Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

A China golpeia o dólar dos Estados Unidos: comprará todo seu petróleo em yuan

Por Tulio Ribeiro

28 de setembro de 2017 : 04h35

(crédito imagem:ensartaos.com.ve)

Os padrões monetários surgem a partir da aceitação generalizada de reservas de valor do papel-moeda para utilização em trocas de mercadorias e serviços, ou simplesmente de acumulação de riqueza. Entre meados do século XVIII até o final do século XIX, as moedas se baseavam na prata e em outras cédulas recunhadas. A falta de insumo e a instabilidade entre as nações levou a um novo ciclo que migrou para o padrão-ouro, seja do Reino Unido ou dos Estados Unidos. Entre 1914 e 1945 com período das guerras mundiais e a crise de 1929, o descontrole de emissões do papel-moeda e a instabilidade entre nações determinou o abandono deste modelo. O ano de 1946 trouxe o acordo de Bretton Woods, um sistema próximo ao padrão-ouro. Na verdade a premissa era de que a paridade de U$S 35 por 31,104 gramas de ouro seria respeitada, garantindo o sistema.

Em 1970 , a França foi a primeira a trocar suas reservas em dólares por ouro estadunidense , e diante do objetivo de outras nações seguirem este ação, os Estados Unidos de forma unilateral e sem aviso declarou que não iria honrar o acordo de Bretton Woods, abandonando-o em 15 de agosto de 1971.

A História agora nos apresenta mais um capitulo marcante. A China impulsionará o fim do domínio do dólar, usando seus montantes de ouro acumulados com a liderança do comércio mundial. O dólar pautou o mercado petroleiro a partir de 1974 com o aceite da Arábia Saudita como divisa referência para atividade. Neste momento o país asiático usa seu poder de compra e sua reserva de ouro para expulsar o dólar da liderança mundial.

No que tange nossos dias, a China aplica um grande golpe contra a moeda estadunidense. O país passa a firmar seus contratos futuros de compra de petróleo em yuanes, com opção de convertibilidade em ouro. A sua condição de líder do comércio mundial, detendo alta reserva em ouro e a maioria dos títulos da dívida dos EUA, lhe credência para um ato desta magnitude.

Atualmente os chineses são os maiores compradores de petróleo do planeta e este novo paradigma permitirá adquirir ¨hidrocarburos¨ da Rússia e do Irã em yuan, prática que já se iniciou com a Venezuela. Vinculado a este fato, pode-se reduzir a demanda por dólar em 800 bilhões por ano. Gerando assim uma maior instabilidade desta moeda, atingindo o valor das reservas de países que mantém o acúmulo de riqueza nesta unidade monetária. Seria um movimento semelhante na escala que a França exerceu nos anos setenta.

A perda da liderança estadunidense é aparente quando vislumbramos que o Fundo Monetário Internacional(FMI) incluiu o yuan em sua cesta de reservas de moeda,bem como as economias do G-20. É visível por conseguinte com a criação do Banco Asiático de Investimento em Infra-estrutura e do Banco de cooperação de Shangai. O horizonte não apenas parece ,mas na prática já trocou de mãos.

Segundo o economista venezuelano Jorge Giordani ¨o dólar como referência mundial perdeu sua capacidade expressiva com a deterioração da economia de seu país que diminuiu sua presença em mais da metade do comércio nos últimos 50 anos.¨ Pode-se usar como parâmetro a pesquisa do economista James Rickards que aponta ¨o ano 2000 com reservas posicionadas 70% em dólar e atualmente
desceu a 62%, mantendo esta inércia logo atingiremos os 50%.¨O país da América do Norte simplesmente não conseguiria quitar o débito que possui com a China em curto prazo.

A título de constatação o mundo será testemunho de um novo padrão monetário. No que concerne nossa realidade, é de não confiar mais em uma moeda como refúgio de valor que já não possui representatividade de um país líder. A China superou os EUA em tamanho da economia e se aproxima em fazer o mesmo em relação ao PIB. Deste modo,as novas estratégias cada vez mais estarão nas mãos do país asiático.

Fontes:

Artigo de Jorge Giordani em 26/9/2017

www.hispantv.com

James Rickards, The New Case for Gold

Tulio Ribeiro

Túlio Ribeiro é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

87 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Lucas

10 de fevereiro de 2018 às 14h57

eh melhor que comecemos a aprender mandarim…….

Responder

Silvio de Barros Pinheiro

01 de outubro de 2017 às 15h16

É o começo do fim do almoço grátis para a maior ditadura do planeta, os EUA.

Responder

André Carvalho

01 de outubro de 2017 às 12h47

Podemos fazer uma leitura geopolítica dessa notícia a partir da insistência dos EUA em se indispor com a Coréia do Norte. Parece que a intenção maior é desestabilizar uma região na qual a China se insere!

Responder

Clayton Anderson

29 de setembro de 2017 às 20h00

Franciney Alves

Responder

jose alves de souza

29 de setembro de 2017 às 16h50

Sou Chines desde criancinha!!!… que afunde esta “ditadura democrática”.

Responder

Ayo Madeira

29 de setembro de 2017 às 14h04

Pé na bunda dos yankesssss!!!

Responder

Rafael Bacci

29 de setembro de 2017 às 13h43

Responder

Frederico Fernandes Dutra

29 de setembro de 2017 às 03h23

Wilson Rocha

Responder

Eder

28 de setembro de 2017 às 23h51

Semana passado Putin pediu para o congresso aprovar lei para que o comercio nos portos Russos seja feito em rubre.

http://russia-insider.com/en/politics/putin-orders-end-trade-us-dollars-russian-seaports/ri20984

Responder

Julio Jerez

29 de setembro de 2017 às 02h19

QUINTAL DE EEUU. No que tange nossos dias, a China aplica um grande golpe contra a moeda estadunidense. O país passa a firmar seus contratos futuros de compra de petróleo em yuanes, com opção de convertibilidade em ouro. A sua condição de líder do comércio mundial, detendo alta reserva em ouro e a maioria dos títulos da dívida dos EUA, lhe credência para um ato desta magnitude.

Responder

Cecilia Corrêa

29 de setembro de 2017 às 01h17

Esta China é muito doida: nem EUA e nem Coreia!

Responder

Lucia Guedes

29 de setembro de 2017 às 00h23

Isso será uma mudança mundial sem precedente

Responder

Miguel

28 de setembro de 2017 às 19h37

Também não estou entendendo porque os esquerdistas estão exaltando isso.

A China não é mais comunista a muito tempo. É capitalismo selvagem, com trabalhadores sem direitos.

Responder

    João Carlos AGDM

    29 de setembro de 2017 às 10h24

    Ô “Miguel” vou respeitar a sua ignorância, a Globo jamais vai te dizer o que vou te falar:
    A China tem o sistema econômico que eles chamam de “social capitalismo”.
    Mao Tsé Tung em 25 anos de comunismo construiu uma espetacular infraestrutura na China.
    Em 1976 Deng Xiao Ping falou para todo Mundo:
    Tragam suas indústrias e empresas para a China.
    Vocês não vão pagar impostos, vão ter trabalhador a 120 dólares. A China financia a vida deles. MOradia a 2% do salário, ticket para tudo: restaurante, roupa, etc.
    Agora, vocês empresários vão ter que dar 50% de sociedade ao Governo chinês (que se diz “comunista”)
    Resultado: uma camisa de manga comprida, já com etiqueta e tudo chega no Brasil por menos de R$ 10,00 (sim, dez reais).
    Morou no “capitalismo selvagem” que você conhece nesse seu país de merda que fazem do Brasil????????????

    Responder

Douglas Louro

28 de setembro de 2017 às 21h45

Ainda bem que os EUA agora têm o Pré-Sal…né?

Responder

Aristides Bartolomeu Novaes

28 de setembro de 2017 às 18h38

Nossa! Essa notícia cae como uma bomba para os coxinhas, os bate-panelas de São Paulo, principalmente. Achando que só os EUA eram os bambas, esqueceram que a China vem roendo o traseiro deles há muito tempo.
O tempo corre e com ele vem as mudanças;as vezes, para melhor!

Responder

Sergio Seixas

28 de setembro de 2017 às 21h32

Lili Lucas

Responder

Marcos Braga

28 de setembro de 2017 às 21h25

Augusto Caiê Siqueira Silveira Reis

Responder

Lu

28 de setembro de 2017 às 17h20

Ótimo texto.
Sempre venho ao cafezinho ler sobre a derrocada de Trump, do Mbl ,do Psdb

Responder

rodrigo

28 de setembro de 2017 às 17h06

Viva a China.
Bateu um bolão cafezinho
Os reaças piram

Responder

Marcos Guanabara

28 de setembro de 2017 às 19h54

Arnaldo Doth…

Responder

Euvaldo

28 de setembro de 2017 às 16h28

Já me acostumei procurar neste site notícias sobre o mundo,ótimo texto,ótima notícia.
Parabéns ao cafezinho e aou autor.
O Pig nunca faria este texto.

