Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

No enterro de Teori, o retrato do que o governo Temer vem fazendo com o Brasil

Por Luis Edmundo

22 de janeiro de 2017 : 16h19

Espiando o poder: análise quase diária da grande imprensa

Foto: Diego Vara/Reuters

Por Luis Edmundo Araujo, colunista do Cafezinho

Da esquerda para a direita, a foto acima, da primeira página do Globo, mostra os ministros Osmar Terra (Desenvolvimento Agrário) e Alexandre de Moraes (Justiça), o presidente Michel Temer, o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, e os também ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e José Serra (Relações Exteriores). Todos são do PMDB a não ser Serra, do PSDB, e atrás deles, entre outros, estão o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). Todos estão muito tristes, com as fisionomias fechadas do silêncio respeitoso pela morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. Quase todos, também, são partícipes mais ou menos ativos do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff para alçá-los ao poder. Desde então a crise econômica só aumentou, o desemprego explodiu e o País se viu às voltas com os mais diversos tipos de tragédias, culminando com a barbárie nos presídios e, agora, com essa queda carregada de suspeitas do avião onde viajava o responsável pela Lava Jato no STF. Pululam pelo Brasil afora as teorias conspiratórias e a imprensa, como lembra a ombudsman da Folha de São Paulo, Paula Cesarino Costa, põe à prova “sua capacidade de reagir a boatos com informações checadas e transparentes”. E, como reconhece a própria Paula, já começa perdendo.

“Contra os mexericos” é o título da coluna da ombudsman da Folha, que começa dizendo que “as teorias conspiratórias se propagam onde há grande tensão – política, social ou emocional – e muita opacidade”, e que “elas se alimentam do incompreendido, do inexplorado, do não revelado”. Entre os muitos mistérios a serem desvendados, Paula Cesarino Costa cita como primeira derrapada de seu próprio jornal a preocupação com as razões para que duas das vítimas estivessem a bordo do avião que caiu quase chegando a Paraty, no litoral Sul do estado do Rio de Janeiro.

No Diário do Centro do Mundo (DCM), Nathali Macedo informa logo no título de seu texto que “morta no avião que levava Teori, Maíra Panas agora é linchada nas redes”. “Resolvem agora especular que Maíra era garota de programa, e não massoterapeuta de Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, dono do Hotel Emiliano, que a convidou para um passeio”, conta Nathali, para em seguida perguntar se “vivemos no país em que garotas de programa levam suas mães para o batente?”

“Maíra morreu. Sua mãe, que também estava a bordo, morreu. O ministro Teori Zavascki morreu, e tudo o que as pessoas querem saber (…) é por que uma mulher solteira aceitou o convite de um de seus clientes para ir a Paraty em um avião particular”, afirma Nathali enquanto Paula Cesarino reconhece que a massoterapeuta e a mãe dela “foram vítimas de comentários indelicados, muitas vezes cifrados”, e que “a Folha derrapou no tema”.

A ombudsman concorda com a reclamação de um leitor “de que, ‘no afã de dar um furo de reportagem’, o jornal se prestou ao papel de divulgar conjecturas misóginas. Descreveu fotos postadas em rede social por uma das vítimas com olhar machista, que salientava os cabelos pintados de vermelho, tatuagens e a prática de dança do ventre”. Segundo Paula, “a situação foi descontextualizada e alimentou percepções que podem ser injustas e equivocadas”. “É o tipo de escorregão que não cabe em um jornal de qualidade”, conclui ela.

Nathali Macedo vai além e afirma que “em um país que se preocupa mais em condenar mulheres – mesmo quando elas já estão mortas – do que em impedir que presidentes golpistas sejam politicamente beneficiados por acidentes aéreos macabros (…) não é relevante saber que Maíra batia na janela do avião, tentando, em vão, salvar a própria vida”. As fotos do enterro de Zavascki mostram os mesmos homens brancos, quase todos velhos, da posse de Temer, e a jornalista do DCM ressalta que “sofremos um golpe, congelaram gastos por vinte anos, um ministro do STF morreu misteriosamente, mas temos dois minutinhos na internet pra xingar de puta essa mulher que cometeu o disparate de viajar com um homem em seu avião particular, só pra não perder o hábito”.

“Ajuda a relaxar”, conclui Nathali, irônica, no mesmo DCM em que Kiko Nogueira, diante de uma das diversas variações da escalação da foto acima, diz no título que “a gangue de Temer ao lado do caixão de Teori e o sorriso de Serra resumem a tragédia brasileira”. Para embasar sua tese, Nogueira fala que “Serra, citado na Lava Jato como destinatário de 23 milhões de reais que teriam sido pagos por meio de caixa dois em contas no exterior, tenta influenciar a escolha do novo ministro do STF”. Diz ainda que “Temer aparece mais de 40 vezes em delação da Odebrecht” e arremata com o que todos sabem, que “recai sobre a turma de Michel uma suspeição” porque, “independentemente se houve ou não a mão deles, são os grandes beneficiados”.

Dos três maiores jornais, a Folha é a que mais coloca o presidente na berlinda, na manchete em que “morte de Teori atrasa delações e investigação sobre Temer”. Na capa do jornal paulista o presidente aparece à frente, com a mão sobre o caixão do ministro do STF. No subtítulo, Temer “diz que só indicará substituto depois que o STF definir novo relator para Lava Jato”, o que combina com a manchete bem mais neutra do Estado de São Paulo, na qual o “relator da Lava Jato será escolhido entre os atuais ministros”.

O Globo diz na primeira página que “Cármen Lúcia avalia homologar delações da Odebrecht”, se aproveitando do regimento do Supremo que “prevê que a presidente da Corte assuma questões urgentes no período de recesso, que termina em 31 de janeiro” . Cármen Lúcia, a propósito, se recusou a ser fotografada ao lado de Temer no velório de Zavascki, o que só aumenta a quantidade de especulações, rumores e teorias sobre o que aconteceu com o avião onde viajava Teori e o que acontecerá com o processo da Lava Jato no STF.

O Estadão afirma no subtítulo de sua manchete que o substituto do ministro falecido ” deverá sair da 2a Turma”, formada hoje por Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Celso de Mello. No Globo. Merval Pereira concorda no texto em que, na chamada de capa, avisa que “consulta definirá critério de escolha do relator”. “O sorteio entre os remanescentes da 2ª Turma parece ser o caminho natural”, afirma Merval, antes de concluir que “escolher alguém para mudar de turma e se tornar o relator pode significar desconfiança sobre esses quatro, e também sobre o escolhido”.

Elio Gaspari, por sua vez, defende que “Temer deveria criar grupo para apurar morte de Teori.” “Nada a ver com teoria da conspiração, trata-se de dúvida mesmo”, diz o jornalista, afirmando que “a linha que separa esses dois sentimentos é tênue, e a melhor maneira para se lidar com o problema é a investigação radical”. Gaspari lembra do assassinato do então presidente norte-americano John Kennedy, em 1963, que “foi investigado por uma comissão presidencial de sete notáveis”.

“Até hoje, metade dos americanos não acredita” na conclusão da tese do relatório sobre o crime. de que Lee Oswald agiu sozinho, ressalta o jornalista, que afirma em seguida que “mesmo assim, rebatê-la exige esforço e conhecimento”. No mais recente caso brasileiro, Gaspari diz que “desde o momento em que o avião caiu n’água, ocorreu pelo menos o desnecessário episódio da demora na identificação dos passageiros”, e que “pelos seus antecedentes e pelas circunstâncias, a tragédia de Paraty ficará como um dos grandes mistérios na galeria de mortes suspeitas da política brasileira”.

E para aumentar ainda mais as especulações, o Estadão informa na capa, dentro da manchete sobre a morte de Teori, que o “Ministério da Justiça trava acordo com Suíça”. A pasta comandada por Alexandre de Moraes, segundo o Estadão, “emperrou a negociação do acordo de cooperação para acelerar a investigação da Java Jato, após exigir que o MP da Suíça apresente a lista de investigados e possíveis suspeitos na operação”.

“O pedido não foi acatado”, relata o Estadão, que no blog de Fausto Macedo mostra outra das preocupações da grande mídia neste momento, nas palavras de César Dario Mariano da Silva, promotor de Justiça em São Paulo. Segundo ele, “a maior conquista contra a impunidade em 2016 foi a possibilidade da execução provisória da sentença penal condenatória”. “O Supremo Tribunal Federal flexibilizou o princípio da presunção de inocência, seguindo a legislação e jurisprudência de países democráticos”, continua o promotor, lembrando que “esse é o atual posicionamento do Supremo Tribunal Federal, que contou com o voto do ministro Teori Zavascki (6×5)”.

O promotor lembra que com a morte do ministro “dar-se-á a nomeação de outro e poderemos ter a mudança dessa posição ou a sua manutenção”, e deixa claro sua torcida ao dizer que “esperamos sinceramente que a escolha recaia sobre alguém que tenha a sensibilidade de ver que a sociedade não mais aguenta a impunidade, notadamente dos poderosos que podem contratar excelentes e caros advogados, que sabem como eternizar um processo.” 

E por falar na decisão que pode ajudar a tirar da disputa eleitoral de 2018 um certo ex-presidente, líder em todas as pesquisas, e que tem o efeito colateral de lotar ainda mais as prisões brasileiras, a coluna Painel, assinada por Paulo Gama na Folha, vem hoje sob o título “Salve-se quem puder”. A primeira nota da coluna conta que “presos que estão no Complexo Médico Penal de Pinhais – centro que abriga estrelas da Lava Jato como José Dirceu, Eduardo Cunha e João Vaccari Neto – relatam ‘muito temor’ com a onda de rebeliões em presídios pelo país”.

Segundo a Painel, “a ala onde vive parte dos políticos, lobistas e empresários é contígua a uma em que ficam criminosos comuns, condenados por atos como homicídio ou estrupo, por exemplo. Os detentos também têm informações de que há, sim, membros de facções no complexo.” Enquanto crescem as especulações, as teorias sobre conspirações repletas de razões, a dura realidade brasileira continua a dar as caras a todo momento, como mostra a matéria que é o link do dia, do site do jornal britânico Independent, na qual é exposto ao mundo o caos da violência sem limites nas penitenciárias brasileiras, mais precisamente, nesse caso, no Rio Grande do Norte, no presídio de Alcaçuz.

Luis Edmundo

Luis Edmundo Araujo é jornalista e mora no Rio de Janeiro desde que nasceu, em 1972. Foi repórter do jornal O Fluminense, do Jornal do Brasil e das finadas revistas Incrível e Istoé Gente. No Jornal do Commercio, foi editor por 11 anos, até o fim do jornal, em maio de 2016.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

45 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

ANTONIO PAULO DA COSTA CARVALHO

23 de janeiro de 2017 às 13h25

A melhor medida seria achar uma agulha no palheiro: escolher um nome de juiz imparcial, justo e que ame acima de tudo o Brasil.

Responder

Guilherme

23 de janeiro de 2017 às 10h39

Mais uma vez vemos as ‘principais figuras públicas do país’ a imagem apenas de homens, de meia idade, brancos…. é a imagem que isso tudo representa ao país.

Responder

LIndalva Campos

23 de janeiro de 2017 às 12h15

.Olha a urubuzada aí!!!

Responder

Paulo

23 de janeiro de 2017 às 09h09

Reunião de Canalhas e Salafrários.

Responder

Sergildo Dim

23 de janeiro de 2017 às 10h08

Hipocrisia!!

Responder

Fernando Ferreira

23 de janeiro de 2017 às 09h15

Carrie Coleman
Você que me responda ???

Responder

Rogerio Gira

23 de janeiro de 2017 às 02h44

Essa foto é ridícula

Responder

Jose carlos lima

23 de janeiro de 2017 às 00h38

E depois reclamem pro bispo quando isso virar um narco- estado: estamos no caminho..

Responder

rosangela moUra

23 de janeiro de 2017 às 00h05

Sabemos a urgência de Moro, que de imparcial não tem nada, no poder!

Responder

Mauro Guilherme

23 de janeiro de 2017 às 02h05

A CORJA TODA REUNIDA EM VOLTA DO CAIXÃO, só tramando o próximo passo do golpe que ainda está em andamento.

Responder

Enio Studzinski

23 de janeiro de 2017 às 02h02

Pessoal, não entendi, quem é o defunto afinal: A Bandeira, o Teori-#NãoFezNadaParaAcabarComOGolpe, ou o bando de abutres ? “Nunca vi velório de pessoas mortas em pé ?”

Responder

    Cezar Boaventura

    23 de janeiro de 2017 às 03h29

    ???VERDADE AMIGO ESTÃO TODOS MORTOS,MAS ENQUANTO PULSA,,ELES CHUPAM O SANGUE QUE RESTOU

    Responder

Boeotorum Brasiliensis

22 de janeiro de 2017 às 21h59

Há um velho ditado: quem dorme com cães, acorda com pulgas.
A imprensa brasileira, ao menos a mainstream media, se enquadra à situação com perfeição.
A ombudsman da Folha, faz chover no molhado e os demais jornalões sequer parecem considerar a linha editorial e a qualidade jornalística que, indo de mal a pior, destroem o resquício de credibilidade que possuem. Vão ficar, ao fim, com o público que merecem, ou seja, os leitores de Kims, Morenos, Vilas, Mervais e Gasparis.
Aos que desejam outra coisa em matéria de jornalismo ficamos com Carta Capital, GGN, Brasil Debate, O Tijolaço e este bem-vindo e valoroso O Cafezinho, entre outros mais.

Responder

baltazar pedrosa

22 de janeiro de 2017 às 21h49

Essa foto, me remete,aquelas cenas dantesca e tétricas do semi árido nordestino,lá pelos os idos da década de 70,por ocasião dos longos períodos de estiagem o gado morriam por sede e falta de alimento,logo que caiam,os abutres e outros decompositores fervilhavam sobre o animal muitas vezes,ainda com vida,é o que vejo nessa cena,bandidos saltitantes de felicidade,fazendo teatrinho de tristeza .

Responder

Lúcia Farias Schirmer

22 de janeiro de 2017 às 23h27

Assim mesmo debochando todos os dias, rindo da e não nossa cara.

Responder

Neide Aparecida

22 de janeiro de 2017 às 23h27

Grupo de hienas.

Responder

Helio Guedes Camara

22 de janeiro de 2017 às 22h51

NOTÍCIA EXCLUSIVA
Acabei de rever a informação, passada por um amigo que estava acompanhando o velório de Teori Zavascki.

Ele me contou que viu e ouviu o ministro Gilmar Mendes se aproximar da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e perguntar:
– Presidente, posso ocupar o lugar do Teori?

Ela respondeu:
– Se você couber no caixão e fizer tudo discretamente, pode.

Responder

Antonio Miguel Martins

22 de janeiro de 2017 às 22h08

100% da culpa… Disso Tudo… É a Corte… Mortadela…
Que fica mimando… Os Bandidos corruptos de estimação deles…
Então… Cadeia… Nesses CORRUPTOS… No mínimo PERPÉTUA…
Imaginem…
Quantos morreram nas portas dos hospitais…
Quantos morreram nas estradas…
Quantos morreram por falta de remédios…
Quantos não terão futuro por falta de escolas dignas…

Responder

titico

22 de janeiro de 2017 às 19h52

Todo assassino profissional vai ao velório e sepultamento de sua vítima!

Responder

Trazibulo Meireles

22 de janeiro de 2017 às 18h58

Esses canalhas estão com cara de quem tem vontade de rir, os abutres. É Aquela história, que todos conhecemos, de Guilherme de Pádua que foi ao velório da sua vítima.

Responder

Edneia Castro

22 de janeiro de 2017 às 20h55

SE DEIXAREM O GILMAR MENDES FICA PROVADO, À CONSPIRAÇÃO.

Responder

Wendell Ferreira

22 de janeiro de 2017 às 20h32

Me chegou esta informação agora há pouco, passada por um colega que acompanhou o velório do Teori Zavascki.

Ele me contou que viu e ouviu o ministro Gilmar Mendes se aproximar da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e perguntar:

– Presidente, posso ocupar o lugar do Teori?

Ela respondeu:

– Se você couber no caixão e fizer tudo discretamente, pode.

Responder

Welbi Maia Brito

22 de janeiro de 2017 às 18h27

Lamentável a tragédia que vitimou o ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas. Como disse o governador Geraldo Alckmin, o Brasil perde um homem da Justiça.

Responder

Olimpia Teixeira

22 de janeiro de 2017 às 20h18

Sinistro!

Responder

Suzana Albuquerque

22 de janeiro de 2017 às 20h16

Vampiros sugadres ,Predadores Carnívoros ,carniças ,urubus podres , fedorentos em cima de sua presa mulequinhos do planalto sagaz.

Responder

João Valente

22 de janeiro de 2017 às 20h09

Eles tem medo de morrer de morte morrida por que de morte matada não correm o risco.

Responder

Arlete Nieviadomski

22 de janeiro de 2017 às 19h48

Bem, ou mal, os brasleiros estão mais envolvidos com a politica e é um bom sinal. Dizem que a evolução cresce mais, em meio ao caos. Fico a imaginar os estragos que maus politicos fizeram à nação há anos atraz, qdo o Brasil era essêncialmente rural com pouquissimas escolas. Por incrivel que possa parecer, devemos, grande parte dessa evolução , a um nordestino pau de arara, semi analfabeto, mas de uma sabedoria de quem viveu na miséria. Não é sempre que surge um alguem diferenciado na sociedade, que faz a diferença. A maioria é como esses, em volta de um caixão, marcando presença, só isso.

Responder

Reinaldo Marcos Souza

22 de janeiro de 2017 às 19h25

O assassino sempre aparece no velório das vitímas.

Responder

Osvaldo Alencar

22 de janeiro de 2017 às 19h22

Os urubus perfilados !

