Mano Brown para o canal Pronto, falei!

É o petróleo, estúpido!

Por Miguel do Rosário

14 de agosto de 2017 : 22h58

Hoje eu me deparei com um texto no blog do Nassif, assinado pelos economistas Leonardo Guerra e Günther Borgh, comentando a tal “conta petróleo”, que teria ficado positiva nos primeiros sete meses do ano. Fui pesquisar melhor o assunto e vi que essa conta-petróleo é um dado que a imprensa brasileira vem divulgando sem oferecer mais detalhes ao público e sem pedi-lo também ao governo.

No sistema Alice, o banco de dados oficial do Ministério da Indústria e Comércio Exterior, aberto e público, não encontrei nenhum superávit.

Ao contrário, no item 27, que inclui todos os itens de combustíveis minerais (petróleo, derivados, gás), há um pequeno déficit de 53 milhões de dólares. O déficit caiu muito sobre o ano anterior, mas ainda é um déficit.

No item plásticos, por sua vez, há déficit de mais de 1 bilhão de dólares.

Se alguém me informar onde posso encontrar mais detalhes sobre a tal conta-petróleo, ficarei grato.

Enquanto isso, vamos analisar outras coisas.

Analisando os dados de comércio exterior, achei coisas muito interessantes. É uma pena que a imprensa brasileira seja tão ruim. Sua obsessão eterna por conspirações judiciais, agenda única no Brasil desde 2006, não ajuda muito a criar uma atmosfera de interesse por debates, artes e negócios.

Os brasileiros talvez ficassem contentes em ser informados sobre a sua própria economia, ao invés de serem marionetes de golpes de Estado.

Além disso, tal “conta-petróleo” é uma simplificação. É mais interessante saber quais países exportaram petróleo e derivados ao Brasil, quais importaram nosso petróleo, quais derivados exatamente a gente comercializa, etc, informações que a imprensa brasileira, por preguiça pura, sonega a seus leitores.

O Cafezinho tentará suprir essa lacuna.

O principal derivado de petróleo importado pelo Brasil é o óleo diesel. Na verdade, é o produto que mais pesa, de longe, em nossa balança comercial.

Nos primeiros sete meses de 2017, o Brasil importou 2,8 bilhões de dólares em óleo diesel.

Já na exportação, o Brasil obteve uma performance formidável nos últimos sete meses: exportou 10,76 bilhões de dólares em óleo bruto de petróleo, um aumento de 117,9% sobre o ano anterior.

Qual o país que mais elevou suas compras de petróleo brasileiro? Os Estados Unidos. O Tio Sam importou 1,6 bilhão de dólares de petróleo bruto brasileiro, nos sete primeiros meses do ano, 181% a mais que no ano anterior. Em volume, as importações norte-americanas do petróleo bruto nacional cresceram 94%, um aumento maior que o registrado pelas importações chinesas.

Os EUA estão aumentando suas compras de nosso petróleo bruto, o qual refinam, industrializam e nos revendem a preços muito mais elevados.

O petróleo bruto tornou-se o terceiro item da nossa pauta de exportação, depois da soja e da carne.

Entretanto, os Estados Unidos não iriam deixar que o Brasil invadisse impunemente aquele que ainda é o seu principal negócio: o petróleo.

Ainda mais agora, que eles voltaram a ser os maiores exportadores mundiais de derivados  e precisam de mercados em expansão. Foi isso que a Lava Jato, em primeiro lugar, e o governo Temer, em segundo, ofereceram aos americanos: um grande mercado cativo para as multinacionais ganharem dinheiro com a venda de derivados, em especial o óleo diesel, cujo mercado os próprios americanos construíram no Brasil, ao orientarem nossa política de infra-estrutura, durante o regime militar, para que desinstalássemos nossas ferrovias e vinculássemos todo o nosso sistema de transportes ao uso de caminhões de carga.

 

 

Na tabela abaixo, eu listei os principais produtos norte-americanos exportados para o Brasil. A maior parte deles são derivados de petróleo.

Em primeiro lugar, está o Óleo Diesel, principal combustível usado no transporte de cargas no país. Também é um dos principais combustíveis usados nas chamadas Usinas Termoelétricas…

E agora a principal surpresa: o óleo diesel, nos últimos anos, tinha participação em torno de 7% nas exportações dos EUA para o Brasil.

Em 2017, porém, essa participação pula para 16,5%.

O óleo diesel exportado para o Brasil é o principal produto da ExxonMobil e Chevron, multinacionais norte-americanas que já tinham forte influência no governo Obama e que, na administração Trump, ocupam os principais cargos do Executivo.

Elas são as principais ganhadoras do novo cenário político e econômico do Brasil pós-Lava Jato e pós-golpe.

As exportações de óleo diesel dos EUA para o Brasil experimentam um crescimento muito forte a partir de março de 2016. No acumulado de sete meses de janeiro a julho, bateram um recorde histórico para o período: US$ 2,4 bilhões.

Os EUA estão controlando as importações brasileiras de óleo diesel de uma maneira impressionante. Segundo dados oficiais, este valor representou 86% de todas as importações brasileiras de óleo diesel (gráfico no alto do post). E isso ao mesmo tempo que o governo brasileiro determina que as refinarias nacionais tenham o seu índice mais baixo de produção de derivados.

 

 

 

Seguem outras curiosidades que encontrei no banco de dados de comércio exterior do governo.

China e EUA foram responsáveis por 36% das exportações brasileiras, em valor, e por 51,7% delas, em quantidade.

Apenas a China respondeu por 47% das exportações brasileiras, em quantidade. Isso acontece porque a China importa os nossos produtos mais pesados, como soja, ferro e petróleo.

Outro dado impressionante é que o trio soja, ferro e petróleo respondeu por 79% do volume exportado pelo Brasil em jan/jul de 2017.

 

Observe que o aumento do volume das exportações foi extremamente concentrado no trio soja-ferro-petróleo. Os outros produtos, somados, registraram queda de 10% na exportação deste ano.

 

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Carolina Brunow

17 de agosto de 2017 às 18h56

Excelente reportagem! Realmente somos carentes desse tipo de informação..Qual seria a causa para nos manter ignorantes sobre detalhes da nossa economia?

Responder

Jose Antonio SANTOS PRATA

15 de agosto de 2017 às 18h28

Desde o ocaso do Império Britânico, o Petróleo é a principal “commodity”. It’s all about Oil.
Em tempo, as próximas serão a Energia Solar e a Água Doce.
Soberania Energética é mais que essencial – é vital.
.

Responder

Julio Spina Napoleao II

15 de agosto de 2017 às 21h22

A GLOBO É INCOMPATÍVEL COM A DEMOCRACIA.

Responder

Rafael Ramalho

15 de agosto de 2017 às 18h09

Não está abrindo o link

Responder

Lucia Kamilla Kun

15 de agosto de 2017 às 17h56

e os coxinhas só pensam no Lula…. acorda gente!!!!

Responder

Will Batista

15 de agosto de 2017 às 16h55

Alarmante..acordem Forças Armadas…

Responder

Rodolfo Gross Villanova

15 de agosto de 2017 às 14h14

O link com o artigo foi quebrado, ou tiraram o artigo do ar.

Responder

Marcos Antônio Mocellin

15 de agosto de 2017 às 14h03

Cadê os “nacionalistas” fãs do Bolsonaro?

Responder

Denise Sodré

15 de agosto de 2017 às 14h00

Sempre comentei que devemos ao Tio Sam por nossas estradas entupidas de caminhões e o fim de nossas ferrovias; quase ninguém se ligou. Brasileiro não tem memória, mesmo.

Responder

Gustavo de Brito

15 de agosto de 2017 às 12h38

Excelente, matéria!!

Responder

Nelson Marisco

15 de agosto de 2017 às 12h25

Aos poucos as verdadeiras razões do golpe começam a aparecer!

Responder

Ismar Pires Martins

15 de agosto de 2017 às 11h16

“Ditadura” na Venezuela garante o petróleos para os venezuelanos; “democracia” brasileira (golpe) garante o petróleo para os EUA, tudo a ver!

Responder

Cristián Pablo Urtiaga

15 de agosto de 2017 às 10h56

Da vontade de sair matando aos golpistas…

Responder

Simone Perecmanis

15 de agosto de 2017 às 09h33

Patricia Santana Sidney Silva Tarcisio Marciano Da Rocha Filho

Responder

Paulo L Maia

15 de agosto de 2017 às 03h26

Responder

Paulo L Maia

15 de agosto de 2017 às 03h25

Responder

Deixe uma resposta

x
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com