Entrevista de Lula no Página 12

A entrevista de Tábata a Roberto D’Ávila

Por Redação

09 de maio de 2019 : 14h56

Uma curiosidade. O jornalista Roberto D’Ávila foi deputado federal constituinte pelo PDT-RJ, eleito em 1987, com quase 70 mil votos.

Na entrevista, a deputada faz questão de corrigir o apresentador, que lhe descrevera como vindo da “classe média baixa”.

“Sou da classe baixa, baixa, baixa, do extremo sul de São Paulo. Minha família vive até hoje numa casa de ocupação, que eles mesmos construíram”.

Para assistir à entrevista, clique aqui, para ser direcionado ao Globoplay.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

NeoTupi

10 de maio de 2019 às 12h12

Da entrevista deu pra concluir que esse curso em Harvard deve ser tão ruim para compreender e propor soluções para a realidade brasileira quanto o “doutorado” do Serra em Cornell.
Primeiro ela fala em extinção de 2 bilhões de empregos em 11 anos no mundo (devido à automação tecnológica), sem desenvolver o assunto. Ora, isso só seria sustentável sob o comunismo, com o trabalhador virando patrão das máquinas. Na ordem capitalista vigente, seria uma crise tão grande, com abundância produtiva na ponta da oferta e falta de consumo na ponta da procura, que isso levaria à III Guerra Mundial. Hitler ascendeu e fez a II Guerra por muito menos que isso, a partir da crise de 1929 que explodiu desemprego na Alemanha. Isso só é sustentável no comunismo, cuja abundância produtiva simplesmente universaliza o acesso a bens, sem falir os donos da máquinas que produzem pela queda de preços como no capitalismo.
Segundo, ela fala sobre esse desemprego sem sequer citar o pensamento de Domenico de Masi, Marcuse, Jeromy Rifkin, ou mesmo Keynes que há 90 anos atrás previa que em 2030 o trabalhador precisaria trabalhar apenas 3 horas por dia para suprir suas necessidades de classe média.
Terceiro ela parece endossar a parte da reforma da previdência que estica a vida útil da população economicamente ativa (mais anos de trabalho, mais trabalho idoso) ao citar o envelhecimento da população. Mas isso só agrava o problema acima (mais gente no mercado de trabalho disputando menos vagas). Quando até empresários do quilate de Bill Gates fala em taxar robôs, e Sergey Brin do Google em jornada de 4 horas para duplicar empregos para os mais jovens. Óbvio que a reforma da previdência no Brasil para ser sustentável tem que focar os meios de produção concentradores de renda. Imagina quantos jovens brasileiros vão conseguir capitalizar uma aposentaria ao longo de 40 anos de contribuição se daqui a 11 anos haverá muito mais desempregados no Brasil sem conseguir nem emprego quanto mais contribuir para capitalizar.
Quarto ela fala uma contradição gritante: contesta a “polarização” política enquanto aponta a desigualdade como maior problema brasileiro. Ora, é óbvio que polarização política no Brasil é decorrente do conflito de interesses entre a desigualdade. A política reflete a luta pela apropriação da riqueza produzida entre a produção e o rentismo concentrador de renda x os interesses da massa trabalhadora pelo seu quinhão. Basta ver como a concentração nunca deixou de ser grande em 500 anos, e um pouco que havia diminuído nos anos petistas foi golpeada, havendo um retrocesso, para concluir quem é o extremo nocivo dessa equação. E a parte derrotada não pode abdicar bovinamente de sua luta “polarizada”, pela simples necessidade de sobrevivência, pelo direito de comer, morar, trabalhar, estudar e ter acesso à saúde.
Outro blá-blá-blá é vir falar de “gestão” (o surrado discurso do Aécio de “choque de gestão”, do Dória “gestor”) usado para a direita fugir do rótulo de direita. Gestão é ferramenta do conhecimento administrativo que direita ou esquerda tem obrigação de usar bem e carreiras de estado existem para isso. A questão política é que boa gestão para o banqueiro é fazer política concentradora de renda para eles, enquanto boa gestão para o povo trabalhador é o contrário.

Responder

Deodato Moreno

09 de maio de 2019 às 20h34

A Tatibitábata é tão bonitinha!

Responder

    marco antonio albuquerque

    10 de maio de 2019 às 10h18

    É…mas não é pra seu bico.

    Responder

Admar

09 de maio de 2019 às 19h36

Existem os Coxinhas os Mortadelas os Bolsominions, os Ciristas são os “santos”?????????

Responder

    Alan C

    09 de maio de 2019 às 22h36

    E tem a petezada que morde os cotovelos de raiva da “insubordinação” do Ciro e do PDT.

    Responder

Alan C

09 de maio de 2019 às 19h09

Mais 250 comentários, será?

Responder

Flávio Oliveira da Silva

09 de maio de 2019 às 18h50

O PT tratava o PDT com desdém. No Rio de Janeiro, em quase todas as eleições foi oposição ao PDT. O PT só não foi oposição ao PDT e ao Brizola em 1998, na eleição de Garotinho. Eles sempre trataram o Brizola como oportunista,, fisiológico, populista, assistencialista e, por aí vai. Agora, querem fazer o mesmo com a Tábata, uma nova liderança do campo popular e progressista.