Responder

Rogério Bezerra

28 de setembro de 2017 às 13h10

Nossa elite bilionária e seus seguidores midiotas da classe média que ” fazem tudo que o mestre mandar” já, já esticará os olhos, falará mandarim e achará uma disney na China…. Depois comeram cachorros, grilos, escorpiões e por aí vai.
E a parentada só fechando suas lojinhas… Rarararrara
QSF TODOS!!!!!!

Responder

Mario Barboza

28 de setembro de 2017 às 15h37

Todo império , um dia tem seu declínio.

Responder

Mario Barboza

28 de setembro de 2017 às 15h36

Show! China chegando.

Responder

    Miguel

    28 de setembro de 2017 às 19h38

    Show por que? Vc acha que a China será um império hegemônico melhor que os EUA?

    Responder

Roberto Hobold

28 de setembro de 2017 às 14h56

Será que um dia, a nossa dita elite econômica, e os que se acham ricos, vão lamber as botas da China, como hoje fazem com os EUA, e já fizeram com a Inglaterra, e já fizeram com a França, e já fizeram com Portugal?

Responder

Nair Pez

28 de setembro de 2017 às 14h48

A China comunista engolindo is EUA!

Responder

    João Carlos AGDM

    29 de setembro de 2017 às 15h39

    Desculpe, comunista não (só o Governo chinês se auto proclama “comunista”).
    O sistema lá é por eles chamado “social capitalismo”.
    Em um comentário aí em baixo eu digo o que é isto.

    Responder

Cidadão

28 de setembro de 2017 às 11h25

Esperto são os canadenses, compram as minas de ouro do Brasil, de norte a sul, já prospectadas pelas estatais privatizadas ou em vias de privatização, extrem o ouro no Brasil e mandam para o Canadá deixando no Brasil buracos, desempregados e uma montanha de dívida tributária que nunca será paga.
É um quadro pior do que na época da colônia. Pelo menos os colonizadores se davam ao trabalho de prospectar e não prometiam pagar tributos aos desarmados indígenas.

Responder

André Tavares

28 de setembro de 2017 às 13h49

Guto Rausch não fala exatamente do assunto, mas serve para demonstrar que é o trabalho que gera a riqueza. E é a riqueza que “gera” o dinheiro. Dinheiro por si só não vale nada.

Responder

Liana Rabelo

28 de setembro de 2017 às 13h13

Que ótimas notícias!

Responder

Francisco Rezende

28 de setembro de 2017 às 12h43

Já já o Yuan se transforma em moeda de referencia internacional

Responder

João Antonio Bernardes

28 de setembro de 2017 às 12h28

A China vem conquistando o mundo sem dar um tiro, sem fazer um comentário. Substituindo o dólar por outra moeda será e começo do fim dos EUA como potencia economica, pois tudo é calculado em dólar.Como será o futuro?

Responder

Chung Lin

28 de setembro de 2017 às 11h41

maior economia do mundo sustenta maior dívida do mundo, é a ironia do capital

Responder

    Alexandre Albuquerque

    28 de setembro de 2017 às 12h47

    A maior dívida do mundo em valores absolutos e em relação ao seu PIB é a chinesa, mais de trinta trilhões de Dólares. A única diferença é que ela está nas mãos de residentes (chineses).

    Responder

    Chung Lin

    28 de setembro de 2017 às 13h50

    Alexandre Albuquerque já ouvi zumzum sobre a dívida chinesa, mas não sei se é fake

    Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

28 de setembro de 2017 às 08h26

Os que postaram sua defesa ao dólar não levaram em conta o plano do BRICS ( agora só RICS, já que Temer optou por ignorar esse bloco). A apelidada “nova rota da seda” prevê um mercado com mais de 3 bilhões de consumidores – quase metade da população mundial. China, Rússia e Índia, sozinhas, tem 2,6 bilhões de habitantes. Quero ver os EUA ameaçarem esses 3 países com sanções econômicas, como fazem com Cuba e Venezuela. Os Eua terão que fazer o que nunca fizeram na vida: negociação bilateral. Acabou o tempo em que eles tomavam suas decisões, ignorando a própria ONU. É o início do fim do império predador.

Responder

    hilario muylaert

    28 de setembro de 2017 às 09h40

    Na verdade, as seguidas sanções econômicas contra Rússia e Iran, além de Venezuela, Cuba contribuíram motivar a criação de alternativas de fechamento e liquidação de negócios que não afetassem o desenvolvimento dos investimentos e comércio intra-asiáticos. Uma delas foi a moeda de liquidação.

    Além disso, a potência européia ( empresas da Alemanha) tem perdido muitos negócios, pelas seguidas sanções econômicas à Russia. Some-se a isso o caos ucraniano motivado pelo golpe aplicado pelos US, à la revolução colorida, em que o PIB da Ucrânia decresceu mais de 30%.

    A formação do eixo da resistência ( China, Rússia e Iran ), e demais países que se sentem atraídos pelos investimentos das novas rotas da seda, oleodutos e gasodutos acabará por se firmar como novo eixo da economia mundial.

    Responder

Eduardo Petrucci Gigante

28 de setembro de 2017 às 11h21

Sadan Hussein passou a vender petróleo em euros. Os americanos invadiram e o depuseram. Vão invadir a China?….kkk

Responder

Paulo Jorge

28 de setembro de 2017 às 11h04

Tá certo.

Responder

Sarah Espínola Soriano

28 de setembro de 2017 às 10h54

oh… vai dar ruim… e a gente de buxa no meio. temer escroto. nos arriscando desse jeito. fdp

Responder

Sergio Gomes

28 de setembro de 2017 às 10h53

Os comunistas piram com essas notícias. Para o mundo é muito melhor ter como líder uma democracia que uma ditadura.

Responder

    josimar

    28 de setembro de 2017 às 09h20

    Você acredita que os EUA são uma democracia?

    Responder

    John

    28 de setembro de 2017 às 10h47

    o cabeça de bagre não existe isso de democracia, só nos livros.

    Responder

    Walter Valente

    28 de setembro de 2017 às 18h03

    Vc não está entendendo nada dessa discussão.

    Responder

    Sergio Gomes

    28 de setembro de 2017 às 19h39

    Não me diga!!!!

    Responder

    João Azevedo

    29 de setembro de 2017 às 00h46

    Leso

    Responder

    Sergio Gomes

    29 de setembro de 2017 às 01h07

    João Azevedo idiota

    Responder

Lucia Velasco

28 de setembro de 2017 às 10h25

Sei não. Acho q vamos sentir saudades do império capitalista dos ianques

Responder

Marta Leandro

28 de setembro de 2017 às 10h18

Júnia Leandro Atualidades

Responder

Cristina Albuquerque

28 de setembro de 2017 às 10h13

Alô cafezinho “intenção” está escrito errado no texto.

Responder

    Luiz

    28 de setembro de 2017 às 11h44

    “A eminente perda da liderança estadunidense…” E aqui é iminente, que está prestes a acontecer.

    Responder

    Vania

    28 de setembro de 2017 às 18h04

    Quanto rancor em ler a notícia , acham feio o que não é espelho.
    Difícil é encontrar o erro inserido por vcs.
    E digo que não altera minha opinião de gostar do texto.
    Bye bye MBL

    Responder

Ruy Marcondes Garcia

28 de setembro de 2017 às 10h04

Nem uma boa revisão consegue melhorar essa porcaria de texto.

Responder

    Luiz

    28 de setembro de 2017 às 11h41

    Concordo. Tradução quase literal, parece…

    Responder

    Camila

    28 de setembro de 2017 às 18h09

    Ficou tristonho, acho que as curtidas são maiores que sua opinião.
    Venda os dólares titio Bolsonaro

    Responder

NEY

28 de setembro de 2017 às 07h02

TENTATIVAS DE DAR CURSO LIVRE A MOEDAS DE PAISES POR FORCA DE ACORDOS OU CONTRATOS, NO DECORRER DA HISTORIA, DERAM ERRADO, O CURSO LIVRE DA MOEDA E ANARQUICO E NAO DEPENDE DE GOVERNOS NEM CONVENIOS E SIM DE CREDIBILIDADE CONQUISTADA COM O TEMPO. A ACEITACAO DO MARCO ALEMAO COMO MEIO DE PAGAMENTO NO INICIO DO SECULO PASSADO(1900) QUEBROU VARIOS BANCOS NO RS, COMO O BANCO PELOTAS E DIZIMOU A PECUARIA GAUCHA DO SUL E OESTE DO ESTADO DO RS.

Responder

    jossimar

    28 de setembro de 2017 às 09h21

    Estamos em 2017.

    Responder

      Thiago zattar

      28 de setembro de 2017 às 15h22

      Os princípios básicos da economia não mudam, não importa o quanto você seja progressista.

