Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Privatização é pano de fundo da atual conjuntura

Por Eder Casagrande

12 de janeiro de 2017 : 15h14

Estômago de Aço – Clipping analítico da grande imprensa

Por Eder Casagrande, analista de mídia do Cafezinho

A questão sobre o sistema carcerário brasileiro continua sendo noticiada pela grande imprensa. O que fica claro, tomando o principal telejornal do país como exemplo, o JN, é que querem convencer aos telespectadores de que a saída para o problema é privatizar.

Até amanhã.

  • JN

BC faz terceiro corte seguido e baixa taxa básica de juros para 13% ao ano

Tempo da matéria: 3:18 min

JN mostrou-se favorável à redução da taxa de juro real. Usou uma mulher dona de um carro antigo para ilustrar o conteúdo da matéria. Não esclareceu à população os detalhes sobre taxa de juros, SELIC, inflação, apenas expuseram o assunto de maneira superficial.

Justiça manda bloquear R$ 4 milhões do ministro Blairo Maggi

Tempo da matéria: 3:12 min

JN detalhou supostas negociações para compra da vaga no Tribunal de Contas do Estado em 2009, do qual Blairo é acusado. Mesmo sendo ele ministro do atual governo, não houve estardalhaço por parte do jornal.

Cármen Lúcia se reunirá com presidentes de TJs para tratar de presídios

Tempo da matéria: 21 seg

A presidente do Supremo terá reunião com 27 presidentes dos TJs de todos os Estados e Distrito Federal. A pauta será sobre a situação dos presídios.

Parecer da ONU de 2015 cita presídio de Manaus: ‘exemplo de descontrole’

Tempo da matéria: 3:24 min

Os cinco comissários da ONU visitaram prisões, centros de detenção, delegacias e penitenciárias no Rio de Janeiro, Brasília, Pernambuco e Amazonas de 19 a 30 de outubro de 2015.

JN levantando a bola para a privatização dos presídios.

  • TV UOL

[vídeo] – Em evento na Bahia, Lula diz que será candidato outra vez “se necessário”

[vídeo] – PT e PMDB podem assumir novamente a presidência do Senado

[vídeo] – Donald Trump bate boca com repórter da CNN

  • Folha de São Paulo

Janio de FreitasPlanos antiquados ou que empacam e gafes marcam governo de trapalhões

Janio desqualifica, entre outras coisas, três medidas do governo Temer: Plano Nacional de Segurança Pública; Plano de socorro aos Estados em crise financeira; Plano de recuperação do Estado do Rio. O texto argumenta dizendo que os planos emergenciais foram escolhidos pelo governo para mostrar-se vivo, embora esteja em coma.

Laura CarvalhoEconomistas não cansam de errar suas projeções de crescimento

Separo trecho que ajuda a compreender a questão fiscal e tributária brasileira: “A alternativa de acabar com as desonerações tributárias pouco criteriosas e com a jabuticaba da isenção de impostos sobre lucros e dividendos distribuídos a acionistas de empresas –que vigora no Brasil desde 1995 e é responsável por uma perda de mais de R$ 40 bilhões anuais de arrecadação e por grande parte da injusta tributária brasileira– é muito mais promissora”.

  • DW

Lei de drogas é uma das causas da crise em prisões, diz HRW

O encarceramento em massa e a legislação sobre drogas de 2006, considerada vaga, deixa brechas para a prisão de usuários e não apenas de traficantes. Ela substitui a pena de prisão para usuários de drogas por medidas alternativas, como o serviço comunitário, mas uma linguagem vaga possibilita que usuários sejam condenados como traficantes.

  • Reuters

Senado dos EUA aprova primeira medida para derrubar Obamacare

A votação foi aprovada por 51 votos a 48. A resolução agora vai para a Câmara dos Deputados, que deve votar a questão nesta semana. Se os deputados aprovarem, cerca de 20 milhões de norte-americanos ficarão sem acesso à saúde.

