Câmara discute privatização da Eletrobras

Prévia da inflação em agosto fica em 0,08%, menor índice para o mês desde 2010

Por Redação

22 de agosto de 2019 : 13h50

Por Eduardo Peret

22/08/2019 09h00 | Atualizado em 22/08/2019 10h15

Agência IBGE — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) subiu 0,08% em agosto, próximo dos 0,09% registados em julho. Essa é a menor taxa para o mês desde 2010, quando o índice ficou em -0,05%.

Novamente, a queda nos preços dos combustíveis (-1,70%) impactou o grupo dos Transportes (-0,78%), pressionando o índice geral para baixo. Também tiveram queda as passagens aéreas (-15,57%), além dos grupos de Alimentação e Bebidas (-0,17%) e Saúde e Cuidados Pessoais (-0,32%).

Por outro lado, a maior influência positiva veio do grupo Habitação (1,42%), com destaque para a energia elétrica (4,91%), que registrou sua sétima alta mensal consecutiva. A bandeira tarifária passou da amarela (R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora) para a vermelha (R$ 4,00), influenciando aumentos em todas as áreas pesquisadas. Também houve reajustes no gás encanado (0,20%) e na água e esgoto (1,01%).

A queda registrada no grupo de Alimentação e Bebidas (-0,17%) se deveu especialmente à alimentação no domicílio, que caiu 0,45%. Os principais destaques negativos do grupo foram o tomate (-14,79%), a batata-inglesa (-15,09%), as hortaliças (-6,26%) e o feijão carioca (-5,61%).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

NeoTupi

22 de agosto de 2019 às 14h17

Inflação alta para um país em recessão. Note que os setores varejistas, que dependem da decisão do consumidor, estão em deflação. Praticamente só preços controlados subiram.
E uma má notícia: o dólar voltou a subir, então a queda na gasolina será revertida, além de impactar no preço de importados.
Uma curiosidade sobre a metodologia: no caso de passagens aéreas é meio complicado apurar inflação mensal, quando se compara meses de alta temporada com baixa temporada. Para o setor, é mais significativo comparar com o mesmo mês do ano anterior.

Responder

Deixe uma resposta