      Responder

Jose Carlos Cenaque

28 de setembro de 2017 às 09h54

Imperialismo Americano Ruindo !️✊

Responder

Eudson Bezerra

28 de setembro de 2017 às 09h37

Textozinho mal escrito…

Responder

    Marta Leandro

    28 de setembro de 2017 às 10h19

    Sim, uma pena. Um tema muito importante. Melhor buscar o texto original de onde este foi extraído.

    Responder

      Carlos

      28 de setembro de 2017 às 16h41

      Marta leandro é ser MUITO FAKE MBL.
      O TEXTO É BOM, Ruim é sua raiva

      Responder

      Vania

      28 de setembro de 2017 às 10h48

      Este link é só a citação,o texto é mais amplo que a tentativa de negar a notícia.
      Pena a MBL ficar com raiva do texto pelo fato em si.

      Responder

    Vania

    28 de setembro de 2017 às 10h43

    Gostei do texto e da notícia.
    Acho que vc não gostou da novidade.
    Coxinha é tudo igual , crítica o que não é espelho.

    Responder

Rose Rose

28 de setembro de 2017 às 09h29

Wellington Barros

Responder

Luiz Scardone

28 de setembro de 2017 às 09h28

O império americano começa ruir para dar lugar a outro império!

Responder

Berg Ginú

28 de setembro de 2017 às 09h28

Agora, sim!

Responder

Antonio Cerqueira

28 de setembro de 2017 às 09h16

UM PAÍS QUE NÃO ABAIXA AS CALÇAS PRO AMERICANO , É OUTRA COISA.

Responder

Antonio Cerqueira

28 de setembro de 2017 às 09h15

Responder

Gersio De Josefa

28 de setembro de 2017 às 09h13

BOM DIA ! LULA NA CADEIA !

Responder

Alexandre Albuquerque

28 de setembro de 2017 às 08h41

Mesmo que o Dólar entre em colapso, o meio de conversão cambial não passará a outra moeda nacional. Até o Direito Especial de Saque, a cesta de moedas do FMI, não tem alcance suficiente, apesar de ser atualmente a única alternativa. A solução definitiva seria uma única moeda e autoridade monetária para todo o planeta, mas estamos muito longe disso politicamente. Quanto à reserva de valor, a coisa fica ainda mais complicada, pois o ouro não tem relação com a economia, é um bem como outro qualquer, e ainda com oferta artificial regulada pelos produtores, pois há descobertas abafadas de montanhas de ouro na África do Sul, por isso em 98/99 os paraísos fiscais e os pequenos países, como a Suíça, se desfizeram de suas posições no metal. O Dólar não se sustenta, mas será muito difícil substitui-lo.

Responder

    Walter Valente

    28 de setembro de 2017 às 18h06

    Concordo com vc mas a China não pretende substituir o dólar. A estratégia dos países do Brics, exceto o Brasil que apenas acompanha, é rivalizar com outras moedas. A China sai forte nessa estratégia também pelo volume de reservas em dólar que possui.

    Responder

Rodrigo minateli

28 de setembro de 2017 às 05h38

A China é o maior credor dos EUA.
Vai fechar o Cachão dos gringos
Bye bye valor do dólar

Responder

Diego Frois

28 de setembro de 2017 às 08h09

Hhahahahauauauha

Responder

Gabriel Menezes

28 de setembro de 2017 às 07h52

Kkkkkkkk é do mesmo guru do fim do mundo essa previsão???

Responder

Gabriel Menezes

28 de setembro de 2017 às 07h52

Kkkkkkkk é do mesmo guru do fim do mundo essa previsão???

Responder

    Reinaldo Santos

    28 de setembro de 2017 às 09h09

    Entao, eles Empiricus, sao a favor da venda do país, e a escravidao de seu povo.

    Responder

    Gabriel Menezes

    28 de setembro de 2017 às 12h09

    Reinaldo Santos já somos escravos no país. Pagamos 50% de nossa renda em impostos, 5.5 meses do ano disponibilizados ao papai Estado que nos devolveu PTrolão, Mensalão e demais escândalos de corrupção. Que todas as estatais sejam vendidas, quero todos os cabides de empregos de pelêgos destruídos.

    Responder

      El Bartho

      30 de setembro de 2017 às 11h52

      zzzzzzz acorda! As estatais estão sendo vendidas para estatais chinesas, francesas etc….troxinha kkkkkkk

      Responder

Marília Aguiar

28 de setembro de 2017 às 07h49

Lá vem eles…neguinho dos Esteites indoida…chupa que é de uva USA.

Responder

Marília Aguiar

28 de setembro de 2017 às 07h49

Lá vem eles…neguinho dos Esteites indoida…chupa que é de uva USA.

Responder

Deixe uma resposta