Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Os riscos da banalização da prisão preventiva

Por Redação

29 de novembro de 2015 : 06h47

por Luís Nassif, no GGN

A banalização da prisão preventiva e a insensibilidade em relação aos impactos das investigações sobre a economia estão levando o país a uma situação de risco.

Não tenho a menor razão para ter simpatia pelo banqueiro André Esteves, muito pelo contrário. E espero que as investigações sobre o CARF revelem seus métodos.

Mas a autorização para sua prisão pelo Ministro Teori Zavaski a pedido do Procurador Geral da República Rodrigo Janot por conta de um mera gravação de conversa de Delcídio do Amaral comprova a perda de rumo de duas pessoas centrais para manter o equilíbrio no aparato repressivo. Ainda mais em uma quadra de profundo vácuo de poder no Executivo.

O álibi do PGR de que a prisão visou impedir que atrapalhe as investigações vale para qualquer situação e qualquer personagem. É álibi genérico. A prisão serviu apenas para demonstração de músculos.

***

A votação da prisão, além disso, demonstrou mais uma vez os malefícios da exposição pública dos votos dos Ministros promovendo o desejo de protagonismo por parte de alguns deles.

Escolhem a frase de efeito que permita dar o lide para a mídia. Jogam para a torcida sabendo que a cobertura sempre privilegia o folclórico em detrimento do conteúdo.

A Ministra Carmen Lúcia tem se esmerado nessas boutades que eventualmente podem indicar um espírito irônico, mas, para leitores mais acurados, é a tentativa do chamado efeito leite condensado, visando recobrir um bolo de pouca consistência.

Sua conclamação ao Judiciário como última trincheira da moralidade, é de um messianismo que se aceita em juízes jovens, de primeira instância, não em quem integra o mais alto tribunal do país.

É um acinte ao próprio STF, aliás, que deveria zelar pelo equilíbrio institucional, ainda mais em uma quadra de crise sistêmica como a atual. E em uma votação que o coloca em confronto com outro poder, o Senado. Em vez do cuidado político, o exibicionismo.

***

Não apenas isso.

Valendo-se da anomia total do Executivo, deixou-se de lado qualquer veleidade de reduzir os impactos econômicos dessas operações.

A Lava Jato ajudou a destruir um setor onde o país tinha excelência, das empreiteiras. Não se trata de livrar quem cometeu crime, mas de cuidados básicos para penalizar acionistas e executivos sem comprometer as empresas, os empregos e os ativos tecnológicos. Nada disso pesou. Avançou-se sobre um setor que gerava empregos, tecnologia com a gana de uma britadeira.

Agora, no caso Pactual-André Esteves, corre-se risco semelhante, ainda mais em um setor – o financeiro – em que as expectativas têm impacto direto sobre a solidez das empresas.

Esteves é um banqueiro ousado com ramificações em todos os partidos e com todas as lideranças, de Lula a Aécio, dos economistas do Real aos governadores petistas.

Tem sob sua supervisão, hoje em dia, operações relevantes para a retomada dos investimentos.

Sua prisão com base nas declarações de Delcídio não tem lógica. Que se abrisse um processo, um inquérito. Mas decretar a prisão preventiva com base em meras conversas de terceiros, com todas as implicações sobre as operações tocadas por ele, é de uma arrogância ímpar.

A informação que circula em Brasília de que Teori autorizou escuta no telefone de Delcídio Amaral – e flagrou conversas entre ele e Ministros do Supremo – é uma demonstração clara de para onde está caminhando o país do grampo.

É momento mais que oportuno para que as figuras referenciais do STF ajudem a colocar um pouco de bom senso no debate.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

33 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Beto Mendonça

01 de dezembro de 2015 às 03h04

Que Deus perdoe os fracos e/ou incapazes de reflexão!

Responder

Beto Mendonça

01 de dezembro de 2015 às 03h04

Que Deus perdoe os fracos e/ou incapazes de reflexão!

Responder

Fernanda Salgueiro Borges

30 de novembro de 2015 às 13h19

A prisao preventiva sempre foi utilizada, para negros e pobres. O próprio STF fez diversas exigências, até a publicação da lei que alterou o Codigo de Processo Penal e aumentou o rol de medidas cautelares para o fim de substitui-la (preventiva). A novidade está no seu uso para fins de obtenção de provas, contra o réu….

Responder

Enio

30 de novembro de 2015 às 09h20

O paraíso dos banqueiros ladrões é o povo desacreditar nos políticos.
O nirvana deles é o povo desacreditar no país.
Falsos políticos se unem a banqueiros ladrões e atuam contra o Brasil.
http://www.conversaafiada.com.br/economia/mafia-de-bancos-globais-manipulou-moeda-brasileira

Querem estado mínimo para o povo e estado máximo para os ladrões.

Responder

Paulo Costa

30 de novembro de 2015 às 11h03

E os s riscos de 500 anos do dinheiro mandando na justiça?

Responder

Angelo Filomena

29 de novembro de 2015 às 23h04

ï

Responder

Angelo Filomena

29 de novembro de 2015 às 23h04

COCORDO

Responder

Newton Rodrigues Miranda Neto

29 de novembro de 2015 às 19h40

Senador não pode usar imunidade parlamentar para rir das instituições. A CFRB/88 simplesmente não pode ter querido dizer isso.

Responder

Isaac Bell

29 de novembro de 2015 às 19h09

90% da história da nossa republiqueta só houve isso e para muitíssimo pior. É esperar, agora, que não piore ainda mais.

Responder

Franz Darm

29 de novembro de 2015 às 18h13

Com petralha devia ser assim: primeiro prende. Dai, uns dez anos depois, começa a investigar pra saber qual a montanha de merdas q ele fez.

Responder

    Mario Azevedo

    30 de novembro de 2015 às 03h02

    Vocês perderam a moral há tempos, Franz. Com a prisão do Delcidio já apareceram os nomes dos envolvidos, e os roubos ocorridos nos anos 90 terão que ser investigados. Como você sabe, apesar de fingir que não, todos os escândalos da era PT, sem exceção, foram começados na era FHC, e os roubos eram muito maiores. Só não se investigava – se engavetava. Prepare-se para queimar a língua nos próximos dias.

    Responder

    Franz Darm

    30 de novembro de 2015 às 03h04

    Mario Azevedo sabe qual nossa diferença?
    Eu quero bandidos na cadeia. O partido pouco importa. PT, PMDB, PSDB, PQP… pouco se me importa.
    O q importa é q todos os bandidos sejam enjaulados, a começar dos mais pútridos. E, neste ponto, ninguem ultrapassa lula e seus petralhas.

    O resto… to nem ai.

    Responder

Eder Machado

29 de novembro de 2015 às 12h48

Responder

Clovis Costa

29 de novembro de 2015 às 12h24

Não prender bandido porque pode atrapalhar a economia? Só pode estar de brincadeira. Ainda bem que só 7% da população te leva a sério. E as gravações do Delcidio são bem claras. Ele tenta armar a fuga do Lindinho, mas isto vc não falou hora nenhuma.

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h22

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h22

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h21

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h21

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h21

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h21

Responder

Ademir Garcia Fernandes

29 de novembro de 2015 às 12h21

Responder

Rosa Nunes

29 de novembro de 2015 às 12h20

Eu Conheço uma mulher pobre e negra que teve um monte de filhos Cidade pequena pouca violência eu costumava me assustar pois só os filhos dela ficavan na cadeia Que o BNDES arrume outro candidato a rico para financiar Deve ter muita gente na fila Ora bolas

Responder

    Mario Azevedo

    30 de novembro de 2015 às 02h57

    Alberto, existe uma enorme diferença entre vender-se uma casa ou alugá-la, mantendo-se a propriedade da mesma. Estas usinas ainda pertencem ao país, não foram vendidas… Concessão não é privatização.

    Responder

Gabriela Souza

29 de novembro de 2015 às 12h12

Ola, tudo bem ? Estou divulgando meu novo projeto nas redes sociais chamado “Desalienação Social”. Nele eu irei publicar assuntos diversos que estão acontecendo no Brasil e no mundo voltado para a economia, politica e afins. Sou estudante de economia e sempre tive vontade de criar uma pagina para escrever e dividir diversas opiniões com outras pessoas, e somente agora tomei coragem haha. Se tiver interesse, por favor curta e compartilhe as postagens na minha pagina para me ajudar na divulgação. Obrigada desde já http://facebook.com/desalienacaosocial

Responder

Deisi Marcelino

29 de novembro de 2015 às 12h11

Por que não fizeram isso com esses?

Responder

    Clovis Costa

    29 de novembro de 2015 às 12h21

    Esqueceu do Mensalao e do Petrolao.

    Responder

    Clovis Costa

    29 de novembro de 2015 às 12h21

    Esqueceu do Mensalao e do Petrolao.

    Responder

    Moisés Saldanha

    30 de novembro de 2015 às 01h31

    E dos fundos de pensão.

    Responder

    Franz Darm

    30 de novembro de 2015 às 03h27

    Deisi Marcelino, vc precisa ler mais, muito mas muito mais.
    Sei q é extremamente dificil para uma petralha ler, pois vc tem como ídolo um analfabeto.

    Se vc lesse um pouquinho mais, descobriria que NUNCA ANTES NA HISTORIA DESTE PLANETA HOUVE UM ESCANDALO DE CORRUPÇÃO TÃO GRANDE QUANTO O PETROLÃO.

    Qto aos escandalos do PSDB, quero mais é q todos sejam enjaulados… juntamente com os facínoras do PT, PMDB, PP, e PQP

    Responder

Douglas Travassos

29 de novembro de 2015 às 12h08

Coitadinho desses bilionários!

Responder

Deixe um comentário