Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

Lava Jato e a destruição da engenharia nacional

Por Redação

05 de setembro de 2016 : 18h42

Carmago Corrêa pode ser vendida para chineses

no Brasil 247

Abatida pela Lava Jato, a Camargo Correa, uma das maiores construtoras do Brasil, está à venda e pode ser comprada pelo grupo chinês CCCC.

É o que informa reportagem de Fernanda Pires, Victória Mantoan e Ivo Ribeiro, no Valor Econômico. “A construtora Camargo Corrêa está à venda e a gigante China Communications Construction Company (CCCC) já foi sondada. Sem nenhum encaminhamento concreto, existe ainda potencial interesse de outros grupos estrangeiros, entre eles franceses e espanhóis”, diz o texto.

“Em agosto, quando anunciou a saída de Vitor Hallack da presidência do conselho de administração da holding, a Camargo Corrêa deu uma pista de que não há mais vínculos emocionais com os negócios, dentre eles a construtora. A empresa destacou no comunicado que a mudança ‘consolida a transição para um novo modelo de governança corporativa com foco prioritário na gestão de portfólio de investimentos’.

O objetivo parece ser o de se afastar de negócios que tenham vínculo com a atividade política.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marcos Silva

06 de setembro de 2016 às 21h49

Aqui vale uma observação. A Lava Jato usa métodos acima da lei, sob a proteção da mídia e do STF. Aqui temos um crime comum de corrupção e um de traição da pátria. Moro é um traidor, que está afundando o Brasil em nome de um falso moralismo. Brasileiros, acordem! Ademais, sai Camargo Corrêa e entra CCCC no pagamento das propinas, não muda nada, só que os empregos serão para os chineses. É hora de pensar grande e evitar que essa falsa luta contra a corrupção nos afunde. O grande problema são as elites, as famílias oligárquicas do NE e as megacorporações como Ford, Coca-Cola, Pepsico, etc. Creditar tudo ao PT e achar que Lula era chefe de quadrilha é acreditar no mundo dos ursinhos carinhosos.

Responder

Celso Junqueira

06 de setembro de 2016 às 11h13

P/ começo de conversa: FORA TEMER!!
Quando a 2a. guerra acabou em 1945, todas as empresas alemãs (Krupp, Thissen, Volkswagen, Mercedes, IG Farben) que tinham aderido ao esforço de guerra foram preservadas pois eram necessárias para a recuperação econômica do país. O cientista Von Braun e uns duzentos engenheiros foram levado para os EEUU, em dez minutos ganharam a cidadania usamericana, casa, carro e foram trabalhar no programa espacial daquele país. Tudo em nome do interesse nacional. Aqui, um juizinho de 1a. instância destrói nossas grandes empresas de engenharia em nome de um duvidoso “combate à corrupção”. Ora, se diretores dessas empresas erraram, que sejam afastados, que se intervenha na empresa mas ela precisa continuar. O Almirante Othon, que é o grande nome do programa nuclear brasileiro é preso e condenado a 42 anos pois fez um caixa-2 de uns US$ 3 milhões para comprar equipamentos no mercado negro, pois no mercado informal não conseguiria, pois os EEUU não permitiriam. Li, não sei onde, que a Odebrecht pode se transferir para o México. Outras também.
A propósito: alguém viu o juiz Moro por aí?
P/ encerrar o papo: FORA TEMER!!

Responder

Halter Maia

06 de setembro de 2016 às 00h48

É uma das empresas que se beneficiaram enormemente na ditadura…é um patrimônio nacional? Sim… Deveria ser nacionalizada. Mas os tempos são outros…

Responder

    Marcos Silva

    06 de setembro de 2016 às 21h50

    São tempos de entregar tudo aos chineses, europeus, japoneses e americanos? Já não basta termos de vender nossas commodities a preço de banana?

    Responder

Antonio Passos

05 de setembro de 2016 às 22h01

É por essas o outras que o chinês estava lá sorridente cumprimentando o usurpador. O Brasil não tem aliados, só tem aproveitadores de seus recursos e riquezas. Também pudera, o Brasil não tem quem o defenda nem de seus inimigos internos.

