CPI da Fake News, com Joice Hasselmann

Embaixada da Venezuela em Brasília é invadida por apoiadores do governo golpista de Guaidó

Por Redação

13 de novembro de 2019 : 11h01

Na Rede Brasil Atual

Parlamentares pedem apoio popular para conter invasores. Há indícios de facilitação aos invasores pelo governo brasileiro, que não manifesta repúdio à violação de tratado diplomático internacional

Publicado por Redação RBA 13/11/2019 09:07

São Paulo – A Embaixada da Venezuela no Brasil foi invadida na manhã desta quarta-feira (13) por apoiadores de Juan Guaidó, deputado que conspira para derrubar o governo de Nicolás Maduro e se autoproclamou presidente do país em janeiro. O encarregado de negócios da Venezuela, , Freddy Meregote, divulgou áudio em que pede ajuda dos movimentos sociais e dos partidos políticos. “Companheiros, informo que pessoas estranhas às nossas instalações estão violentando o território venezuelano. Necessitamos ajuda e uma ativação imediata de todos os movimentos sociais e partidos políticos”, disse.

Pelas redes sociais, parlamentares de partidos de esquerda se dirigiram ao local, solicitando a presença de todos que pudessem conter a invasão.

Em outro áudio distribuído pelo Whatsapp, a jornalista Ana Prestes, dirigente do PCdoB que se dirigiu à embaixada, afirmou que a invasão foi seguida de violência. “Tá tendo luta corporal lá dentro”, postou.

Segundo relatos, ao menos 30 invasores participaram da ação, que ocorre durante a reunião do Brics – o bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – em Brasília. Por conta do evento vários acessos da cidade estão fechados, sob vigência de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), o que dificulta a chegada de outros funcionários e militantes à embaixada.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) conseguiu entrar. “A embaixada foi sitiada por um grupo de brasileiros e de venezuelanos, houve confronto. Eles tentaram tomar à força esse espaço. A impressão é que parte deles é de lutadores de academia contratados. É uma clara violação do direito internacional. Há indícios de participação do governo brasileiro na facilitação da invasão da embaixada da Venezuela.”

Mais tarde, vídeo com depoimento de Pimenta relatou a situação dentro da embaixada:

O golpista Juan Guaidó é reconhecido pelo governo brasileiro como presidente da Venezuela, mesmo depois de o Supremo Tribunal de Justiça daquele país ter considerado nula sua autoproclamação. Segundo reportagem do Valor, um grupo de funcionários da embaixada da Venezuela em Brasília “desertou” do governo Maduro e permitiu, pela primeira vez, a entrada de Tomás Alejandro Silva, ministro-conselheiro da embaixada nomeado por Guaidó.

Silva teve o acesso liberado de forma inédita. Outros funcionários leais a Maduro, como o atual adido militar, Manuel António Barroso, se dirigiram imediatamente então à embaixada. Relatos afirmam que o controle do local foi recuperado por volta das 8h30, mas o clima seguia tenso.

Tomás Alejandro Silva é apoiador de Maria Teresa Belandria, indicada por Guaidó a assumir a embaixada brasileira como representante do governo golpista. Desde que Jair Bolsonaro recebeu a indicação de Belandria, sua equipe tenta entrar na embaixada, sendo sempre impedida por funcionários venezuelanos nomeados pelo presidente Nicolás Maduro.

Pelo Twitter, a deputada federal Erika Kokay alertou para o ato fascista: “Embaixada da Venezuela é invadida em Brasília em ato criminoso que fere a soberania e a democracia. Exigimos investigações e responsabilização dos culpados!” A deputada observou ainda que um representante do Itamaraty, Maurício Correia, também dirigiu-se à embaixada venezuelana, afirmando que o Brasil reconhece Guaidó como presidente e não Maduro. “Governo Bolsonaro legitima a invasão. Qual é a ideia? Implodir o Brics a mando de Trump e dos EUA?”, questiona a deputada.

A invasão é uma grave violação de tratado diplomático internacional, a Convenção de Viena, e deve ser denunciado à ONU. “Denunciamos que as instalações de nossa embaixada em Brasilia foi invadida à força nesta madrugada. Responsabilizamos o governo do Brasil pela segurança de nosso pessoal e das instalações. Exigimos respeito à Convenção de Viena sobre relações diplomáticas”, afirmou em nota o ministros das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza.

A invasão da Embaixada da Venezuela no Brasil repete o que ocorreu no dia 10 de novembro na Bolívia, quando o território venezuelano também foi invadido por milícias de direita daquela país.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Neco

13 de novembro de 2019 às 11h21

Representante do desgoverno brasileiro entre os milicianos fascistas.
Tudo isso acontecendo exatamente durante encontro dos BRICS.

Responder

Luis

13 de novembro de 2019 às 11h06

impeatchement do bolsonaro já.

Responder

Deixe uma resposta