Câmara discute privatização da Eletrobras

China é destino de quase 30% das exportações brasileiras

Por Redação

06 de setembro de 2019 : 19h01

Segundo o Comexstat, banco de dados público do governo, o Brasil exportou um total de US$ 148,6 bilhões no acumulado de oito meses até agosto deste ano, o que representou uma queda de 6% sobre igual período do ano anterior.

A queda foi puxada sobretudo pela Argentina, um de nossos principais parceiros comerciais, cujas compras de produtos brasileiros recuaram 40% este ano.

A Holanda comprou 30% menos.

A China se manteve como principal destino das nossas exportações, e apesar de ter reduzido em 2,2% suas compras do Brasil, aumentou a sua participação para 28%, um recorde histórico. No acumulado de oito meses até agosto desse ano, as exportações brasileiras para a China alcançaram US$ 41,5 bilhões.

As exportações brasileiras para os EUA cresceram 10% e totalizaram US$ 19,7 bilhões em Jan/Ago 2019.

O principal produto de exportação do Brasil foi a soja, mas as vendas caíram 23% este ano, totalizando US$ 19,9 bilhões, contra US$ 25,7 bilhões em Jan/Ago de 2018.

Outros produtos em destaque foram petróleo bruto, ferro, madeira, carnes, milho, derivados de petróleo, açúcar e café.

Por curiosidade, fiz uma tabela com a exportação brasileira de abacate.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

NeoTupi

07 de setembro de 2019 às 15h53

Em 2008, a Venezuela sozinha importou US$ 5 bilhões do Brasil. Bem mais do que Alemanha e Japão importam hoje (e que também importavam muito mais).
Chama atenção o isolamento do Brasil no BRICS. Tirando a China, é baixa as exportações para India pelo tamanho da economia. A Rússia nem aparece entre os 20 maiores.
Do Oriente Médio, só o Irã entre os 20 primeiros (e deve cair com encrenca com o milho e alinhamento cego a Trump). As maiores economias da região – Turquia e Arábia Saudita – estão fora. Efeito Bozo embaixada Jerusalém.
Nenhum país da África entre os 20 primeiros, e tem economias em grande crescimento como a Nigéria.

Responder

Deixe uma resposta