Hangout com Miguel do Rosário: Bolsonaro nos EUA

CINE FOLHETIM FÊNIX #04

Por Victor Lages

15 de março de 2019 : 11h16

Queridos parceiros e espectadores,

É com filmes incríveis que vocês querem comemorar o final de semana de calor? Pois trazemos nessa newsletter alguns maravilhosos para abrilhantar os próximos dias. O PODEROSO CHEFÃO? Temos uma receita de drink que leva o título do filme e facílima de fazer. A NOVIÇA REBELDE? Celebramos 54 anos de estreia nas salas de cinema. Documentários? Temos três em festivais incríveis no mês de abril. Representatividade feminina? Apresentamos um curso de cinema no Rio de Janeiro sobre cineastas ao redor do mundo. E, de quebra, ainda explicamos a briga entre Spielberg e a Netflix e trazemos a nova edição da Cahiers du Cinéma. Se existe forma melhor de passar o final de semana sem ser honrando a sétima arte, nos avisem, por favor, pois acreditamos que não há!

Abraço e bons filmes,

Fênix.

 

CODINOME CLEMENTE no Festival Jangada

CODINOME CLEMENTE será exibido pela primeiríssima vez na Europa! O documentário, dirigido por Isa Albuquerque, participará do Festival Jangada, que será realizado de 9 a 16 de abril, em Paris. O Festival, presidido pela produtora cultural Kátia Adler, acontece há 15 anos no Cinema Arlequin e conta anualmente com uma seleção rigorosa de filmes em sua mostra competitiva. Em 2019, CODINOME CLEMENTE será apresentado no dia 11 de abril, às 20h45, em uma sessão seguida de debate com a cineasta e Carlos Eugênio Paz, personagem principal do documentário que relembra sua participação na luta armada contra a ditadura militar entre as décadas de 1960 e 1980. Para Isa Albuquerque, “estamos vivendo um momento único, em que as narrativas são multipolares. CODINOME CLEMENTE vem acrescentar elementos novos e ainda não completamente absorvidos pelo senso comum”.

 

CINE MARROCOS e SOLDADOS DA BORRACHA no É Tudo Verdade

Na manhã de 11 de março foram anunciados os 66 filmes selecionados para a 24ª edição do É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, que ocorre entre os dias 4 e 14 de abril em São Paulo e no Rio de Janeiro. O filme CINE MARROCOS, de Ricardo Calil, está entre os documentários escolhidos, sem falar no SOLDADOS DA BORRACHA, de Wolney Oliveira. Além das mostras competitivas, o É Tudo Verdade homenageia a obra pouco conhecida de Nelson Pereira dos Santos como documentarista e resgata trabalhos do francês Claude Lanzmann. O evento também conta com debates, itinerâncias pelo interior de São Paulo (em Araraquara, Jundiaí, Santos, São José dos Campos e Sorocaba) e sessões virtuais através da plataforma SPCinePlay.

 

Curso OLHARES FEMININOS no Estação NET Botafogo

No final de março e começo de abril, o Estação NET Botafogo oferece um curso ministrado pela Doutora em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ Patrícia Machado. O curso propõe uma análise dos modos pelos quais três cineastas mulheres filmam, enquadram o mundo e montam os seus filmes. O que poderíamos chamar de olhares femininos no cinema da belga Chantal Akerman, da japonesa Naomi Kawase e da francesa Claire Denis? Em comum entre os filmes de naturezas, tempos e espaços tão diversos temos os traços autobiográficos, a intimidade, a imagem do corpo, o cotidiano, o trabalho e, principalmente, a mulher. De que modo esses temas aparecem nos filmes? Vamos descobrir! O curso será realizado nos dias 26 e 28 de março e seguem em 2, 4, 9 e 11 de abril, das 19h às 21h, no valor de R$ 420 ou R$ 90 por aula avulsa.

 

Cahiers du Cinéma de março

A edição de março da maior revista de cinema do mundo está mais que especial. Para começar, tem duas análises sobre o filme francês vencedor do Urso de Ouro no Berlinale 2019 SYNONYMES, de Nadav Lapid, além de uma entrevista com o ator estreante Tom Mercier, protagonista da obra, que será distribuída pela Fênix Filmes ainda esse ano. Complementando, são apresentadas críticas cinematográficas sobre os últimos lançamentos mundiais, como o novo filme de Xavier Dolan, THE DEATH AND LIFE OF JOHN F. DONOVAN, e ALITA: ANJO DE COMBATE, de Robert Rodriguez. A revista homenageia ainda os astros falecidos no último mês, dentre eles Bruno Ganz e Albert Finney, com honraria mais especial ao diretor Jonas Mekas e ao compositor Michel Legrand. Quer ver como ficou a edição nova? O link está logo aqui embaixo:

https://www.cahiersducinema.com/produit/mars-2019-n753/

 

Por que Spielberg está brigando com a Netflix?

Essa grande treta começou há alguns anos, quando o Festival de Cannes disse que nunca daria a Palma de Ouro a um filme da Netflix, a gigante do streaming. O Oscar foi no embalo, mas em 2019 veio ROMA, de Alfonso Cuarón, e a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas teve que se render com 10 indicações e 3 vitórias para o filme mexicano na noite de 24 de fevereiro desse ano. Eis que, nessa última semana, o diretor Steven Spielberg afirmou que a Netflix nunca deveria concorrer ao Oscar, mas sim ao Emmy, premiação de televisão. Para ele, o consumo de cinema em casa é parte do processo de vida de um filme, e não onde ele deveria nascer; ou seja, no máximo, Spielberg quer só obrigar a empresa a exibir seus filmes nas salas de cinema, como a Amazon Prime já faz, para depois torná-los disponível em seu catálogo. Em resposta, a Netflix defendeu seu amor pelo cinema e coloca a experiência de consumo de seu conteúdo em qualquer lugar e a qualquer hora como sua maior prioridade, considerando aquelas pessoas que não têm condição de pagar por um ingresso ou quando determinadas cidades nem tem uma sala de cinema. Ao que parece essa novela e a autoafirmação da Netflix enquanto uma empresa produtora de filmes vai perdurar ainda nos próximos anos.

 

54 anos de A NOVIÇA REBELDE

Em 15 de março de 1965, estava em cartaz, nas salas de cinema, o clássico musical A NOVIÇA REBELDE. Baseado na peça da Broadway de Hammerstein e Rodgers, o filme dirigido por Robert Wise conta a história real da Família Von Trapp pelos olhos de Maria, uma noviça amável que aceitar trabalhar como babá na casa do patriarca. Vencedor de 5 Oscars, incluindo Melhor Filme, a obra desbancou …E O VENTO LEVOU (1939) como a maior bilheteria do cinema, interrompendo o seu reinado absoluto de 26 anos consecutivos. Com o passar do tempo, A NOVIÇA REBELDE acabou sendo comparado a um conto de fadas açucarado e bobo, levando à classificação de guilty pleasure, como se fosse um pecado cinéfilo gostar desse filme. No entanto, esse é um grande filme e merece uma chance de redescoberta para arrebatar muitos corações atemporais.

 

The Godfather de O PODEROSO CHEFÃO

Pense em um grande filme! Muitos, com certeza, lembraram imediatamente de O PODEROSO CHEFÃO, maravilhosa trilogia dirigida por Francis Ford Coppola e estrelada por Marlon Brando, Al Pacino, Robert De Niro, Diane Keaton e tantos outros atores que nem cabe aqui. Os três filmes apresentam o mundo de crimes comandado por Don Vito Corleone e como suas relações familiares interferem nos negócios da máfia ítalo-americana. Para homenagear essa perfeição de obra, eis uma delícia de drink que o personagem de Marlon Brando tomava: The Godfather, coquetel favorito do ator, que acabou entrando no filme e foi nomeado com o título original da obra. Forte, elegante, contemporâneo e de fácil preparo, basta colocar em um copo 35 ml de whisky escocês, 35 ml de licor de amêndoas e gelo e mexer tudo isso gentilmente. Está pronto o drink para o pós-jantar do final de semana, com uma maratona da trilogia que mudou a história do cinema.

Gostou da nossa newsletter? Siga a Fênix nas redes sociais e continue nos acompanhando:

Instagram: https://www.instagram.com/fenixdistribuidoradefilmes/

Facebook: https://www.facebook.com/fenixdistribuidoradefilmes/

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe uma resposta