Live do Cafezinho (18 h): Pós-verdade na política brasileira (uma conversa com Fabio Palacio)

HOJE – Rio em Debate: Chico Alencar e Edson Santos

Por Redação

11 de julho de 2020 : 09h40

O programa Rio em Debate será veiculado neste sábado (11) às 11h na página do Facebook do Cafezinho e contará com as participações de Chico Alencar e Edson Santos para uma conversa sobre as eleições municipais de 2020 no Rio de Janeiro.

Chico Alencar é professor de história e ex-deputado federal pelo PSOL do Rio de Janeiro, e Edson Santos é ex-ministro da igualdade racial, ex-vereador do Rio de Janeiro e deputado federal pelo estado do Rio no segundo mandato pelo PT.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

11 de julho de 2020 às 11h20

Alô, Cafezinho, veja o que disse o articulista e ex-dirigente, Ascânio Seleme, hoje no Globo:

“Não há como uma nação se reencontrar se 30% da sua população for sistematicamente rejeitada. Esse é o tamanho do problema que o Brasil precisa enfrentar e superar. Significa a parcela do país que vota e apoia o Partido dos Trabalhadores em qualquer circunstância. Falo dos eleitores, não apenas dos militantes. Me refiro aos que acreditam na política de mudança do partido, não aos seus líderes. Os que acreditam e sustentam o PT são a maioria do terço de eleitores perenes do partido, não os que foram flagrados nos dois grandes escândalos de corrupção que marcaram as gestões petistas.

Esse agrupamento político, talvez o mais forte e sustentável da história partidária brasileira, tem que ser readmitido no debate nacional. Passou da hora de os petistas serem reintegrados. Ninguém tem dúvida de que os malfeitos cometidos já foram amplamente punidos.”…

O fato é que o ódio dirigido ao PT não faz mais sentido e precisa ser reconsiderado se o país quiser mesmo seguir o seu destino de nação soberana, democrática e tolerante. Não pode se esperar essa boa vontade dos que carregam faixas pedindo intervenção militar e fechamento do Supremo e do Congresso, um grupelho ideológico, burro e pequeno que faz parte da base do presidente Jair Bolsonaro. Mas é bastante razoável ter esta expectativa em relação a todos os outros, sejam eles de direita, de centrodireita ou de centro.

Não se pode negar que parte considerável do Brasil é de esquerda. Como tampouco há como se ignorar a força da direita nacional. Ambos os campos existem e precisam ser representados politicamente. O Brasil não tem tempo para esperar por uma outra esquerda, renovada e livre da influência do PT. O país precisa se reencontrar logo para construir uma alternativa ao bolsonarismo, este sim um problema grave que deve ser enfrentado por todos. Perdoar o PT não significa abrir mão de convicções. Ao contrário, significa pavimentar caminhos pelos quais pode se chegar ao objetivo comum de paz e prosperidade.”

Enfim, até o grande impulsionador do antipetismo já está dando o braço a torcer. As caixas de ressonância deveriam seguir o mesmo caminho. Basta de ódio e de mágoa! Essa perseguição feroz à maior agremiação partidária brasileira de todos os tempos é surreal. Saia dessa enquanto é tempo, Cafezinho. Essa tentativa de cancelar Lula e o PT só depõe contra esse blogue.

Responder

Deixe uma resposta