Live com Miguel do Rosário (convidado especial: Luiz Moreira)

Considerações e estatísticas sobre a Operação Carne Fraca

Por Miguel do Rosário

19 de março de 2017 : 02h37

O problema da Operação Carne Fraca é o seguinte.

A Polícia Federal esqueceu que a sua função é proteger o cidadão, as empresas nacionais e o governo. Proteger o cidadão (e seu emprego!) contra fraudes, as empresas nacionais contra fraudadores, e o governo contra corruptos.

A PF, ao invés disso, inverteu seu papel: tornou-se uma espécie de agência adversária da sociedade. Sua meta tem sido agredir o cidadão, destruir empresas e derrubar governos.

Se a PF identificou, há mais de dois anos, que havia problemas no mercado de carne, deveria ter alertado o governo, as empresas e os cidadãos, para que ninguém tivesse prejuízo. O governo não seria vítima de mais um processo de instabilidade, as empresas não estariam sujeitas a prejuízos bilionários, e os cidadãos não se arriscariam a consumir produtos de qualidade duvidosa.

É o mesmo problema que vimos na Operação Lava Jato. Enquanto os serviços de segurança de outros países entendem que sua missão é proteger as empresas nacionais e defender os interesses do país, o nosso sistema de repressão vê tudo com as lentes de um agente inimigo.

E agora, para se defender das críticas, a PF provavelmente se sentirá forçada a promover uma “campanha” contra o setor de carne, emulando a estratégia de destruição que fez na Lava Jato.

Alguns protestaram contra as preocupações de ordem econômica levantadas por analistas: ora, disseram eles, vocês queriam que o brasileiro continuasse comendo carne estragada?

Em primeiro lugar, sem exageros. A PF encontrou problemas em 21 unidades, num total de quase cinco mil empresas, e suspeita de crimes praticados por 33 servidores, num universo de 11 mil funcionários do Ministério da Agricultura.

Não há notícia, até agora, de que a PF mandou recolher algum tipo de carne. As denúncias de “carne estragada”, portanto, estão apenas no campo da especulação, com base em conversas reservadas entre executivos.

Uma das denúncias, de que uma empresa misturava “papelão” às carnes, parece já ter caído por terra. Foi “mal entendido” da PF, que divulgou uma gravação, em que um executivo falava, na verdade, da embalagem do produto.

Um mal entendido que pode custar vários bilhões de dólares à nossa economia…

Do jeito que a PF e a mídia noticiaram a operação, a população brasileira ficou alarmada e compradores da carne brasileira, do mundo inteiro, também.

Ficou parecendo que a gente passou dois anos comendo carne estragada, o que não é verdade.

Os frigoríficos brasileiros, em seu esforço para ganhar os mercados mais exigentes do mundo, fizeram investimentos bilionários para aprimorar a qualidade da produção brasileira de carne. As unidades têm várias certificações internacionais. O processo é inteiramente monitorado por vários países.

Ninguém é santo e não se deve pôr a mão no fogo de ninguém. Mas houve sensacionalismo irresponsável sim. A PF de Curitiba, notoriamente, queria dar outro “susto” no governo.

Em virtude da personalidade do delegado responsável pela operação, que já conhecemos da Lava Jato, não seria nenhuma surpresa se essa violência toda tenha sido motivada pela obsessão psicótica de pegar Lula. Há anos que circulava a mentira, na internet, de que o filho de Lula seria um dos proprietários ocultos da Friboi. É possível que o delegado tenha suspeitado de que havia alguma veracidade nesse boato.

Não houvesse o impeachment, a PF e a mídia estariam usando essa operação como mais um instrumento para “derrubar” o governo.

Levantar o impacto econômico da operação e criticar o seu sensacionalismo é, obviamente, importante. Sem economia, não há cultura, não há política, não há impostos, não há vida.

Sem economia, não teremos nem como pagar a fiscalização necessária para supervisionar a qualidade da nossa carne.

Pensando nisso, O Cafezinho fez uma ampla pesquisa, junto a órgãos oficiais do governo brasileiro e dos EUA, para a gente ter uma ideia da importância da carne para a economia brasileira.

Não se trata apenas de comércio exterior. Carne significa proteína, principal nutriente para a vida humana. Qualquer desorganização do setor poder trazer insegurança alimentar não apenas para os nossos 206 milhões de habitantes, mas para o planeta inteiro, visto que bilhões de seres humanos, em todo mundo, dependem da carne brasileira.

Além disso, a concorrência internacional é feroz. E o nosso concorrente mais direto é os Estados Unidos, país cujos órgãos de segurança trabalham afinados para defender os interesses econômicos de suas empresas. Se você ler os boletins do Departamento de Agricultura dos EUA, verá que ele está repleto de análises e sugestões sobre como as empresas americanas de carne podem superar os seus concorrentes.

Vamos às estatísticas, que trazem números atualizados, compilados com exclusividade pelo Cafezinho.

São três tabelas. A primeira mostra o ranking mundial de produção, exportação e consumo doméstico de carne. Note que o Brasil é líder nos três itens. É grande produtor, grande exportador e grande consumidor.

Com isso, o Brasil é, naturalmente, alvo da cobiça internacional pelos três motivos. Os nossos concorrentes querem reduzir a nossa exportação, para diminuir o nosso market share e aumentar o deles. Querem tomar conta da nossa produção, adquirindo nossas empresas. E querem dominar o nosso mercado interno, um dos maiores do mundo.

Não estamos falando, portanto, apenas da nossa exportação de carnes, que gerou $ 14 bilhões de dólares em 2016, ou mais de 42 bilhões de reais, mas também de um dos maiores mercados do mundo, que movimenta centenas de bilhões de reais.

Observe, na tabela 2, que as exportações brasileiras de carnes cresceram fortemente desde 2002: mais de 344%.

Considerando apenas a exportação brasileira de carnes industrializadas, houve um crescimento de mais de 200%.

Na terceira tabela, note que a carne é o nosso terceiro item de exportação mais importante. O primeiro é soja, que os estrangeiros querem dominar através da liberação, pelo governo Temer, de vendas de terras a estrangeiros.

O minério de ferro nos foi tomado pela privatização da Vale.

Falta agora dominar a indústria brasileira de carnes. Observe que o valor agregado da carne é um dos maiores entre os produtos básicos exportados. A nossa soja é vendida por 378 dólares a tonelada. O ferro é entregue lá fora a 41 dólares a tonelada. O ferro é mais barato que os vagões do trem que o levam ao porto.

A carne, porém, foi vendida em 2016 pelo preço médio de $ 2.121 dólares a tonelada, se considerarmos também o produto  industrializado, e $ 2.053 dólares considerando apenas a carne em natura. É um produto caro, que gera muitos empregos, impostos e renda no Brasil.

Se considerarmos apenas a carne bovina, o preço do produto in natura exportado pelo Brasil é de mais de $ 4 mil dólares por tonelada! Repare ainda que o preço médio da carne brasileira cresceu de maneira extraordinária de 2002 até hoje, o que mostra que estamos vendendo carnes de melhor qualidade, e atingindo mercados mais nobres.

A Polícia Federal e o Judiciário, por isso mesmo, deveriam tratar o setor com muito cuidado, protegendo suas empresas, defendendo o cidadão, e evitando transformar investigações importantes em mais um fator de desestabilização política.

O Judiciário, por sua vez, ao aprisionar R$ 1 bilhão das empresas, num momento da economia em que não há crédito novo na praça e o governo aposta num “ajuste” neoliberal que neutraliza os bancos públicos, dificulta que elas resolvam seus problemas internos, o que pode levá-las a paralisar suas atividades, com consequências danosas para toda a cadeia produtiva da carne, que gera milhões de empregos diretos e indiretos.

Essa lógica da “pegadinha”, que o MPF inclusive quer transformar em regra, onde o objetivo é produzir um vilão e subsidiar a mídia com um espetáculo, não é o papel da PF ou do Judiciário.

Não se espere, contudo, da imprensa brasileira, que deveria estimular um debate de ideias fundamental para evitarmos esse tipo de coisa, nenhum bom senso. A própria mídia fomentou a subversão da Polícia Federal, do MP e do Judiciário, que se tornaram agências inimigas do próprio país. A mídia só está pensando em como faturar com a crise.

A matéria mais lida na Folha trata do potencial lucro da mídia com as necessárias operações de marketing que as empresas terão de fazer para recuperar os terríveis danos causados à sua imagem…

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

288 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

CST command

25 de janeiro de 2020 às 16h44

Um espelho torto da história – o cientista soviético mundialmente famoso visita livremente o Brasil durante a era de Vargas, e seus seguidores foram reprimidos durante o reinado de Temer. Os iniciadores da repressão ficam impunes durante o reinado de Bolsonaro.
Provavelmente muitos já ouviram falar do biólogo mundialmente famoso da Rússia, Nikolai Ivanovich Vavilov.
https://www.bbc.com/portuguese/geral-47352590
Todas as nossas idéias atuais sobre diversidade biológica surgiram graças a Vavilov. O que comemos hoje é cultivado graças à seleção baseada na teoria de Vavilov.
http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=28170&secao=Colunas%20e%20Artigos&c2=Agricultura%20Sustent%E1vel
Para criar um fundo de sementes de plantas cultivadas, Vavilov empreendeu expedições aos cinco continentes. Nos anos 1932-1933, Vavilov visitou o Brasil.
Os fatos mais interessantes sobre a viagem brasileira de Vavilov, seu contato com cientistas brasileiros, a imprensa e o governo Vargas, seu encontro com o governador do Estado do Pará, encontros com cientistas e intelectuais, a opinião de Vavilov sobre a agricultura brasileira e suas recomendações sobre a produção de borracha , algodão e café, você pode ler aqui:
http://www.hcte.ufrj.br/downloads/sh/sh8/SH/trabalhos%20orais%20completos/A-VIAGEM-CIENTIFICA-DE-NIKOLAI-VAVILOV-AO-BRASIL-1932-1933.pdf
Infelizmente, o grande cientista mais tarde ficou sob a repressão stalinista e morreu de fome na prisão.
O caso de Vavilov foi continuado por seu aluno e colega, o famoso cientista russo Alexander Ivanovich Kuptsov, que expandiu e aprofundou os ensinamentos de Vavilov, tendo recebido reconhecimento internacional.
http://wiki.tsu.ru/wiki/index.php/%D0%9A%D1%83%D0%BF%D1%86%D0%BE%D0%B2,_%D0%90%D0%BB%D0%B5%D0%BA%D1%81%D0%B0%D0%BD%D0%B4%D1%80_%D0%98%D0%B2%D0%B0%D0%BD%D0%BE%D0%B2%D0%B8%D1%87
A esposa do professor Kuptsov era descendente de outro famoso geógrafo russo (de origem austríaca), um cientista e cientista natural Friedrich August von Gebler, cujo nome foi dado a vários objetos geográficos.
https://ru.wikipedia.org/wiki/%D0%93%D0%B5%D0%B1%D0%BB%D0%B5%D1%80,_%D0%A4%D1%80%D0%B8%D0%B4%D1%80%D0%B8%D1%85_%D0%90%D0%B2%D0%B3%D1%83%D1%81%D1%82
O estudo, cognição e conservação da natureza do nosso planeta foi continuado pelo neto do professor Kuptsov, ecologista e viajante Artemiy Semenovskiy, que seguiu os passos de seus grandes ancestrais.
Infelizmente, o Brasil não era tão amigável com os viajantes russos como há 80 anos e, em 2016, já três semanas depois de chegar à Amazônia, Artemiy Semenovskiy foi submetido a uma repressão irracional. Depois de uma prisão arbitrária (sem sinais e crime), ele passou um mês na prisão e, durante quase um ano, lutou contra a fome porque foi detido à força no país, e a polícia federal levou todo o seu dinheiro, documentos e comunicações.
http://cstcommand.com/index.php/countries/yuzhnaya-amerika/braziliya/item/34-14-let-za-pasport-rf-kak-rossiyane-v-brazilii-slomali-mashinu-gosudarstvennogo-terrorizma
Às vezes, coisas incríveis acontecem neste mundo – o grande cientista da União Soviética viaja sem obstáculos pelo Brasil na era de Vargas, mas morre de fome nas prisões de Stalin; e depois de 80 anos, seus seguidores são reprimidos, passam por prisões e quase morrem de fome no Brasil democrático moderno.
Até o momento, o Brasil não se desculpou pelas detenções arbitrárias em massa de russos, e os iniciadores das repressões continuam trabalhando na polícia federal da Amazônia.

Responder

Carlos Bley

21 de abril de 2017 às 21h18

A carne não é uma parte essencial da dieta, mas sem produtos animais é necessário ter algum conhecimento razoável de nutrição, a fim de selecionar uma dieta adequada. Mesmo pequenas quantidades de produtos de origem animal complementam uma dieta baseada em alimentos vegetais para que seja nutricionalmente adequada.

Ao lado destes conhecidos benefícios de incluir carne e produtos cárneos na dieta estão problemas associados à ingestão excessiva de gorduras saturadas, riscos de intoxicação alimentar por produtos mal processados, resíduos de produtos químicos utilizados na agricultura e produção animal e outros aspectos potencialmente adversos discutidos .

Dentro destes conceitos está o principal problema da produção de carne em condições que evitem a intoxicação alimentar e satisfaçam as demandas econômicas de rentabilidade com as preocupações tradicionais, culturais e religiosas da comunidade em questão.

Existe uma procura crescente de carne nos países em desenvolvimento que pode ser satisfeita pelo aumento do consumo interno e / ou pelo aumento das importações. Acredita-se que o maior aumento da produção doméstica venha de pequenos produtores, em vez de criar grandes unidades de produção, mas estes não dispõem de instalações essenciais para produzir produtos seguros e saudáveis.

Para que haja um aumento significativo da produção de carne, será necessário tomar decisões políticas claras com o apoio financeiro, legislativo e técnico necessário. Existe um potencial considerável para o aumento do abastecimento através de uma melhor gestão, seleção de animais, evasão de resíduos e utilização de espécies autóctones.

Se as exportações devem ser consideradas, deve ser dada atenção às rigorosas exigências de higiene e segurança envolvidas, independentemente do mercado doméstico poder tolerar.

Responder

Juliana

25 de março de 2017 às 09h14

Texto extremamente ignorante ao problema vivenciado por todos os brasileiros.
Lamentável a opinião de que o governo ficará abatido e sem dinheiro frente a tanta corrupção.

Responder

roberto

23 de março de 2017 às 16h03

A poliçia federal fez o papel que caberia ao ministério da agricultura que deveria ter elementos mais preparados para lidar com esta situação sem causar tamanho estrago ao Brasil. Acontece que os fiscais da secretaria da agricultura são indicados por políticos e que não tem a mínima condição de exercer cargo de tanta responsabilidade e se vendem por qualquer 10 moedas como judas. Portanto deu no que deu a culpa não é da poliçia e sim desse sistema politico podre que prevalece no país.

