Boulos na Carta Capital (ao vivo!)

Jobim é a nova cartada do establishment?

Por Jeferson Miola

13 de junho de 2018 : 20h31

Jeferson Miola 

Nelson Jobim foi colocado no jogo eleitoral – isso caso o establishment decida manter a eleição de outubro próximo.

Atualmente banqueiro – ele é sócio e membro do Conselho de Administração do BTG Pontual –, Jobim é um “ex-tudo” com trânsito livre nas altas esferas políticas, jurídicas, financeiras e midiáticas: foi deputado Constituinte, deputado federal, Ministro da Justiça, juiz do STF, presidente do STF e Ministro da Defesa.

O ingresso do Jobim no radar da eleição resulta de uma decisão da justiça eleitoral que ainda carece de esclarecimento. O TRE/RS aceitou a filiação retroativa dele no MDB fora do prazo legal.

A justiça eleitoral enfrentará uma grande contradição se impedir ilegalmente a candidatura do candidato imbatível e se, por outro lado, permitir a inscrição de candidato que não cumpriu a regra básica para ser votado – a filiação partidária no prazo definido em Lei.

Em 9/6, a Coluna do Estadão [Nelson Jobim perdeu o prazo de filiação do TSE] divulgou que “O entusiasmo de um grupo do MDB em lançar o ex-ministro Nelson Jobim ao Planalto no lugar de Henrique Meirelles esbarra em um problema legal: Jobim não está filiado ao partido e o prazo para o registro foi até o dia 2 de abril. O presidente do MDB no Rio Grande do Sul, deputado Alceu Moreira, disse à Coluna que houve um ‘erro na remessa da ficha’ ao cartório de Santa Maria (RS), que impediu a formalização do ato. Na semana passada, Jobim recorreu ao TRE para garantir a filiação. Sem legenda, ele fica impossibilitado de disputar”.

Dias depois, na Coluna De volta [12/6], o Estadão informou que “O juiz Luciano Couto (TER-RS) considerou que houve falha do MDB e autorizou a filiação retroativa do ex-ministro Nelson Jobim à legenda. Com isso, o nome de Jobim volta para a disputa presidencial”.

À medida que o relógio eleitoral avança, aumenta a aflição do establishment com a inviabilidade eleitoral de todas as candidaturas que representam a continuidade do golpe.

Fracassaram todos os inventos com os chamados outsiders [Luciano Huck, João Dória, Joaquim Barbosa], da mesma maneira como estão condenados ao fracasso Meirelles, Rodrigo Maia, Alckmin, Marina, Bolsonaro e Álvaro Dias.

Nelson Jobim poderá ser, em vista deste cenário de impasse e inviabilidade eleitoral da oligarquia golpista, uma nova cartada para tentar viabilizar a continuidade do golpe e do projeto de dominação anti-nação, anti-povo e anti-democracia pela via eleitoral/institucional, dispensando a necessidade de endurecimento autoritário do regime.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Thiago Araujo

18 de junho de 2018 às 15h31

Régis e Laura.
Pelo teor de seu discurso, vocês são MDB e são requião.
Vocês sabem se o “nacionalista” requião já PAGOU a dívida milionária com a PREVIDÊNCIA SOCIAL que as empresas dele possuem?
Cerca de R$ 8.000.000,00?
O eleitor brasileiro tem um “chamego” por bandidos.
Elegeram collor, fhc, lula, dilma… tem gente querendo votar em preso condenado e por aí vai…
O congresso nacional é o suprassumo do que não presta… todos ELEITOS…
Mais de 27 governadores, TODOS, com irregularidades criminais não julgadas e no mandato…
Mais de 5.630 prefeitos, vários fazendo BARBARIDADES nos municípios…
Mais de 60.000 vereadores. Centenas e centenas ligados ao crime organizado, ao tráfico de pessoas e de drogas e a ações fora da lei…
Nas assembléias legislativas de TODOS OS ESTADOS vigoram as negociatas de cargos, funções e a locupletação generalizada…
Esse é o Brasil….
Como é que vamos avançar, progredir e dividir com as pessoas os ônus e os bônus do desenvolvimento, se o ELEITOR escolhe essa gente toda….
É essa a democracia que todos alardeiam?
De onde é que emana o PODER e em nome de quem é exercido?
Se o ELEITOR NÃO SE VENDESSE, por qualquer bagatela que fosse, o Brasil seria outro.
Os partidos poderiam indicar QUEM QUER QUE FOSSE, mas, eleitos, somente as pessoas com caráter, de bem…
Vejo que o problema não está nos nomes que os partidos, as oligarquias, o crime, os fraudadores colocam à disposição.
O PROBLEMA ESTÁ NA MICROCEFALIA DE QUEM VOTA NESSA GENTE.
ELEITOR DES(MIOLA)DO.

Responder

euclides de oliveira pinto neto

15 de junho de 2018 às 10h58

Esse Jobim é aquele que fraudulentamente inseriu artigos na Constituição, que não haviam sido aprovados pelos Constituintes. Inclusive confessou anos mais tarde a prática do delito, que passou a priorizar o pagamento dos juros da dívida externa aos bancos multinacionais, juntamente com a prioridade dada ao pagamento dos salarios de funcionários … Possui o caráter CANALHA que o povo espera de um Presidente… arrisca a ser eleito pelo Congresso, numa votação indireta que pode ser inserida na última hora… Coisas do Brasil…

Responder

Régis

14 de junho de 2018 às 14h06

Bem lembrado, Laura! Olha que ponto chegamos! Os partidos golpistas não querem um político nacionalista como Requião, se desdobram para achar um nome viável na corrente entreguista, não lutam mais pela nação, pelo povo, pela honra. São politicos lesa-Pátria em sua maioria.

Responder

Laura

14 de junho de 2018 às 06h08

Isso aí é para esvaziar a candidatura Requião no MDB.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com