  • Senado

Crimes cometidos pela internet podem ter punição mais severa

Entre os projetos está o PLS 436/2015, do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), que altera o Código Penal para punir com maior rigor aqueles que praticarem o crime de vilipêndio a cadáver pela internet. Hoje esse tipo penal prevê detenção de um a três anos. O texto propõe que a pessoa que compartilhar ou publicar imagem, foto ou vídeo por meio da internet (inclusive aplicativos que permitam troca de dados, como por exemplo, WhatsApp) terá a pena aumentada em um a dois terços.

  • STF

Ministério da Educação doa 40 bibliotecas a presídios

O ministros da educação, Mendonça Filho, disse que é preciso humanizar a vida do preso no interior das cadeias. Por isso a doação de 40 bibliotecas.

  • El País

Secretário Segurança do Rio: “Aqui as facções se matam nas ruas. É a minha preocupação”

Entrevista com o novo secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Roberto Sá.

 

Para sugestões, críticas, elogios ou um “oi”- redacaoestomago@gmail.com

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Severino Alves

13 de janeiro de 2017 às 10h02

Na privatização tem licitação. E aí tem endereço certo e incompetência no cumprimento do contrato.

Responder

Joaquim Lopes

13 de janeiro de 2017 às 05h59

A privatização talvez humanize os presídios.

Responder

Juliano Marcos Simitan

13 de janeiro de 2017 às 02h20

Governo bom deveria se preocupar com o essencial (saúde, educação, segurança) e vender o resto. Quando se vende uma Estatal ou se elimina um ministério é como se drenasse mais um pouco o pântano da corrupção. Quando o governo deixa de fazer alguma atividade não essencial, é uma oportunidade a menos de se corromper e de ser corrompido.

“Ahhh, mas os caras vendem a empresa a preço de banana”. Resposta: é muito mais fácil controlar uma venda única, uma única vez, do que ficar sangrando anos e anos com a mesma estatal

“Ahh, mas na empresa privada não pode ter roubo também?”. Resposta: claro que pode, mas é muito mais difícil e quem paga por isso são os acionistas da empresa e não você, cidadão pagador de impostos

Vender estatal é bom pra todo mundo, menos para os corruptos

Responder

Mônica Cruz

13 de janeiro de 2017 às 01h42

A globo já é uma prisão. ..aliena cidadãos desprovidos de conhecimento. ..”A televisão me deixa burro demais” essa é a realidade

Responder

Beth Andrade

13 de janeiro de 2017 às 01h09

Mais uma do narcosenador: O NARCOSENADOR, O NÓIA, PERDE A CHANCE DE SER LÍDER DO CARTEL BRASILEIRO INTERNACIONAL DO TRÁFICO

O CocaBras Global LTD

Com a indústria do tráfico em franco crescimento…o Brasil, bola da vez na liderança do cartel internacional de cocaina- o Nóia não enxerga o seu maior empregador – sempre burro – não vê que a facção Família do Norte (FDN) – um dos grupos envolvidos nas degolas de Manaus – é o seu caminho natural na carreira?!!.

XÔ NÓIA!! Aqui não! Nós mineiros já o enxotamos, faz tempo, desde 2014, #ForaNóia Minas repudia narcosenadores…pede a facção Família do Norte (FDN) – um dos grupos envolvidos nas degolas de Manaus – um emprego de líder, é o seu caminho natural na carreira?!!. #XôNóia!

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/aecio-anuncia-que-voltara-a-morar-em-belo-horizonte/

Responder

Sonia Regina de Paula

12 de janeiro de 2017 às 21h13

Ao bolso de quem interessa estas privatizações interessa? O que tem que haver é respeito ao bem público.

Responder

Maria Alcina Torgo

12 de janeiro de 2017 às 17h51

Essa imprensa maldita que derruba democracia,fora globosta

Responder

Paulo Henrique

12 de janeiro de 2017 às 17h44

acidente pavoroso = perder verba

Responder

Ren Meira Lima

12 de janeiro de 2017 às 17h39

Estão apenas fazendo seu trabalho de desviar o foco. E combatendo os efeitos e não as causas.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina