STF discute prisão em 2ª instância

Paulsen diz que 2º julgamento de Lula no TRF4 “não tarda muito”

Por Redação

26 de junho de 2019 : 10h01

As polêmicas jurídicas e políticas envolvendo Lula prometem momentos dramáticos neste segundo semestre.

Lula terá direito a progressão de pena ao final de setembro. Alguns defendem que teria direito desde já.

O Vaza Jato divulgará, ao longo das próximas, mais informações sobre a parcialidade de Moro e outros desvios da operação Lava Jato. Há grande expectativa sobre o que virá, e quais serão seus efeitos.

A segunda turma do STF julgará, após o recesso, recurso de Lula que pede a suspeição de Moro.

O TRF4 também promete julgar em breve, em segunda instância, o processo de Lula referente ao sítio de Atibaia, pelo qual o ex-presidente já foi condenado em primeira instância pela juíza Gabriela Hardt.

Caso seja novamente condenado pelo TRF4, Hardt poderia emitir outro mandado de prisão contra Lula, impedindo-o de seguir para o regime semi-aberto (que na prática é aberto, por causa da falta de instituições adequadas) ou para a liberdade total, em caso de anulação do processo do triplex.

Como o processo de Atibaia foi iniciado por Sergio Moro, há dúvidas se a anulação do processo do triplex no STF poderia também anulá-lo. O certo seria que sim, que ambos fossem anulados, mas sabe-se lá o que as cortes dirão, em tempos tão estranhos.

Seja como for, é fato que a prisão de Lula permanecerá no centro do debate político neste segundo semestre de 2019.

Na Rádio Guaíba

TRF4 pode julgar Lula no processo do sítio de Atibaia no segundo semestre

“Não temos razão nenhuma para atropelar ou pra retardar”, disse presidente da 8ª Turma, Leandro Paulsen

Publicado por Camila Diesel –
25/06/2019 – 18:27 e atualizado em 25/06/2019 – 20:02

O presidente da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador Leandro Paulsen, estimou, nesta terça-feira, que o processo que envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o sítio de Atibaia possa ser julgado no segundo semestre do ano. Paulsen deu a declaração durante a cerimônia de entrega do Título de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores, que ocorre no Plenário da Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

“Não tarda muito, junto à nossa turma, mas o relator terá de trabalhar nesse processo ainda. Depois passa para mim, na condição de revisor. Então, acredito que algum tempo ainda vai levar, alguns meses quem sabe. Assim que estiver pronto para julgamento, será pautado. Não temos razão nenhuma para atropelar ou pra retardar. Será no tempo adequado, assim que nós nos sentirmos seguros, após a análise do processo como um todo, nós levaremos a julgamento. É possível que ocorra no segundo semestre deste ano, dependendo de o processo estar pronto para ser julgado”, disse Paulsen.

O presidente da 8ª Turma também comentou sobre as recentes publicações de conversas envolvendo o juiz Sérgio Moro, o procurador Deltan Dallagnol e outras pessoas responsáveis por dar andamento à operação Lava Jato, por parte do site The Intercept Brasil. Ao mesmo tempo em que questionou o vazamento de conversas sigilosas, Paulsen reconheceu que é necessário garantir a liberdade de imprensa.

“É uma pena que estas conversas, que são privadas entre agentes públicos, estejam vazando e sendo exploradas da maneira como são. De qualquer maneira eu tenho muito claro que temos que preservar a liberdade de imprensa. Acima de tudo, o direito da população brasileira a ser informada”, ponderou o desembargador, que também garantiu “absoluta lisura” do Tribunal a que pertence. Ele também disse não ter temor algum de que surjam, entre os diálogos, referências ao Tribunal, que julga em Porto Alegre parte dos processos referentes à Lava Jato.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Olavo

27 de junho de 2019 às 10h38

Pelas minhas contas, o calango bebum condenado deve sair da cadeia em 2030. São tantos processos das suas maracutaias que fica difícil qualquer defesa deste bandido.