Responder

Beth Andrade

22 de janeiro de 2017 às 19h14

Imagine um país em que uma quadrilha toma o poder e mata o juiz que ia condená-la..
QUEM MATOU TEORI?! Rede Globo segue governando o país, impunemente…

Quando a mídia, em especial a Globo, viu que a lama da Lava Jato poderia atingi-la e que já partia para cima de setores como o dos frigoríficos e dos bancos, passou-se a avaliar formas de como iniciar o fim da operação.

O leitor mais curioso deve estar se perguntando, então foi por isso que mataram o Teori?

Por mais que a morte do ex-ministro seja absolutamente vantajosa para que essa estratégia seja bem sucedida, um jornalista com um pingo de seriedade não arriscaria falar isso sem provas para além de uma conversa na mesa de um bar.

Mas é óbvio que a morte de Teori ajuda em muito no enterro da Lava Jato e que a Globo já está operando neste sentido.
***

“O corpo ainda nem esfriou, e a Globo já colocou na rua uma campanha pró-Moro no STF para a vaga deixada por Teori Zavascki. Essa precipitação quase profanatória, visto que mal se deram as homenagens póstumas ao ministro do STF recém falecido, é uma ótima notícia para o governo Temer.”
***
RECADO DO FILHO DE TEORI PARA IMPRENSA LIVRE!
Filho de Teori pede rigor nas investigações. Nós também, mas investigação com transparência. Nada de colocar a raposa para ser porteira do galinheiro.
…” Especialmente que a imprensa livre investigue muito de perto, acompanhe muito e não deixe nenhuma dúvida sobre os fatos.”.. ¨ vídeo aqui: https://www.facebook.com/midiapopulardopovo/videos/1233743180074016/
*****
QUEM MATOU TEORI?! aqui: https://www.youtube.com/watch?v=p_M1Vx7fL5w
Imagine um país em que uma quadrilha toma o poder e mata o juiz que ia condená-la…
Vamos aproveitar e abrir “a caixa preta” do judiciário?
#Golpe2016 já é pior que #Golpe1964
#QuemMatouTeori? #SangriaEstancada #NãoFoiAcidente

Atentado contra Teori: #JustiçaInternacionalParaAtentadoTeoriJá
#JustiçaInternacionalParaTeori #Fim$TF #FimRedeGlobo #ForaTemer
COMPARTILHE!

http://www.brasil247.com/pt/colunistas/renatorovai/276289/A-Globo-j%C3%A1-decidiu-pelo-fim-da-Lava-Jato.htm

Responder

Ana Magalhaes

22 de janeiro de 2017 às 19h12

Enquanto o povo permitir a barbárie, os algozes deitam e rolam, brincam de patrões e ditadores, esquecendo-se de q o caos pode gerar um povo hostil e selvagem.

Responder

Diana Maria Araújo

22 de janeiro de 2017 às 19h04

Impressiona a ausência de mulheres. Por que será ?

Responder

José Aldo Dellore

22 de janeiro de 2017 às 19h02

Responder

Sandro Almeida

22 de janeiro de 2017 às 19h02

só bandido nessa foto

Responder

Robert Serbinenko

22 de janeiro de 2017 às 18h56

Urubus.

Responder

Faby H-ta

22 de janeiro de 2017 às 18h50

Decadência BRASIL

Responder

Janice Chaves

22 de janeiro de 2017 às 18h47

Só “acidente”. Só isso !!! Pqp.

Responder

Luiz Tostes

22 de janeiro de 2017 às 18h46

A CEIA

Responder

Max Leite

22 de janeiro de 2017 às 18h41

TEM ALGUÉM AI QUE ACREDITA QUE ESSES ESTÃO COM AS MÃOS LIMPAS NESSA HISTÓRIA , ESTAMOS VIVENDO TALVES O MOMENTO MAIS NOJENTO DA HISTÓRIA RECENTE DO PAÍS , É LADRÃO QUE NÃO ACABA MAIS

Responder

Antenor Nicolau

22 de janeiro de 2017 às 18h41

Vão enterrar o país e seu povo!

Responder

Josmede Araújo Luciane

22 de janeiro de 2017 às 18h32

Bando de Safados. …

Responder

Jorge Rodrigues

22 de janeiro de 2017 às 18h28

Responder

    Corleotone Dogfather

    22 de janeiro de 2017 às 18h47

    Deus não existe, ou seja, larguemos de esperar por essa idiotice conformista de justiça divina. Temos que fazê-los pagar durante a unica vida que existe.

    Responder

Jorge Rodrigues

22 de janeiro de 2017 às 18h27

Gilmar Mendes ta apelando pra tudo: Macumba, voto na Igreja Mundial, campanha na Igreja Universal, proscissão na igreja catolica pra tentar ser o relator no lugar de Teori e proteger Temer e Aécio.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina