Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

O Rei.

O símbolo Pelé

Por Pedro Breier

29 de dezembro de 2022 : 17h43

Os feitos futebolísticos extraordinários de Edson Arantes do Nascimento serão lembrados e relembrados à exaustão hoje e nos próximos dias.

Pelé é considerado por muitos apreciadores do futebol como o melhor jogador de todos os tempos. É uma lenda.

Com surreais 17 anos ele foi o destaque do primeiro título mundial do Brasil, na Suécia, em 1958. Em 1970 comandou a Seleção no tricampeonato – o time daquele ano é considerado um dos melhores da história do futebol. A presença de Pelé em um jogo na Nigéria simplesmente parou uma guerra civil.

Pelé notabilizou-se pelo futebol altamente eficiente e criativo. Sua genialidade vem sendo contada de geração para geração há décadas. Até os gols que Pelé não fez, por um capricho da bola, viraram lenda.

A mística da camisa 10, que costuma ir para o craque do time, seja no Barcelona ou em uma pelada de várzea em algum canto remoto do Brasil, começou com Pelé, também em 1958.

A Seleção Brasileira virou uma entidade quase mítica muito por conta de Pelé. Somos o país do futebol, o maior celeiro de craques do mundo, o único time que ganhou cinco copas.

Essa supremacia gerou um fenômeno fantástico: somos o time do coração do Terceiro Mundo. O Rodrigo da Silva demonstrou este fato recentemente em um fio no Twitter. É emocionante assistir os vídeos de torcedores do Brasil espalhados por países diversos:

O Rei do Futebol é conhecido no mundo todo. É um símbolo que transcende a dimensão futebolística.

A abolição do trabalho escravo no Brasil se deu em 1888. Exatos 70 anos depois – um nada! – um menino negro que veio da pobreza conquista a Copa e sua inteligência, habilidade e criatividade chocam o mundo. Foi como um recado definitivo sobre a estupidez do racismo.

O futebol, assim como outros esportes e a arte, emula os dramas, os conflitos e as glórias da vida. Assim, só pelo que fez dentro de campo, Pelé já é um símbolo imortal da luta dos excluídos por liberdade e dignidade.

Fora de campo, Pelé tinha fama de ser alienado. Mas o Emicida, em uma fala que vale a pena ser vista, apresenta outro lado do Rei:

Pelé, enquanto Rei, disse frases como ‘Eu nunca tirei a minha cor para jogar’. Ou a poderosíssima ‘O sinônimo político hoje no Brasil é corrupto, e o negro não carrega essa marca. Então negros deveriam votar em negros’. Ninguém fala desse Pelé. Nenhum de nós viu manchete de jornal com essas frases.

Pelé é o Rei do Futebol, mas não deixa de ser humano por causa disso.

As duras críticas que recebe sobre o não reconhecimento de uma filha são justas. Mas, como coloca Emicida, a questão se insere em um problema maior, que é o fato de inúmeras crianças crescerem sem a presença dos pais no Brasil. É fruto do machismo estrutural, que responsabiliza a mulher pela criação dos filhos e dá quase um passe livre para os homens. Não se trata de passar pano para Pelé, mas de inserir o homem em seu contexto histórico.

Encerro este artigo, que é uma singela homenagem ao Rei, com mais um trecho impactante da fala de Emicida, que resume perfeitamente o tamanho de Pelé:

Se hoje eu pego um microfone e canto que é possível alcançar o topo, é porque os nossos pais contaram pra gente que era possível, depois de ver um cara preto com uma camisa 10 e um punho cerrado, lá em cima desse topo.

Viva o Rei.

Pedro Breier

Pedro Breier nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo. É formado em direito e escreve sobre política n'O Cafezinho desde 2016.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jorge Fernandes

30 de dezembro de 2022 às 15h32

Em um jogo, o goleiro do Santos foi expulso.

Pele foi para o gol.

Pênalti contra o Santos

Pele defende o pênalti

Responder

Paulo

29 de dezembro de 2022 às 22h50

https://pt.aleteia.org/2022/12/29/um-icone-do-esporte-pele/

Uma boa reflexão sobre Pelé. Por Dom Orani João Tempesta, Cardeal do Rio de Janeiro.

Responder

alex

29 de dezembro de 2022 às 20h05

Logo apòs a copa de 58 o Santos assinou o contrato de venda para a Inter de Milao…poucos dias depois quando os dirigentes começaram a espalhar a noticia antes do contrato ser registrado e depositado o Presidente do Santos entendeu que fez uma besteira (seria no minimo apedrejado pelos torcedores) e concordou com o Presidente da Inter de Milao de rasgar o contrato.

Responder

Valeriana

29 de dezembro de 2022 às 19h53

Os brasileiros nao sao exlcuidos por ninguem, se auto excluem…fazem tudo e um pouco mais para se autodestruir.

Responder

Bandoleiro

29 de dezembro de 2022 às 19h44

Pelé gostava de mulheres brancas.

Responder

Paulo

29 de dezembro de 2022 às 19h33

Calma, Pedro! Menos…Não vamos “politizar” até a morte do brasileiro mais conhecido do mundo. Que Deus possa acolhê-lo um dia, se não de imediato!

Responder

Deixe um comentário