Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Agora mídia tenta jogar Cunha no colo do governo

Por Miguel do Rosário

12 de novembro de 2015 : 09h45

Nas últimas 48 horas, a mídia vem conduzindo uma de suas mirabolantes operações de alquimia política, tentando associar, na cabeça do cidadão, a imagem de Eduardo Cunha ao governo.

Não vai colar.

Cunha foi eleito como um deputado de oposição, apesar de pertencer a um partido da base. A imprensa brasileira sabe disso.

Todas as declarações de Cunha sempre foram de oposição, e oposição raivosa.

Oposição política, parlamentar e ideológica.

Cunha foi quem patrocinou a votação das pautas-bomba, que tinham objetivo exclusivo de detonar as contas públicas e inviabilizar o governo. Neste sentido, ele é um dos responsáveis pela crise econômica.

Dilma teve que vetar todas as pautas-bomba, e agora o Congresso vota, com muita dificuldade (em função da radicalização política), a manutenção dos vetos da presidenta.

Assim que foi denunciado pela Procuradoria, Cunha saiu-se dizendo que agora tinha se tornado inimigo número 1 do governo. Ou a imprensa não se lembra disso?

Cunha tentou uma jogada golpista, para aprovar o impeachment por apenas metade dos deputados, e não dois terços. Felizmente, a operação foi sustada pelo STF.

Todo o dia, Cunha aparece com declarações contra o governo e contra o PT, algumas violentíssimas.

Cunha patrocinou a votação de iniciativas parlamentares retrógradas, que contaram com o apoio do PSDB, DEM e PPS, e a oposição dura de PT, PCdoB e PSOL.

Essa é a verdade.

Uma pena que a imprensa tenha se tornado uma mistificadora.

O manifesto de alguns partidos em prol de Cunha não vem do governo, apesar de vários deles pertencerem à base.

O governo Dilma não pode se meter demais no Legislativo, porque existe separação dos poderes. Não pode, sobretudo, ficar à frente de uma operação para “derrubar” o presidente da Câmara. Quem age assim é o próprio Cunha e seus colegas, como o deputado Paulinho da Força, que entrou para o Conselho de Ética dizendo que vai agir para salvar Cunha e derrubar Dilma.

Ao governo, interessa votar leis importantes para a recuperação econômica do país, com Cunha ou sem Cunha, até porque a Câmara hoje tem tantos Cunhas que, se o governo for ter preconceito contra eles, nenhuma votação mais será feita e isso prejudicará ainda mais a economia brasileira.

Sabendo dessa equação política, a mídia, irresponsável e mentirosa, tenta confundir o eleitor: procura associar a busca, pelo governo, de condições para votar leis, com “acordos políticos” para salvar Cunha.

Quem salva ou derruba Cunha são seus pares na Câmara, o Ministério Público, o STF e a própria imprensa.

Um colunista da Folha, Fernando Canzian, invertendo completamente a realidade, fala que o PT “atiça o formigueiro” ao fazer “jogo duplo” com Cunha. Ora, o jogo duplo é porque o governo tem de dialogar com Cunha enquanto ele for presidente da Câmara.

O governo nunca deixou de querer dialogar, ao contrário de Cunha, que sempre se manifestou com muita agressividade com o governo.

Os movimentos de rua contra Eduardo Cunha, organizados por mulheres, sindicatos, movimentos sociais, conta com a participação do PT, e não do PSDB.

As manifestações anti-governo, e pró-tucanas, é que saíam com faixas dizendo que “somos todos Cunha”, lembram?

É cúmulo da hipocrisia e da mentira, portanto, o esforço da mídia para vender a ideia de que o PSDB é “contra” Cunha.

Ora, o PSDB conhecia Cunha e se manteve abraçado com ele até o último dia.

PSDB é Cunha e Cunha é PSDB.

Ontem mesmo, o colunista Lauro Jardim, da Globo, não publicou matéria dizendo que PSDB negociava com Cunha a aprovação do impeachment, em troca de seu apoio ao deputado?

Trecho da matéria:

Eduardo Cunha teve uma reunião separada hoje com os tucanos Bruno Araújo, Carlos Sampaio e os demistas Mendonça Filho e Rodrigo Maia, após o almoço com os líderes partidários na residência oficial da presidência da Câmara.

Os deputados das duas legendas colocaram o presidente da Câmara contra a parede: ou ele abre o processo de impeachment contra Dilma Rousseff ou eles retiram o apoio que têm dado a Cunha.

Embora o grupo negue publicamente o teor da conversa, Cunha topou, mas com uma condição: vai assinar a favor do impeachment o mais perto possível de 24 de novembro.

***

A liderança do PSDB na Câmara é a principal patrocinadora do – agora fracassado – impeachment e vinha se articulando com Eduardo Cunha até ontem. Aliás, deve continuar fazendo, só que agora mais por baixo dos panos do que nunca, para não ficar feio na mídia.

***

Vale a pena publicar trecho de mensagem de Jean Wyllys, publicado há pouco em seu Facebook (via DCM):

Quando Cunha estava em alta (ou seja, antes das denúncias), não havia um dia em que ele não estivesse cercado de puxa-sacos do DEM, do PSDB e do baixo clero em sua mesa de presidente.

Há pelo menos três dias, os puxa-sacos foram minguando. Hoje ele está completamente só, ladeado só pelos assessores. Mais cedo, o PSDB e o DEM anunciaram “rompimento” com Cunha (na verdade, última cartada pró-impeachment da turma do golpe). E quando André Moura (PSC), unha e cutícula com Cunha, foi à tribuna anunciar o apoio de partidos do baixo-clero (que corresponderiam a 230 parlamentares) a Cunha, vários foram os parlamentares desses partidos que o desautorizaram.

E li mais cedo na internet que aquele analfabeto mirim cujo nome sempre me soa como “Kinta Katiguria” e que pertence a um daqueles grupos de lunáticos e proto-fascistas regados pelo PSDB e pelo DEM anunciou que “nunca apoiou” Eduardo Cunha.

Ou seja, é certa aquela sabedoria marinheira de que os ratos são os primeiros a abandonar o navio em naufrágio.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

61 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Elizeu Nascimento

13 de novembro de 2015 às 22h46

Fora Dilmanta,fora PT, fora MST e fora Cunha!!

Responder

Jorge Menezes

13 de novembro de 2015 às 22h00

Cunha é cria da oposição,eticamente e ideologicamente é próximo de PSDB e DEM,tentar jogá-lo no colo do governo é apenas mais uma manobra da guerra suja movida pela imprensa brasileira golpista.

Responder

João Ferreira De Almeida

13 de novembro de 2015 às 20h45

Safado defendido pelo Malafaia e manda dinheiro pra Assembleia de Deus de Brasilia…

Responder

Paulo Roberto

13 de novembro de 2015 às 15h12

Duplipensar patrocinado pelo grande irmão midiático.

Responder

Rodrigo Aguiar

13 de novembro de 2015 às 11h04

O sub-produto mais interessante e lamentável do processo golpista que vai perdendo o fôlego.

Responder

Rodrigo Aguiar

13 de novembro de 2015 às 11h04

O sub-produto mais interessante e lamentável do processo golpista que vai perdendo o fôlego.

Responder

Luzia Oréfice

13 de novembro de 2015 às 03h33

O chefinho dos débeis mentais.

Responder

Luzia Oréfice

13 de novembro de 2015 às 03h33

O chefinho dos débeis mentais.

Responder

Alexandre Queiroz Marques

13 de novembro de 2015 às 02h06

Só falta essa ! Esse governo não é demotucano desde 2003 !

Responder

Alexandre Queiroz Marques

13 de novembro de 2015 às 02h06

Só falta essa ! Esse governo não é demotucano desde 2003 !

Responder

Eddeley Silva

12 de novembro de 2015 às 22h40

São tão vizinhos

Responder

Eddeley Silva

12 de novembro de 2015 às 22h40

São tão vizinhos

Responder

Eddeley Silva

12 de novembro de 2015 às 22h39

E uma bando de sem noção.

Responder

Eddeley Silva

12 de novembro de 2015 às 22h39

E uma bando de sem noção.

Responder

Elisabete Brasil Brasil

12 de novembro de 2015 às 22h00

FORA CUNHA.

Responder

Elisabete Brasil Brasil

12 de novembro de 2015 às 22h00

FORA CUNHA.

Responder

ana s.

12 de novembro de 2015 às 19h55

Não sei se não vai colar. Lembram de Severino Cavalcanti? Foi eleito presidente da Câmara com o apoio do PSDB só pra prejudicar o governo (Lula), que havia lançado a candidatura de um petista, se não me engano, Greenhalgh. O governo, então, teve de negociar com o tosco Severino. Pra poder governar. Quando o cara foi pego numa negociata qualquer e caiu, eu vi gente falando como se ele fosse aliado do governo. Juro!

Responder

ana s.

12 de novembro de 2015 às 19h45

Ontem, por volta das 19h, tive a triste ideia de entrar na Folha Online, interessada que estava em saber mais sobre a tragédia em Minas e seus desdobramentos. A principal manchete era sobre o PSDB rompendo com Cunha (ó-ó-olha o nosso partido querido fazendo a coisa certa!). Logo abaixo, uma manchete dizendo que os partidos do governo declararam “apoio total” ao meliante. Cliquei e fui até a notícia. Dizia que a nota de solidariedade a Cunha fora redigida no gabinete do líder do PT na Câmara (José Guimarães), onde vários líderes se reuniram, e que Guimarães esteve no gabinete durante a elaboração do texto. Pra resumir, eu levei um tempinho razoável para entender que O PT NÃO ASSINOU A NOTA, tantos contorcionismos eles fizeram para jogar Cunha no colo do PT. Acabavam dizendo que o partido só não assinou a nota pq, em contato com o Planalto, o líder foi aconselhado a não fazê-lo. Finda a leitura da contorcida notícia, li 3 comentários. Todos diziam que Cunha agora estava junto com os da sua laia, ou seja, o PT, que PT e Cunha tudo a ver etc. e tal.

Gente, nunca mais entro ali. Fazia tempo que não me aventurava e, francamente, não imaginava que a coisa estava tão surreal. Aquilo não é mais jornalismo. Definitivamente. Como diria Cunha, o neo-petista: “Jesus!” Ponto com.

Responder

ana s.

12 de novembro de 2015 às 19h39

Ontem, por volta das 19h, tive a triste ideia de entrar na Folha Online, interessada que estava em saber mais sobre a tragédia em Minas e seus desdobramentos. A principal manchete era sobre o PSDB rompendo com Cunha (ó-ó-olha o nosso partido querido fazendo a coisa certa!). Logo abaixo, uma manchete dizendo que os partidos do governo declararam “apoio total” ao meliante. Cliquei e fui até a notícia. Dizia que a nota de solidariedade a Cunha fora redigida no gabinete do líder do PT na Câmara (José Guimarães), onde vários líderes se reuniram, e que Guimarães esteve no gabinete durante a elaboração do texto. Pra resumir, eu levei um tempinho razoável para entender que O PT NÃO ASSINOU A NOTA, tantos contorcionismos eles fizeram para jogar Cunha no colo do PT. Acabavam dizendo que o partido só não assinou a nota pq, em contato com o Planalto, o líder foi aconselhado a não fazê-lo. Finda a leitura da contorcida notícia, li 3 comentários. Todos diziam que Cunha agora estava junto com os da sua laia, ou seja, o PT, PT e Cunha tudo a ver etc. e tal.

Gente, nunca mais entro ali. Fazia tempo que não me aventurava e, francamente, não imaginava que a coisa estava tão surreal. Aquilo não é mais jornalismo. Definitivamente. Como diria Cunha, o neo-petista: “Jesus!” Ponto com.

Responder

Helio Eduardo Pinto Pinheiro

12 de novembro de 2015 às 20h31

AS VOZES DOS “VENDADOS-OBCECADOS-OPORTUNISTAS-MANIPULADOS E RETARDADOS-GOLPISTAS” SE CALARAM… ONDE ESTÃO OS “HOMMERS SYMPSONS BARAZILEIROS”???? KKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Helio Eduardo Pinto Pinheiro

12 de novembro de 2015 às 20h31

AS VOZES DOS “VENDADOS-OBCECADOS-OPORTUNISTAS-MANIPULADOS E RETARDADOS-GOLPISTAS” SE CALARAM… ONDE ESTÃO OS “HOMMERS SYMPSONS BARAZILEIROS”???? KKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Ge Munhoz

12 de novembro de 2015 às 20h23

Agora este povo aparvalhado, burro, idiota, pega estes cartazes e leva para o banheiro com estaca e tdo né???

Responder

Ge Munhoz

12 de novembro de 2015 às 20h23

Agora este povo aparvalhado, burro, idiota, pega estes cartazes e leva para o banheiro com estaca e tdo né???

Responder

Josefaconceiçao Conceiçao

12 de novembro de 2015 às 20h11

Governo deve ficar longe do Cunha ele rompeu com governo para agradar a mídia.

Responder

Josefaconceiçao Conceiçao

12 de novembro de 2015 às 20h11

Governo deve ficar longe do Cunha ele rompeu com governo para agradar a mídia.

Responder

Zacarias Luis

12 de novembro de 2015 às 18h35

#ForaCunha.

Responder

Zacarias Luis

12 de novembro de 2015 às 18h35

#ForaCunha.

Responder

Gf Andrezão

12 de novembro de 2015 às 18h04

Kkkkk….cade os cunhas??…os ratos estão pulando do barco??… PSDB onde está VC.?? Aécio o salvador da pátria??… Faz tempo que não aparece no senado… Aff

Responder

Gf Andrezão

12 de novembro de 2015 às 18h04

Kkkkk….cade os cunhas??…os ratos estão pulando do barco??… PSDB onde está VC.?? Aécio o salvador da pátria??… Faz tempo que não aparece no senado… Aff

Responder

L@!r M@r+35

12 de novembro de 2015 às 14h57

Jean! Não é “Kinta Katiguria”!!! É GURINCRÍVEL!!!

