Lançamento do livro “Lawfare: uma introdução”, com Lula

Antropóloga explica bolsonarismo

Por Redação

06 de setembro de 2019 : 19h35

No canal Rede TVT:

O Entre Vistas de hoje é com a antropóloga Isabela Kalil. Juca Kfouri e a professora falam sobre a ascensão e queda do “bolsonarismo” e a também sobre os riscos da banalização da intolerância e violência trazem a democracia!

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Elson de Mendonça Ribeiro

08 de setembro de 2019 às 09h25

Mais uma pesquisa demonstra que gente de direita é burra:
https://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2019-09-06/estudo-aponta-que-pessoas-de-qi-baixo-tendem-a-ser-intolerantes-e-de-direita.html

Responder

Paulo

07 de setembro de 2019 às 00h15

Interessante o ponto de vista da Isabela Kalil. Ela não exala ódio ou revolta. É, evidentemente, uma cientista social tipicamente de esquerda, mas que tenta manter o discurso científico. Por outro lado, naturalmente, deixa-se levar pela pauta cultural da esquerda. É como se fosse uma maldição da qual não se pode fugir, nas Ciências Sociais…

Responder

    Luiz

    08 de setembro de 2019 às 14h36

    Deixa eu ver se entendi. Se ela exala-se ódio e revolta, ela estaria sendo científica? Você tá falando de direito autoral, propriedade, coisa assemelhada, ou entende que a Teoria dos Tipos resolveu o Paradoxo de Russell, ou o Positivismo Lógico resolveu o papel do sujeito na proposição lógica?

    Responder

      Paulo

      08 de setembro de 2019 às 19h55

      Eu só disse que ela oblitera bem o engajamento por via de um suposto discurso científico, neutro…

      Responder

Martha

06 de setembro de 2019 às 22h13

Bom… E o PT?
O PT?…
A educação petista foi a pior em toda a história brasileira! Não é algo pessoal, de família ou de familiares. É estrutural. Do PAR-TI-DO. Durante o governo petista foi criado a baranguice do sertanejo universitário. Adorado por petistas. O PT é barango. O PT divulgou, estimulou, difundiu e inventou o sertanejo-universitário. O PT, junto com o petismo (religião), “”””educou”””” as crianças (hoje adultas) com sertanejo universitário. Eis aí o estilo barango, brega e cafona de ser do PT. O PT é Kitsch. O PT é Ersatz, doutora!.

Responder

    Alan C

    08 de setembro de 2019 às 01h19

    Em quantos blogs de esquerda vc já colou isso? Já vi em alguns… Copiou de onde? Do grupinho do MBL? Sem pé nem cabeça desse jeito é bem capaz…

    Responder

    Benoit

    08 de setembro de 2019 às 18h50

    Ô douthora Martha, você poderia explicar em que medida a educação no Brasil antes do PT era melhor e como ela terá voltado a melhorar depois que o PT perdeu o poder? Em segundo lugar, eu falo um pouquinho de alemão, mas não tenho a menor ideia do que a frase dizendo que “o PT é Ersatz” quer dizer. Talvez você pudesse levar em conta que somos menos educados e explicar o significado da frase.

    Responder

      Wellington

      09 de setembro de 2019 às 11h48

      De 30 anos pra cà o Brasil foi sò piorando atè afundar no poço sem fundo em que se encontra agora, e sem chances de sair.

      Responder

        Carlos Marighella

        09 de setembro de 2019 às 17h34

        não

        Responder

Deixe uma resposta