Responder

Alice

22 de março de 2017 às 19h39

Minha vida antes e depois da bomba das carnes estragadas não será alterada em nada, já que eu não compro por questão de saúde e de consciência.

Responder

Doutorchefe

22 de março de 2017 às 08h20

Que reportagem ridícula e inescrupulosa. Perdeu mais um leitor.

Responder

Renato Pedrini

21 de março de 2017 às 11h25

Excelente artigo. Faço uma nota somente a interpretação da primeira tabela:”São três tabelas. A primeira mostra o ranking mundial de produção, exportação e consumo doméstico de carne. Note que o Brasil é líder nos três itens. É grande produtor, grande exportador e grande consumidor.”
O Brasil é o maior exportador de carne em geral e carne bovina em especial, porém, é o segundo produtor de carne bovina e o quarto mercado consumidor de carne bovina, o que ainda assim, é uma grande fatia do mercado mundial, e é claro desperta a cobiça das economias centrais.

Responder

Enocir José Silva

21 de março de 2017 às 10h55

Nao há como negar que a PF exagerou e se perdeu nesse episódio. .só que relacionar isso (um erro) ao escandaloso assalto a Petrobrás ..ao País e ao nosso bolso que a turma Lula e PT ..PMDB..e outros..perpetraram é uma abissal…uma coisa é uma coisa é outra coisa é outra coisa…portanto vamos prender e confiscar essa turma da carne e também da Petrobrás. .pra..PMDB…etc…etc…sem exceção. .chega de robalheira…nao queiram justificar..

Responder

dissidente

21 de março de 2017 às 10h40

estão conseguindo no brasil, sem disparar um tiro, o que estão fazendo no oriente médio com custosas guerras.
mesmo objetivo, procedimento diferente.
é guerra sim, estamos sendo atacados por poderosa potência estrangeira.
e temos multidão de traíras vendepátria nas fileiras.

Responder

José

21 de março de 2017 às 09h38

Para saber se uma ação é boa ou má, sabe-se pelo que vem depois, as consequências. Consta que Lula em atenção à Constituição de 88 deu cumprimento em medidas de autonomia à PF. Talvez esse tenha sido um dos seus muitos erros. As hierarquias brasileiras costumam ter as cabeças de suas elites voltadas para o hemisfério norte, ainda se comportam como lideranças da matriz colonial, desa maneira nada mais fácil do que nosso judiciário e forças a ele vinculadas caírem nas malhas dos interesses externos confundindo-os com os nacionais.
Se Lula, na improbabilidade, chegar novamente ao poder,essa é uma variável a levar em conta para corrigir seus erros anteriores.

Responder

Itamar Santos

21 de março de 2017 às 07h31

E tem mais!!! A PF fiscalizou todos os frigoríficos do Brasil??? E essa história é muito velha, pois já trabalhei em empresas desse tipo e a sonegação e a corrupção dos fiscais é usual, portanto comum…. E só agora foram ver isso? Deixem de serem hipócritas!!!

Responder

Giovani Deitos

21 de março de 2017 às 06h31

esses esquerdas são doentes ! misericórdia!

Responder

Concita Lages

20 de março de 2017 às 23h49

Com um governo golpista, sem legitimidade, usurpador, o PF, virou uma sucursal da CIA, no Brasil. Por que o golpista não demite o Superintendente dá PF, por que não faz nada pra eles se mantenham no estrito cumprimento do dever ” que é de investigar” ? Sabem porque, senhores? Porque o poder estar com a PF, MP, Supremo e Rede globo, são eles que “mandam ” no Brasil atualmente! Um investiga , os outros divulgam e o judiciário apoia. Que se dane o povo brasileiro! Quem ganha? Os ESTADOS UNIDOS, vai açambarcar o grande mercado consumidor, e aqui, só aumento de desemprego, de miséria. Quem vai pode dar basta nessa situação, o povo, quando retomar as rédeas do seu destino, até lá, só um milagre!

Responder

C.Poivre

20 de março de 2017 às 23h28

A minha conclusão é que a produção de soja será o próximo alvo de outra dessas palhaçadas chamadas “força-tarefa” da PF, pois essa milícia sem comando está sendo controlada de fora do país.

E tem muito vira-latismo no meio pois TODOS os países mais avançados hoje SEMPRE protegeram suas grandes empresas, sejam públicas ou privadas, a ferro e fogo, e SEMPRE exerceram um ferrenho protecionismo nacionalista em seu mercado externo. Nenhum país do mundo se tornou civilizado entregando suas empresas estratégicas a estrangeiros.

Responder

Ricardo

20 de março de 2017 às 23h19

Por que não fizeram todo esse escarcéu com o Helicoca do amigo do Cherador de Talquim?! Polícia
é pra investigar e prender e não fazer sucesso.
E 2 anos pra descobrir que a carne tava estragada?!!!

Responder

Wallace Cristino Bispo

21 de março de 2017 às 02h02

Peraí…Se o Temer comeu carne pra provar que ela é boa. O que é que ele vai fazer com os seus ministros para provar que eles prestam?

Responder

Estela Rezende

21 de março de 2017 às 01h58

Wallace Cristino Bispo

Responder

    Odemir Cardoso

    21 de março de 2017 às 17h04

    mas a corrupção esta tão grande e perigosa, que até a PF, leva pau, pagar Fiscal Sanitário para defender os interesse de alguns, para levara vantagem financeiro, e a saudê do ser Humano como que fica, , não pode Fiscalizar mais ?????

    Responder

Marcia Gatto

20 de março de 2017 às 22h55

Não conheço ninguém que tenha morrido por causa de carne estragada. Alguém aqui conhece?

Responder

    Jose Manoel Martins

    21 de março de 2017 às 08h53

    Também não, esta é a maior prova do equívoco desta operação policial.

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 23h50

    Está chegando e com mais hormônios de bois confinados desde o nascimento até o abate. Precisamos ver pra crer. Achamos que é piração , mas é desmonte mesmo.

    Responder

Ronielle Barbosa

20 de março de 2017 às 23h19

Cafezinho, olha de ontem em Monteiro: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1343297112396714&id=403873459672422

Responder

JOSEMAR SILVA DOS SANTOS

20 de março de 2017 às 20h06

Errado!! isto é crime contra a humanidade, voces queriam que ficasse por baixo dos panos?? isto é ATENTADO QUIMICO BACTERIOLÓGICO, DISPERSÃO DE SUBSTÂNCIA LETAL, DISPERSÃO DE BACTÉRIAS MORTAIS, ENVENENAMENTO EM MASSA, ATO TERRORISTA POR MOTIVO TORPE E GANANCIOSO, EM TEMPOS DE PAZ, CRIME FAMÉLICO, EU FUZILARIA A TODOS OS ENVOLVIDOS SEM DÓ NEM PIEDADE, POR CRIMES DE LESA PÁTRIA E CRIME HEDIONDO CONTRA INOCENTES.

Responder

    Miguel

    20 de março de 2017 às 20h50

    Não viaja. Não teve nada disso.

    Responder

    Rafael Rodrigues

    20 de março de 2017 às 21h27

    Crime de lesa-pátria?! Poxa então teremos que matar toda a cúpula da Petrobrás nomeado pelo golpista e matar todos os membros do MPF de Curitiba!
    O que o Miguel do Rosário colocou de forma precisa é que deveria se investigar de maneira cuidadosa e não da maneira espalhafatosa que foi feita.

    Responder

    C.Poivre

    20 de março de 2017 às 23h29

    Procure um psiquiatra.

    Responder

    C.Poivre

    20 de março de 2017 às 23h30

    Procure um psiquiatra. E não precisa gritar.

    Responder

Fabio Cristiano Gense

20 de março de 2017 às 19h59

O combate dos EUA contra a exportação de Carne brasileira e de outros países concorrentes, já passou por várias notícias inverídicas, tais como a “Febre Aftosa”, “A Doença da Vaca Louca”, “O Gás expelidos por berros dos bovinos que provocam e aumentam o efeito estufa, além de outros, verificando-se, assim, pela prejudicialidade deste novo fato à exportação de Carnes do Brasil, e lógico, em benefício da exportação de Carne dos Americanos. A forma estardalhada e equivocada, como noticiado pela Policia Federal, nos dá a impressão de que todos os frigoríficos do Brasil agiam e vendiam “Carne Podre”, quando apenas em 04 (quatro) dos frigoríficos, dentre os mais de 400 (quatrocentos) existentes no Brasil, foram detectados irregularidades a serem apuradas, antevendo-se assim, que a notícia da Policia Federal, com a insentatez e irresponsabilidade da Mídia e de seus Jornalistas ávidos por notícias sensacionalistas causaram um grande mal ao Brasil.

Responder

Fjaum

20 de março de 2017 às 19h28

Não tem nada de estatística nesse artigo, apenas um punhado de números e valores. Prove estatisticamente o seu ponto e terá credibilidade, caso o contrário terá tanta moral quanto qualquer site cheio de inutilidades na rede.

Responder

    Miguel

    20 de março de 2017 às 20h51

    ???? Estatísticas são números e valores.

    Responder

    Gilmário

    20 de março de 2017 às 21h24

    Meu Deus, não tem nada de estatística… Não sei se rio ou se choro.

    Responder

Nazario Bento

20 de março de 2017 às 18h38

Miguel, parei de ler seu artigo quando cheguei no parágrafo “Em virtude da personalidade do delegado responsável pela operação, que já conhecemos da Lava Jato, não seria nenhuma surpresa se essa violência toda tenha sido motivada pela obsessão psicótica de pegar Lula. Há anos que circulava a mentira, na internet, de que o filho de Lula seria um dos proprietários ocultos da Friboi. É possível que o delegado tenha suspeitado de que havia alguma veracidade nesse boato.”
Você realmente estava falando sério? Acha simplesmente que este delegado fascista não passa de um sem noção obcecado pelo LULA e não um agente trabalhando contra o Brasil, assim como o juiz moro e os pf e procuradores da lava jato? Se você está sendo irônico, então sua ironia é super fina e acima da minha capacidade de a perceber.

Responder

Walter Pastori da Fonseca

20 de março de 2017 às 18h28

A cagada ta feita acabei de ver uma entrevista do ministro da agricultura sensacional que ele tem autorizaçao desse senhor que se diz presidente da republica pra retaliar o Chile por suspender imediatamente as compras de carnes e afins do Brasil.O que acho legal que a Corea a Uniao europeia e China tambem o ministro so falou do Chile.Cade o nosso ilustre ministro do exterior o tal de Aloiso Nunes Ferreia era pra ele ta cuidando disso nem na churrascaria comer carne importada ele foi.O antecessor do atual ministro Aloisio o tal do Serra criou confusao com a Bolivia Uruguai Paragua e Venezuela agora ministro da agricultura com o Chile ja esses caras arrumam uma guerra com nossos irmaos latinos o que me impressiona e me preocupa e que nesse governo nao consigo encontrar nenhum ministro com capacidade e equilibrio esse governo e muito ruim.

Responder

Rogerio

20 de março de 2017 às 17h41

Vocês já pararam pra pensar que esta operação da PF (completamente desastrada e com erros infantis, se considerarmos os procedimentos padrão e a competência dos delegados e investigadores) tem outro objetivo que não os que estão sendo amplamente discutidos nas redes sociais? DICA: comecem a acompanhar de agora em diante possíveis alterações na reforma da Previdência. Alguma categoria de trabalhador, assim como do nada, é retirada da reforma e não será massacrada como as demais, por exemplo. Outra dica: no link, a seguir, nas entrelinhas das falas dos reprensentantes dos policiais, tanto civis como federais: https://crpsjuntasderecursos.wordpress.com/2016/12/08/reforma-da-previdencia-de-temer-gera-crise-com-policiais-nao-militares-que-ameacam-greve/.

Responder

walter c. pereiro

20 de março de 2017 às 17h17

dentro das considerações e estatísticas sobre a operação, talvez fosse util publicar quanto as maiores empresas do setor contribuíram para campanhas eleitorais e para quem? e como?
quanto foram financiadas e por quem?
para não parecer como aqueles que reclamam da chuva e do sol, do frio e do calor…

Responder

    Miguel do Rosário

    20 de março de 2017 às 21h05

    Acho besteira isso. As empresas doavam porque era permitido pela lei eleitoral. Não vou entrar nessa histeria de criminalização da política e das empresas.

    Responder

Pedrita

20 de março de 2017 às 17h08

Yes
Nós temos bananas
Bananas
Pra dar e vender
Banana menina
Tem vitamina
Banana engorda
E faz crescer

Responder

ELIANE RODRIGUES

20 de março de 2017 às 17h01

Acho muito bom o que aconteceu. ao menos desacelera a ambição dos pecuaristas em desflorestar a Amazonia – está havendo uma invasão nas florestas brasileiras por causa deste comércio de carnes. A mentalidade da humanidade precisa mudar se quiser salvar o planeta do super aquecimento global.

Responder

Romeu Domingues

20 de março de 2017 às 19h52

Olha a prova!!!! vai um cafezinho??? https://www.facebook.com/obrazildeforadobrasil/videos/1853535901582871/?pnref=story

Responder

Atreio

20 de março de 2017 às 16h52

jornalismo, sempre refrescante.

agradeço muito por seu trabalho, miguel!

Responder

baltazar pedrosa

20 de março de 2017 às 16h51

A grande mídia, juntamente com polícia federal ,fizeram um esforço tamanho,para arruinar, com o mais produtivo setor do país.Nesse imbróglio estar o malfadado ministro da justiça,envolvido até o pescoço com o fiscal,aliás o grande chefe, nesse momento, os maiores importadores de carne do brasil, já cancelaram as suas importações,se esse pseudo governo não cair logo,certamente a vaca vai pro brejo,mais aonde a vaca vai o boi vai atras .

Responder

Raimundo

20 de março de 2017 às 16h50

Quando o crime é praticado pelos ricos é exagero, mas para acabar com os pobres, vide reforma da previdência, tudo é normal!!!

Responder

José Magno

20 de março de 2017 às 16h27

Se essas informações são verdadeiras, o melhor seria extinção da Policia Federal e a sua divisão como: Policia Nacional de Fronteiras e Policia Administrativa Judiciária.

Responder

Marcio Allen

20 de março de 2017 às 16h04

Trabalho magnífico!

Responder

Fernando

20 de março de 2017 às 15h52

Tudo o que eu queria dizer aqui, ou já foi dito pelo Miguel ou pelos comentaristas.

Peço licença para dizer como me sinto.

Nestes tempos sombrios que assolam a política em nosso país, parece que estou assistindo ao vivo seriados do Netflix. Drama, ação, romance, comédia, aventura, suspense e até ficção, tudo ao mesmo tempo.

A coisa vai deste House Of Cards, passa por Billions, vai para Narcos e até Sense 8, em referência a suruba.
Mas estou me sentindo mesmo dentro da série The Walking Dead. (propenso aos zumbis)

Não estou dando conta do controle remoto.

Mas, como todos sabem como as coisas funcionam neste país, basta ficar atento à detalhes e nunca, “nunca mesmo” se esquecer da história.

Parece coincidência que notícias trágicas e bombásticas, aparecem assim, do nada, nas melhores horas para este governo ilegítimo com presidente ilegível.

Tudo tem uma razão de ser neste tabuleiro de xadrez político, é só fazer as relações.

Me parece que todos os que ocupam cargos neste desgoverno, tem alguma relação entre si e aos acontecimentos atuais.

Ou será impressão minha?

O que está acontecendo agora é a “Operação Abafa”.

As sessões e votações na câmara e no senado não pararam.

Ainda existe a reforma da previdência, trabalhista, da saúde, da educação, etc…

Até reformaram o ex-quarto do Michelzinho.

A psicologia explica:

“ Toda a instituição adquire a característica do problema que ela tenta resolver”.

Responder

    C.Poivre

    20 de março de 2017 às 23h36

    Fernando, vc que também gosta dos seriados, filmes e documentários do Netflix, recomendo: “Christopher Jefferies – A história de um homem injustiçado” que diz tudo sobre o “estado da arte” da mídia (na Inglaterra!) e “A 13ª emenda” sobre a “lawfare” contra os afrodescendentes estadunidenses.

    Responder

Eliseu Leão

20 de março de 2017 às 15h36

O grande problema não são as insidias dos Soros da vida. Nosso grande problema são os brasileiros traidores que teremos que perseguir. Eles tem nome, sobrenome, RG e endereço.

Samuel Pinheiro Guimarães a ”prova viva de que, independente da massacrante manipulação de que a população é vítima, sempre haverá nacionalistas atentos”, como bem escreveu Miguel do Rosario, publicou aqui nesse blog em agosto de 2915 um post onde expõe claramente esse e outros problemas: ”A Polícia Federal exerce suas funções com extrema parcialidade, de forma midiática, criando, na sociedade a presunção de alta periculosidade de indivíduos que prende para investigação e se arvorando em poder independente do Estado. Segundo depoimento do Presidente das entidades da Polícia Federal na Câmara dos Deputados, a Polícia Federal recebe regularmente recursos da CIA, do FBI e da Drug Enforcement Administration – DEA, no montante de USD 10 milhões anuais, depositados diretamente em contas individuais de policiais federais.

Responder

raquel

20 de março de 2017 às 15h14

não interessa se são 21 ou 1! tem podridão tem sujeira tem que ter punição e ampla divulgação!

Responder

Nery Nunes Sater

20 de março de 2017 às 17h12

Esse é ideal Fridajan De Sá.

Responder

Mario Marcio Soares Lima

20 de março de 2017 às 16h54

Financiar pelo BNDES pra lavar dinheiro sujo em campanha pode . essa “moral” relativista de esquerdista é nauseante e as pessoas de bem do país não suportam mais sites e blogueiros pagos . Os caras explodiram com financiamentos na era Luladrão , só mesmo um completo imbecil não percebe a sujeira das empresas que fazem parte do esquema “me financia que te dou propina” , com impostos suados do povo . Deixem de ser cretinos , a espada da justiça vai descer como uma montanha na cabeça de canalhas assim .

Responder

    Emerson de Morais

    20 de março de 2017 às 15h43

    A corda sempre estoura do lado mais fraco, já ouviu falar isso?

    Responder

    Marcio Allen

    20 de março de 2017 às 16h06

    Olha a OBAN, DOPS, DOI CODI aí gente, fora fascista!

    Responder

    Marcio Allen

    20 de março de 2017 às 16h10

    Tá no site errado amigo, fascista é no blog do Bolsonaro.

    Responder

KLEBER TODIMO

20 de março de 2017 às 13h18

CARNE PODRE SIM…
TANTO QUE A EUROPA E ASIA JA ESTÃO CANCELANDO SUAS IMPORTAÇOES DE CARNE BRASILEIRA..
VAI VER DETECTARAM ALGO ..

POR QUE SO SENDO MUITO TROXA P ACHAR QUE A PF ESTA ERRADA…
INVESTIGOU 2 ANOS !!.. 24 MESES..

VEM MEIA DUZIA DE VERMA CORRUPTO FALA 20 MINUTOS E FICA TUDO CERTO..
O POVO SO TEM AKILO QUE MERECE

Responder

Renato Vargas Dos Santos

20 de março de 2017 às 15h48

FALA MUITA BOBAGEM EM POUCOS SEGUNDOS, A CARNE, O CAFÉ, O CHOCOLATE, A CERVEJA E TUDO QUE COMEMOS E BEBEMOS NO BRASIL É UMA BELA PORCARIA, O QUE É BOM VAI PRA FORA, E MESMO ASSIM TEM ALGUNS IRRESPONSÁVEIS ESTÃO MADANDO PORCARIA PRA FORA, MAIS UM DETALHE TEMOS QUE TER CONTROLE SIM, MAS CONTROLE ALIMENTAR URGENTE. O EXEMPLO QUE VOU LHE DAR ESTA EM UMA MATÉRIA QUE FIZ ANO PASSADO E É APENAS A PONTINHA DO ICEBERG. https://www.facebook.com/TV3RS/videos/1091822070878842/ LEIA-SE FRIBOI NO FRIGORIFICO, ISTO EM 20 DE MAIO DE 2016
https://www.facebook.com/TV3RS/videos/1082847171776332/ STE OUTRO ERA PARA NESTLÉ
VÁ PESQUISAR ANTES DE COLOCAR BOBAGEM NO AR, E FALAR DE POLÍTICA, QUANDO DEVERIA ESTAR FALANDO DE SEGURANÇA ALIMENTAR DO BRASILEIRO, SE QUERES COMER MERDA, FIQUE A VONTADE

Responder

Elaine Coimbra

20 de março de 2017 às 14h34

Christovão, uma outra visão, conforme conversamos na 6a feira.

Responder

Josley Bueno

20 de março de 2017 às 13h44

Quanto o Cafezinho está ganhando da friboi? para vir contar mentira aqui nossa PF é um orgulho nacional não está contaminada com esse governo podre e corrupto e com essas empresas que só visam lucros dispostas a tudo

Responder

Raimundo Junqueira

20 de março de 2017 às 10h43

VERGONHA BRASILEIRA – Eu não entendo nada disso. Não tenho nenhum doutorado em NADA. Só vejo aproveitadores da esquerda e da direita, apoiados pelos urubus do “congresso nacional”, e alguns do STJ. Isto é uma vergonha: governadores, prefeitos, vereadores, e, outros políticos de nossa nação brasileira, . Eles, todos eles não têm medo de nossa justiça. Esta justiça fraca tem saída para todos. Veja bem o que aconteceu no Rio de Janeiro. O FDP do governador e sua esposa quebraram o estado, e, agora este tal de pezão, cria uma nova secretaria e coloca uma marginal já denunciada no cargo. Acho eu que isto é formação de quadrilha. Acho que este FDP devia ser preso igual aos chefes de traficantes do pó que formam quadrilhas. UMA PERGUNTA: Porque estes políticos FDP não mudam estas leis. Porque não aumentam a maioridade penal. Será que é por medo de alguém da família ir pra cadeia??? Porque que nós brasileiros não pesquisamos mais antes de votar nestes urubus, ou estamos esperando destes urubus uma propina??? BRASIL.E OS MEUS NETOS??? Gente pense no futuro de sua família, nas novas gerações. Gente pense no Sudão Sul e rezem para não acontecer aqui em nosso país abençoado por Deus. Vamos lá pessoal. VAMOS EXTERMINAR DE VEZ ESTES URUBUS.

Responder

Silvano Ferrera

20 de março de 2017 às 13h41

Ja descurtir essa pagina esquerdopata de m…

Responder

Vitor

20 de março de 2017 às 10h24

Tirando a bobagem do filho do Lula, concordo com o Miguel. Fez-se um estardalhaço por algo muito pequeno. Irresponsabilidade total da PF…

Responder

Mike Costa

20 de março de 2017 às 13h19

esse é um vagabundo, mais um, esquerdista com essa ladainha de que querem “roubar” as riquezas do brasiu (escrever errado mesmo o nome desse pais de povo de merda!!).

Responder

Eric Macedo Maede

20 de março de 2017 às 12h41

Para que pagar fiscal então??? Defendendo carne estragada irmão???

Responder

    walter araujo

    20 de março de 2017 às 11h09

    Caro, você não entendeu nada.
    Leia tudo outra vez.
    Se não for possível, peça um
    neurônio emprestado

    Responder

Leandro Gabriel

20 de março de 2017 às 11h52

que trem bom que os EUA está fazendo então… só assim a nossa carne fica mais barato talvez, tomara que os preços caiam bastante com isso, pq do jeito que está mal mal um franqguinho no prato dos Brasileiros…

Responder

Antônio Santana

20 de março de 2017 às 11h46

A sociedade não pode mais aceitar às barbaridades cometidas por criminosos vestidos de políticos, agentes públicos e empresários corruptos, que são os responsáveis pelo caos, desemprego, fome e a destruição de todo Brasil.

Responder

Lindberg Macedo

20 de março de 2017 às 08h36

Lamentável, muito lamentável a conduta de alguns delegados da PF nesse caso da carne e em outros mais. Atitudes pirotécnicas, estabanadas, tendenciosas e irresponsáveis. Há uma espécie de sadismo, onde se deleitam e gozam com a depreciação e consequente sofrimento do Brasil.

Responder

Celci De Moraes

20 de março de 2017 às 11h17

Pagina lixo,vcs devem comer merda!

Responder

Zenir Campos Reis

20 de março de 2017 às 10h17

Esclarecedor mas não conclusivo.

Responder

Fernando

20 de março de 2017 às 02h53

Boa noite Miguel, há algum problema com meu comentário, qual o motivo de não ser publicado.

Agradeço pela resposta.

Responder

Geraldo Galvão

20 de março de 2017 às 01h08

Os delegados federais Igor Romário de Paula e Maurício Moscardi Grillo, são os responsáveis pelo atentado contra os produtores de 40% da carne consumida no mundo. Lei contra o abuso de autoridade JÁ.

Responder

Letícia Ribeiro

20 de março de 2017 às 03h14

Érico Homem Ribeiro

Responder

Marisa Martelli Nascimento

20 de março de 2017 às 00h04

Creio que os problemas encontrados na Carne Fraca atinge uma pequena parcela de empresas que colocar no mercado carnes estragadas por força de propinas que fiscais recebem. O grande alarde que fazem é para tirar a atenção do povo de projetos impopulares que o governo e sua turma de choque querem por goela abaixo dos brasileiros, e também aprovarem o que lhes beneficia e os livra de seu crimes e propinas recebidas. Que vergonha! E os passos de Tartaruga do STF..Há falhas gritantes em ações dos Três Poderes.

Responder

Joao Vitor

20 de março de 2017 às 02h56

#Bolsonaro2018

Responder

Luiz Antônio

19 de março de 2017 às 22h43

O povo está reclamando de como é feita a linguiça? Ah, se ele soubesse então como é feito o JN! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

marco

19 de março de 2017 às 21h56

Quanta bobagem e mau caratismo,se lê ao respeito de CARNES.Carne passada,qualquer frigorífico faz charque.Tapa-se a carne com sal,e após um tempo,serve-se aos AMANTES DAQUELE GOSTOSO CARRETEIRO,que é somente pior ,do que o carreteiro da mamãe.Ah!E em qualquer charque,o que se come sem notar,são MOSCAS.Milhões delas ,presas embaixo das camadas de sal. E fica-se lendo uma quantidade de bobagens ao respeito,tantas quanto a quantidade de moscas,que qualquer charque traz às mesas,em seu DNA.Deixem de ser parvos,ora bolas,o que se está tratando,é da destruição de várias indústrias nacionais,em favor das FÉTIDAS INDÚSTRIAS DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA DO NORTE. Que elegeram para presidente,um dos poucos BISÕES sobreviventes,da sanha assassina do John Waine que se fosse vivo,o teria abatido,antes das eleições!

Responder

JORGE ALMADA

19 de março de 2017 às 20h59

Não é só o problema da carne podre e propina para político mas tem uma agravante maior é a divida da JBS PARA COM A PREVIDÊNCIA SOCIAL DE 1,8 BILHÕES DE REAIS. O trabalhador que vai pagar a conta no futuro.

Responder

Eudes Gouveia

19 de março de 2017 às 20h44

Olhe o nióbio. Somos o único exportador desse minério estratégico com 98% da produção (Canadá tem 2% e não exporta é reserva estratégica). E Exportamos a preço de banana. Aécio, Andrea Neves e bancos compram deles próprios e revendem com lucros altíssimos na banca britânica. Deem uma googlada nas tags “nióbio aécio” e surpreendam-se.

Responder

Ralfo Penteado

19 de março de 2017 às 20h39

Não é papelão é celulose. Não é caixa II do mal é caixa II do bem. Já se enroscarem várias vezes lá fora. Aqui dentro nunca é reclicam o refúgo de exportação aqui.
ORCRIM, PODRIM e agora a NUCRIM (área nuclear) a próxima, cheia de gente do Michel temer LULIA.

Responder

Anônimo

19 de março de 2017 às 20h37

Não é papelão é celulose. Não é caixa II do mal é caixa II do bem. Já se enroscarem várias vezes lá fora. Aqui dentro nunca é reclicam o refúgo de exportação aqui.
ORCRIM, PODRIM e agora a NUCRIM (área nuclear) a próxima, cheia de gente do Michel temer LULIA.

Responder

Carlos

19 de março de 2017 às 20h28

Será que a briga interna dentro da PF, pelo poder, vale a eliminação de um trabalho elaborado há quase duas décadas, afim de proporcionar ganhos de qualidade no setor agro pecuário ? provem o que mostraram na mídia, alguma carne podre foi apreendida ? não, o que parece é mais uma briga política se iniciando. Caso venha a seguir o mesmo roteiro da lava jato, é mais um setor significativo de nossa economia indo pro ralo, com a agravante de gerar mais de um milhão de desempregados e quebradeira no campo, pois a grande maioria dos fornecedores destas empresas são o pequeno e médio produtores.

Responder

Jotage

19 de março de 2017 às 20h18

Oras bolas.
Estes mesmos empresários se uniram à podridão: PSDB, PMDB, PF, MPF, STF. Eles ansiavam pela volta do escravagismo e apoiaram com dinheiro a derrota de Dilma, que não aconteceu.
Eles achavam que a PF e MPF estava do lado deles. Não sabiam que eles tinham um “grande chefe”, e trabalhavam para ele. Só houve a coincidência do inimigo comum.
Agora chegou a hora dos empresários. O “grande chefe” já deu o sinal de avançar.
Os plantadores de soja que se cuidem.

Responder

Santos

19 de março de 2017 às 19h52

Olá!

Bôa Noite!

Além Dos EUA, Internamente A Perdição e A Sadia, já vinham, Perdendo, uma Grande Fatia Do Mercado. Portanto, A Reestruturação. Vai Levar Um Bõm Têmpo. Ou não Se Recupere Totalmente. O Fato, É Que As Concorrentes, Vão Abocanhar, as Suas Fatias Perdidas Do Mercado. Mal Comparando, É Igual, Ao Têmpo, Da ” Guerra” Gol x TAm ( Desculpe, Se O Nome For Outro). Que so encerrou, Com Os Respectivos ” acidentes”…P.S.: Nunca Comentei, Na Sua Coluna…

Responder

Santos

19 de março de 2017 às 19h50

Olá!

Bôa Noite!

Além Dos EUA, Internamente A Perdição e A Sadia, já vinham, Perdendo, uma Grande Fatia Do Mercado. Portanto, A Reestruturação. Vai Levar Um Bõm Têmpo. Ou não Se Recupere Totalmente. O Fato, É Que As Concorrentes, Vão Abocanhar, as Suas Fatias Perdidas Do Mercado. Mal Comparando, É Igual, Ao Têmpo, Da ” Guerra” Gol x TAm ( Desculpe, Se O Nome For Outro). Que so encerrou, Com Os Respectivos ” acidentes”…

Responder

Bayarde camsrho

19 de março de 2017 às 19h17

Volta Lula!!

Responder

Convençam-me

19 de março de 2017 às 19h08

Histórias de carnes insalubres, precarização de condições sanitárias, abatedouros clandestinos, comércio irregular e suborno de fiscais sempre existiram desde que os portugueses introduziram nestas terras o gado bovino. Entretanto, quando o Brasil por longa trajetória conseguiu se tornar um dos maiores produtores e exportadores de carne do mundo tomando mercado de certos países metrópoles aí , curiosamente, começa outro tipo de história, sobretudo quando um dos maiores frigoríficos do Brasi país figurou disseminado pela midia como aliado de um ex-presidente da república, cujo filho ainda era considerado acionista. Não quero acreditar na tese de que as investigações policiais iniciadas há cerca de 2 anos, portanto, antes do impedimento de 2016, visavam à apuração e comprovação desse elo perdido sob sofisma de irregularidades sanitárias e corrupção de fiscais.

Responder

Alessandro Gonçalves da Silva

19 de março de 2017 às 21h57

A culpa é dos alienígenas

Responder

Alessandro Gonçalves da Silva

19 de março de 2017 às 21h56

Alienígenas do passado!

Responder

Nilo Ramos

19 de março de 2017 às 18h48

Com os devidos pedidos de desculpas pelos trocadilhos, entendo ainda ser necessário, dar os devidos nomes aos bois da carne fraca : abuso e usurpação de poder, pelos representantes, da Polícia Federal e do Pmdb-especialmente o atual ministro da Justiça-, mais diretamente envolvidos no caso.

Responder

Felipe Freitas

19 de março de 2017 às 21h43

Q porcaria de página, vocês prestam um desserviço aos seus seguidores.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 20h08

    Não é o que eles acham.

    Responder

    L'Amie

    19 de março de 2017 às 21h13

    Qual a razão desta resposta? Afinal, tenho perdido muitas participações em razão do sistema de vocês travar e criar dificuldades. Creio que melhor seria saber o pq da queixa.

    Responder

Maria Thereza Freitas

19 de março de 2017 às 17h53

Ótimo, Miguel, porque já tem gente confundido investigação decente com apoio à carne estragada, da mesma forma que misturam esse tipo desejável de investigação com apoio à corrupção. Os entreguistas agora já tem um boi expiatório.

Responder

Antonio Celio Soares

19 de março de 2017 às 17h49

Vamos aguardar o pe no trazeiro da burguezia guando a cia estiver ditando as ordens aqui .Ja foi o petroleo,a carne,o minerio . Qual sera aproxima entrega para os gringos? By by Braziiilll.

Responder

Antonio Celio Soares

19 de março de 2017 às 17h39

Eu so quero ver quanto aos burgueses aliados a cia neste pais levarem um pe no trazeiro.
By by Brasiiilll.

Responder

Anônimo

19 de março de 2017 às 17h16

Parabéns pela matéria

Responder

Andre Santoro

19 de março de 2017 às 17h05

Miguel, só toma cuidado que você comentou que “O ferro é mais barato que o contêiner onde ele vai guardado” sendo que o minério é exportado em navios a granel, sem a presença de contêineres.

Abs!

Responder

    Miguel

    19 de março de 2017 às 20h01

    No contêiner do trem que o leva ao porto então, se é que podemos chamar de contêiner

    Responder

Erno Engelsdorf

19 de março de 2017 às 16h30

Acho que Polícia Federal tem feito um grande trabalho. Mas nesta operação exagerou e agiu até com irresponsabilidade com o Brasil como país e com milhões de produtores que de forma honesta e com muito sacrifício tem trabalhado. Não concordo com todos os comentários apresentados pois refletem uma posição política partidária tendenciosa

Responder

Mateus Afonso Vaillant

19 de março de 2017 às 19h03

Página de conteúdo ruim kkk

Responder

Cida Lira Cavalcante

19 de março de 2017 às 15h53

Meu raciocínio inicialmente foi igual ao seu. Prejudicar milhares de trabalhadores neste momento de crise. Não teria uma forma mais discreta de punir responsáveis diretos e poupar os honestos? Mas aí vc descobre que milhões foram doados a políticos pelo segmento. Que o ministro chama o criminoso de ” grande chefe” . A quem recorrer para punir, se governantes tinham interesses pessoais para acobertar? Tá difícil. Lamento por mim, por vc, pelo povo deste país, mas a PF agiu erradamente certo por falta de outra opção.

Responder

Victor

19 de março de 2017 às 15h50

O texto está corretíssimo além de muito didático.

Pena que a maioria da população tenha pouco tutano na cabeça para ligar os pontos além do básico.

Responder

Sergio Gomes

19 de março de 2017 às 18h44

Esse ódio contra essa ação legal da PF, serve para autenticar que os frigoríficos envolvidos, em especial a JBS, tem muito a ver com os governos petistas. Pouca vergonha da canalhada.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 20h08

    Que obsessão pelo PT. Que saco!

    Responder

    L'Amie

    19 de março de 2017 às 21h28

    Sergio, que exagero ! Exatamente na hora do retorno pelos altos investimentos no ramo é tal acontece. Caramba, ninguém é tão bobo ou burro. Junte os pedaços do quebra cabeça e você chegará próximo da verdade. A ocorrência não se restringe à nossa política econômica interna, vai mais além quando se trata de política externa e mais, de mercado e de forte concorrência. Entram outros elementos que estabelecem até bloqueios para que a ponta oposta, a consumidora se veja cerceada. A PF demonstra ser peça nesta engrenagem de rolo compressor. Atenção !!!

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h48

    “O QUE VCS PENSAM SOBRE ISSO?
    Você descobre que funcionários do seu restaurante estão te roubando e sabotando a qualidade da sua comida. O que você faz?
    a) Você internamente resolve o problema da qualidade e leva esses funcionários à justiça.
    b) Você aproveita o sucesso que tem e com o restaurante cheio, convoca a imprensa e revela tudo que estar acontecendo, afastando de vez os clientes, desmoralizando seu restaurante, perdendo a credibilidade, consequentemente tendo que demitir muitos funcionários que não estão envolvidos na situação e corre o risco de ir a falência.
    Se você escolheu “b”, parabéns. Já pode entrar para a Polícia Federal e ajudá-los na destruição do Brasil, devastando a economia e aumentando o desemprego. Punir pessoas, sim, cadeia nos envolvidos, mas sem destruir o país, sem dilacerar setores que ajudam sustentar o país, sem tirar empregos de milhares de pais de família.
    A quem interessa a destruição do Brasil?” Roberto Staniscia

    Responder

    Sergio Gomes

    20 de março de 2017 às 22h51

    Ana Lobato
    “Depois que a ciclovia caiu, vamos aprimorar a fiscalização;
    Depois que morreram mais de 200 jovens no Sul, os bombeiros resolvem fazer uma fiscalização mais severa;
    Depois que descobrem remédios falsificados a agência responsável jura que a fiscalização será rígida; depois do flagrante da carne contaminada a fiscalização acorda; sem falar no leite, no frango e tudo o mais que teria que ter, obrigatoriamente, fiscalização preventiva. E o povo que se lixe!”.
    Henriette Granja.

    Responder

Douglas Fiorotto

19 de março de 2017 às 18h43

Tudo o que o Brasil não precisa é de um lixo de perfil como este. Vende desinformação para que tudo continue como sempre foi

Responder

Alvaro Dias

19 de março de 2017 às 15h27

Coisa ruim o agronegócio né? kkkkkkkkkkkkk O maior valor de exportação e a maior distribuição de renda que não precisa do governo e a esquerda condena. Que inteligência.

Responder

    Victor

    19 de março de 2017 às 15h57

    Nem muito ao mar, nem muito à terra.
    O problema do agronegócio hoje é sua dependência de insumos e de fornecedores estrangeiros (Monsanto, Basf, Syngenta, Dow). Ao contrário do que se vende, boa parte da tecnologia é importada e boa parte da pesquisa é mera reprodução ou adaptação de pesquisas que ocorrem nos grandes centros. O Brasil produz muito, mas ainda é periferia neste campo.
    Outro problema do agro é que o preço das commodities é determinado pelos big players (vulgo mercado de capitais) e não por nós ou pela demanda oferta real.
    Depender da agricultura torna o Brasil vulnerável e muito dificilmente UE e EUA permitirão que o Brasil domine o mercado de produtos processados de alto valor agregado. Veja exemplo do Café, do Etanol etc.
    O problema que a esquerda em geral aponta é a degradação ambiental na Amazônia Legal, mas o pior mesmo é a poluição de rios, nascentes etc por uso ABUSIVO de pesticidas em todo o território nacional.

    Responder

Carlos

19 de março de 2017 às 15h16

Fala sério. Isso é algum site que ganhou dinheiro para defender? Abre os olhos vc que escreveu isso. Porco comedor de carne estragada.

Responder

Fernanda Sesta

19 de março de 2017 às 18h11

Estude que o Texas é um dos maiores produtores de carne do mundo, portanto não precisam da nossa carne! Tb estude que não dá para exportar a carne In natura que ela estraga…
# vergonhadaburricealhei

Responder

    Miguel

    19 de março de 2017 às 20h03

    In natura congelada óbvio

    Responder

Pedro Augusto Pinho

19 de março de 2017 às 15h06

Primeiro quero dar-lhe os parabéns pela excelente matéria e em seguida deixar uma contribuição.
OPERAÇÃO LAVA JATO – TRÊS ANOS DESTRUINDO O BRASIL – HITLER GANHOU A GUERRA

Em 2003, o economista e escritor argentino Walter Graziano escreveu “Hitler Ganó La Guerra” (Editorial Sudanericana, 2004). Enumera neste trabalho os casos que investigou sobre as falsidades levadas às pessoas e repetidas pela comunicação de massa e até mesmo ensinadas nas escolas e universidades. Entre elas está, por exemplo, a Teoria Econômica de Adam Smith, desmentida pela demonstração matemática da Teoria dos Jogos, por John Nash, e pela pesquisa de Richard Lipsey e Kelvin Lancaster formuladores do “Teorema do Segundo Melhor”. Também trata das mentiras sobre o petróleo, a energia, as ações que não chegam ao público dos órgãos de espionagem e preparação de golpes dos Estados Unidos da América (EUA), do grupo Bilderberg e do 11 de setembro estadunidense, que aprisionou os próprios norte-americanos no “U.S. Patriot Act” e desencadeou as guerras, ainda em curso, no Iraque e em selecionados países do Oriente Médio e norte da África. Sobre esta farsa o escritor e jornalista francês Thierry Meyssan estará lançando, nos próximos dias, o livro “Sous nos Yeux. Du 11-Septembre à Donald Trump” resultado de suas investigações sobre o que chama “o golpe de estado do 11 de setembro”.
Não temos do que nos queixar, aqui no Brasil. A mídia nativa é dominada, oligopolisticamente, por poucas famílias, e age sempre articulada com interesses estrangeiros. Nossa didática é colonial, incutindo-nos, desde a tenra infância, preconceitos e teorias absurdas sobre nosso próprio povo e nossa capacidade.
Chegamos então ao ápice do combate à nação brasileira com a Operação Lava Jato, apresentada como um instrumento de combate à corrupção.
Vejamos o seu sucesso nestes três anos de existência. Talvez o mais grave, pois a economia sempre pode ser reconstruída, seja a mentira e a hipocrisia como instrumento de poder. E nem aí estaremos sendo originais.
Nem tratarei da extinção da engenharia brasileira, pois qualquer um que tenha dois neurônios em funcionamento já percebeu Também não escreverei sobre a ação de desmoralização da mais competente empresa de petróleo para as áreas oceânicas profundas, onde o petróleo já é produzido desde agora e no futuro o será unicamente, tirando o País da competitividade que ameaçava as empresas das potências coloniais.
Vou me ater a ação destrutiva dos agentes estrangeiros, infiltrados no judiciário, na procuradoria e na polícia, aliciados em cursos promovidos pelo Departamento de Estado dos EUA, por viagens de estudo ou de prêmio (sic) ao exterior, ou simplesmente pela vaidade e pela vontade e espírito, não o talento, de encenação diante das câmeras, na tentativa de extinguir outra área onde o Brasil se tornou capaz de enfrentar a concorrência externa e surgir como potência econômica e administrativa: a produção de alimentos, principalmente os processados.
Tenho convicção que não foi por mero acaso que este “escândalo”, seguindo o padrão Lava Jato, se deu numa sexta-feira, para ser capa das revistas semanais, lançadas no sábado, matéria dos jornais televisivos, sem possibilidade de acionar defesa efetiva, pois estará no paralisante fim de semana.
Vamos discorrer um pouco sobre esta indústria exportadora de alimentos. Acompanhei há muitos anos, ainda que indiretamente, as tratativas nacionais para exportação de carne para os países árabes e para Israel. Havia diversos protocolos a serem cumpridos e a permanente presença de fiscais dos importadores nas unidades produtoras brasileiras. Todos os procedimentos constavam dos contratos de exportação, suas comprovações e atestados, além das penalidades e foros de arbitragem e julgamento. Não era uma ação improvisada, sujeita a humores e venalidades, ao sabor de seus executantes. No entanto, aqui e em quase todos os países em que trabalhei ou onde observei estes processos de autorização administrativa, a corrupção existe e não será um simples sistema de controle que a impedirá. É o fiscal que deixa de conferir o volume ou as autorizações, é um chefete que dorme com o papel na gaveta e todos que tem ou tiveram que lidar com processos administrativos, públicos, privados ou tercerizados, sabem muito bem o que e como ocorre. Repito que isto não é privilégio nacional, nem de país colonizado. Nas potências, nos colonizadores ele está presente em volumes e frequências que só a mídia venal e hostil ao Brasil oculta.
Por que então o “escândalo da carne”? Porque envolve outra área onde as empresas brasileiras ganharam competitividade e crescem a cada dia. A mesma filosofia Lava Jato que só encontra “corrupção” nas empresas brasileiras que atuam em todo o mundo, com competência técnica e gerencial, que ganham concorrências nos EUA e na Europa, disputando com as grandes corporações locais, e possam ser prejudicadas, punidas, judicialmente ou pelo mercado. Acaso alguma empresa estrangeira esteve envolvida nos “escândalos” da Lava Jato? Algum grande executivo ou acionista destas empresas que, até recentemente, abatiam os subornos no Brasil e em países estrangeiros de seus impostos nacionais foi sequer mencionado na imprensa ou coercitivamente, sob holofotes, intimado a depor?
Desde que a banca ou o Poder financeiro ou, nas palavras do grande brasileiro Adriano Benayon, a “oligarquia financeira” tomou conta de nosso País, o que vemos no Brasil é o crescimento da corrupção, da alienação de nossas riquezas e o controle externo de nossa economia. E tudo isso foi exponencializado com o Golpe de 2016.
Este escândalo do dia em relação a empresas brasileiras exportadoras de produtos alimentícios industrializados ou processados se insere no projeto Lava Jato de desmonte nacional, como aconteceu com a engenharia nuclear, a engenharia de montagem, as prestadoras brasileiras de serviços na área de petróleo e energia e todo conhecimento e empregos de pesquisa e desenvolvimento nestas áreas. Em resumo com o retorno ao Brasil Colônia, com um dirigente fantoche.
Esta guerra do capital especulativo, do capitalismo estéril, contra o capital produtivo, o capitalismo industrial, está sendo ganha pelo primeiro, mesmo derrotado nas urnas. Hitler vem ganhando a guerra que propõe a dramática redução da população mundial. E o faz, como só poderia fazer, com embustes, farsas, falcatruas e muito cinismo.
Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

Responder

    Victor

    19 de março de 2017 às 15h59

    Ótimo comentário.
    Parabéns.

    Responder

Guilhermino

19 de março de 2017 às 15h05

Cuidado: minério de ferro não é transportado em contêineres: é a granel. No mais, tudo perfeito.

Responder

Wake up

19 de março de 2017 às 15h01

Os fiscais omissos que aceitaram propinas pra fazer vistas grocas a vigilancia sanitaria permitindo a distribuicao de carne contaminada tinham que ser demitidos,detidos e investigados por caixa 2.mais uma vez voltam a acusar LULA e familia de envolvímento com a freeboi .calunia essa que ja rendeu processo em favor do presidente de honra.

Responder

Ruy Bender

19 de março de 2017 às 17h47

Só fala merda

Responder

Ivo Vanda Reis

19 de março de 2017 às 17h24

Cafezim, vc está piorando. Agora passou a defender a carne podre??? Vc só escreve pra turma do PT, né não??? . Só pode……

Responder

José Picolo

19 de março de 2017 às 14h01

Perfeito.
Obrigado, Miguel do Rosário, pela análise lúcida.

Responder

Cleber Machado

19 de março de 2017 às 13h48

Com instituição como as nossas, não precisamos de inimigos externos. Juntas estão destruindo os setores mais produtivos de nosso país.

Responder

AFISA-PR

19 de março de 2017 às 13h47

No site da Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR) http://www.afisapr.org.br:

Via o Jornal GGN o respeitável jornalista Luis Nassif sustenta o nível de emburrecimento nacional. Trata-se da Operação Carne Fraca. Diz o jornalista: “Mas, não. O bate-bumbo criou uma enorme vulnerabilidade para toda a carne exportada pelo país. Os anos de esforços gerais para livrar o país da aftosa, conquistar novos mercados, abrir espaço para as exportações ficaram comprometidos pelo exibicionismo irresponsável desse pessoal”.

Ora, não se pode analisar o o caso tão somente sob o aspecto econômico e monetário.

A fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado está falida!

Não há fiscalização adequada. Existe um faz de conta. E esse faz de conta (regado à propina, como é o caso identificado pela Operação Carne Fraca) é o “ideal” para a iniciativa privada.

Não há fiscalização adequada. E o pouco que existe está sob a guilhotina na privatização (PLS 326 de 2016 e PL 334 de 2015).

A Afisa-PR é radical oponente da má gestão pública em prejuízo da fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado, do desmantelamento, do seu sucateamento, da sua privativação, entre tantas outras mazelas (política associativa que espantou o “sindicalismo” pelego que existe entre os fiscais agropecuários).

A Afisa-PR, ao contrário de todas as demais entidades do Brasil, teve coragem de colocar o dedo nesse ferida, por isso, é inconstitucionalmente perseguida, tentam “eliminá-la” de todas as formas, inclusive, atacando criminosamente seus diretores afastados.

Pelo jeito, dizer a verdade não é o forte da categoria dos fiscais agropecuários (que não se dá o devido valor e importância, por isso, explica-se seu fundo do poço traduzido por desrespeito, desvalorização e injustiça remuneratória).

É evidente que a Operação Carne Fraca trará severos prejuízos econômicos a este maltratado país.

Porém, quem sabe, esse preço seja o mal necessário para melhorar a fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado; para que os fiscais agropecuários honestos, de boa-fé e que honram o serviço público sejam tratados com respeito, valorização e justiça remuneratória.

A Operação Carne Fraca mostra que existe sim corrupção na fiscalização agropecuária “tutelada” pelo Estado, e ela é endêmica, sistêmica e pode envolver ministros, políticos, empresários, autoridades governamentais e fiscais agropecuários.

Não é só dinheiro que importa! Temos que preservar a todo custo a segurança alimentar da população brasileira! Temos que preservar a todo custo o interesse público em fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado!

Todos nós sabemos que certas “autoridades” governamentais de passagem pelo poder estão para a enganação, sempre se valeram da politicagem, só fazem divulgar factoides pela mídia oficial, de que a “defesa agropecuária” tupiniquim é “de primeiro mundo”. Inverdades! Existem grotescas falhas, falta crônica de dinheiro público, ausência de políticas públicas sérias e de longo prazo, incompetência, politicagem, corrupção, acobertamento, auditorias agendadas, relatórios ao gosto do freguês, deficiências, injustiças, perseguições etc. O sistema é mais furado do que peneira. Essa é a verdade, doa a quem doer.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 14h13

    “Tutelada pelo Estado”. Se fosse “corporativa”, como eles defendem, seria ainda pior. Tem que ser mais transparente, mas o Estado precisa ter o controle, sob a vigilância da sociedade, da PF, da imprensa, etc.

    Responder

      AFISA-PR

      19 de março de 2017 às 15h57

      Caso o pouco que resta de fiscalização agropecuária “sob os cuidados do Estado” for privatizada, como pretendem, haverá insegurança alimentar no Brasil. Querem “importar” o modelo privaticionista americano, que já evidenciou inúmeras falhas (nos EUA, pelo menos, escolheram projetos pilotos para avaliar a inspeção de produtos de origem animal sob “fiscalização” da iniciativa privada, antes de disseminarem no modelo). Aqui não, será privatização total, goela abaixo. Ora, se já há caos no que resta de fiscalização agropecuária “sob os cuidados do Estado”, onde fiscais do governo, em tese, fiscalizam, imaginem vocês a inspeção de produtos de origem animal, p. ex., sob “autofiscalização” da iniciativa privada??

      Caso o Brasil queira ser exportador de carne sério e profissional, terá que arrumar a casa, ou seja, contar com um sistema de fiscalização agropecuária TUTELADA PELO ESTADO, pois este serviço é INDELEGÁVEL à iniciativa privada. Sem isso, esqueçam, pois a concorrência é implacável e ávida para impor toda sorte de sanções zoofitossanitárias.

      Responder

      AFISA-PR

      19 de março de 2017 às 16h00

      Não se trata de “corporativismo”. Trata-se de manter a fiscalização agropecuária sob a tutela do Estado. Portanto, não se defende aqui nenhuma espécie de corporativismo, mas sim, ataca-se a privatização neoliberal danosa para o interesse público em fiscalização agropecuária.

      Responder

ASSOCIAÇÃO DOS FISCAIS DA DEFESA AGROPECUÁRIA DO ESTADO DO PARANÁ

19 de março de 2017 às 13h45

Não é só o dinheiro que importa!

Escândalo da carne podre e batizada? Nenhuma novidade!

Os concorrentes já alertavam: FSIS/USDA dos EUA aponta falhas significativas na inspeção de produtos de origem animal no Brasil [https://goo.gl/CQRviL]. Os concorrentes, agora, tratarão de fazer pressão para barrar a carne tupiniquim, lógico, evidente e com razão.

É inútil jogar a culpa na Polícia Federal ou no fiscal agropecuário que cumpriu sua obrigação quando honrou o serviço público ao denunciar esse monstruoso esquema que impacta a segurança alimentar da população brasileira. Não é apenas o dinheiro que está em jogo. É algo muito maior: é a saúde da população brasileira!

O que o “empresariado” ruralista e seus aliados “governamentais” de passagem pelo poder querem é a privatização irrestrita da fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado para que façam a “autofiscalização” (imaginem vocês o caos alimentar se isso vier a acontecer), com a risível desculpa de “cortar o custo” de produção (como se a venda de carne podre e batizada já não rendesse lucros exorbitantes, mesmo agregando a gorda propina aos “fiscais” que desonram o serviço público).

O “empresariado” ruralista e seus aliados “governamentais” de passagem pelo poder são defensores do PLS 326 de 2016 [https://goo.gl/DvmYRH] e do PL 334 de 2015 [https://goo.gl/C3nlqT] que tramitam sob fortíssimo lobby no Congresso. Ambos intencionam a privatização de uma atividade típica de estado e indelegável à iniciativa privada pela imposição do falacioso binômio credenciamento (“autofiscalização”) & auditoria (governamental, de vez em quando).

Agora é tarde! As consequências são irreversíveis, são iminentes e serão desastrosas. Essa turma da pesada sentirá no bolso como nunca o impacto da “perda de competitividade” quando mundo inteiro se fechar à carne tupiniquim.

Esse é o altíssimo preço a ser pago por anos e mais anos de incompetência governamental em prejuízo de uma atividade tão fundamental e estratégica que é a fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado, que deveria ser tratada com gestão pública séria, com profissionalismo e com políticas públicas adequadas, eficientes e permanentes.

A fiscalização agropecuária tutelada pelo Estado é coisa muito séria para ficar à mercê da politicalha, politicagem, incompetência, corrupção e aliança espúria com o “agronegócio” ruralista empresarial.

Responder

Alec Candia

19 de março de 2017 às 13h35

Concordo em parte. E os órgãos de fiscalização estão aí pra que? Precisa mesmo da PF para descobrir os rolos? Ou será que, no caso da JBS, o recorde de doações para campanhas de parlamentares, para logo em seguida ser agraciada com pomposo investimento, financiamento ou empréstimo (pode escolher o termo mais adequado) do BNDES, não influenciou no pouco alcance de visão desses mesmos órgãos que deveriam fazer a firme fiscalização?

Responder

Vinícius Perez

19 de março de 2017 às 16h28

Reflexão: Condenar o nome da empresa ou condenar o nome das pessoas envolvidas? Se alguém de sua familia cometer um crime deve ser condenado o nome da familia inteira ou apenas a pessoa que cometeu o crime?

Responder

    Larissa Santos

    20 de março de 2017 às 15h01

    Depende! Se for o Habib’s

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h58

    “O QUE VCS PENSAM SOBRE ISSO?
    Você descobre que funcionários do seu restaurante estão te roubando e sabotando a qualidade da sua comida. O que você faz?
    a) Você internamente resolve o problema da qualidade e leva esses funcionários à justiça.
    b) Você aproveita o sucesso que tem e com o restaurante cheio, convoca a imprensa e revela tudo que estar acontecendo, afastando de vez os clientes, desmoralizando seu restaurante, perdendo a credibilidade, consequentemente tendo que demitir muitos funcionários que não estão envolvidos na situação e corre o risco de ir a falência.
    Se você escolheu “b”, parabéns. Já pode entrar para a Polícia Federal e ajudá-los na destruição do Brasil, devastando a economia e aumentando o desemprego. Punir pessoas, sim, cadeia nos envolvidos, mas sem destruir o país, sem dilacerar setores que ajudam sustentar o país, sem tirar empregos de milhares de pais de família.
    A quem interessa a destruição do Brasil?” Roberto Staniscia

    Responder

Cristiane Bogatzky Ribeiro

19 de março de 2017 às 16h13

Aposto que voce nao conhece esse documentario: https://youtu.be/EvP2Qy4ZEzA

Responder

Cristiane Bogatzky Ribeiro

19 de março de 2017 às 13h10

Oi, Miguel,
voce me parece uma pessoa inteligente. Entao por favor, assista esse video ate o final.
https://youtu.be/EvP2Qy4ZEzA

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 13h15

    É um documentário de 2005. “A Carne É Fraca é um documentário produzido pelo Instituto Nina Rosa sobre os impactos que o ato de comer carne representa para a saúde humana, para os animais e para o meio ambiente.” Imagino que deve ser muito bom, mas não tem a ver com o que se discute aqui.

    Responder

      Cristiane Bogatzky Ribeiro

      20 de março de 2017 às 14h42

      Sim, tem sim, voce nem precisa assistir tudo… somente os primeiros 15 minutos. O comeco e sobre o impacto na economia e nos recursos do pais. Tem tudo a ver com o que esta sendo discutido aqui.

      Responder

André Delargue

19 de março de 2017 às 13h09

Muito errado esse tipo de texto. Primeiro, desde 2014 que a PF tinha indícios, mas provas mesmo só conseguiu em 2017. Por isso que só agora fizeram a operação. Segundo, comparar a Petrobras com as empresas envolvidas no escândalo é safadeza. O que vocês queriam? Que esse absurdo não fosse publicizado? Que estes vermes da indústria da carne continuassem com suas marcas protegidas enquanto comemos carnes podres e cheias de produtos que causam câncer?? Vocês ficaram loucos??? Ai o autor ou outro tonto que concorde, vai dizer que eu não entendi o texto. Claro que entendi, porém, como é uma verificação peculiar, o efeito de tal texto tem gerado ódio a esquerda e a mídia que se alinha com ela, como vocês. Vocês estão matando a esquerda nesse país. Vejam as reações do senso comum nas redes sociais e vocês vão entender o que eu estou falando. Parabéns pelo desserviço!

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 13h16

    André, se a PF tem qq indício de que há problemas na carne, em função da importância disso para a saúde humana e para a economia brasileira, não tem que esperar “provas”. Tem que alertar imediatamente o governo, as empresas (para as quais, obviamente, não interessa uma coisa dessas) e os cidadãos. Isso não é pegadinha!

    Responder

      Leonardo

      19 de março de 2017 às 13h37

      Óbvio que tem que esperar ter provas. Imagina indiciar empresas que movimentam a encomia brasileira sem ter provas? Mexeria com a economia brasileira e mundial, mexeria com milhares de empregos e, futuramente, caso não venha a ter provas. Como ficaria a imagem da PF? Abre um pouco mais essa visão, por favor

      Responder

        Carlos

        19 de março de 2017 às 14h02

        Exatamente. Uma das falácias do chefão máximo da ORCRIM não é dizer que está sendo acusado somente por convicções, sem terem provas?

        Responder

          luiz paulo silveira leite de castro

          19 de março de 2017 às 15h54

          Alô? Que chefão máximo? Sério? Vai entrar nessa? A conversa é séria.

Hermilo Fernandes

19 de março de 2017 às 16h07

Dale Polícia Federal.

Responder

Pedro

19 de março de 2017 às 13h01

PF=FBI
FBI=PF

Responder

Mário Ferreira

19 de março de 2017 às 15h54

Isso não é novidade. O PT, por exemplo, tem mais de um milhão e setecentos mil filiados, os membros do partido acusados de cometer crimes não chega a duas dúzias, mas a propagands do conluio do golpe convenceu nossa pobre opinião pública de que o partido é uma organização criminosa.

Responder

Gilson de Góz

19 de março de 2017 às 12h45

Parabéns pela excelente reportagem!

Responder

Júnior Nóbrega

19 de março de 2017 às 15h20

Sou esquerdista com orgulho e por isso mesmo estou dando unfollow nessa página. Colocar uma foto de um churrasco e a sede de lucro das empresas capitalistas que tanto criticam em segundo plano? Estão à serviço de quem? Um grande foda-se pra todos vocês d’O Cafezinho.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 13h19

    Por isso Lenin ensinava que o esquerdismo é a doença infantil do socialismo. A foto é só uma ilustração. Proselitismo em cima disso é frescura. E a sede de lucro das empresas não é discutida aqui, e sim a espetacularização de uma investigação importante, transformada em mais uma operação de “Delenda Brazil”.

    Responder

José

19 de março de 2017 às 12h15

Muito bom, excelente

Responder

GusVSZ

19 de março de 2017 às 12h01

Tah me convenvendo miguel
Mas darei um tempo nos friboi

Responder

Maria Regina Novaes

19 de março de 2017 às 15h00

Acho um absurdo mesmo…mas e a grobo golpista que está com a vaca atolada?

Responder

Gustavo Pacheco

19 de março de 2017 às 14h49

O fato de uma empresa gerar empregos não é salvo-conduto para vender produtos estragados no mercado de consumo, colocando em risco a vida das pessoas.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 12h14

    Claro que não. Mas não recolheram nenhum carregamento de carne estragada. Os frigoríficos brasileiros colecionam certificados internacionais. Esse papo é sensacionalismo.

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h56

    “O QUE VCS PENSAM SOBRE ISSO?
    Você descobre que funcionários do seu restaurante estão te roubando e sabotando a qualidade da sua comida. O que você faz?
    a) Você internamente resolve o problema da qualidade e leva esses funcionários à justiça.
    b) Você aproveita o sucesso que tem e com o restaurante cheio, convoca a imprensa e revela tudo que estar acontecendo, afastando de vez os clientes, desmoralizando seu restaurante, perdendo a credibilidade, consequentemente tendo que demitir muitos funcionários que não estão envolvidos na situação e corre o risco de ir a falência.
    Se você escolheu “b”, parabéns. Já pode entrar para a Polícia Federal e ajudá-los na destruição do Brasil, devastando a economia e aumentando o desemprego. Punir pessoas, sim, cadeia nos envolvidos, mas sem destruir o país, sem dilacerar setores que ajudam sustentar o país, sem tirar empregos de milhares de pais de família.
    A quem interessa a destruição do Brasil?” Roberto Staniscia

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h58

    Pode-se punir os maus funcionários afastar os corruptos sem destruir a economia não?

    Responder

Eduardo Stewart

19 de março de 2017 às 14h37

Viraram defensores do capitalistas selvagens brasileiros?

Viver no Brasil é puro risco! Podemos morrer tanto na rua, sendo assassinado sem que descubram quem nos matou; quanto comendo comidas contaminadas ou respirando o pó preto da Vale e outras poluidoras, dentro de casa, sem nunca punirem os ricos empresários! A Samarco contaminou nossa água do rio doce com um dos maiores acidentes ambientais do mundo e já passou mais de um ano; mas os bilionários continuam impunes!

A cidade de Londres sabe exatamente, quantas pessoas morrem de poluição do ar! Nossas cidades não sabem quantas pessoas morrem por poluição do ar, quantas pessoas morrem por agrotóxicos e etc! Aqui permitimos pelos de ratos nos nossos alimentos muito acima da quantidade que é permitida em países desenvolvidos!

Temos um dos piores números de casos resolvidos em que tiveram assassinatos!

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 12h13

    Estou defendendo ninguém. Estou tentando mostrar que é insanidade, no meio da maior recessão da nossa história, desorganizar, através de investigações sensacionalistas, um dos setores que sustentam a nossa economia.

    Responder

Anônimo

19 de março de 2017 às 11h28

Admitimos que a PF foi sensacionalista e pouco responsável na divulgação de sua investigação. Mas o agronegocio e as empresas de alimento envenenam o consumidor há décadas. Pulverizar monoculturas com agrotóxicos proibidos no mundo há muito tempo. poluem os rios, desmatam florestas, destroem povos indígenas e tem forte representação no Congresso Nacional onde atuam como verdadeiros senhores de engenho. É tempo de olhar para o nosso próprio umbigo e assumir e superar a cultura tão nefasta que permeia toda a sociedade brasileira.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 11h31

    Sim, mas isso é outra história. Temos que melhorar isso com inteligência, sem nenhum terrorismo policial, gradualmente, com planejamento.

    Responder

Hernán

19 de março de 2017 às 10h58

Desculpe, tampouco é defesa da PF. É incorreto diluir os 33 em 11 mil, o correto seria diluir os 33 entre os que foram auditados. Lineus Silvas existem, mas Mendonças abundam.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 13h20

    Me parece óbvio que generalizar a corrupção num órgão gigantesco como o Min da Agricultura é bastante injusto.

    Responder

Carolina

19 de março de 2017 às 10h51

Não tenho dúvidas do sensacionalismo que é feito sobre essas investigações, mas não acho tb de todo o mal.
Há por trás da preocupação com a exportação brasileira a verdadeira face de um sistema econômico que visa lucros exorbitantes a qualquer preço. Isso implica em diminuir custos, não admitir perda de estoques e logo maior rentabilidade ao negócio.
Se há carne podre é porque se produz mais que o necessário, mais que o mercado consegue absorver. Contudo, não há conscientização sobre o tanto que produzimos e o tanto que precisamos efetivamente para viver. Diminuir a produção será diminuir lucros e os acionistas não estão interessados nisso. Querem seus dividendos a qq custo, independente da forma.
É nessa mesma lógica que segue a lista de trabalho escravo no Brasil e no mundo…qto menor o custo, mais alto o lucro e assim segue nosso sistema excludente.
É importante pensar sob este lado tb.

Responder

    LuisT

    19 de março de 2017 às 11h45

    Só q não é disso q trata essa operação, mas sim de alijar mais um setor estratégico da nossa economia em favor dos interesses do mercado internacional.
    Ou alguém acha q depois q esse segmento da carne for a lona melhores práticas ecológicas/trabalhistas serão adotadas por empresas estrangeiras ou mesmo pelas nacionais q sobreviverem ?
    Não adianta achar q essa práticas abusivas praticada por quase todos os players mundiais vai ser sanada atacando as empresas brasileiras. O negócio só vai mudar de mão e ficar ainda mais concentrado globalmente.

    Responder

marco

19 de março de 2017 às 10h50

Senhor Miguel.Não cabem atualmente,advertências ao respeito do CARÁTER DA POLÍCIA FEDERAL,MINISTÉRIO PÚBLICO E JUDICIÁRIO,senão que são ÓRGÃOS GOLPISTAS NO BRASIL.Ajudados por um LEGISLATIVO CÚMPLICE,e uma IMPRENSA COMPOSTA DE TRAIDORES DA NACIONALIDADE,pois INTERNACIONALISTAS BURGUESES, que vão se ressentirem de críticas patrióticas.E também,com um a legião numerosa de pessoas aqui nascidas,que se pudessem,renegariam suas próprias origens,se lhes propusermos,cidadania estadunidense.Então o que nos cabe,não é um REPUBLICANISMO BURRO,ou MUAR,que nos vai tirar dessa situação.Cabe propormos ações mais ousadas,para terminar com isso tudo.Que não seja o velho MORALISMO ” DEMOCRÁTICO “,que somente serve,pra prolongar os sofrimentos do POVÃO. Se alguém me comprovasse,uma única solução,para a maioria dos povos,feita pela tal DEMOCRACIA,senão gritar mais alto ou mais baixo,eu assino ficha …

Responder

Heráclio Camargo

19 de março de 2017 às 13h47

“Em primeiro lugar, sem exageros. A PF encontrou problemas em 21 unidades, num total de quase cinco mil empresas, e suspeita de crimes praticados por 33 servidores, num universo de 11 mil funcionários do Ministério da Agricultura.”

Responder

Reinaldo C. Zanardi

19 de março de 2017 às 13h45

Análise interessante e necessária.

Responder

Roberto ferraz

19 de março de 2017 às 10h41

Isso sem contar que as terras também perderram preço de mercado. Quantos vão perder seus empregos?

Responder

Ubirajara José Couto

19 de março de 2017 às 10h31

Hoje em dia sem demagogia,a corrupção tornou-se profissão,a camada burguesa que visam apenas,lucro,pouco importa a dignidade do cidadão consumidor ,vendem almas,e compram condenação,pois um dia tudo será cobrado e não ficarás pedras sobre pedras,pagaram centavos por centavos,no dia do juízo final,ai eu quero ver se está riqueza injusta,pagara a defesa no dia do Senhor,dê a Cesar o que é de Cesar,e a Deus o que é de Deus.

Responder

Miriam Do Val

19 de março de 2017 às 13h23

De pleno acordo. Pena e que muitas pessoas e que estão com o cérebro podre. Não estão enxergando mais um golpe. Total destruição do país. Quando irão acordar? Quando não houver mais Jeito? Acorda BRASIL

Responder

Leo Sérgio Campos

19 de março de 2017 às 13h15

bom ler toda a matéria………….

Responder

Rosangela Talib

19 de março de 2017 às 13h12

Eu discordo dessa visão apresentada. O agronegócio tem sido mostrado como um setor heróico nos últimos tempos. Os danos a natureza e sociais que tem provocado são minimizados faz tempo, em nome dos dividendos que produzem. Acho que é mais do que hora de mostrar a que realmente se prestam. Estou adorando ver desmontada essa falácia!! “Cai o rei de copas, cai o rei espada…” quero ver cair!!!

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 11h36

    O agronegócio brasileiro precisa ser ajustado a premissas de meio ambiente, direitos trabalhistas e sociais, mas com planejamento. Achar que movimentos de destruição podem mudar alguma coisa é ingenuidade.

    Responder

Jorge Fera Hamed

19 de março de 2017 às 12h56

Petistas defendendo a Friboi mesmo matando os filhos de câncer… meus deus.. cara este políticos (todos) estão kghando pro povo.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 10h08

    “Petista”. Que obsessão! Pára de pensar em termos partidários. O que isso tem a ver com “PT”? Não estamos falando aqui da Friboi, e sim de todo o setor estratégico para a economia, ou seja, essencial à vida dos brasileiros.

    Responder

    lais

    19 de março de 2017 às 10h25

    Coxinha só fala besteira, mesmo diante de evidencias. Que droga de brasileiro é vc, cara, que não enxerga o desmonte do estado brasileiro em detrimento dos colonizadores europeus e do Tio Sam? Será que o ódio irracional mexeu com os neurônios de quase todos os brasileiros?

    Responder

    Cafu do Icaraí

    19 de março de 2017 às 11h10

    O Ódio cega!!! Não pensar sobre!!! o transforma em objeto de manipulação!!! Não perco a esperança!!! Mas a resistência em acreditar que o Brasil estava em pleno caminho de se tornar uma potência mundial e foi sabotado!!! Por seus concorrentes!!! Que usou traidores nos 3 poderes e na IMPRENSA!!! Faz com que eu acredite que quem bateu PANELAS!!! Não se achou ainda no processo!!!

    Responder

Jorge Fera Hamed

19 de março de 2017 às 12h50

São 2 anos de investigação, áudios, vídeos e milhares de vídeos na internet de consumidores, esta defesa da teoria da conspiração é politica e partidária, a Friboi é a maior devedora do BNDES, estranho que deve mais que o seu patrimonio, foi criado um monopólio com o dinheiro do povo, milhares de frigoríficos fecharam as suas portas e os que não fecharam foram obrigados a vender seus produtos a um cartel de 2 empresas e isso graças ao privilégio concedido a 9 dedos a estas empresas.
Teoria da conspiração é uma tática suja, mania de apontar o dedo e não assumir a nossa incompetência política.. todos

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 10h09

    Não tem teoria nenhuma, nem conspiração, nem nada de político ou partidário. Isso foi mais uma estupidez profundamente antinacionalista. É muito loucura do antipetismo querer destruir tudo por causa de seu ódio a Lula.

    Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 13h21

    9 dedos…BRF é a maior envolvida o que tem com isso…Claro que é teoria…vc compromete áreas nacionais…nenhuma estrageira paga propina…sei…:)

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h34

    Teoria de conspiração… mas que a Shell ajudou a derrubar, ajudou e já começou a colher seus benefícios ainda em 2015. Veja estas quatro imagens

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h35

    Fizeram a joint venture … criaram o Movimento Vem Pra Rua

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h36

    Se tornaram a maior sócia da Petrobrás, bem baratinho

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h37

    E do outro lado dando uma forcinha

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h43

    Desculpe, os maiores devedores são a Petrobrás, os governos do estado de SP, do Rio há outros

    Responder

    Jorge Fera Hamed

    20 de março de 2017 às 13h01

    Valdir Borges Filho esqueceu do leilão de Libras, e vai me dizer que Pasadena foi um golpe americano a coitada da Dilma querendo tirar ela do poder e nos tomar a Petrobrás?
    E falando nisso a Petrobrás é uma estatal e ela dever ao BNDES é plausível desde que este dinheiro fosse para investimentos nela, mas o que vemos não é isso, agora empresa PRIVADAS deverem ao BNDES mais que seu patrimônio e a transformando em um monopólio, devastando pequenos e médios pecuaristas que não conseguem as mesmas regalias (ai esta picanha é fraldinha). Desde 2013 empresas milionárias como Mercedes Benz e outras gigantes tem sugado o BNDES a juros ridículos e contra partida vemos prefeituras e governos recorrendo a recursos com juros maiores que são pagos pelo povo. https://www.google.com.br/amp/s/economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2015/06/10/empresas-de-bilionarios-brasileiros-receberam-apoio-do-bndes.amp.htm

    Responder

Gonçalves

19 de março de 2017 às 09h45

Esqueceram de dizer que todas as carnes são Luis Augusto, envenenadas pelos agrotóxicos que batem no pasto, afora o grande número de vacinas e hormónios que são injetadas nos animais. O melhor mesmo é deixarem de comer carnes e tornar vegetarianos. Assim estarão evitando o sofrimento que os frigorícos causam nos animais, que são trucidados por causa dos carnívoros.

Responder

Mauro Nascimento

19 de março de 2017 às 12h39

#MoroTemerECongressoGolpistaJuntosNaDestruiçãoDoBrasil
“Para essa turma não importa que o país vá aos cacos, desde que os cacos fiquem em suas mãos.” (Katia Abreu)

Responder

Olavo Medeiros

19 de março de 2017 às 09h23

É o desmonte do Brasil . Parabéns , coxinhas , mídia golpista e governo temer .

Responder

Francemy Pinheiro

19 de março de 2017 às 12h20

Só não compro frango americano da TYSON FOODS. Essa tem a gripe aviaria H7N9. MORTAL PARA O SER HUMANO!!!
QUANTO AQUELE DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL GANHOU $ PRA DEFLAGRAR ESSA OPERAÇÃO DEPOIS DE 2 ANOS?
TYSON FOODS AMERICANA PAGA EM DÓLARES! !!

Responder

Adalva Fernandes

19 de março de 2017 às 12h11

Oi é uma pena o nosso povo ser enganado até com a carne que se alimentam

Responder

Benoit

19 de março de 2017 às 09h11

Deveria haver um bom sistema de vigilância. Inspectores das autoridades competentes deveriam ir a firmas e ter o poder de fazer uma lista de pontos a serem modificados dentro de um certo prazo. Também deveriam poder impor multas administrativas ou medidas provisórias mais severas. Tudo isso deveria preceder outras medidas e serviria para impor padrões de higiene alimentar, de saúde, de respeito a normas diversas. Pelo menos em alguns setores é o que se faz em países europeus.

Responder

Elizabeth Dene

19 de março de 2017 às 12h05

Maria Celeste Freire Corrêa Maria Elisa Freire Meneghini Maria Inês Pereira Tita Beltrão Luciane Castello Branco Jussana Scienza Scapini

Responder

jds

19 de março de 2017 às 09h04

A carne tem que ser inspecionada, não resta dúvidas, mas cuidado gente, nçao desviem a atenção das reformas da previdencia e outras imoralidades. Fiquem espertos… sim e hoje LULA vai inaugurar a
transposição do velho chico. Parabens Lula e Dilma.

Responder

Edna Lúcia Ramos

19 de março de 2017 às 12h04

Rodrigo Brasil

Responder

fafa

19 de março de 2017 às 08h59

Esse fiscal deve ser o mais corrupto, perdeu a boquinha aí começou a fiscalizar por retaliação, agora está dando uma de muito honesto. E a PF de Curitiba doida para “brilhar” mais q a lava-jato, quer mostrar todo seu poder.

Responder

    Dudu

    19 de março de 2017 às 09h34

    Caro Miguel,
    Sua análise está só parcialmente correta. O problema está na pirotecnia da operação, mas o fato é que no MAPA as empresas fiscalizadas indicam Diretores, Superintendentes estaduais e os chefes da fiscalização, através de indicações de deputados ou senadores e em troca as empresas financiam as campanhas, essa promiscuidade acontece no país inteiro e não apenas nesses estados. Os fiscais honestos, que são a grande maioria, são afastados ou impedidos de atuar com o rigor necessário pelos chefes. Investigue um pouco e verás que chefes dos SIPOAS são eternizados no comando, sempre com pressão das empresas para mantê-los, o fiscalizado indica o chefe da fiscalização, um absurdo. A carne estragada é consequência dessa promiscuidade, dessa indignidade. As empresas mantém essa estrutura corrupta, com o apoio de políticos e seus partidos. INVESTIGUE e terás material farto para denunciar essa grande máquina corrupta.

    Responder

Antonio Pinheiro

19 de março de 2017 às 11h57

A carne está ótima. Querem acabar com nossos empresas assim como fizeram com nossa presidenta. Os americanos.

Responder

Rondon Yamane

19 de março de 2017 às 11h54

O brasileiro comerá carne com preço justo agora. A especulação diminuirá e os preços voltarão a ser só o preço pago pela @.

Responder

Alan Cepile

19 de março de 2017 às 08h50

Excelente análise!
Este desgoverno está querendo fazer com o setor de carne o mesmo que fez (e continua fazendo) com o setor de óleo e gás, destruir um setor forte da economia brasileira e assim ficar dependente do estrangeiro. Só não vê quem não quer!

Responder

Israel Just da Rocha Pita

19 de março de 2017 às 08h46

Como estes adentes de governo agem destruindo a pais com o único intuito aparecer. Este delegado se este governo Temer tivesse moral teria que demiti-lo. Mais antes terá que se demitir.

Responder

    Israel Just da Rocha Pita

    19 de março de 2017 às 08h47

    Digo Adentes.

    Responder

    Israel Just da Rocha Pita

    19 de março de 2017 às 08h59

    Digo AGENTES.

    Responder

Laercio Ferreira

19 de março de 2017 às 11h14

SE NÃO ME ENGANO, O BRSIL NEO COLÔNIA É….

Responder

Laercio Ferreira

19 de março de 2017 às 11h12

SE NA~ME ENGANO , NEO BRASIL É UM DOS MAIORES CRIADORES , EXPORTADORES DE CARNES BOVINAS DO MUNDO ? E O MERCADOS FINANCEIROS , OS RENTISTAS , AS LEITE DAS COMMODITIES DO AGRONEGÓCIOS FICARAM INSATISFEITOS COM AS POLÍTICAS PRATICADO NO MERCADOS PELO GOVERNO? E OS PAIS IMPORTADORES E IMPERIALISTAS QUEREM DERRUBAREM O PREÇOS? AÍ ENTRA O JUDICIÁRIO , COM PF (PRATO FEITO) E POR VÃO ??

Responder

Antonio Luciano Baia Neto

19 de março de 2017 às 10h57

Gabriela Málaga

Responder

Thiago Tirapelle

19 de março de 2017 às 10h56

pqp….

Responder

Narciso L. Junior

19 de março de 2017 às 10h50

Vai um Cafezinho com rizole de papelão?

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 10h10

    Essa é a parte ridícula da denúncia. O “papelão” na conversa era a embalagem do produto.

    Responder

Zilma Vilarinho

19 de março de 2017 às 10h41

Republiqueta de Curitiba com sua PF dessa vez arrasou o pais. Mesmo que haja análise mais aprofundada do fato por parte da midia golpista ao povo e mesmo que as autoridades do setor expliquem internacionalmente o espetáculo da PF de Curitiba, o estrago já foi feito.

Responder

    Timoteo Oliveira

    20 de março de 2017 às 08h19

    Esse ódio contra essa ação legal da PF, serve para autenticar que os frigoríficos envolvidos, em especial a JBS, tem muito a ver com os governos petistas. Pouca vergonha da canalhada. Carne podre pra o povo e a culpa é da PF? Kkkkkkk

    Responder

    Zilma Vilarinho

    20 de março de 2017 às 10h43

    Cda pessoa faz a leitura do momento brasileiro de acordo com o lugar que ocupa, de acordo com o papel social que representa. O meu olhar é historico, portanto não faço recortes para analisar o fato, pelo contrário, averiguo o contexto cultural, histórico, sociológico em que o fato está sendo desenvolvido. Se vc retomar a leitura do meu comentário poderá observar que NÃO nego que as empresas e que o agronegócio vendem carne podre, afirmo no entanto, a irresponsabilidade da PF de Curitiba transformar o fato em espetáculos midiáticos e pirotécnicos onde se evidenciam mais que o proprio fato. NÃO sou canalha. Canalha é o governo golpista e toda corja que o defende.

    Responder

    Marta Rodrigues

    20 de março de 2017 às 11h02

    O brinco ridículo deve ser pesado e afetou o seu cérebro Zilma Vilarinho… corre se tratar pq deve ser grave

    Responder

    Timoteo Oliveira

    20 de março de 2017 às 13h09

    Zília ,Ao invés de punir os responsáveis que vendiam carne podre,com papelão e produtos cancerígenas para o brasileiro, você quer culpar a pf que fez operação e descobriu a falcatrua. Brasil está vivendo uma inversão de valores. A polícia fez seu dever, e os meios de comunicação só divulgaram e denunciaram o esquema. Deve estar revoltada por que a JBS dava muitas propinas ao Pt e seu bando de criminosos. Muitos deles na cadeia já.

    Responder

Luis Antonio Dus

19 de março de 2017 às 07h32

Não creio que li todo esse enredo para mais um novo filme de ficção!
Somos um povo criativo.
Cada dia que passa, a formiga que habita meu ser evolui um pouco mais.
Parei….

Responder

Valter Cruz

19 de março de 2017 às 10h22

Estão cumprindo direitinho as ordens dadas pelos EUA….kkkkkk

Responder

    Renato Marino

    19 de março de 2017 às 12h39

    Valter Cruz

    Ordens? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    É muita paranoia pra pouca cabeça.

    1- a guerra fria já acabou, acorda pra vida, soça. O mundo inteiro vai por outro caminho e aqui neguinho ainda nessa.

    2- China é a maior produtora agropecuária do mundo e os USA o segundo.

    3- china, australia, Israel, EUA e Argentina são os maiores consumidores de carne, nesta ordem.

    Portanto, junte os dados, se conseguir pensar, e veja que a nóia que esse o cafezinho espalha e vc compra é somente nóia mesmo e conversinha de gente que passou a vida trancado em diretório acadêmico espantando fantasma.

    Esquerda latina é uma piada. Cambada.

    Responder

      Miguel do Rosário

      19 de março de 2017 às 10h11

      Não tem paranoia nenhuma. É uma questão simples de concorrência internacional. Ganha quem for mais inteligente. Perde quem é mais burro. O Brasil, infelizmente, é mais burro.

      Responder

Jose Henrique de Moraes Pinto

19 de março de 2017 às 07h22

Eu não sei quem é você é quem está lhe pagando por esta matéria!
Há cinco anos atrás, eu já encontrava carne estragada e cheia de tumores! Fiz reclamação para meu fornecedor e as caixas foram trocadas!
Você não meche com isso, então fica fora e guarda teus comentários , já que você é mais um que não está nem aí para a população humana.
Se o sistema é tão cério, eles não precisariam usar de subterfúgios ! E tem mais, estes produtos são todos vendidos no mercado interno, porque lá fora não passa.
Te pergunto, porquê a carne vendida no Brasil é a mais mulambenta, mais feia e sem procedência? Te respondo, por que essa carne lá fora não é aceita, então, empurram langanhos para os brasileiros à preço de ouro.
Essas são as empresas que você defende?
Esse é o Brasil que você quer?
Não seja hipócrita, o cego é aquele que não quer ver!
A população desse Brasil gigante merece respeito, e tá na hora desses empresários e governantes mudarem seus conceitos e começarem a trabalhar em prol do povo brasileiro e pelo Brasil.

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 09h59

    Não ponho fé em seu comentário. Para ganhar mercados internacionais, tivemos que ampliar muito a fiscalização da nossa carne, impondo padrões rigorosos. Você está entrando na histeria midiática, por má fé ou interesse.

    Responder

Valter Cruz

19 de março de 2017 às 10h21

Os pecuaristas que se preparem….vem aí mais prejuízos…o preço da arroba de boi que já estava baixa….vai cair mais ainda depois desta desastrosa operação “não que não deve ser fiscalizada as empresas….devem sim, e muito bem fiscalizadas….o que não pode é esta pirotecnia irresponsável dos membros do judiciário de da PF”….o preço da arroba de boi, vai ficar abaixo dos R$100….aí vai quebrar toda a cadeia produtiva…..que leva anos para ser reorganizada….parabéns PF….parabéns nefasto judiciário….conseguiram quebrar mais uma setor importante de economia nacional….agora façam o mesmo com a soja….pois é o único que ainda resta….

Responder

Luiz Renato Vellego

19 de março de 2017 às 10h11

Rilvana Reis, você tem razão Bete

Responder

Valter Cruz

19 de março de 2017 às 07h09

Enquanto a Polícia Federal, está preocupada com a pirotecnia das operações, com os holofotes da rede esgoto de televisão…o crime organizado “tráfico de drogas, assaltos a bancos e outros, que seriam de sua competência o combate, estão crescendo de maneira desastrosa”…..

Responder

Hannibal de Sousa

19 de março de 2017 às 10h06

De 5000 frigoríficos, apenas 21 apresentaram irregularidades num intervalo de dois anos. No mais, a história do papelão dizia respeito à embalagem do produto. Caso a Polícia Federal fosse a força de resposta americana ao ataque de Pearl Harbor, em 1941, os agentes afundariam o resto da frota e entregariam dados sigilosos da marinha americana aos japoneses. :)

Responder

Jose Manoel Martins

19 de março de 2017 às 07h06

A forma da divulgação provocou pânico na sociedade,pois da forma que esta, toda a produção de carne brasileira estaria comprometida, o que não é verdade, a própria sociedade já percebeu, que houve exagero na ação policial, e esta consumindo os produtos normalmente. O que esperamos é que haja de fato ações do governo para que a fiscalização sanitária seja rigorosa, para que estes fatos mesmo que sejam isolados não se repitam.

Responder

    Israel Just da Rocha Pita

    19 de março de 2017 às 08h58

    José Manoel Martins, o correto é punir o infrator inclusive o ministro da justiça. Quanto ao papelão temos laboratórios no país para examinar e detectar este material nos embutidos. Logo mais a rede globo vai premiar este a gente da PF.

    Responder

Márcia Galgaro

19 de março de 2017 às 10h04

Se está tudo legal aqui, as carnes estão ótimas, por que me preocupar?
Nada apreendido, trabalho escravo inexistente, nenhuma punição no âmbito nacional.
Então o problema é a nossa exportação?

Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 11h28

    Não é isso…que prenda que tiver que ser preso …um exemplo simples acharam um rato em uma coca cola pq não pediram o fechamento dela…o número de empresas é muito grande para se dizer que todas são ruins como a mídia e as pessoas estão pensando.

    Responder

    Márcia Galgaro

    19 de março de 2017 às 11h53

    A burguesia brasileira nunca foi nacionalista, progressista. Apoiou o golpe, foi subserviente ao imperialismo, apoia eliminação dos direitos dos trabalhadores e defende o fim dos programas sociais.
    O que me preocupa são os pequenos produtores, situados na base da cadeira produtiva, perderão trabalho.
    E quanto aos meios de comunicação, estes jogam sujo… Golpe baixo.

    Responder

Rilvana Reis

19 de março de 2017 às 10h03

Responder

Marlene Rosa Barboza

19 de março de 2017 às 09h47

A carne, além de ser cancerosa ela é polui enormemente o planeta. Em toda a historia da humanidade jamais tinhamos consumido tanta carne com nestes ultimos anos. Em 2014, 316 milhâo de toneladas foram produzida no mundo, o que representa mais o menos 44kg por pessoa por ano. Cada ano sâo sacrificados 67 milhares de animais qui sâo morto (mais o menos 2200 animais….por segundo para terminar no nosso prato. Esta produçâo tem uma grande consecuência sobre o nosso planeta. A carne mais que todos os outros alimentos custa muito caro para o planeta. O ultimo relatorio da FAO (organizaçâo das naçoês unidas da alimentaçâo e a agricultura), publicado em 2013, estima que a criaçâo de gado no mundo é responsavel de 26% das emissôes de gàses, isso quer dizer que ligada as atividades humanas, sobre o planeta: mais o menos 7 milhar de tonelada de CO2 sâo emitidos, ou seja mais que os Estados Unidos a França e a Espanha reunidos.

Responder

    Stephan Sperling

    19 de março de 2017 às 15h34

    Marlene, não há nenhum estudo caso-controle disponível na literatura científica associando exposição e consumo de carne com incidência de novos casos de câncer na população.

    A única evidência literária disponível é de estudos ecológicos que revelam que populações com hábitos de maior consumo proteico animal apresentam maior prevalência de cânceres.

    Extrapolar do ecológico para o individual é uma falácia científica a que chamamos, no universo biomédico, justamente falácia ecológica.

    Responder

    Marlene Rosa Barboza

    19 de março de 2017 às 17h14

    Stephan Sperling Respeito e entendo a sua fala mas isso nâo quer dizer que concordo com você. Acredito, que você deve Parar de acreditar e instruir-se

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h53

    O problema aqui não é quem consome carne ou não. Se trata desmonte de setores da indústria brasileira e a imperícia de resolver os problemas internos do país sem causar desempregos e prejuízos psicológicos alarmantes para a população.

    Responder

Paulo Lessa

19 de março de 2017 às 09h32

Vá se foder! Defendendo corruptos? Que enfiem no cu suas empresas e este site defendendo eles também! Que decepção!

Responder

    Miguel do Rosário

    19 de março de 2017 às 10h00

    Defendendo um setor que sustenta o país. Difícil você entender isso.

    Responder

    L'Amie

    19 de março de 2017 às 22h04

    Impressionante a má educação. É tão difícil expressar -se civilizadamente ? Tudo agora tem de ser extremado. Não estamos numa partida esportiva, que a vitória tem de ser minha. Pq tanto ódio ?

    Responder

Luiz Augusto Gonçalves Barroso

19 de março de 2017 às 05h27

Hummmm. Então vocês sugerem o “devagar com o andor quer o santo é de barro” ? Tá bom. Mas,… e o relaxamento da fiscalização que o megalatifundiário Maggi determinou ? Lembram do “o melhor fiscal é o mercado” ? Já vimos vídeos na internet de carne com pús e tender bolinha com papel. São fantasiosos ? E o comportamento de Osmar Serraglio, bandidão, que com certeza estava intimidando fiscais do Paraná? São questões que deviam ser respondidas também, não ? Como fazer para não arrasar o setor, mas ao mesmo tempo punir corruptos e corruptores ? Qual terá sido o modus operandi do delegado ? Será que ele também não está sendo alvo de preconceito (por arte de vocês ?). O artigo está muito bom e o raciocínio está correto. Mas seria melhor dar tempo ao tempo. Não vou derramar nenhuma lágrima pela Sadia. Ainda mais por me chamar Luiz Augusto, rsrsrs. E parabéns pelo sucesso.

Responder

Luis Sa

19 de março de 2017 às 08h20

Voltaremos a 1920

Responder

João Silveiro

19 de março de 2017 às 04h55

O que é mais absurdo é imaginar que servidores públicos fazem vista grossa quando não são recompensados pela cobrança de propina, ao invés de fazer vista grossa com a liberação de produtos com validade vencida e adulterados. O quanto talvez de prejuízos esses sujeitos acabaram trazendo para o país: saúde pública já fragilizada em virtude do investimento que não garante isonomia a todos; nosso país tem sido visto pelo exterior de forma duvidosa, desde a corrupção que ocorreu (e até hoje ocorre, certamente) na Petrobrás que culminou na redução de investimentos da economia internacional e, mais agora, um produto que é produzido e exportado para outros países. De fato, o que esses criminosos acabaram por fazer foi ampliar o caos de nosso país, que tem como indicador uma economia mais fragilizada e que tem do exterior olhares mais cismados e que acaba inspirando ao consumidor um desconfiança acentuada.

Responder

    Luiz Augusto Gonçalves Barroso

    19 de março de 2017 às 05h33

    Sia ira é santa. Perfeito.

    Responder

Mônica Vianna

19 de março de 2017 às 07h52

PF parece mais um departamento da polícia americana isso sim.

Responder

Walter Pastori da Fonseca

19 de março de 2017 às 04h21

Ta na hora de proibir policiais , procuradores e juizes da entrevista pra poderosa no periodo das o peraçoes.

Responder

Rodrigo Ranzatti

19 de março de 2017 às 06h36

https://www.facebook.com/OCafezinho/posts/1360483547308108
Pessoal, tudo bem então em manter a coerência?
Porque assim, fica feio uma hora avaliar que a culpa não é da empresa, que precisa averiguar igual, pois é uma empresa seria que emprega milhares de brasileiros, mas antes ter crucificado o Habibs por causa da briga com o segurança.
Parece que vocês só tomam partido da empresa quando ela era do lado do PT, mas quando é uma empresa que foi contra, qualquer coisa serve pra meter o pau.
Assim, vocês não querem parecer parciais, certo?

Responder

    O Cafezinho

    19 de março de 2017 às 06h42

    Uma coisa não tem nada a ver com a outra. E o que tem a ver o PT com isso? Que obsessão!

    Responder

    Rodrigo Ranzatti

    19 de março de 2017 às 06h45

    Duplipensar fantástico o de vocês! Uma hora condena uma empresa inteira por um ato de um funcionário, outra defendem a empresa pois entendem que foi algo isolado
    A razão? Se a empresa é “amiga” do partido ou não…
    Que hipocrisia

    Responder

    O Cafezinho

    19 de março de 2017 às 06h57

    Rodrigo Ranzatti Rodrigo, em primeiro lugar, o post sobre a Habibs é de um site chamado Mães de Maio, não do Cafezinho. É apenas um compartilhamento feito por um colaborador do Cafezinho, não é um texto do editor, como esse aqui. Em segundo lugar, o caso da carne não se trata de uma empresa, mas de todo o setor da carne no Brasil, envolvendo quase 5 mil empresas, centenas de bilhões de reais e milhões de empregos, e disputa geopolítica pesada. Não estamos falando aqui, com todo respeito, de uma empresa que vende esfirra vagabunda de 30 centavos. Por último, que mané “empresa amiga do PT”. as empresas brasileiras de carne são as maiores do mundo. Não são “amigas” do PT. Pelo perfil de classe de seus donos e executivos, é muito mais provável que votem no PSDB. Tente esquecer o PT por um momento. O assunto é outro aqui.

    Responder

    Rodrigo Ranzatti

    19 de março de 2017 às 07h03

    Vocês compartilharam o post, então devem concordar, não compartilharam de besta, né?
    Chato quando a máscara cai, né?
    A esfiha pode ser vagabunda, mas gera muito mais emprego e renda que as suas críticas supostamente imparciais na internet.
    Nesse caso, não houve nenhuma análise quanto a isso.
    Ou vocês foram irresponsáveis e inconsequentes lá atrás, ou agora estão com o rabo preso, defendendo empresa apoiadora o partido.
    Escolhe aí

    Responder

    Sandra Sumie Nishimiya

    19 de março de 2017 às 07h14

    habibs e friboi é a mesma coisa, pronto

    Responder

      Luiz Augusto Gonçalves Barroso

      19 de março de 2017 às 05h29

      Sem esquecer da Sadia, do Abílio Diniz.

      Responder

    Sandra Sumie Nishimiya

    19 de março de 2017 às 07h15

    deixa fuder tudo, de qq forma o mercado esta perdido, pq la fora ng vai querer carne do brasil,mesmo com certificados

    Responder

    Rodrigo Ranzatti

    19 de março de 2017 às 07h20

    Do ponto de vista que entender que são sim empresas sérias, que são passíveis de erros isolados e casos de corrupção de setores das empresas, que não deveriam ter a imagem denegrida por um fato isolado, eu concordo.
    Mas parece que o editor aqui não, pois usa dois pesos e duas medidas para algo parecido.
    Tenta até falar que não, mas é nítido que a crítica aqui depende da posição política do acusado.
    Não entendo como querem credibilidade assim

    Responder

      Antonio Luiz

      19 de março de 2017 às 10h29

      Um legítimo burro chato.

      Responder

    Mônica Vianna

    19 de março de 2017 às 07h59

    Rodrigo isso que está sendo feito com a carne fizeram com o café, ninguém compra mais café brasileiro . Compram café americano , boliviano , colombiano et ….que na verdade eles compra do Brasil e vendem para o mundo. Isso aconteceu depois que fizeram algo parecido com isso que está acontecendo agora. Nossa polícia hoje é um departamento da polícia americana.

    Responder

    Hannibal de Sousa

    19 de março de 2017 às 10h00

    Outro que nem se deu ao trabalho de ler a matéria. Brasileiro burro! O assunto aqui envolve toda a cadeia milionária que envolve a produção e distribuição de carnes – a maior do mundo. Não é sobre fast food. Aproveite, vá se empanturrar no Habib’s e desapareça.

    Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 11h32

    e o pior a galera ainda acha que a friboi é do LULINHA…que o agronegocio é petista…kkkk

    Responder

    Hannibal de Sousa

    19 de março de 2017 às 12h42

    Emerson Lins. Pertence à JBS, empresa de capital aberto. Nada de Lula.

    Responder

    O Cafezinho

    19 de março de 2017 às 13h02

    Rodrigo Ranzatti tá bom, rodrigo. não adianta lhe explicar nada. agora esquece o habibs e a “coerencia” do blog e tenta focar no tema em questão.

    Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 13h19

    Hannibal de Sousa É isso que estou falando…

    Responder

    Marcelo Sanches

    19 de março de 2017 às 13h42

    O Cafezinho o que vocês tem colocado nesse “cafezinho”? pára com isso!

    Responder

    Brunno Braga

    19 de março de 2017 às 14h29

    O BNDES, em 2015, tentou impedir que o TCU investigasse os meandros do empréstimo concedido pela instituição financeira ao grupo JBS. Por que o BNDES, em 2015, queria impedir isso? “Operações de crédito entre BNDES e JBS/Friboi não estão cobertas pelo sigilo bancário
    “A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou o Mandado de Segurança (MS) 33340, impetrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contra acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) que determinou o envio, pela instituição financeira, de informações sobre operações de crédito realizadas com o grupo JBS/Friboi. Por maioria, o colegiado seguiu o voto do ministro Luiz Fux, no entendimento de que o envio de informações ao TCU relativas a operações de crédito, originárias de recursos públicos, não é coberto pelo sigilo bancário e que o acesso a tais dados é imprescindível à atuação do TCU na fiscalização das atividades do BNDES” .http://stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=292332

    Responder

    Sérgio Souza Inácio

    19 de março de 2017 às 15h05

    A ignorância é que atravanca o progresso !

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 15h16

    Brunno Braga pergunte ao PMDB, lembra do Cunha, os problemas lá não necessariamente são com os produtos mas sim de outra origem.

    Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 16h32

    Brunno Braga Como imaginava…chegamos ao objetivo final da operação..;)

    Responder

    Emerson Lins

    19 de março de 2017 às 16h33

    Valdir Borges Filho O cunha ganhava também com informações privilegiadas na bolsa.

    Responder

    Valdir Borges Filho

    19 de março de 2017 às 18h52

    Sim, assim como foi privilegiado na crise de 2008 sendo avisado pela Merill Linch e transferindo os recursos para outros países.

    Responder

    Mike Costa

    20 de março de 2017 às 13h21

    Rodrigo Ranzatti rapaz, não perde tempo em discutir com esse lixo.

    Responder

    Adriano Silva Duarte

    20 de março de 2017 às 14h02

    Hshshshhshs sensacional! Agora se vê que eles sabem pensar sim, traçaram uma ótima narrativa de defesa, então da pra ver que quando apoiam coisas como o caso Habib’s é por pura sacanagem mesmo hshshshshs

    Responder

    Ana Lobato

    20 de março de 2017 às 21h47

    “O QUE VCS PENSAM SOBRE ISSO?
    Você descobre que funcionários do seu restaurante estão te roubando e sabotando a qualidade da sua comida. O que você faz?
    a) Você internamente resolve o problema da qualidade e leva esses funcionários à justiça.
    b) Você aproveita o sucesso que tem e com o restaurante cheio, convoca a imprensa e revela tudo que estar acontecendo, afastando de vez os clientes, desmoralizando seu restaurante, perdendo a credibilidade, consequentemente tendo que demitir muitos funcionários que não estão envolvidos na situação e corre o risco de ir a falência.
    Se você escolheu “b”, parabéns. Já pode entrar para a Polícia Federal e ajudá-los na destruição do Brasil, devastando a economia e aumentando o desemprego. Punir pessoas, sim, cadeia nos envolvidos, mas sem destruir o país, sem dilacerar setores que ajudam sustentar o país, sem tirar empregos de milhares de pais de família.
    A quem interessa a destruição do Brasil?” Roberto Staniscia

    Responder

Sérgio Rodrigues

19 de março de 2017 às 03h35

Burros, burros e mais burros do Brasil varonil!….

Responder

Janete Pearce

19 de março de 2017 às 06h22

Dra Silvana sarmento e minha médica de família muito boa em seus Diagnósticos

Responder

Luiz Fernando Souza Lima

19 de março de 2017 às 06h12

Correto o raciocínio. Assino embaixo e compartilho.

Responder

Deixe uma resposta