Vila Militar do Chaves (Adnet satiriza Bolsonaro)

Argentinos foram as ruas lutar contra um judiciário que serve a repressão

Por Tulio Ribeiro

08 de dezembro de 2017 : 11h08

As pessoas se avolumaram ontem no centro de Buenos Aires, diante da constatação que o judiciário argentino deixou de ser uma porto seguro para demandas dos direitos individuais e direitos humanos, se lançando a oprimir e perseguir. Como abordou Cristina Kirchner:

¨As causas são inventadas , são sem motivos , servem para amedrontar e calar uma oposição contrária ao governo.”

Marina Rodriguez é uma pessoa comum, trabalha num escritório de arquitetura, disse que quando leu as detenções determinadas pelo juiz Claudio Bonadio se colocou a divulgar nas redes sociais e logo se reuniu com outras pessoas na altura da esquina “Cabildo” . Juntou agrupamentos como kirchneristas, partidos de esquerda e movimentos sociais. Rodriguez tentou definir seus companheiros:

“Nós somos um grupo que tem um pouco de tudo, politizados e não politizados que se reúnem desde janeiro de 2016 contra os ajustes propostos”

O que se percebe é que a população recebeu um banho de realidade, e que a ação do judiciário serve a um propósito organizado estrategicamente, para dar suporte de repressão no congresso e nas ruas sobre o objetivo de impor a reforma trabalhista e da previdência. É conclusivo que o juiz Claudio Bonadio apenas serve a uma cartilha e nunca agiria sozinho, a Casa Rosada faz a letra e a música de um tango exageradamente triste. Macri escreveu a partitura com notas que desconstrói a qualidade de vida dos argentinos(as).

Pode parecer que a noticia não se trata da Argentina e sim do Brasil. Mas se o silêncio estonteante da maioria da população brasileira permitir, por que os argentinos podem assumir este protagonismos e nós não?

Tulio Ribeiro

Flávio Túlio Ribeiro Silva é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Arnaldo Ferreira da Costa

11 de dezembro de 2017 às 19h28

Tenho, cadastros com vcs e não consegui fazer compras o que está errado??????

Responder

laurita da luz silva cardoso

11 de dezembro de 2017 às 01h23

A Argentina tem um Povo, a Argentina é uma Nação. Nós sonos um ajuntamento de pessoas não somos um povo e muito menos uma Nação. Não existe afinidade nem familiar. Só de interessas.

Responder

Roni da Silveira Moura

10 de dezembro de 2017 às 15h46

La nos anos oitenta, quando se comecou a construir o partido dos trabalhadores no Brasil, nos tinhamos contato com o MAS Argentino, e constatamos que o povo Argentino era muito politizado.

Responder

Andreas G. A. E. Pinotte

09 de dezembro de 2017 às 17h06

O silêncio do povo brasileiro é culpa da mídia criminosa e da esquerda (principalmente PT e PSOL) que martelaram a mentira do combate à corrupção.
Por décadas o povo foi bombardeado com a história de que todos os políticos eram corruptos, de que a corrupção era o maior mal da terra e de que cadeia, investigação, polícia e juízes resolveriam tudo. Um belo dia os meninos do MPF decidiram tomar os holofotes junto com os garotos da farda em suas megaoperações cinematográficas, com 500 policiais armados, 10 helicópteros e 1 tanque de guerra para prender o empresário septuagenário, dois reitores obesos e quatro secretárias idosas “investigados” por desviar 10 mil reais em um projeto que durou 6 anos e custou 2 bilhões de reais .
Pronto! E assim acabou a corrup

Responder

    Frederico Füllgraf

    11 de dezembro de 2017 às 21h32

    Andreas Pinotte,

    em seu comentário se percebe facilmente que o que acabou, são seus argumentos.

    Responder

a.ali

08 de dezembro de 2017 às 23h04

até no ítem politização os argentinos batem os brasileiros…

Responder

fernando

08 de dezembro de 2017 às 19h32

o povo Argentino é mais politizado, e com mais estudo..aqui no brasil tudo é difícil…um povo manso, uma classe média bobalhona que acredita em tudo que os rtele jornais das emissoras abertas falam…e depois tem esses pastores evangélicos que ajudam ainda mias na alienação…ai fica difícil lutar!!!

Responder

Augusto Antunes

08 de dezembro de 2017 às 17h30

Precisamos sair do mundo virtual das redes sociais e partir pro mundo real, ou seja, as ruas sem MBL nem black block.