Responder

Dario

26 de junho de 2019 às 18h36

Já demorou demais

Responder

    Tiago

    26 de junho de 2019 às 19h05

    Infelizmente já há algum tempo, os processos judiciais “correm” ou “não correm” a depender do calendário eleitoral (ou calendário político – como nesse caso que vão decidir ao arrepio dos fundamentos jurídicos sérios e inaugurando muitas vezes um direito de exceção em razão da pessoa). Neste caso específico é sobre o medão de Lula sair da cadeia (apesar das imensas fragilidades dos dois processos, sítio e triplex), mas o golpe maior é sobre a democracia e não se pode ter nenhum candidato de esquerda que possa ameaçar o cavalgar neoliberal imposto. Uma pena como os que mais destróem as instituições são os mesmos que se aproveitam delas, inclusive Juízes que há muito tempo preferem um Estado Mínimo e já agem como tal – onde o cargo público vira mero trampolim de imagem para o mercado privado ou mercado eleitoral. Só “não corre” aos que se comprometem com as elites (inclusive elites internacionais que adoram essa liquidação privatista), PSDB, PSL, Partido Novo, DEM, etc que o digam… Mas tá na moda no Brasil nesses tempos de exceção ter um direito específico ao Lula, porém se daria o mesmo com Brizola, Arraes, Prestes, Darcy, etc…

    Responder

      Flávio

      27 de junho de 2019 às 06h13

      Você acha que , pelos tempo e pela quantidade de dinheiro que esses caras ( Sérgio Cabral, Eduardo Cunha, Geddel Vieira, Zé Dirceu, entre outros ) vêm roubando o país, os processos foram muito corridos ? Ou você só tem reclamações em relação aos processos de painhô Lula ?

      Responder

        Ulisses

        27 de junho de 2019 às 09h22

        Qual a quantidade de dinheiro ilegal acharam com o Lula?

        Responder

          Flávio

          27 de junho de 2019 às 12h07

          O dinheiro das obras do sítio de Atibaia , do triplex e as obras realizadas no mesmo imóvel saíram das contas de Lula ou da empreiteiras com as quais a Petrobras mantinha contrato ? Se o homem mais honesto do Brasil pagou pelo imóvel e pelas benfeitorias no sítio e no Triplex, por favor leve as provas ao judiciário !

          Ulisses

          27 de junho de 2019 às 21h41

          Tá feio hem! Moro desmascarado. Tudo que disse é papo furado já provado pelo The Intercept, pela OAS e pelo próprio ministério público que aprovou a venda do sitio pelo seu dono Bittar, amigo do Lula. Em corrupção tem-se, Bolsonaro e seus laranjas, PSDB e seus milhões na Europa, FHC e seus apartamentos em Paris e Nova Yorque e que não deve ser melindrado, e tu ainda com a ladainha Moro?

      Jeferson

      27 de junho de 2019 às 10h35

      Seu mimimi foi recebido, analisado e encaminhado para o setor do FODA-SE!!! Próximo…

      Responder

        Ulisses

        27 de junho de 2019 às 21h43

        O foda-se agora chama- se THE INTERCEPT e Greenwald! Ou foda-se o Moro?

        Responder

Celso Junqueira

26 de junho de 2019 às 11h18

É preciso arrumar outra condenação. E rapidamente. O triplex já foi leiloado em maio/2018. Então, não era do Luiz. O tal sítio está à venda. Se é do Lula, o dinheiro da negociação terá que ir para ele. Mas parece que não é. Alô TRF-4: depressa, depressa….

Responder

Gilmar Tranquilão

26 de junho de 2019 às 10h44

Melhor correr né, vai que anulam o triplex kkkkkkkkkk

Responder

    enrique

    27 de junho de 2019 às 06h45

    O pobrema, caro cumpanheiro, é que Painhozão é ré em mais meia dúzia de proçessú. Num tem geito. Ele escapa dum buraco , mais cai em outru. O geito é a gente reza pelo nosso inusenti painhoão.

    Responder

Deixe uma resposta