Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Ciro: vídeo mostra um governo transformado num covil de bandidos

Por Redação

23 de maio de 2020 : 01h18

O ex-ministro disse que ficou “chocado” com o nível de vulgaridade, paranoia e alucinação vistas no vídeo divulgado pelo STF da reunião ministerial do dia 22 de abril de 2020.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

23 de maio de 2020 às 11h05

Hoje, o governo Bolsonaro só tem uma preocupação, é governar para o núcleo da sua família não importa, se transformand oBrasil em uma nação paramilitar.

Responder

carlos

23 de maio de 2020 às 10h56

Já houve um tempo, em que um simples beijo , era considerado, falta de respeito, ou seja atentado ao pudor, lembro muito bem que em ônibus da linha Rio pequeno vila Mariana, um casal por causa de um simples beijo serem levados a uma delegacia, indiciado por atentado ao pudor, e eu que estava sentado do lado de uma jovem, fiquei com medo de ser preso, o que me salvou foi minha carteira de trabalho que estava registrada pelo supermercado eldorado.

Responder

Paul Atreides

23 de maio de 2020 às 09h43

F
O
R
A

B
O
L
S
O
N
A
R
O
S

Responder

Felipe

23 de maio de 2020 às 08h30

É Ciro, que impressionante demonstração de ódio ao Brasil.
Logo eles que se dizem defensores da pátria.
Uma vulgaridade total, imbecilidade total. Essas pessoas não deveriam nunca estar nessas posições que ocupam. É, VC tem razão, o PT nos deixou uma herança maldita.

Responder

    Batista

    23 de maio de 2020 às 18h30

    Está falando dos US$ 375 bilhões em reservas internacionais que estão a derreter ou da prática de fortalecer e não interferir em instituições republicanas como a PF e a PGR, derretidas, com seu ‘não voto’?

    Responder

Kleiton

23 de maio de 2020 às 08h28

Ciro Gomes falando da vulgaridade dos outros ?

Responder

    Batista

    23 de maio de 2020 às 18h31

    Pois é, ego intumescido atrapalha a visão.

    Responder

Marco

23 de maio de 2020 às 07h33

O presidente é culpado de não fazer nenhum esforço para evitar tantas mortes. Pelo contrário: sempre foi contra medidas de isolamento social, adotadas, com mais ou menos intensidade, por quase todas as nações.
A família Bolsonaro é alvo de suas relações com os milicianos do Rio de Janeiro. Os milicianos usam as “contribuições” (obviamente obrigatórias, embora não as apresentem dessa maneira) dos cidadãos.
Eles constituem verdadeiros Estados paralelos nos territórios que ocupam. E eles têm, é claro, poder de fogo. São essas milícias que estão agora “assumindo” a crise do coronavírus em vários territórios do país.
Flavio Bolsonaro, eleito senador pelo estado do Rio de Janeiro em outubro de 2018, está sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal por movimentos financeiros atípicos identificados em sua conta bancária e na de 74 ex-colaboradores do Conselho do Rio. de janeiro quando ele estava servindo como conselheiro.

Responder

    Batista

    23 de maio de 2020 às 18h35

    E pensar que Ciro resolveu pensar o ego ferido em Paris…

    Responder

Deixe uma resposta