Responder

Torres

05 de setembro de 2016 às 21h07

ta roubando?
não tem nem que existir.
não é do Brasil, é uma empresa.
não é dos brasileiros, é dos donos.
e estava roubando do Brasil e dos brasileiros.
que se foda.

Responder

    Gerson

    05 de setembro de 2016 às 21h20

    Não….se fodam os diretores que roubaram e não a empresa que emprega e gera milhares de empregos. Os empregos têm que ser preservados. Por mentalidade iguais a sua, do pessoal da Guantanamo de Curitiba, é que o Brasil está com esse número de desempregados.

    Responder

      Torres

      05 de setembro de 2016 às 21h31

      os donos da empresa roubaram.
      vender a empresa pra China faz é salvar os empregos.
      o número de desempregados no país se deve a crise economica.
      são mais de 11 milhões.
      quantos mil vc acha que as empreiteiras empregam?
      veja a proporção.

      Responder

        Gerson

        05 de setembro de 2016 às 21h36

        Não, vender a empresa para os chineses é acabar com uma empresa brasileira. Só isso. Os chineses vão trazer os seus próprios trabalhadores e os brasileiros vão ficar vendo pauzinhos.

        A crise econômica é uma parte da história, a outra parte é devido a sanha golpista da Guantanamo de Curitiba em fechar empresas para prejudicar o governo Dilma. Toda a indústria naval no Rio de Janeiro foi praticamente exterminada para o júbilo do juizinho midiático. Centenas de milhares de empregos foram fechados nas empresas de construção civil para orgasmo dos golpistas. Isso fez parte da política do quanto pior melhor.

        Responder

          Torres

          05 de setembro de 2016 às 21h42

          essa visão de empresa brasileira é caquética.
          as empresas não têm mais esse limite, são transnacionais.
          atuam em países.
          nas mãos dos chineses talvez crie mais empregos por aqui do que nas dos brasileiros.
          mas defenda então os donos de empresas corruptos que usam as empresas para roubar.
          parabéns.
          melhor logo deixarmos que se cometam os crimes.
          quanto pior melhor é 2014, man.
          aquele ano fatídico em que se fez de tudo pelas eleições.
          mas tudo bem.
          parabéns por sua defesa dos bandidos.
          é assim que se faz.
          bom trabalho.
          vc deve ser do tipo que defende as coisas pelo viés ideológico.
          com esse tipo, cego, nada adianta.

          Gerson

          05 de setembro de 2016 às 21h52

          Não aguentou a discussão e partiu para as ofensas é? Eu quero que empresas multinacionais se fodam. Eu defendo empresas brasileiras, não empresários brasileiros. Empresas que geram renda e empregos aqui. Mas vocês adoram usar camiseta da CBF com as cores do Brasil, mas na verdade não passam de farsantes, pois defendem governos entreguistas e políticos que não tem nenhum compromisso com a Nação, com o País Brasil. Vocês deveriam é usar camiseta vermelha e branca com estrelinhas azuis. Ficaria melhor, não seria a farsa de camiseta verde amarelo. Por isso vocês são chamados de entreguistas, e agora golpistas.

          Torres

          05 de setembro de 2016 às 22h08

          onde te ofendi.
          eu lhe dei os parabéns.
          esse é seu modo de pensar. parabéns.
          vc pensa que sou coxinha.
          mas não. vim daí, da militância esquerdista. do PC do B.
          mas daí estudei economia e conheci toda forma de conchavo político.
          para quem entende um pouquinho das coisas, empresas serem brasileiras ou não pouco muda as coisas.
          na verdade não muda nada. o capital dessas empresas não beneficia ninguém no Brasil.
          o importante é que tenhamos empresas atuando no Brasil.
          elas deixam impostos e empregos.
          essa de uma empreiteira não contratar mão de obra no país em que atua é a maior boçalidade que poderia ler.
          a Odebrechdt, OAS e todas as outras tem montes de empregados estrangeiros, aqui e em diversas partes do mundo.
          passar essas empresas para outros donos nada muda.
          seu orgulho dessas empresas é simplesmente irracional.
          elas não nos servem.
          elas servem a seus próprios interesses.
          quanto as camisetas amarelas, eu teria vergonha de usar.
          tanto quanto as vermelhas.
          ambas são ridículas e apenas demonstram qual lado da disputa de poder os doutrinou.
          parabéns.