Responder

Maria Celia F. Bouzada Nable

12 de novembro de 2015 às 16h42

Pois é. Li uma matéria aqui em que jogavam no colo da Dilma a permanência do Cunha até 2017 – negociações do J. Wagner. Sinceramente gostaria de esclarecimento sobre a mesma. Tá difícil, viu..

Responder

Mario A Moraes Porto

12 de novembro de 2015 às 16h13

Somos milhões de Cunha é o cacete!!!

Responder

Alfredo Souza

12 de novembro de 2015 às 15h58

Kkkkkkkkkk

Responder

Carlinhos Albuquerque Lima

12 de novembro de 2015 às 15h03

Vida de coxinha

Responder

Júlio César Fonseca de Souza

12 de novembro de 2015 às 14h57

Disse a eles que movimentei 500 milhões na Suíça vendendo carne moída e passei batido, vai vc roubar meio quilo de carne num mercado qualquer.

Responder

Luciano Hocevar

12 de novembro de 2015 às 14h53

nada como um dia depois do outro! o tempo é um mestre!

Responder

Andrea Souza

12 de novembro de 2015 às 14h03

Bom, e se não está no colo do governo agradeçam à “cabeça dura” da Dilma. Bem lembro de petistas reclamando da candidatura do Chinaglia no começo do ano, que já era derrota anunciada e o melhor era apoiar o candidato do PMDB. Cadê aquele povo agora?

Responder

?ajro A?gusto

12 de novembro de 2015 às 13h51

É claro…como tudo é culpa da Dilma e do PT o Cunha só pode ser culpa dela também!!! Agora estou lendo que a Dilma está o protegendo pra não sofrer impixa. Só bobagem.

Responder

Decio Monteiro

12 de novembro de 2015 às 13h39

FILHO FEIO, QUE NINGUÉM QUER PATRIAR……… ESCÓRIA.

Responder

Iendis Avlis

12 de novembro de 2015 às 13h35

Cadê os #somostodoscunha

Responder

Vera Lucia Alves Milanez

12 de novembro de 2015 às 13h33

cambada de safados, e o governo aguenta tudo calado, aí não dá

Responder

Mauricio Gomes

12 de novembro de 2015 às 11h13

O “Jean Pierre Borraine” está inconsolável com a derrocada do seu líder CÚnha. Dizem que está ameaçando jogar-se de cabeça na cantareira, em protesto contra a iminente prisão do achacador.

By the way, esse apelido de “Kinta Katiguria” que o JW criou já mitou…kkkkk

Responder

Alexandre Hortencio

12 de novembro de 2015 às 12h57

Eu trabalharia com amor .

Responder

Maria Nelci Leuchtenberger

12 de novembro de 2015 às 12h52

hehehe.

Responder

Elo Nunes

12 de novembro de 2015 às 12h43

“Cunha é lindo” é bom kkkkkkk. Gente parva!

Responder

Sebastião Almeida de Lira

12 de novembro de 2015 às 12h35

JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS DEUS ESTÁ NO COMADO AMEM KKK

Responder

Luciana Belissimo de Carvalho

12 de novembro de 2015 às 12h34

Derruba logo essa desgracença que ainda insiste em tirar onda da cara dos cidadãos sob os holofotes da mídia!

Responder

J Stélio Carvalho

12 de novembro de 2015 às 12h30

Responder

Calçadeira Fontenele

12 de novembro de 2015 às 12h27

Governo precisa abortar de vez essa mídia, derrubando CUNHA!!!!!!

Responder

    O Cafezinho

    12 de novembro de 2015 às 12h31

    Quem derruba são os deputados, onde o governo tem minoria, inclusive. Ou então a Procuradoria Geral da República, o que seria o ideal.

    Responder

    Lisete Escobar

    12 de novembro de 2015 às 16h46

    O Cafezinho Janot teria o dever “moral” de derrubar Cunha…Afinal ele afronta todos e tudo…..Já afrontou o STF, a OAB, o a Presidente…enfim ele “tratola ” tudo e todos……

    Responder

Kika Zanon

12 de novembro de 2015 às 12h20

o kim ser um bosta mole sem carater nenhuma novidade; mas o senadorzinho de Minas, que era governador de Minas 2x, fingir que não aconteceu o desastre ambiental com a mineradora multinacional vale/samarco, em terras mineiras e resolver pedir a cabeça do cunha que ele sabe que não vai cair, foge de todo conceito de mal caratismo, cínico, politico / homem nojento, asco

Responder

Deixe um comentário

Por que devemos confiar nas Urnas Eletrônicas? Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará