor nível de gastos ) que também têm bons padrões de vida, como Chile, Uruguai,EUA, Japão, Irlanda, Suíca, Canadá , Coréia do Sul. Não basta o militonto só olhar os número; é necessário analisar e interpretá-los !

      Responder

        Sérgio

        08 de março de 2019 às 14h36

        Os números…..

        Responder

Fernando

07 de março de 2019 às 23h53

Essa onda neoliberal faz bem somente para as potencias, que vem para cá e compra tudo a preço de banana. Mas é muito ruim para quem é pobre, ou seja, 99% do povo.
Banqueiro nao precisa de escola e hospital publicos, mas o povo precisa.
Um governo neoliberal deixa o povo pobre desamparado. Só ajuda banqueiros.
Depois que essa turma neoliberal entrou no poder aqui no Brasil já repararam que o emprego sumiu. Dizem os liberais que isso é culpa do PT, mas só sendo muito bobão para acreditar nessa lorota.
Se é culpa do PT por que na epoca do pt o pais cresceu e pq na epoca do pt tinha pleno emprego e emprego para todo mundo.
Pq os neoliberais nao conseguem criar empregos ? Já sei. É culpa do PT.
Pô, nao tem outra desculpa melhor. Daqui a pouco vao dizer que é culpa do Maduro.

Responder

    Sérgio

    08 de março de 2019 às 14h23

    Que pleno emprego, militonto ? Pleno emprego com o crescente número de dependentes do bolsa-família durantes os governos do Petê? Dê uma olhada no número de desempregados deixados por Dilma. Ou a estocadora de ventos não fazia parte do governo do Petê ? Acho que você não sabe fazer contas e só sabe repetir o que Lula mandava você dizer !

    Responder

      mariocinelli

      08 de março de 2019 às 18h03

      Nos governos progressistas o índice de desemprego chegou a 4,7%, lembra? E isto significa a menor taxa de desemprego em décadas, quase pleno emprego. É que vocês da direitalha não aceitam os números – que não são meus – mas de institutos respeitados

      Responder

Deixe uma resposta

x
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com