          Gerson

          05 de setembro de 2016 às 22h18

          É isso que querem fazer todos pensar. Que não existe mais país, que o importante são as empresas. Não, não são. O mais importante é o país com seu povo, com suas empresas, com o seu desenvolvimento. Como assim que o capital das empresas não ajuda ninguém no país? A Petrobras gera empregos e desenvolvimento aqui no Brasil e promoveu uma grande distribuição de empregos em toda a rede que esta ligada a industria do petroleo. As empresas fechadas por “Moro e Cia” geravam empregos aqui.

          Torres

          05 de setembro de 2016 às 22h22

          para as empresas não existe mais país, Gerson.
          empresas não se limitam aos países, sua mentalidade é arcaica.
          isso acabou faz tempo.
          a Petrobras é uma estatal. As empreiteiras não.
          as empreiteiras não foram fechadas.
          estão sendo vendidas.
          pare de chorar por empresas que estavam roubando.
          isso é feio demais.
          elas estavam roubando o país, entendeu?

          Gerson

          06 de setembro de 2016 às 09h00

          Não. .Mais uma vez…Não são as empresas que roubam. Quem roubam são os empresarios ou diretores. A empresa gera empregos.

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 14h33

          desculpe, Gerson, mas sua noção de direito é precária.
          as pessoas jurídicas são responsáveis pelos atos de seus funcionários quando em suas funções.
          por isso é a Vale que tem que indenizar tanta gente no caso do acidente em Minas.
          o caso é o mesmo.
          mas sua visão distorcida é alimentada pela vontade de criticar a operação que pegou tantos que vc apoia.
          lamento sua visão deturpada.
          entretanto, na justiça isso não muda e as empresas vão continuar tendo que arcar com essa responsabilidade.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          06 de setembro de 2016 às 22h28

          Uma fábrica de drones militares da Odebrecht Defesa, empresa que estava crescendo muito na área (área extremamente estratégica, tanto que é altamente regulada nos EUA), foi vendida para uma empresa israelense.
          Você acha que a pesquisa, desenvolvimento, tecnologia ficará aqui ou lá, gerando o maior valor agregado?
          Em uma guerra, quem tem o controle da tecnologia embarcada, em dispositivos lacrados, invioláveis, tem o controle do resultado da guerra.
          Na guerra das Malvinas, os mísseis exocet tiveram problemas e os fornecedores franceses se recusaram a dar manutenção porque o adversário da Argentina era aliado dos franceses.

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h31

          Antonio, pouco me importa se aqui ou lá.
          quem rouba tem que ser punido.
          se a punição é alta o suficiente para quebrar a empresa, isso é com eles.
          assumiram o risco.
          o problema é deles, não meu.
          e nem seu, já que a Odebrechdt está pouco se fodendo para qualquer um.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          07 de setembro de 2016 às 13h03

          Se você fosse funcionário de uma dessas empresas ou dependesse delas, o problema seria seu também.

          Torres

          07 de setembro de 2016 às 15h02

          vc é funcionário?
          a questão é essa?
          impunidade em nome dos empregos?
          coisa feia.
          defender impunidade.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          06 de setembro de 2016 às 22h19

          Fala de empregos, mas está esquecendo o principal: decisão, lucros, royalties, criação e desenvolvimento.
          O maior dinheiro da Apple não fica onde o Iphone é produzido, mas onde é criado e onde se tomam as decisões.
          Em algumas décadas, boa parte da indústria migrará para África, em busca de mão de obra barata, mas a riqueza não irá para lá.

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h22

          a riqueza pertence a empresa, mas a Africa vai ter empregos.
          assim como na China, que vai muito bem.
          a industria é assim e as empresas não estão nem aí para nacionalidade.
          o dinheiro circula.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          07 de setembro de 2016 às 13h04

          A China não quis ser apenas mera fornecedora de mão de obra barata.

          Torres

          07 de setembro de 2016 às 15h02

          a China fez muito mais que isso.
          a China é hoje assim pq aceitou se degradar para ser a fábrica do mundo.
          e agora, enriquecida, vai ter que mudar.
          vamos ser dominados por eles.
          mas não é um bom exemplo de povo no poder.
          uma elite comanda o país, e só.
          a maior parte da população é de pobres e miseráveis.

