O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

Ciro ou Haddad?

Por Pedro Breier

13 de setembro de 2018 : 15h07

Pelo andar da carruagem, a cada pesquisa que for divulgada se seguirão acalorados debates no campo da esquerda sobre quem é o melhor candidato para enfrentar o representante do capital – provavelmente Bolsonaro – no segundo turno.

Tal debate pode ser absolutamente saudável, se se der em alto nível e não desviar demasiadamente o foco dos nossos adversários em comum, os inimigos dos trabalhadores e do próprio conceito de nação brasileira.

Não esqueçamos que estaremos todos juntos no segundo turno e, em caso de vitória, no governo. Como lembrou algumas vezes Guilherme Boulos, deixemos o pensamento único para a direita.

Este colunista acredita que a melhor opção para o campo progressista é Ciro Gomes. Isso não significa, por óbvio, não reconhecer os feitos do PT no governo e o peso de Lula, o maior líder popular do país e presidente mais bem avaliado da história, no processo eleitoral.

Dito isto, passemos ao saudável debate.

Um dos vários motivos que me leva a crer que Ciro é o melhor nome para fazer frente ao golpe é o seu estilo combativo.

Ontem, em sabatina realizada por O Globo, Época e Valor Econômico, Ciro detonou o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Bolsonaro, chamando-o de “jumento de carga”. O general havia feito, após afirmar, tresloucadamente, que tinha certeza que o autor da facada em Bolsonaro era do PT, a seguinte ameaça explícita: “Se querem usar a violência, os profissionais da violência somos nós”.

Ciro foi o único candidato que reagiu energicamente às declarações bizarras de Mourão, inclusive provocando-o com um “Vem, general (fazendo o gesto de chamar para a briga com as mãos). Jumento de carga!”.

Diante da naturalização do fascismo e do assanhamento de golpistas como o general, é evidente que o campo democrático deve subir o tom e não admitir esse tipo de arreganho autoritário, como bem fez o pedetista.

Um parêntesis surreal: o general Mourão disse que “não admite baixar o nível da campanha” e que Ciro “não tem argumentos” e por isso “parte para a ofensa”. Mourão defende a possibilidade de um golpe militar e se definiu como “profissional da violência”, mas é Ciro, extremamente preparado intelectualmente, quem não tem argumentos. Nem o general deve acreditar no que diz. Fecha parêntesis.

Haddad, por sua vez, a despeito de ser também um intelectual de respeito, é um dos quadros mais moderados do PT, que é um partido moderado em vários aspectos. É claro que o golpe e a radicalização da política vêm empurrando a agremiação para uma postura mais combativa – o que é ótimo.

Entretanto, dois trágicos episódios recentes demonstram que o PT e Haddad terão que dar um giro de 180 graus na sua postura – deixando a polidez, a elegância, o “republicanismo” e a apatia de lado – para ter condições de fazer frente à sangrenta guerra que temos pela frente. Tanto no impeachment quanto na derrota de Haddad na eleição municipal de 2016, faltou combatividade e assertividade no enfrentamento com a direita – atributos que sobram em Ciro Gomes.

Uma entrevista de Haddad ao Estadão, no dia 10 de agosto de 2016, pouco antes das eleições municipais e da consumação do golpe (Dilma foi definitivamente afastada da presidência no dia 31 daquele mês), ilustra bem este ponto. Haddad disse que “golpe é uma palavra um pouco dura” e que “não me parece de bom tom o que está acontecendo: um vice se insurgir contra a cabeça de chapa”.

Enquanto isso, Ciro chamava o golpe de… golpe e a parceria entre PMDB e PSDB, urdida para derrubar Dilma, de “sindicato de ladrões”. Cunha era definido como o picareta-mor da nação, marginal e vagabundo. Para Temer, além de ladrão e corrupto, Ciro reservou, em ao menos uma oportunidade, o carinhoso epípeto “conspirador filho da puta”.

Peço perdão aos leitores mais sensíveis do Cafezinho pelo palavrão – e às putas também – mas creio ser importante demonstrar a diferença do tratamento dado aos conspiradores por Haddad e por Ciro.

Golpe não é uma palavra nada dura para a derrubada ilegal de uma presidenta eleita – é a única adequada, na verdade. As atitudes de Temer são muito melhor definidas como as de um “conspirador filho da puta” do que com um “não é de bom tom”.

Esse ímpeto de Ciro – o de chamar as coisas pelo que elas são – é absolutamente necessário para esclarecer a população sobre quem são os inimigos dos trabalhadores.

Ainda mais quando temos uma mídia que monopoliza o debate político e busca pasteurizá-lo, escondendo golpes, saques ao país e canalhices em geral atrás de ternos bem alinhados e postura e vocabulário impecáveis.

Eis um dos motivos – dentre outros – pelos quais Ciro Gomes parece ser o melhor nome para enfrentar o trator golpista: sua combatividade invulgar.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

63 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Josy

16 de setembro de 2018 às 23h07

Acho que é interessante esperarmos as próximas pesquisas e ver o cenário, o anti PT está muito forte, partido está fragilizado e muita revolta da população e com razão, acho que em um eventual segundo turno entre Haddad e bozo Haddad perde, o Louco está muito forte, então se ver que Ciro tem condições de derrotá-lo no segundo turno e ele estiver segurando bem nas pesquisas, é melhor votar pra ele, Haddad pode ser presidente em 2022 e acho que Ciro meio que quebra esse caos de amor e ódio que os eleitores tem com o PT, essa polarização foi que criou o Bolsonaro, ele existe pra desconstruir todas as ideias e erros que os últimos governantes fizeram… ainda temos a esperança dele cair nas pesquisas, mas novamente acho que só mais próximo veremos, mas pelo que eu vejo hoje Haddad não tem chance

Responder

Marcos Sousa

15 de setembro de 2018 às 22h51

Ciro procurou o centrão, e, como Temer e Alkimin chegaram na frente, ele ficou de briga com o PT. Além disso, considerar que Ciro é esquerda, é desconhecer a sua trajetória política. Prefeito de Fortaleza, ministro de Itamar e FHC pelo PSDB, chegou a ser chamado político revelação do PSDB. Como quer ser presidente, pousa hoje de esquerdista. Só votaria nele num eventual segundo turno.

Responder

Leandro_O

15 de setembro de 2018 às 09h55

Pedro, tem que colocar na conta o seguinte: em 2014 quando havia muitíssimo pouco do que se desenrolou depois, o PT já mal conseguiu governar. Houve uma tremenda resistência, o governo patinou. Como acham que será no cenário de uma outra vitória do PT? Será tão pior quanto. Ninguém pára um minuto para analisar isso. Queremos mesmo entregar a sociedade para um estado de incerteza? Porque é o que pode muito bem acontecer. O povo não saiu na rua para quase nada. Nem as centrais sindicais. Por que acham que sairiam com força para sustentar um outro governo do PT? Aliás, a democracia também pressupõe rotatividade, alternância.

Responder

Rodolfo

14 de setembro de 2018 às 13h01

PT tá dançando na beira do abismo… sabe que metade do Brasil não vota nele e ainda quer dividir a esquerda… e vai dar vaga para um grupo de militares que querem revogar a Constituição de 88…

Responder

    Pedro Cândido Aguarrara

    14 de setembro de 2018 às 16h52

    Quem está dançando na beira do abismo são os pseudoesquerdistas que não entendem NADA de política. Estratégia do PT é corretíssima. Haddad chega fácil nos 35%. Ciro não sairá de 7%.

    Por que você, pseudoesquerdista, não reconhece isso e pede pro Ciro abrir mão da candidatura e transferir seus votos pro Haddad? Ganharíamos fácil, fácil no 1o turno. E aí? O orgulho e a vaidade pessoais falam mais alto, né???

    Responder

Rosa Lula da Silva

14 de setembro de 2018 às 08h27

Eu queria os dois em um.
Numa camisa só. Pra ficar mais fácil de votar.
Agora estou dividida.
a esquerda está dividida.
Os votos estão divididos.
E essa divisão é ótima PRA DIREITA.

Responder

    yoman bittencourt

    18 de setembro de 2018 às 08h24

    V tem perfeitamente razão,infelizmente.O país está na beirada do profundo abismo e,esta incompreensivel divisão,poderá permitir ao bolsonaro joga-lá.

    Responder

Anatoly Jr

14 de setembro de 2018 às 07h47

Sempre votei no PT mas não posso deixar de observar que a situação chegou onde chegou por conta da total miopia politica do próprio PT, Lula quando era presidente tinha popularidade suficiente para fazer auditoria na divida pública, reforma politica e reforma tributária, não fez nenhuma destas. Esta certo que nos governos do PT muito foi feito pelo pais mas foi de tal forma que com uma canetada FDP do michel temer esta desfazendo tudo. Alias se aliar e e colocar um vice do PMDB uma quadrilha que só chega no poder por atalhos, como foi com Itamar e Sarney, por favor, tava na cara que ia dar nisso, mas parece que não aprenderam e estão se aliando ao MDB de novo em diversos estados, ou seja é tudo pelo poder. O estilo lulinha paz e amor me dava nos nervos, esquerda tem que ser esquerda combativa e não achar que a direita seria um companheiro de viagem. Pelo menos Ciro eleva do tom e se impõe diante desta canalhada que esta ai, até provem o contrário este merece meu voto e vai tê-lo.

Responder

Ari

14 de setembro de 2018 às 05h28

Sugiro a leitura, inclusive para o articulista, dessa matéria no DCM: “A guerra entre apoiadores de Haddad e de Ciro é um sonho para a direita”

Responder

Ari

14 de setembro de 2018 às 05h28

Sugiro a leitura, inclusive para o articulista, dessa matéria no DCM: “A guerra entre apoiadores de Haddad e de Ciro é um sonho para a direita”

Responder

Ultra Mario

14 de setembro de 2018 às 03h20

Essa divisão é muito boa para o país. Antes chovia petistas falando que o Ciro era de direita, hoje vemos quem terá o PMDB no governo, quem vai governar para o mercado de novo, quem vai tirar fotinho com golpistas como Renan, Eunicio, etc.

Aos poucos vamos vemos quem é quem nesse cenário político.

Responder

Jandui Tupinambás

13 de setembro de 2018 às 22h07

Ambos tem seus defeitos e qualidades mas, de certa forma, existe um ponto em comum: os dois são do campo progressista e quem chegar no segundo turno será apoiado pelo outro.

Acontece que está bem claro que Haddad chegará no dia 7 de Outubro com, pelo menos, 6x mais cacife eleitoral que Ciro.

Então, restará ao Ciro fazer o que sempre fez: no segundo turno apoiar o campo progressista.

Mas acho que desta vez ele não fará isto: Haddad leva de vez no primeiro turno. E isto, apesar de melhor para o Brasil, terá um gosto amargo de fim de carreira para Ciro.

Responder

    Adam Smith Comuna

    14 de setembro de 2018 às 10h36

    Petista vive em um mundo paralelo mesmo.

    O Dilmo, único que perde para Bolsonaro no segundo turno, vai ganhar no primeiro. O PT, com menos da metade do apoio que tinha em 2002 e 2006, vai fazer todas as reformas que prometia até 98.

    Um viva a imaginação!

    Responder

Cunha e Silva

13 de setembro de 2018 às 21h20

O perfil de Ciro não é de presidente , e sim de ministro da Fazenda .Lhe cai muito o posto.

Responder

Damião Bonfim

13 de setembro de 2018 às 20h28

Se eleição sem Lula é fraude, por que o PT corrobora a fraude indicando um candidato para participar dela? Esse discurso tinha algum sentido, ou melhor, convinha antes, porque o PT vendia a ideia de Lula candidato, mesmo ciente de que isso seria quase que impossível. Hoje, se alguém vota em Haddad porque quer Lula governando, não respeita quem realmente está concorrendo, e não está tentando eleger um Presidente, mas um “laranja”, capacho (tudo o que a democracia e o Brasil não precisam). O PT sabe disso também, mas estimula um tipo de voto emotivo que só serve para perpetuar o partido no poder. E não havendo outro no partido que atraia votos como Lula, qualquer um que por ele se candidatasse seria “Lula”, porque o PT parece não acreditar em ninguém de si, só no Lula (se agarra a ele como se Lula fosse insubstituível – mas não é!). O modo como o PT usa Haddad é de causar vergonha alheia. Acho até, que lá no fundo, ele não gostaria de prestar o papel que lhe deram: alguém para não ser visto com seus próprios valores e méritos – só um ser que representa quem ele nunca será (e nem precisa ser). Se Haddad for eleito para fazer o que Lula manda não merece ocupar uma cadeira que deveria ser ocupada por quem realmente quer, sabe e pode governar.

Responder

    Alexandre Neres

    14 de setembro de 2018 às 00h01

    Alô Cafezinho, cadê meu comentário que enviei à tarde? Censura?

    Caro Damião, a eleição é fraude porque todo o aparato judicial foi movimentado para impedir que o candidato favorito nas urnas concorresse e consequentemente ganhasse, por isso privaram sua liberdade. Não me venha com jogos retóricos ante fatos de tamanha gravidade, pois é a democracia do Brasil que foi para o espaço concomitantemente ao avanço do estado de exceção. Apesar disso, um partido com o cabedal político do PT não pode cometer o suicídio de não participar de uma eleição, seria fazer o jogo dos seus algozes. Digo mais, preocupe-se com o seu candidato, como o PT conduz a candidatura dele próprio não lhe diz respeito. Teve até candidato espertalhão diante de sua falta de estatura política que queria levar o maior líder popular de todos os tempos para uma embaixada para garantir que ele não fosse participar do pleito eleitoral. Talvez tenha tido um insight no sentido de que não teria como competir com ele, o que se revelou acertado. Só que naquele tempo com toda a mídia diuturnamente o acusando de corrupto, decerto o que esperava de um aliado num momento difícil era que fosse juntamente com Boulos e Manu se solidarizar com ele, não que por cálculo político se mantivesse afastado para depois obter os dividendos políticos de seu espólio, ao supor que cairiam no seu colo naturalmente. Lula não é um tecnocrata, um burguês de classe média, um sabe-tudo, um candidato de si mesmo. Lula tem base social e é a cara do povo brasileiro. Sem mais.

    Responder

    josa

    14 de setembro de 2018 às 07h25

    Você sabe que é programa e estatuto de um partido,não faça um discurso desse achando que o povo é burro ,Haddad vai aplicar o programa do PT que Lula aplicaria e que eu fosse candidato faria o mesmo,vamos ser sério

    Responder

      Damião Bonfim

      14 de setembro de 2018 às 09h25

      Alexandre Neres, não se trata de jogo de retórica, mas de constatação de um discurso de conveniência adotado pelo PT – só não vê quem não quer. Quanto à questão da embaixada, o senhor deve saber que, se é verdade que Lula é um preso político, a forma adequada de reagir a um tipo de perseguição dessa natureza seria o asilo político, não o uso dos mecanismos jurídico do algoz contra o próprio algoz. Por isso, a defesa de Lula (Sepúlveda Pertence , ciente da situação do caso, não pleiteava Lula candidato, mas ao menos sua prisão domiciliar, pois sabia que a conversa de “Lula candidato” não passava de marketing político). É Fato que o PT forçou a barra até onde deu. Se deixassem, iria até o dia 17 de Setembro – e se pudesse – ILUDIRIA o eleitorado petista menos esclarecido até uma semana antes da eleição com essa ideia (que a própria cúpula do PT não acreditava, mas vendia) de que Lula seria candidato. Como não puderam, vêem com essa de que Haddad é Lula. Haddad é HADDAD ( candidato do PT), ninguém é insubstituível. Se eu me inclinasse a votar no Haddad (que não é uma má escolha – mas não a melhor) o faria por suas qualidades pessoais e não pelas de Lula; pelo seu programa de governo, não porque ele fala do Lula, ou porque o Lula o apóia. Político, para mim, não é objeto de culto, nem manda na minha capacidade de escolha, a ponto de decidir pela minha consciência. Estou querendo alguém que governe o Brasil daqui para frente, não alguém que aceita o discurso e papel de ser mero representante de outrem, e que vende a ideia de que não fala por si mesmo. Porque, se depois, esse alguém ganhar e governar mal, quem deve ser cobrado é ele, não o Lula. Se governar bem, os méritos serão dele, não do Lula.

      Responder

        MarieneF

        14 de setembro de 2018 às 20h32

        Haddad é Haddad, mas o pessoal do Ciro anda dizendo por aí que Haddad é Dilma, insinuando maldosamente contra a ex-presidente. Aliás os cirista estão agindo igual aos bolsominions, copiando e usando as falácias dos direitistas.

        Responder

          Tiago Tavares

          17 de setembro de 2018 às 18h00

          A recíproca não é menos verdadeira. Ou quem escolheu Temer como vice vir crticar Kátia Abreu é algo sóbrio? Ainda esquecem que Ciro apoiou Lula, Dilma de várias formas e o PT agradeceu com aquela rasteira anulando o PSB e prejudicando todo o campo progressista. Se Haddad for pro segundo turno e perder pro Bozo essa camapnha do PT será a maior mancha de sua história

          Responder

Paulo

13 de setembro de 2018 às 20h23

Essa eleição está se parecendo cada vez mais com a de 1989: Ciro é Brizola, Bolsonaro é Collor e “Lula” é Lula, rsrs….

Responder

Adam Smith Comuna

13 de setembro de 2018 às 19h40

https://youtu.be/RoVGwdRBJK8

Vídeo do Haddad falando que golpe era uma “palavra dura”

Responder

Fernando Sousa

13 de setembro de 2018 às 19h00

Achei perfeita a sua colocação Pedro. Temos que ter a noção todos devem estar juntoa no segundo turno e num eventual governo. Entretanto, cabe a pontuação de quem é o melhor na condução deste “barco”. Ciro Gomes tem preparo, experiência e mostra uma postura mais alinhada a interesses do povo, não estando submisso a uma alianca com os golpistas. Postura que não vemos em Haddad, apesar de ter muito respeito pelo ex prefeito. Vi hoje em sua popaganda ele afirmando que “ELES COLOCARAM O BRASIL NA CRISE” Eles quem cara pálida? Temer, Cunha, Gedel, Renan, Jucá…. os mesmos que eram tidos como “companheiros de primeira hora” (não existe expressão mais canalha na política), que arquitetaram o Golpe, e que agora sao novamente parceiros em chapas estaduais. Se existe alguma dúvida se Ciro é melhor que Haddad, uma coisa é certa: Com Ciro Presidente, o MDB será oposição, ja com o PT….

Responder

Lindolfo

13 de setembro de 2018 às 18h10

Ilusão…aumenta o rádio..
Me dê a mão…

Quando acordou estava sem ninguém…

HADDAD já ganhou, Lula já elegeu esse poste cheio de LUZ….estrelado..

Kkkkk

Responder

sempre Voltaço

13 de setembro de 2018 às 17h59

Se Ciro tivesse defendido Lula com unhas e dentes, hoje estaria eleito no primeiro turno, mas, Ciro achou que Lula estava morto, achou que ia decolar com o centrão, e agora tá querendo fazer média com o Lula.
Desculpa Miguel, mas eu sou 13 de cima em baixo.

Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 21h28

    Meu Deussss….. Tem gente que acha que o papa Francisco vai canonizar São Lula, só pode, rs.

    Responder

ari

13 de setembro de 2018 às 17h52

Já fico imaginando o Ciro chamando o Trump pra porrada.
Seguindo o seu mentor, Ciro Gomes, este Blog, o articulista e outros estão, a meu ver, cometendo um erro imenso. O inimigo não é o PT ou o Haddad, muito pelo contrário. O Blog publicou mais cedo um artigo do Wanderley dos Santos (alguém já disse que “alguns envelhecem, outros apodrecem”) que é uma insanidade. Esta matéria que comento é infantil, para dizer o mínimo. Lembro-me que, quando criança, discutíamos se “meu pai ganha do seu na luta”. As análises deste blog das pesquisas são lamentáveis. Obviamente, pesquisas sem o nome do Lula inviabilizam tirar qualquer conclusão sobre o mais votado. A pesquisa do Vox Populi dá uma indicação e só. Nestes dias, o Ciro foi citado 3 vezes em O Antagonista por suas críticas. Seu ataque raivoso contra o PT e o Lula é de uma cretinice digna do Alckmin
Quem costuma mentir, torcer, manipular e deturpar é a direita. Perdoem-me se pareço rude, mas chego a pensar se não estaria rolando algum

Responder

ari

13 de setembro de 2018 às 17h49

Já fico imaginando o Ciro chamando o Trump pra porrada.
Seguindo o seu mentor, Ciro Gomes, este Blog, o articulista e outros estão, a meu ver, cometendo um erro imenso. O inimigo não é o PT ou o Haddad, muito pelo contrário. O Blog publicou mais cedo um artigo do Wanderley dos Santos (alguém já disse que “alguns envelhecem, outros apodrecem”) que é uma insanidade. Esta matéria que comento é infantil, para dizer o mínimo. Lembro-me que, quando criança, discutíamos se “meu pai ganha do seu na luta”. As análises deste blog das pesquisas são lamentáveis. Obviamente, pesquisas sem o nome do Lula inviabilizam tirar qualquer conclusão sobre o mais votado. A pesquisa do Vox Populi dá uma indicação e só. Nestes dias, o Ciro foi citado 3 vezes em O Antagonista por suas críticas. Seu ataque raivoso contra o PT e o Lula é de uma cretinice digna do Alckmin
Quem costuma mentir, torcer, manipular e deturpar é a direita. Já basta o que ela faz sem a ajuda de vocês

Responder

Mauro Souza'

13 de setembro de 2018 às 16h59

A pergunta que não quer calar, PQ LULA NÃO APOIA CIRO GOMES, se ele mesmo sabe que o Ciro é mais combatível, e vai perpetuar os pensamentos do próprio LULA, pois pensam da mesma forma. A única resposta é que o PT quer se perpetuar no poder e não apenas o bem do POVO. Haddad é um homem honesto assim como a Dilma, mas não são competentes como CIRO GOMES. Haddad perdeu SÃO PAULO e a DILMA deixou sofrer um GOLPE inimaginável, mas possível pelas escolhas que ela fez. Dessa forma precisamos de alguém com CAPACIDADE e essa pessoa é o CIRO GOMES. Sempre votei no PT, mas se ele não apoiar Ciro, nunca mais terá um voto meu, pois não é o povo que ele quer ver bem e sim se perpetuar no poder. Se o PT não mudar, serei pior que um coxinha pra desestimular quem quiser votar no PT. #SemLULAéCIRO #CIRO12

Responder

    Claudio Lessa

    13 de setembro de 2018 às 17h17

    !Se o PT não mudar, serei pior que um coxinha” se não é um troll, já é um coxinha!

    Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 17h48

    Só uma correção, Lula e Ciro não tem nada a ver um com o outro politicamente, a única coisa que os une é serem amigos e o Ciro ter apoiado Lula por 16 anos.

    Responder

Damião Bonfim

13 de setembro de 2018 às 16h41

O Lula teve sua preferência. Nós temos de nos dar o direito de ter a nossa. Quem entende ser Haddad o mais indicado, EXERÇA SEU DIREITO DE ESCOLHA. Quem entende ser Ciro mais indicado, que exerça o mesmo direito, SEM TRANSFERIR A OUTRO A SUA VONTADE. Votar porque alguém “manda” é desrespeitar seu próprio direito de escolha. Eleição não é declaração de amor ao passado, é compromisso para com o que se entende ser o melhor para o futuro. Por isso, vou de Ciro 12.

Responder

    Mauro Souza

    13 de setembro de 2018 às 16h47

    Voce FALOU TUDO COM POUCAS BELAS PALAVRAS!!! PARABENS AMIGO!!!!!

    Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    13 de setembro de 2018 às 16h58

    Caríssimo! Desde o início desta jornada, desde que se falou em eleições de 2018 o Haddad está ligado ao Lula, ao projeto Lula Livre, a elaboração do plano de governo ( um ano e meio ), junto com a presidente do partido representando o Lula, tentando as coligações, inclusive com a Manuela… Foi cogitado como plano B muitíssimas vezes na mídia e todos já tínhamos nos acostumado, já sabíamos que o golpe iria dar mais muitas rasteiras no Lula. Que iriam tentar até impedir tirar o PT da eleição! Já estavam prontos para dar os últimos botes! E irão tentar mais estes pretorianos infernais vampiros. E o nosso compromisso com o futuro começa com a democracia restabelecida com Lula livre deste processo injusto, preso sem provas. Isto vai acontecer. De formas que não queiras deixar o Lula na beira da estrada da história porque isso não vai acontecer. É uma questão de tempo. O povo livremente que quer o Lula de volta meu caro, que grita por ele nas praças e nos shoppings… Eleição sem Lula é fraude!… Então vamos de Haddad para o substituir. Não tem lógica ? Para o povo tem toda a lógica.

    Responder

    Claudio Lessa

    13 de setembro de 2018 às 17h26

    Parabéns pelas palavras bem colocada Damião.

    Mauro!
    “Mauro Souza

    13 de setembro de 2018 às 16h01

    Perfeita sua analise. precisamos de um presidente ativo e que saiba como fazer. CIRO 12”

    você acredita mesmo no que disse o Damião?

    Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 17h50

    Damião, comentário muito lúcido, penso assim tb.

    Responder

Ane

13 de setembro de 2018 às 16h22

Bem,só sei que a fatura esta pronta para a esquerda pagar…
eu vou de ciro,por que acho que sinceramente PT esta querendo ganhar apenas por revanche ,não estão pensando no dia seguinte,de como vão governar,se o país vai se acalmar,nem nada.
parece ser apenas por questão de EGO,e tudo que o brasil menos precisa agora é uma eleição de egos,por que a gente já sabe o que acontece depois.
que vença o melhor,mas eu torço que seja o ciro.

Responder

    Ariosvaldo

    13 de setembro de 2018 às 16h43

    O ego mais civilizado de todos os candidatos é o do Haddad. E agora tu vens com essas abobrinhas… vai entender ?… Não dá!…

    Responder

Aliança Nacional Libertadora

13 de setembro de 2018 às 16h03

Última Egotrip do Ciro….o Quinta Coluna….

Responder

    JC

    13 de setembro de 2018 às 16h09

    Cuidado. Alberto Carlos de Almeida, o sujeito de quem você deu ctrl+C, ctrl+V disse que o impeachment não aconteceria. Pode ser a última ego trip do PT também. Sem o apoio do Ciro no segundo turno Haddad não ganha. Você sabe disso. O PT sozinho não ganha da máquina de toda a direita.

    Responder

Anna Ferreira de Souza

13 de setembro de 2018 às 16h03

Aprecio Ciro Gomes: a combatividade, a inteligência, a firmeza de seus pronunciamentos, o conhecimento que ele das necessidades do País. Porém, a elegância de Haddad é cativante. Penso que ao desenrolar da campanha ele (Haddad) também será combativo. Com um ou outro, O Brasil tem muito a ganhar.

Responder

    Mauro Souza

    13 de setembro de 2018 às 16h51

    Só não podemos esquecer que infelizmente Haddad perdeu SP. Nesse momento se quisermos pacificar o país somente vejo o Ciro capaz pra isso.

    Responder

      ari

      13 de setembro de 2018 às 17h11

      Mauro, naquela época, o cenário era bem diverso. O PT, massacrado havia 3 anos, vivia seu pior momento, a Panela de Curitiba deu sua bela contribuição ao prender o Palocci e a mídia…De mais a mais, seria acomo afirmar que não voto no Pedro porque ele perdeu a eleição passada

      Responder

      JOSE BATISTA NETO

      13 de setembro de 2018 às 17h46

      São Paulo é um caso perdido. Como o Ciro, se perde sozinho, votando trinta anos em promessas que não se realizam. Fazer bravatas é coisa para milico ignorante. Governante tem que ter respeito à liturgia do cargo e manter coerência no discurso. O que o Ciro não consegue fazer. Parece biruta de aeroporto. Cada hora vira para um lado, ou para o outro, e ataca a ponte sobre a qual teria que tentar atravessar no dia seguinte. Como fez quando apostou que o Lula estaria fora de combate por conta dos processos FAKE que armaram para ele. Errou feio e jogou sujo, jogando lenha na fogueira em que pensava que o Lula iria arder. Isso a militância não esquece e não vai esquecer jamais.
      https://www.youtube.com/watch?v=m1F7Y2gBPvU

      Responder

Claudio Lessa

13 de setembro de 2018 às 16h02

Também acho o Ciro muito bem preparado – tenho-o na mira, como segunda opção, a primeira é Haddad.
Acredito, inclusive, que só estamos articulando tais hipóteses, pelo obstáculo que se constituiu LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, frente aos anseios de destruição do poder de fato, pela ordem: governo Dilma, Lula/PT, coroando com a inviabilização de toda a esquerda (Ciro inclusive).
Quando o cientista político Wanderlei Guilherme escreveu sobre a estratégia Lula/PT, responsabilizando-o pela “iminente” derrota, comecei a refleti, concluindo que o estado de exceção que assola o Brasil, só seria confrontado com uma dose cavalar de surrealidade, a desestabilizar a metralhadora giratória – assim, foi nascendo o escudo, maior e mais espesso a cada tiro no peito.
Não há vitória ainda, mas se a temos no horizonte, há que se admitir, estamos vivos graças ao escudo – LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, que não permitiu a mudança de fase golpista.

Responder

    Claudio Lessa

    13 de setembro de 2018 às 16h08

    Só uma observação: ao meu sentir o grande equívoco do Ciro foi desejar herdar os votos do Lulismo e não receber a transferência por apoio de Lula.

    Responder

      JC

      13 de setembro de 2018 às 16h11

      “Ciro não passa no PT nem a pau”.
      Gleise Hoffman

      “o problema do Lula é que os seus amigos de verdade morreram e hoje ele está cercado de puxa sacos”.
      Ciro Gomes.

      Responder

    Claudio

    13 de setembro de 2018 às 16h18

    Só uma observação: ao meu sentir o grande equívoco do Ciro foi desejar herdar os votos do Lulismo e não receber a transferência por apoio de Lula.

    Responder

      Mauro Souza

      13 de setembro de 2018 às 16h37

      Concordo com Ciro em não aceitar a mentira de ser Vice, pois essa candidatura foi mentirosa pois sabiamos que Lula, não conseguiria ser candidato. Qual a moral ele teria pra se defender de que ele não é mentiroso, participando disso? Sempre votei no PT, mas vejo que o q o PT quer é se perpetuar no poder e não o bem do POVO. Precisamos de um presidente COMPETENTE. Haddad perdeu SP, Dilma com as escolhas deixou o golpe acontecer. Precisamos do combativo CIRO GOMES 12

      Responder

        Claudio Lessa

        13 de setembro de 2018 às 17h12

        Mauro,
        “Sempre votei no PT, mas vejo que o q o PT quer é se perpetuar no poder e não o bem do POVO” parece até um troll.
        É da essência do partido querer continuar no poder – o PSDB está em SP faz 24 anos.
        Só faltava um fusquinha rebocar uma scania – PDT rebocar PT. Ciro quis herdar (só se herda de falecido) e não receber a transmissão dos votos, em forma de apoio (contava com um LULA morto).
        Quanto a mentira – Lula, preso político – deveria entregar os pontos, aceitar a degola: o poder de fato, teria mudado de fase e provavelmente a esquerda já estaria degolada também.

        Responder

Alexandre Neres

13 de setembro de 2018 às 15h58

Caro Pedro Breier, seus textos e sua forma de se posicionar, tendo lado e tratando com respeito quem pensa de forma diferente no mesmo campo, tem que ser reconhecida e aplaudida. No entanto, permita-me um pequeno reparo nos seus argumentos. Você pinçou alguns fatos, tirou duas fotografias que registraram naqueles momentos o que disseram Haddad e Ciro Gomes sobre o golpe, com o cearense retratando de forma muito mais apropriada o tema na ocasião. Entretanto, ao longo do tempo, nem sempre as coisas se sucederam desse modo, seguindo uma linha reta. Ontem, por exemplo, em sabatina promovida pelo Grupo Globo, conforme relatado no Valor, Ciro disse que “no auge da crise do impeachment, a Dilma nomeou Lula ministro. Eu quase morro de vergonha naquela ocasião. E agora Lula tá na cadeia”… Devido aos sucessivos erros judiciários, praticados a toque de caixa para impedir a candidatura de Lula porque inequivocamente seria eleito, ao passo que Moreira Franca segue ministrando lépido e fagueiro, isso soa como um escárnio. Tenho admiração pelo Ciro, não precisava de perder as estribeiras desse jeito. E assim por diante, continuou com a metralhadora giratória ligada contra o PT.

