Ao vivo! STF retoma debate/votação sobe prisão em 2ª instância

Quarteirão do MASP, na Av. Paulista, lotado na manifestação do último dia 15. (Foto: Mídia Ninja)

Ironias

Por Pedro Breier

17 de maio de 2019 : 11h19

Os protestos contra os cortes na educação sacudiram o tabuleiro político. Seu sucesso foi reconhecido até mesmo por expoentes da direita como o MBL e o Antagonista – com todo o respeito à palavra “expoentes”.

Jair Bolsonaro preferiu seguir viagem na sua louca nave que desbrava um universo paralelo a cada dia. Depois de chamar os manifestantes que encheram as ruas do país de idiotas úteis, o presidente disse que só viu “faixa de Lula Livre, mais nada”. Os toscos comentários foram proferidos a partir de Dallas, nos EUA, onde Bolsonaro recebeu um prêmio deveras duvidoso e, depois das bordoadas do prefeito de Nova York, fragorosamente esvaziado.

Se Bolsonaro estivesse no Brasil e resolvesse sair às ruas para uma averiguação – disfarçado, é claro – talvez percebesse que a liberdade de Lula esteve longe de ser a pauta central dos protestos. O foco foi mesmo a educação – e como é lindo ver a educação no foco do país, mesmo que seja em um momento defensivo.

A quantidade de estudantes que compareceu aos atos foi notável. Desde pré-adolescentes com seus uniformes do colégio até universitários com seus jalecos, todos unidos em uma balbúrdia só, restou evidente que o governo Bolsonaro começa a ser visto pelos jovens como o que de fato é: um inimigo mortal da educação.

Nada mais didático do que um governo de extrema-direita. Parece paradoxal, mas a ascensão de Bolsonaro ao poder pode ser o marco inicial da derrocada da onda conservadora. 

O paradoxo é, afinal, apenas aparente. Ao assumir o poder central, o conservadorismo passou de pedra a vidraça. Suas visões de mundo estão sendo testadas pela afiada espada da realidade.

Como suas respostas para as demandas da sociedade transitam entre a nulidade e o agravamento dos problemas, a tendência é que um contingente de jovens cada vez maior posicione-se na oposição aos desmandos do executivo. Consequentemente, esses jovens tendem a cerrar fileiras no lado oposto da carcomida ideologia que agarra-se a um passado que nunca existiu, tremendo de medo das inevitáveis mudanças que são a tônica da existência. TFP e Senhoras de Santana revival é démodé demais.

Uma nova geração de alunos do Olavo que despontava tragicamente no horizonte pode, a partir do irremediável desastre que atende pelo nome de governo Bolsonaro, dar lugar a uma politização da juventude forjada nas ruas, nos debates e nas lutas.

Mesmo que seja apenas a materialização da terceira lei de Newton, não deixa de ser irônico que um governo de extrema-direita seja o responsável por fazer ressurgir um ambiente revolucionário e ativista na juventude brasileira.

***

Outra ironia interessante é a suspeita do Ministério Público de que Flávio Bolsonaro comprou e vendeu diversos imóveis para lavar dinheiro – a valorização de alguns imóveis negociados supera, e muito, a valorização média dos imóveis na região. Os Bolsonaro saíram de seu papel marginal na política nacional diretamente para o núcleo do poder surfando na onda da criminalização da política e do antipetismo. A difundida crença de que os filhos de Lula possuem jatos, Ferraris, ilhas, a Friboi e o escambau é um bom retrato da insanidade ideológica que tomou conta do país. Eis a ironia: a fama é dos filhos de Lula, mas é o filho de Jair Bolsonaro quem deve explicações sobre os indícios de crimes apresentados pelo MP. Aguardemos as correntes de Whatsapp sobre os esquemas do Flavinho.

Pedro Breier

Pedro Breier é graduado em direito pela UFRGS e colunista do blog O Cafezinho.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

DUDHA MACKENNA

18 de maio de 2019 às 13h40

GAME OF THRONES BRAZIL – EPISÓDIO 8: A DERROCADA DA CASA BOLSONARO?
Bem a Massa foi pra rua, a mídia cobriu vigorosamente os protestos, a chamada “mídia alternativa” no YouTube, num frenesi vingativo, entrou em êxtase e Mourão (em nome dos Militares) deu sua benção: “a manifesção é Democrática”. Em seguida, como em um script da Netflix, ecoam gritos, a esquerda, a direita (e pasmem até das corporações do Mercado!) para (mais um!!) impeachment presidencial! Humm. Muita calma nessa hora…
Bolsonaro como não podia deixar de ser, reagiu com a classe de sempre e, com exceção ao uso das usuais ofensas, foi o único a ter uma leitura real do que estava acontecendo: “são todos massa de manobra”…
Calma! Me explico… É óbvio que, como bem demonstra a nossa (triste) história política, quando o Complexo Golpista (Militar/Financeiro/Banksters/Midiático/Judiciário etc.) apadrinha as manifestações contra um governante, está dada a senha para derrubado do coitado (a) e sua vã ingenuidade seja conciliatória, seja fascista de que ganhar o Governo de uma Democracia Burguesa, significa ganhar o Poder… Bem longe disso…
A robusta cobertura das manifestações estudantis pela mídia Global, nada mais é do que o uso de sua poderosa máquina de informação para manter o controle sobre a narrativa dos eventos. A despeito do heroico esforço dos canais de políticos do YT e outras bolhas sociais da esquerda em tentarem em vão disputar esse espaço no final é a narrativa golpista que vai prevalecer na expectativa de que, uma vez livre do estorvo bolsomita, garantir a continuidade de sua agenda ultra-liberal sob a batuta de um novo fantoche seja fardado ou de macacão…
O nefasto manifesto suicida excretado ontem pelo acossado Presidente corrobora a tese de Nildo Ouriques de que, como já feito durante as fraudulentas eleições, a ultra-direita fascista, na voz de Bolsonaro, acusa o sistema (mecanismo) pelo seu retumbante fracasso, denuncia de forma contundentemente Marxista, o Estado como balcão de negócios das misteriosas corporações (burguesia) e, ao fazê-lo toma para si o discurso da esquerda cirandeira no armário e convoca sua fan base (Militares de baixa patente, PM, Milícias, Classe Média canarinho e mínios fascistas de toda ordem) para uma guinada ao Nazi-fascismo escancarado liderado pelo Mito. Não subestimemos a capacidade dessa gente…
Com o tal manifesto, Bolsa cruza o rabicão e chama, esquerda e direita para porrada. Sem a presença de um ente mediador nesse que parece ser o último ato de um governo natimorto será violento, dramático e repleto de revelações bombásticas com consequências imprevisíveis para as já apodrecidas instituições da República e um desafio para garantia da governabilidade de quem quer que seja o próximo coitado a sentar no Trono, digo Cadeira Presidencial… Quem viver verá.

Responder

Paulo

17 de maio de 2019 às 22h28

“TFP e Senhoras de Santana revival é démodé demais”, diz o articulista. Ah, que saudades de um Brasil desses, em que “A Marcha da Família com Deus pela Liberdade” ponteava a reação conservadora! Hoje, o que vemos são os evangélicos pautando o Governo Bolsonaro, nesse campo, e esperando que Israel retome Jerusalém para que se cumpra a “profecia pós Cristo”, de São João e São Paulo (ou seja, uma incongruência, pois não houve profetas pós-Cristo), que falam no “arrebatamento da Igreja”. Igreja essa que, além de tudo, eles renegam…sem falar no erro conceitual de tomar judeus por cristãos.

Responder

Zé Maconha

17 de maio de 2019 às 15h15

Sobre o iminente inpeachment nada.
Agora é tarde pra vocês do Cafezinho tentarem se redimir..
Os comentários das viúvas do Ciro aqui só mostram como o Cafezinho e o PDT estão deslocados da realidade.
Vou repetir essas duas frases de Miguel do Rosário todos os dias:
O caso Queiroz é apenas uma cortina de fumaça da mídia.
Achar que Bolsonaro corre risco de cair é delírio da esquerda.

Responder

    Francisco

    18 de maio de 2019 às 13h19

    O pior é Ciro não perceber e o Cafezinho ir no vácuo, que o Novo partido dos bancos, gerido pelo ‘boy de banqueiros’, João “Amôedo” Dionísio, ocupou de forma mais explícita o espaço pretendido por Ciro junto a Bolsonaro, ambos pensando em lucros a serem colhidos mais à frente.

    No fim, como anunciado, danaram-se todos.

    Responder

Roberto

17 de maio de 2019 às 12h37

Eu até pensei em participar desta manifestação, mas quando um vi uma faixa da CUT, do MST e outra com lula livre, pulei fora. Me perdoe mas não quero ser taxado de idiota útil…

Responder

    Alan C

    17 de maio de 2019 às 12h51

    Moro numa capital de estado e eu fui, mas houve mais de uma manifestação, teve uma que o ponto de encontro foi numa praça, ali a manifestação foi organizada pelas centrais sindicais, manifestação desse tipo eu nem passo perto, eu fui numa que saiu do Instituto Federal, composta por alunos, professores, servidores e gente do povo que aderiu, não tinha uma bandeira de central sindical nem de partido e muito menos de lula livre. Essa manifestação se encontrou com a que eu citei, antes disso eu deixei a manifestação.

    Responder

    cid elias

    17 de maio de 2019 às 12h59

    idiota inútil, é exatamente o que vc é…

    Responder

Nem a pau, Nicolau

17 de maio de 2019 às 11h53

Sergio Araújo, como você é inteligente !!

Responder

Fábio maia

17 de maio de 2019 às 11h48

Rosário. Passo aqui uma vez por semana só para constar seu suicídio profissional. Os comentários de teu site são a prova viva disto

Responder

    Francisco

    18 de maio de 2019 às 13h00

    Só o Cafezinho não percebe.

    Responder

Sergio Araujo

17 de maio de 2019 às 11h39

OBS: protestos de idiotas se fazem no meio da semana, perdendo aula, trabalho e prejudicando os outros, protestos de gente no fim de semana.

Responder

    Alan C

    17 de maio de 2019 às 12h04

    “Protestos” que a Casa Grande adora, com camisa da honesta CBF, aqueles “protestos” que não incomodam ninguém, muito menos o sistema.

    Responder

      Sergio Araujo

      17 de maio de 2019 às 12h10

      O Brasileiro tà longe de saber o que sào democracia e civildade.

      Responder

        Alan C

        17 de maio de 2019 às 12h13

        É vc que tá dizendo…

        Responder

Sergio Araujo

17 de maio de 2019 às 11h34

Nào sào idiotas utèis, sào idiota inutèis.

Responder

    Alexandre Neres

    17 de maio de 2019 às 13h56

    A confimar. Fiquei sabendo por meio de fonte fidedigna que o comentarista Sergio Araujo seria o ex-ministro da educação Vélez Rodríguez. A prova cabal seria sua indigência intelectual. Procede?

    Responder

Deixe uma resposta