          ZeDasKouves

          05 de setembro de 2016 às 21h54

          Daqui uns dez ou vinte anos, se eu ou você ainda estivermos vivos, você volte aqui e me diga se não escreveu bobagens.
          Você é moleque novo, inexperiente e só repete o discurso surrado que leu na veja ou viu na Globo…
          Experimente analisar, raciocinar e pensar com o próprio cérebro.
          Certamente se surpreenderá com o que você descobrirá de si mesmo…

          Torres

          05 de setembro de 2016 às 22h09

          rapaz, vc nem me conhece.
          mas vou te dizer, eu frequento a esquerda desde menino, tenho 37 anos.
          e ali aprendi o que é a política.
          não me venha dizer que tiro informações da Globo.
          eu me informo em todos os lugares, inclusive aqui, sempre deixando de lado o discurso puramente ideológico.
          vc não argumentou em nada.
          antes de falar bobagens, seja humilde.
          vc vai passar menos vergonha pq simplesmente acha que conhece mais coisas que os outros.
          tente argumentar.
          aqui vc não demonstrou nada.
          só soberba, e sem nenhuma razão.

          ZeDasKouves

          05 de setembro de 2016 às 22h35

          Pois é…
          “Frequenta” a esquerda mas parece que não aprendeu NADA.
          Daqui a cinco ou dez anos, voltaremos a nos falar…

          Torres

          05 de setembro de 2016 às 22h40

          aprendi.
          aprendi muito.
          o mais interessante que aprendi foi que a política é um jogo sujo.
          quem joga, tem que ter estômago.
          e eu não tenho.

          ZeDasKouves

          06 de setembro de 2016 às 00h01

          Esse muito seu, pelo visto, é menos que NADA…

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 00h26

          foi muito.
          a gente é bobinho idealista quando é jovem.
          depois conhece o mundo.
          se desilude.
          vc não passou por isso, né?
          ainda é idealista.

          ZeDasKouves

          06 de setembro de 2016 às 01h07

          Já dizia Platão:
          ” O castigo dos bons que não fazem política, é ser governado pelos maus”.
          Ou então, esta de Bertolt Brechet:
          “O Analfabeto Político
          O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
          O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”

          Definitivamente, você aprendeu NADA!
          É mais um mitômano se dizendo “ex comunista”, tal e qual Roberto Freire.
          E o que você tem de idade, eu tenho pelo menos uns dez anos a mais, só de trabalho.
          Há muito o que você aprender com a vida.
          Aproveite que as lições, boas ou ruins, são de graça.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          06 de setembro de 2016 às 22h16

          Sem pretender lhe desrespeitar, mas tá meio rasa tuas postagens. Continue visitando O Cafezinho, fará bem para você.

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h21

          sem pretender lhe desrespeitar, mas não compactuo com suas ideias acerca da impunidade.
          mas tudo bem.
          aqui eu vejo muito isso.
          desculpa pra tudo.
          mas somente pro lado que defendem, claro.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          06 de setembro de 2016 às 22h15

          Rapaz, a grandeza de uma nação está relacionada às grandes empresas sediadas (com matriz) no seu território.
          Quando o mundo entra em crise econômica, há uma tendência a cada país se voltar para si. Sem empresas nacionais, ficaremos dependendo da decisões estrangeiras.
          As atividades com maior valor agregado de qualquer companhia fica na matriz, além da remessa de lucros e royalties.
          Eles podem até deixar o emprego aqui, mas os lucros e royalties, a maior parte, fica na matriz.

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h22

          empresas nacionais corruptas que roubam o país.
          essas daí fazem mais mal do que bem.

    Ulisses Silveira

    05 de setembro de 2016 às 22h50

    Pelo seu argumento surrado a Lockheed Martin americana, a Thonsom francesa, a Raytheon americana, a Alstom francesa e muitas outras megas empresas, todas com altos contratos envolvidos em corrupção, inclusive no Brasil, também teriam sido extintas em seus países de origem. Agora pergunte a um norte americano ou europeu se destruiria sua empresa, fonte de renda e empregos? Eles vão dar risadas dos vira-latas brasileiros.

    Responder

      Torres

      05 de setembro de 2016 às 23h16

      Ulisses, várias empresas americanas foram destruídas por corrupção.
      se não foram, e eu não sei bem o porquê, deve existir algum motivo.
      isso não é desculpa.
      há casos e casos.
      em alguns, as empresas não se recuperam.
      em outros, sim.
      generalizar sem avaliar o caso seria uma burrice imensa.

      Responder

        Marcos Silva

        06 de setembro de 2016 às 21h54

        A resposta é simples. Eles não são tolos, corrupção é prática comum nos negócios. Quando há abusos, pune-se o infrator e poupa-se a empresa que gera emprego e renda. Não se tem o desejo infantil de acabar com corrupção acabando com a Empresa. No Brasil, os golpistas usam o combate à corrupção para destruir empregos, e o pior, a própria Petrobras. Isso é grave e proposital.

        Responder

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h17

          não caia nas cascatas.
          as empresas são multadas, e se não conseguem arcar com isso, vão pro buraco.
          crime.
          PJ?
          paga do mesmo jeito.
          quer um exemplo?
          departamento de propina na Odebrechdt.
          isso não é corrupção de um ou outro.
          é da empresa.

        Antonio Carlos Lima Conceicao

        06 de setembro de 2016 às 22h11

        Deve haver um motivo sim: Inteligência. Jamais os EUA ou qualquer outro país sensatamente dirigido permitiria que suas empresas estratégicas falissem. Os EUA praticamente estatizaram a GM na crise de 2008.
        Alguém ouviu falar que deixaram a Volkswagem falir após o escândalo internacional das emissões de poluentes?
        E a Alstom, Siemens, Mitsui, Bombardier, entre outras envolvidas no símile do petrolão em SP, quebraram??
        Me recordo de uma vez lê uma matéria na Veja falando em corrupção envolvendo a Samsung. Na reportagem ficou claro que o governo não só não permitiria a empresa falir como impediu que seus dirigentes fossem presos. Eles sabem da importância estratégica da Samsung. Era “too big to jail”!
        Não existe país grande e desenvolvido sem grandes empresas nacionais. A direção, a criação e o desenvolvimento da ciência e tecnologia, em um ambiente capitalista, se dá nas matrizes das empresas.
        infelizmente, com essa imprensa que envenena e classe política venal, estamos condenados a ser periféricos, semiescravagista e fornecedor de commodities.

        Responder

          Torres

          06 de setembro de 2016 às 22h19

          várias empresas abrem falência nos EUA por multas, Antonio.
          vá procurar saber.
          a Volkswagen está pagando o preço. tem dinheiro mas não saiu impune.
          o que vc defende é impunidade.
          coisa que eu não faço.

          Antonio Carlos Lima Conceicao

          07 de setembro de 2016 às 13h05

          Qual grande empresa dos EUA que falou recentemente???
          E olha que eles enfrentaram severa crise causada por picaretagem do mercado financeiro.

          Torres

          07 de setembro de 2016 às 15h00

          recentemente?
          nenhuma.
          na época do auge da crise, várias.
          o governo salvou algumas.
          mas diante de vários casos de corrupção, as empresas pagaram multas e quebraram.

      Osmar Gonçalves Pereira

      07 de setembro de 2016 às 19h32

      Complexo Industrial Militar…espécie de ação entre amigos,perceba que acima do rio grande não há corrupção – isso é coisa de latinos, africanos e alguns asiáticos sem sorte….

      Responder

    Antonio Carlos Lima Conceicao

    06 de setembro de 2016 às 22h04

    Até parece que uma vez chinesa não vá dar pixulecos ao governo de plantão…

    Responder

      Torres

      06 de setembro de 2016 às 22h13

      se roubar, vai ser multada tb.
      e assim vai indo.

      Responder

    Valteir

    08 de setembro de 2016 às 17h24

    E depois, como arranjar centenas de milhões de dólares para a remessa de lucros para o exterior?
    As vagas serão de engenheiros brasileiros ou de engenheiros estrangeiros?
    Se for para engenheiros estrangeiros as vagas, como arranjar dólares para a remessa de salários?

    Responder

Deixe um comentário

O 2021 de Ciro Gomes O 2021 de Lula Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou?