Sabatina de Manuela na Carta Capital

Colunista do New York Times ao Nocaute: EUA estão envolvidos na prisão de Lula

Por Miguel do Rosário

08 de Abril de 2018 : 22h12

No Nocaute

A colunista do Nocaute Aline Piva conversou com Mark Weisbrot, economista norte-americano e co-diretor do Centro para Pesquisas Econômicas e de Políticas Públicas em Washington, e que é também colunista ocasional do New York Times.

Nocaute – O que significa a perseguição a Lula?

Mark Weisbrot – Esse é o segundo estágio de um golpe que começou, claro, com o impeachment de Dilma. Então ela foi sem um crime real, e agora nós temos um ex-presidente que está sendo mandado para a prisão sem evidência. Esses são dois aspectos do mesmo processo, organizado pelas pessoas que nunca realmente aceitaram o governo do Partido dos Trabalhadores como um governo legítimo, que é a elite tradicional do Brasil e a mídia, claro, que é parte disso. Eles estão tomando o que eles não puderam ganhar por 14 anos nas urnas, eles estão tomando isso de volta. Isso eu acho que é o mais importante que está acontecendo. E o processo, claro. Eles estão enfraquecendo o Estado de Direito, eles estão destruindo a independência do Judiciário nesses casos políticos, e eles estão realmente criando uma forma diferente, muito mais limitada, de democracia, onde eles podem decidir não só se um presidente pode continuar no cargo, mas se outro candidato, um ex-presidente, pode ser candidato – quem pode ser candidato nas eleições. Então é realmente uma forma muito limitada de democracia. E é ainda mais perigoso que isso, quer dizer, obviamente há muitas coisas que são reminiscentes do golpe de 1964, como essa violência do dia 27 de março, quando atiraram na Caravana do Lula, em 17 de março você teve Marielle Franco, vereadora do Rio, que foi assassinada, foi um verdadeiro assassinato político, e você não vê o governo fazendo muito para investigar. Então isso está ficando mais e mais não só uma forma limitada de democracia, mas algo que parece mais e mais com que violência e repressão possam ter um papel ainda maior na maneira que essas pessoas governam.

Os Estados Unidos estão envolvidos?

É interessante como o papel dos Estados Unidos nunca é discutido na mídia internacional quando eles falam sobre América Latina. Quer dizer, América Latina está passando por essa enorme transformação, e se tornou, no século XXI, mais independente dos Estados Unidos do que foi por 500 anos, e agora está voltando atrás, de volta ao século XX. E falar dessas mudanças sem os Estados Unidos é como falar da Ucrânia e não mencionar a Rússia. E é claro que eles estão envolvidos. É interessante, quando perguntaram isso para o Lula no Democracy Now, a primeira coisa que ele disse foi “bem, nos levou 40 anos para descobrir o que os Estados Unidos fizeram no golpe de 1964”, então muito disso não vai vir à tona. Mas você tem muita evidência, você tem a evidência, claro, do apoio dos Estados Unidos ao impeachment de Dilma, como falamos anteriormente, onde eles vieram, por exemplo, Aloízio Nunes, que estava à frente do Comitê de Relações Internacionais do Brasil, veio aqui dois ou três dias depois do golpe, e se encontrou com Tom Shannon, o número três no Departamento de Estado. Há esses encontros e outras coisas, como a coletiva de John Kerry em frente da Embaixada, em 15 de agosto, com José Serra. Essas coisas, e as coisas que ele disse sobre o grande futuro que eles teriam… Há maneiras de fazerem todos saberem que os Estados Unidos apoiaram o golpe. Agora, o impeachment – e é claro que eu chamo de golpe -; agora, a segunda fase, a perseguição a Lula, e aí, você vê, os Estados Unidos estão obviamente envolvidos nas investigações. O Departamento de Justiça, por exemplo, o procurador-geral, Kenneth Blanco, ele esteve em uma conferência aqui em julho de 2017, e ele disse que era “difícil imaginar uma relação mais cooperativa na história recente” do que aquela entre o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e os procuradores brasileiros. E um pouco mais à frente no mesmo discurso, ele se vangloriou de como os procuradores do Brasil ganharam um veredito contrário ao presidente Lula. Então ele está muito feliz com isso, e ele não está tentando esconder isso nem um pouco. Então eu acho que precisaremos alguma investigação para descobrir exatamente o que eles fizeram, mas se você olha para a atitude deles em relação ao Brasil – e nós sabemos que eles nunca quiseram o PT, todas as coisas que eles fizeram no correr dos anos, as quais eu só arranhei a superfície, quer dizer, você tem tanta história em todos os 14 anos dos Partidos dos Trabalhadores, e mesmo quando Lula estava disputando as eleições em 2002. Então você tem muito motivo aqui, e você tem oportunidade, porque aqui estão eles, envolvidos na investigação com Sérgio Moro, e o que eles estão fazendo? Eles estão aí para garantir que seja uma investigação imparcial? Eu não acho. Eu acho que eles são parte do governo dos Estados Unidos. E eles estão fazendo o que outras partes do aparato de segurança dos Estados Unidos, como é chamado, eufemisticamente, está fazendo. Então sim, eu acho que eles estão envolvidos e eu acho que nós vamos ter mais evidência. Espero que nós consigamos mais investigação aqui sobre o que eles estão realmente fazendo.

O que significa a prisão de Lula para, o Brasil, América Latina e o mundo?

Bom, eu acredito que, de imediato, a prisão do Lula e o uso do sistema judicial para impedir que ele concorra à presidência, impedir que o Partido dos Trabalhadores retorne ao poder – é que eles estão tentando fazer. Eu acho que isso obviamente tem um efeito terrível em qualquer tipo de democracia. E, claro, não é só a democracia em abstrato, é o que eles querem fazer com esse poder. Nós vemos o que a direita está fazendo em termos de cortar gastos sociais, a tentativa de cortar as aposentadorias, educação. É a agenda usual da direita, de criminalizar o MST, por exemplo. Então há isso, e há também parte do que está acontecendo na América Latina. Tem acontecido essa grande virada à direita e, como eu disse, a perda da soberania nacional e independência. E aqui você vê os Estados Unidos usando esses novos governos de direita, que eles ajudaram a chegar lá – e na Argentina, eles intervieram bastante na Argentina para piorar os problemas do balanço de pagamentos, bloqueando empréstimos no Banco Mundial, no Banco Interamericano de Desenvolvimento, e os Estados Unidos retiraram o apoio a isso depois que Macri assumiu o cargo. E aí você tem o sistema judicial dos Estados Unidos, como no Brasil, onde o sistema judicial dos Estados Unidos usado internacionalmente; quando o sistema judicial dos Estados Unidos foi usado para exacerbar o balanço de pagamentos na Argentina também. A Corte de Nova Iorque decidiu que os credores da Argentina não poderiam ser pagos até que os fundos abutres fossem pagos. Então eles fizeram todas essas coisas, e aí, claro, eles removeram todas as coisas que eles fizeram para a Argentina quando eles já tinham o governo de direita. E nós poderíamos ir país por país. Obviamente, Venezuela é o exemplo mais proeminente. Lá nós temos Estados Unidos abertamente fazendo um chamado para um golpe militar e fazendo tudo que eles podem para garantir que isso efetivamente aconteça. Eles têm sanções financeiras contra o país, as quais são ilegais sob a Carta da OEA e outras convenções internacionais que os Estados Unidos são signatários. E eles estão tentando estrangular o país economicamente. Eles está até ameaçando com ainda mais sanções. E nesse momento, ninguém nem sabe sobre isso porque a mídia quase não está reportando sobre isso. Eu acho que a Reuters está reportando nos Estados Unidos, e eles são basicamente os únicos que estão prestando atenção a isso: os Estados Unidos está realmente tentando impedir que uma eleição presidencial aconteça, porque eles querem um golpe. Mesmo se um candidato da oposição ganhe, eles não querem nem tentar a sorte nisso, porque eles querem o candidato deles. Então esse é o estado a que chegamos quando temos governos de direita, nem tanto de direita, mas realmente pró-Estados Unidos. Quero dizer, Brasil, Argentina, Colômbia… Santos foi independente por algum tempo; você tinha outros governos independentes, e agora todos esses governos se tornaram subservientes à política externa dos Estados Unidos no hemisfério de maneira que não haviam sido em décadas. E nós nunca tivemos ninguém como Luis Almagro na Organização dos Estados Americanos por uma década. Ele tem uma cruzada fanática contra a Venezuela e ele está até apoiando mais sanções petroleiras contra a Venezuela. Então isso é algo – e você tem México também, que costumava ter uma política externa independente que data da Revolução Russa. Eles foram praticamente o único país que se recusou a cooperar com os Estados Unidos sobre Cuba depois da Revolução Cubana. E eles estão nos bolsos da política externa dos Estados Unidos também. Então isso é um grande retrocesso, que os Estados Unidos usem a terminologia da guerra fria. Isso é o que sempre eles quiseram, desde 20 anos atrás, simplesmente se livrar de qualquer governo de esquerda que você possa. E é isso que eles estão tentando fazer agora.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Reinaldo

20 de Abril de 2018 às 21h57

Lula deveria ter o direito de ser candidato a presidência da república do Brasil, a decisão a justiça de prender o Lula, não tem base, a falta de provas é nitida, existe uma tara em prender Lula, Lula foi um bom. Presidente.

Responder

Sueli

12 de Abril de 2018 às 12h37

E so assistir a entrevista de pepe scobar jornalista frances que ele explica co os EUA montou a operação lava jato
Com todos os detalhes desde qd eles censurava o telefone da Dilma
Como montaram a operação com o Moro que trabalhava na embaixada americana ali vc entende tudo
Entre outras coisas como eles iriam aceitar que a maior ba ia de pré sal petrolífera do mundo ia ficar em parceria com a Russia e a China se os EUA esta acostumado a le ar tudo de graça
Até nosso nióbio

Responder

    CANDIDO LUIZ SANTOS MALTA

    17 de Abril de 2018 às 16h37

    Então foi por saber disso que o pré-candidato Bolsonaro, reservista do EB como todo cidadão que prestou o serviço militar, foi aos EEUU prestar continência ao pavilhão americano do norte.

