Hangout com Miguel do Rosário: Bolsonaro nos EUA

O candidato que tem medo de debate

Por Pedro Breier

26 de outubro de 2018 : 15h31

No primeiro turno, depois da participação desastrosa de Bolsonaro em dois debates, a sua campanha disse que ele não compareceria a mais nenhum por causa do “tempo escasso”.

Depois, os cuidados médicos se tornaram a justificativa perfeita para não debater com os oponentes. Fazer live, dar entrevistas, visitar quartéis, tudo bem. Já discutir as propostas para o país com outro candidato não tem como, imagine.

Quando os médicos estavam prestes a liberar sua participação, Bolsonaro disse que mesmo assim poderia não participar dos debates “por estratégia”. Também falava que não queria “debater com um poste”.

Depois da liberação médica, Bolsonaro acrescentou mais uma desculpa ao seu arsenal: medo de sofrer um atentado.

Segundo o general da reserva Augusto Heleno, “ele está realmente ameaçado, não é um mero tiro de snipper, é um atentado terrorista onde tem uma organização criminosa – que não vou citar o nome por motivos óbvios – envolvida, comprovada por mensagens, por escutas telefônicas, então isso é absolutamente verídico”.

Hum…

Não sei vocês, mas eu sempre desconfiei de quem dá muita justificativa pra deixar de fazer alguma coisa. Normalmente, o que está por trás das desculpas é medo, mesmo.

É positivamente esquisito o candidato mais “machão” da história arregar para um simples debate.

Pedro Breier

Pedro Breier é graduado em direito pela UFRGS e colunista do blog O Cafezinho.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson

27 de outubro de 2018 às 21h34

Mesmo com a quantidade enorme de barbaridades cometidas e prometidas pelo Nazi, ainda há uma montoeira de gente que se diz esperta, que tem curso superior, fanatizada por ele. Como explicar algo assim?

Responder

Trimegisto do Tridente

27 de outubro de 2018 às 09h33

E o medo aumentou tanto que tocou o alarme do puta merda vermelho da virada no comitê das viúvas da ditadura todas de malinha arrumadas para seguirem viagem para Brasília! O Fürer brecou tudo! Quem viu no mídia ninja o Fürer furioso esbravejando palavras de baixo calão… é de mijar de rir… aproveitaram cenas de um filme e fizeram o meme… ele culpa todo mundo e pede a cabeça, perde a cabeça, manda enfiar no finófio… kakakakakakaka ô louco meu…

Responder

Jcarlos

27 de outubro de 2018 às 05h47

Perto dos animais que foram eleitos nesta eleição, o Macaco Tião é prêmio Nobel e nunca fugiu de debate e mostrou muito mais propostas !

Responder

Eduardo Lobato

26 de outubro de 2018 às 22h48

Agora alega não poder ir por motivo de saúde mais pelo que vejo a língua não é problema pois tá muito afiada. Ele poderia ter ido com seu colete a prova de balas (Haddad anda com revólver? )

Responder

Cunha e Silva

26 de outubro de 2018 às 15h40

Com o sul contaminado , o Rio de Janeiro é o reflexo em situações e em número eleitores do Brasil .Coincidência ou não os números são os mesmos e os majoritários são fascistas . Quem ganhar no Rio leva o Brasil junto . Muito longe do humor carioca que algumas eleições deram votos maciços em animais e candidatos psicodélicos , me parece sem humor nenhum os cariocas votarão maciça em dois ” animais ” . O bicho é o fiel da balança já foi o tempo de ” Castor de Andrade .

Responder

Deixe uma resposta