A foto acima diz mais do que mil palavras.

Responder

antonio de carvalho moreira

13 de setembro de 2018 às 15h57

Perfeita análise. Não estamos em tempos normais para sermos serenos, como é da personalidade do Hadad. Do outro lado, temos um monte de zumbis querendo armar a população e aceitando com tranquilidade se for necessário, no entender deles, que os militares assumam o poder. Precisamos de combatividade, e devido ao anti-petismo centrado no centro-oeste, sudeste e sul, o Hadad é o candidato que o Bolsonaro mais tem chances de derrotar. O Lula já contribuiu demais pra esse país, mas não é ele! Temos que ser pragmáticos, senão entregaremos o Brasil ao que há de pior na política disfarçada de antipolítica. Sejamos francos, pro momento tenso em que estamos, o Ciro é a melhor arma que temos, tem projeto sério, e acima de tudo, tem força pra enfrentar esses malucos como eles devem ser enfrentados.

Responder

    Mauro Souza

    13 de setembro de 2018 às 16h01

    Perfeita sua analise. precisamos de um presidente ativo e que saiba como fazer. CIRO 12

    Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    13 de setembro de 2018 às 16h36

    Imperfeita a análise. O momento requer muita calma, razão, programa bem feito. Não requer grito, prendo e arrebento. Não requer voluntarismos. Requer fineza, jogo de cintura. Haddad & Manuela. E outra… segundo o espelho d´água da minha bacia… o Bolsonaro não vai ao segundo turno. E nem, ironia do destino, o Moirão, se o substituir. Vejo a foice das sombras ceifando. A situação está intestina!

    Responder

      Mauro Souza

      13 de setembro de 2018 às 16h44

      Acontece é por essa parcimônia, que Haddad perdeu SP, pela fineza e jogo de cintura que a DILMA sofreu o golpe. Hoje temos que fazer a pessoa mais bem preparada, com conhecimento, firmeza e com PROPOSTAS CONCRETAS, no comando da nossa nação!

      Responder

Nilson Messias

13 de setembro de 2018 às 15h32

Combatividade invulgar? Tô com ele, tô com ela, sou Lula, Haddad e Manuela!!!

Responder

antonio P Mendes

13 de setembro de 2018 às 15h18

Sem dúvidas que o Ciro é um bom nome, tanto é que foi convidado pelo Lula para estar no lugar onde o Haddad está agora, porém não aceitou!!

Responder

    Gabriel

    13 de setembro de 2018 às 15h43

    E o que isso muda?

    Responder

    Mauro

    13 de setembro de 2018 às 15h56

    Ciro não aceitou pq é honrado e sabia que Lula não poderia ser candidato, ele acredita que essa jogada é uma enganação e foi o que aconteceu, uma enrolação. Ele não é hipócrita e não queria mentir ao povo Brasileiro. Os fins não justificam os meios. Mas a pergunta que não quer calar, PQ LULA NÃO APOIA CIRO GOMES, se ele mesmo sabe que o Ciro é mais combatível, e vai perpetuar os pensamentos do próprio LULA, pois pensam da mesma forma. A única resposta é que o PT quer se perpetuar no poder e não apenas o bem do POVO. Haddad é um homem honesto assim como a Dilma, mas não são competentes como CIRO GOMES. Haddad perdeu SÃO PAULO e a DILMA deixou sofrer um GOLPE inimaginável, mas possível pelas escolhas que ela fez. Dessa forma precisamos de alguém com CAPACIDADE e essa pessoa é o CIRO GOMES. Sempre votei no PT, mas se ele não apoiar Ciro, nunca mais terá um voto meu, pois não é o povo que ele quer ver bem e sim se perpetuar no poder. Se o PT não mudar, serei pior que um coxinha pra desestimular quem quiser votar no PT. #SemLULAéCIRO #CIRO12

    Responder

      MarieneF

      14 de setembro de 2018 às 20h41

      O que te faz afirmar que o Haddad não é competente? Só pq ele não grita igual ao Ciro?

      Responder

      MarieneF

      14 de setembro de 2018 às 20h43

      E ainda acha que os petista têm que ceder a suas chantagem?

      Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 17h52

    Não, não!!

    Ciro foi convidado para ser vice, e obviamente, não aceitou e considerou o convite uma afronta.

    Responder

      josa

      14 de setembro de 2018 às 07h30

      Deve ser uma afronta ser vice do Brasil,quanta arrogância

      Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com