Responder

Carlos Eduardo Junior

08 de dezembro de 2017 às 17h56

A diferença entre argentinos é brasileiros…

Responder

Lourdes Oliveira

08 de dezembro de 2017 às 17h51

Responder

Maria Fernanda Silva Montes

08 de dezembro de 2017 às 17h03

Os argentinos não têm sangue de barata como os brasileiros.

Responder

Mikke Nienow

08 de dezembro de 2017 às 16h41

Matheus Vetter Caroline Sant Anna temos q estudar isso aí ó

Responder

Luiz Pareto

08 de dezembro de 2017 às 16h36

Povo que lê é outra coisa. Aqui só se lê Veja e bíblia.

Responder

Mar

08 de dezembro de 2017 às 14h25

Pelo jeito, o Brasil é o país que tem o povo menos politizado da América Latina.

Responder

Sillhouette Madeleine

08 de dezembro de 2017 às 16h24

Acabei de ver o vídeo no youtube, pela RUPTLY.

Responder

Simarone Rodrigues de Medeiros

08 de dezembro de 2017 às 15h52

Banho de politização em nós.

Responder

Carlos Roberto Pereira Fonseca

08 de dezembro de 2017 às 15h29

PARABÉNS AOS ARGENTINOS, QUE TÊM CORAGEM DE ENFRENTAR ESTES PODERES OCULTOS EM TOGAS CONTAMINADAS PELA CORRUPÇÃO.
PENA QUE NO BRASIL O POVO ACEITA TANTA BARBARIE DO JUDICIÁRIO CORROMPIDO. ONDE SE ACEITA UM GILMAR, UM FULKS, UMA CARMEM, UM EX DEFENSOR DO PCC EM SÃO PAULO.
U M A V E R G O N H A!!!!

Responder

Lucia Emilia

08 de dezembro de 2017 às 15h26

Vieram tomar umas aulas com os bandidos de toga daqui

Responder

Tania Bandeira de Souza

08 de dezembro de 2017 às 14h39

Aqui no Brasil deveríamos ter reagido contra a oligarquia privilegiada dos três poderes

Responder

Jose Do Carmo da Silva

08 de dezembro de 2017 às 14h37

e justamente o que falta no brasil

Responder

Neuza Anselmo

08 de dezembro de 2017 às 13h47

A Argentina o povo não covarde como aqui no Brasil, aqui o governo golpista faz o que quer e os carneirinhos vão para o abatedouro sem nenhuma reação

Responder

Rodolfo Rosa

08 de dezembro de 2017 às 13h31

Aqui os otários saem a favor do bostamoro !

Responder

Edna Neves

08 de dezembro de 2017 às 13h26

“Mirem-se no exemplo…”

Responder

Cristiano Camargo

08 de dezembro de 2017 às 13h20

O povo deveria fazer exatamente o mesmo, ou ir mais além: invadir e ocupar todas as sedes da PF, do MPF, PGR, Ministério da Justiça,TRF4, STJ, STF, além de agarrar o Moro e colocá-lo atrás das grades, algemado ! E depois invadir o Congresso e os Palácios e exigir e forçar na marra a revogação de todas as Deformas e medidas ditatoriais do Desgoverno TEMERário !

Responder

    Helio Paes

    08 de dezembro de 2017 às 14h00

    Apoiado
    É isto mesmo!

    Responder

    Miriam Alves

    08 de dezembro de 2017 às 16h05

    Sim, mas o povo somos nós, eu e vc, todos temos q ir, e não apenas esperar q alguém vá por nós, q uma minoria coloque a cara á tapa, todos temos q ir as ruas protestar , chamar os parentes e amigos, e não criticar quem tem coragem e vai na linha de frente levando gás, bala de borracha, pq vejo muita gente querendo q o povo vá as ruas pacificamente, isso não existe, pedir por favor pra golpista, temos todos q lutarmos, é nosso futuro em jogo.

    Responder

Juarez Alex Seehausen

08 de dezembro de 2017 às 13h17

Exemplo dos hermanos

Responder

Jader

08 de dezembro de 2017 às 11h15

Argentina povo sem medo

Responder

Oseas Torcedor Do Psc

08 de dezembro de 2017 às 13h14

Aqui no Brasil só se for fora Dilma e fora PT

Responder

Paulot CMelo

08 de dezembro de 2017 às 13h11

Estão vendo como se faz com falsos juízes fascistas?

Responder

Deixe uma resposta