A entrevista de Haddad à Globonews

Pablo Iglesias entrevista Dilma Rousseff em Madri

Por Theo Rodrigues

31 de janeiro de 2017 : 17h12

Por Theo Rodrigues, colunista do Cafezinho

Na última semana, a ex-presidenta Dilma Rousseff esteve em tour pela Europa onde denunciou as razões que levaram ao seu impeachment no Brasil.

Em Madri, Dilma teve a oportunidade de conhecer o líder do Podemos, o cientista político Pablo Iglesias.

Carismático e profundo conhecedor da América Latina, Iglesias mantém, desde antes da criação do seu partido, um programa de entrevistas conhecido como Otra Vuelta de Tuerka que vai ao ar toda as segundas-feiras.

Na entrevista, Dilma fala de sua infância, do período de torturas na prisão, da chegada ao poder e das razões que levaram ao impeachment.

A ex-presidenta, como era de se esperar, não perdoa seus adversários. Nas palavras de Dilma, “os perdedores, principalmente o PSDB, que é um partido pretensamente social democrata, mas que é na verdade um partido conservador, de direita, golpista, ficou inconformado com a derrota”.

Pablo Iglesias parece ter concordado. Aliás, o Podemos, partido recém criado que tem alterado a correlação de forças na Espanha, foi um dos que pediram no Parlamento Europeu o não reconhecimento do governo de Michel Temer.

Assista abaixo a íntegra da entrevista:

Theo Rodrigues

Theo Rodrigues é sociólogo e cientista político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Thiago Carcav

01 de fevereiro de 2017 às 10h58

Pq o Lula, a Dilma e o PT não dialogaram com a nação dessa forma clara e didática, durante os 13 anos? esperam o golpe?

Responder

Vitor

01 de fevereiro de 2017 às 01h19

Muito bem Dilma,voce admitiu que errou e na política não se admite erros,todos nos pagamos pelo erro,ao ver todo aquele circo que foi montado,e agora o poder nas mãos desses canalas,sei que vamos sofrer muito ainda,mas o mundo não para e temos que correr atrás,espero que na eleição de 2018 possamos dar a volta por cima desses golpistas então até lá…

Responder

Eliana

31 de janeiro de 2017 às 18h43

Entrevista maravilhosa!
Dilma disse o que tinha que dizer sobre o golpe no Brasil.
E, principalmente, demarcou as linhas do Projeto político
que ela representa contrário ao mundo dos golpistas.
FORA TEMER!

Responder

Atreio

31 de janeiro de 2017 às 18h04

Convoquemos os atos! Sabemos oq temos q fazer como cidadão.
Todos aguardam só o sinal.
E somos muitos.

ir às ruas, constranger e ridicularizar todo golpista e seus apoiadores – mídia familiar canalha e juristas de conveniência.
Hora de corrigir os erros – volta Dilma!
Sem crime, sem impeachment!

Brasil, reDILMA-se!

Responder

Deixe uma resposta

x