Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Jornalista conta como funciona a manipulação da informação na Globo

Por Liana Carvalho

07 de agosto de 2015 : 15h37

Por César Augusto Chaves Fernandes, para o Facebook (em comentário à um post de Fabio Lau sobre Darcy Ribeiro, Cieps e Brizola)

Trabalhava no Globo neste período e era redator de Cidade (hoje editoria Rio) e ajudava a fechar em alguns fins de semana. Milton Coelho da Graça era o editor geral.

Quantas e quantas vezes deixávamos a manchete de página em branco esperando a notícia-bomba contra o governo Brizola.

Qualquer notícia positiva era rasgada (era o tempo da lauda de papel) até que, finalmente, uma pudesse ser transformada em veneno reacionário, como deve acontecer hoje.

Uma vez, após fazer a chamada de primeira página com algo noticioso que poderia ser encarado como positivo, Milton saiu e gritou da porta do aquário:

Cesinha, sabe por que eu ganho dez vezes mais do que você?

Porque vou reescrever isso do jeito que deve ser. Não adiantou argumentar. A linha direta com Roberto Marinho assim pedia.

Para fazer isso ele ganhava dez vezes mais. E O Globo enganava e engajava seus leitores, como faz até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Pedrão

09 de agosto de 2015 às 10h52

Poxa, ninguém sabia que a Globo fazia isso.

Responder

Adma

07 de agosto de 2015 às 17h12

Como se não soubéssemos que é assim que funciona. Em todas as redações, aliás. Agora conta uma novidade.

Responder

Vitor

07 de agosto de 2015 às 16h28

Muito legal! Mas o cara vem falar isso 30 anos depois???

Responder

    Fernando

    13 de agosto de 2015 às 01h39

    É que antes não tinha Facebook…

    Responder

Deixe um comentário