    Responder

cris Vargas

10 de Abril de 2018 às 01h50

Adorei assistir esse video, é exatamente o que penso,

Responder

Johne Wayne

09 de Abril de 2018 às 18h23

Por demais interessante e esclarecedora a primeira resposta dada pelo Mark, digna de um aprofundamento maior no seu conteúdo.

Responder

, wanderley kusma de faria

09 de Abril de 2018 às 15h55

O tal de Mark, também descobriu a RODA, como se o brasileiro que pensa já não sabia disso. Gostaria de saber dele em qual país, onde houve golpe. O EIXO DO MAL não participou.

Responder

marcelo

09 de Abril de 2018 às 14h41

Como pode com tais evidências parte considerável da população ainda compactuar com os vândalos que estão saqueando o país? E a esquerda terá qual estratégia eficiente para se insurgir contra esse estado de coisas?

Responder

Nilton Passoca

09 de Abril de 2018 às 14h07

Começo a acreditar que o Brasil é colônia dos Estados Unidos.

Responder

Ronaldo R2

09 de Abril de 2018 às 11h40

Realmente mto certo .

Responder

Rogério Bezerra

09 de Abril de 2018 às 11h16

A invasão do Sul do Brasil por empresas norte-americanas, em breve, fará as ideias separatista agigantarem-se na população emburrecida pela mídia nacional que caminha para ser substituída também pelas gringas FOX, HBO e outras.
Mas fiquem tranquilos…
“As Forças Aramadas estão monitorando o MST….” ( Romero Jucá)

Responder

Claudio Corrêa

09 de Abril de 2018 às 09h39

Tio Sam nunca aceitaria quieto que o Brasil da era Lula se reafirmasse como potência mundial econômica e política.

Através da Lava jato destruiu nossas industrias competitivas e estratégicas, com a omissão ou participação consciente do judiciário e da grande mídia, Globo à frente, deu o golpe do Impeachment sem Crime de Dilma e a perseguição política ao Lula, que redundou em sua prisão injusta, sem a apresentação de uma mísera prova de delito.

Obama não espionou e gravou clandestinamente o gabinete de Dilma e a Petrobras por diversão, a partir daí apoiaram e até financiaram as manifestações de rua de 2013, preâmbulo do golpe. Em 1964 deram apoio ao golpe empresarial militar colocando a 4ª Frota Naval nas costas brasileiras, agora bastaram adestrar alguns membros do judiciário e do ministério público, do resto a grande mídia se encarregou.

Na Europa e nos EUA, todos sabem, pois não são vítimas da manipulação da Globo:

Responder

MIS-SA? MISSA no SINDICATO versus o deus DIONISO

09 de Abril de 2018 às 09h12

Bom.., desse lado Baco — o deus do vinho — [digo do lado MBL (que comemorou com muita cerveja de graça na rua de um bordel no bairro Moema, Sampa!)]: & Dioniso (da mitologia grega).
Mas…, no entanto…
Enquanto isso..
No Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo…, os Comunistas ouviam missa de padres??? ¿MIS-SA?
[rsrsrs].

Responder

    Miguel do Rosário

    09 de Abril de 2018 às 11h44

    Por que esses retardados tem obsessão com o comunismo? Desde quando Lula é comunista?

    Responder

      Cihh de Aquino

      09 de Abril de 2018 às 15h08

      Miguel, boa tarde!

      É que os nossos vira-latas domesticados pelos EUA são ensinados através dos enlatados norte americanos que devem odiar o “comunismo”.

      Macartismo tupiniquim é o fim da picada.

      Mas, uma nova onda anti Rússia vem por aí, aguarde.

      Abraços,

      Responder

      Rita Monteiro

      14 de Abril de 2018 às 22h49

      Ele é comunista, desde quando defende e luta pelos comuns. Eu sou comunista, graças a Deus. Esta conversa mole de que comunista é ateu… Nada a ver. O Maior comunista foi Jesus.

      Responder

Fernando Ribeiro

09 de Abril de 2018 às 09h05

Joga isto no zap por favor.

Responder

Amarantes

09 de Abril de 2018 às 01h08

Excelente.
Didático e preciso.

Responder

Francisco

08 de Abril de 2018 às 23h37

Ótimo! A miopia e visão de túnel impedem esta visão, q é óbvia. Sempre foi. Só ver o q foi o golpe no Chile, na mão grande, aqui e acolá.

Responder

Hélio

08 de Abril de 2018 às 22h51

Tudo isso é muito sinistro. E factível. Nunca teremos governos de esquerda; os congressos sempre serão a, e da direita.

Responder

Denise

08 de Abril de 2018 às 22h35

Miguel, ótima entrevista, mas a tradução está errada. Não disse terminologia dos mineradores de carvão, disse terminologia da guerra fria (cold war).

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com