Responder

    10 de maio de 2019 às 10h27

    Quanta asneira dissestes, amigo!!!

    Responder

    Magda Chinellato

    11 de maio de 2019 às 16h00

    Tabata é ótima, ela tem uma trajetória a seguir. vamos criticar as velhas raposas; Tabata vai aprender, ela só está começando, não vamos crucifica-la, por pequenos deslises…. Afeeee

    Responder

Miramar

09 de maio de 2019 às 18h16

Ninguém sabe dizer o nome de um único petista de destaque que tenha menos de cinquenta anos. O que equivale dizer que de acordo com as estatísticas de expectativa de vida, dentro de uns vinte e cinco anos, o PT será um partido de cadáveres. O militante petista é portanto, um necrofilo precoce. Já a Tabata estará em plena maturidade. Talvez até seja presidente . Todos veem que o mundo pertence a geração dela, daí o ódio.
Mas ninguém deve se preocupar muito. É uma gente burra que não sabe nem a diferença entre esquerda e centro-esquerda. Para eles quem não gosta de ditadura comunista é de extrema direita. São como os bolsonaristas só que de sinal trocado. Esses acham que todo antifascista é comunista…Aliás mais de um bolsonarista já chamou a Tabata de comunista também.

Responder

    Wesley da Silva

    09 de maio de 2019 às 18h28

    Caiu na balela da “corrupção”, malandro? Que ingênuo!

    Responder

    Alexandre Neres

    10 de maio de 2019 às 10h23

    Fico pasmo quando vejo alguém estufar o peito e ostentar sua ignorância. Diz um ditado que não deve o sapateiro ir além das tamancas.O Sr. Miramar fala de gente burra que não sabe diferenciar a esquerda da centro-esquerda. Na visão dele, como já deixou patente, o Mujica é de extrema-esquerda. ??? E ainda justifica: ah, ele é socialista, praticamente como quem acusa alguém de estar cometendo um crime. Embora não devesse, vou tentar ajudá-lo a sair do senso comum que o aproxima de um bolsominion, tornando-se quase impossível distinguir um do outro: quando o Mujica foi presidente do Uruguai, que tipo de governo levou a cabo? Quais as políticas públicas que perseguiu e implementou?

    Responder

      Miramar

      10 de maio de 2019 às 18h42

      Parece que você misturou comentários de dois textos distintos, mas como você me citou nominalmente, vou responder. Não vejo nenhum tom de denúncia na forma com que me expressei quando disse que o Mujica era um socialista. Disse apenas que apesar disso o respeitava. Isso não é um julgamento de valor, mas a afirmação de dois fatos. O primeiro é que eu não sou socialista. O segundo é que eu não preciso comungar da ideologia de uma pessoa para respeitar essa mesma pessoa. Se por acaso eu lhe pareço um macartista, garanto que não sou.

      Sim, eu considero qualquer pessoa que se considera socialista como uma pessoa de extrema-esquerda. E embora Mujica tenha feito um governo de respeito as instituições no Uruguai, o fato é que este sempre declarou que encarava seu governo para uma etapa para o socialismo.

      Talvez você seja dos que considera que só podem ser considerados de extrema-esquerda as organizações que advogam a luta armada. Ora, o PCB nos anos setenta era um crítico duro da estratégia de luta armada e nem por isso era um partido moderado. Sim, eu sei que quem defende a ideia de revolução socialista pensa diferente.

      Quanto a questão da Tabata, que você não mencionou embora o assunto teoricamente seja esse, a questão para mim é mais simples. Tenho uma visão de mundo muito parecida com a dela. Ela se define como uma pessoa de centro-esquerda e por coincidência eu também. Ela prefere o termo progressista para se definir e eu também. Afinal, a palavra progressista tem a vantagem de sugerir um termo aberto, diferente da antiquada palavra esquerda (a palavra, não as ideias).Ocorre que as pessoas de esquerda não pensam assim. E por uma questão de didática e simpatia a gente acaba usando o termo centro-esquerda, desejando que um dia palavra progressista seja o suficiente.

      Sempre achei bestas essas pessoas que denunciam pessoas que nunca se disseram como de esquerda (mas sim de centro-esquerda, que como você pôde perceber é para mim uma coisa totalmente diferente), como falsa esquerda. Até brinco as vezes, dizendo que ser de falsa esquerda é única visão de mundo possível para pessoas razoáveis.

      Você me chamou de ignorante. Questão de ponto de vista. Eu já acho os petistas as pessoas mais ignorantes do Brasil. Mas os bolsonaristas empatam.

      E de fato, eu defendo a Tabata, por achar que o mundo é da geração dela. Sempre digo que nunca pensei que um dia me identificaria mais com um político do que me identifico com o Ciro, até que a Tabata chegou…

      Desculpe o mau jeito, e passar bem.

      Responder

        Gelson

        13 de maio de 2019 às 20h30

        Perfeito. Faço minhas as suas palavras.

        Responder

Haroldo Conceição

09 de maio de 2019 às 18h08

Boa entrevista. Agora está esclarecida aquela coisa de astrofísica: ela só cursou o primeiro ano, o que significa que fez Física I e II, Cálculo I e II e Álgebra Linear, que são matérias obrigatórias comuns a toda a área tecnológica. Ela só começaria a aprender astrofísica no terceiro ano, mas mudou-se para ciência política a partir do segundo ano. Então não chegou nem a estudar mecânica quântica e teoria da relatividade, matérias essenciais para astrofísica.
Não ficou clara a proposta dela para a questão da previdência; é a mesma do Ciro (capitalização estatal, em vez de privada)?
E o Roverto d’Ávila se esqueceu ou preferiu não perguntar sobre aquele agente da CIA (o tal do Guaidó).

Responder

Miramar

09 de maio de 2019 às 18h05

É errado dizer que o fascismo é de esquerda. Também é errado negar que o fascismo é além de uma ideologia, uma conduta. Conduta essa idêntica a conduta dos esquerdistas brasileiros.

A verdade é que a maior parte da esquerda e direitas brasileiras encaram a democracia não como um fim em si mesma mas como um meio. Cada um sonha com a sua ditadura, uns a esquerda, outros a direita.

Nesse país ter aversão ao bolsonarismo e a tudo o que esse representa é uma questão óbvia para quem defende a democracia. Já a aversão ao petismo é mais que um direito. É um dever moral.

Responder

    Sérgio Barata

    09 de maio de 2019 às 18h11

    Democracia é um perigo! O povo pode eleger um imbecil mau caráter como o…Bolsonaro. Pode dar maioria no parlamento ao partido nazista. E depois ninguém se responsabiliza…

    Responder

    Gilmar Toledo

    09 de maio de 2019 às 18h22

    Se socialismo (estatização de todos os meios de produção) é a ditadura do proletariado, fascismo é a ditadura da classe média.

    Responder

      Paulo

      09 de maio de 2019 às 18h36

      A classe média é formadora de opinião, mas não governa. Quem governa é a elite econômica, especialmente a financeira…

      Responder

        Gilmar Toledo

        09 de maio de 2019 às 19h33

        A elite econômica, no fascismo, fica submissa aos governantes de classe média (Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Bolsonaro, etc., pertencem a essa classe), que têm poderes até de tomar o capital de membros daquela elite e prendê-los ou matá-los (o governo nazista obrigou grandes proprietários de indústria e comércio judeus a vender suas empresas a preço de banana para outros grandes proprietários; o fascistinha de camisa negra Sérgio Moro botou membros da elite econômica brasileira na cadeia por vários meses).

        Responder

          Paulo

          09 de maio de 2019 às 20h29

          1) “A elite econômica, no fascismo, fica submissa aos governantes de classe média (Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Bolsonaro, etc., pertencem a essa classe), que têm poderes até de tomar o capital de membros daquela elite e prendê-los ou matá-los”: Bolsonaro tem esse poder? Qual o grande empresário alemão que teve seus bens confiscados por Hitler (exceção óbvia aos judeus);

          2) ” O fascistinha de camisa negra Sérgio Moro botou membros da elite econômica brasileira na cadeia por vários meses: Só baixo clero, embora se possa questionar essa condição (meramente, porém, do ponto de vista econômico) em relação a Léo Pinheiro e MO .

      Miramar

      09 de maio de 2019 às 23h49

      Boa definição.

      Responder

Paulo

09 de maio de 2019 às 17h52

E eis a Tábata de volta, rsrs…

Responder

Apenas um professor

09 de maio de 2019 às 17h27

Qdo mais eu vejo essa esquerda extremista que vê neoliberalismo em tudo o que não é o PT, mas eu entendo o movimento anti esquerda e a eleição da aberração chamada jair.

O papo de vcs é idêntico ao dos Bolsominios. Já discuti muito com os fãs do Jair que veem comunismo em tudo.

Gado gado gado gado. Trocamos um gado pelo outro.

E vcs ainda estragam os movimentos contra o jair com o slogan Lula Livre.

Jair é fruto dessa esquerda burra e arrogante.

Responder

    Detector de mentiras

    09 de maio de 2019 às 17h37

    Não prega mentira idiota !

    Responder

      Oblivion

      09 de maio de 2019 às 20h22

      Mentira? Em poucas frases o professor disse tudo.
      E o engraçado que a questão que fica é se o detector de mentiras é um bolsominion ou ptminion. Pra quem dúvida da semelhança deles isso foi só uma coincidência.
      Enquanto o pt vai soltando seu ódio contra Ciro, Tábata… (da mesma forma que já fez com Brizola, Darcy…) e vai se abraçando a golpistas como Renan, índio… Esse governo de napoleoes de hospício vai destruindo o país.

      Responder

Alexandre Neres

09 de maio de 2019 às 17h05

Essa curiosidade foi hilária. Roberto D’ávila foi deputado federal do PDT na época das vacas gordas do Brizola. Depois dos ataques diuturnos da Globo, um a um dos picaretas foram abandonando o barco. Não à toa, Paulo Henrique Amorim o trata por Naji D’ávila, por haver pedido uma bolada em cash a um famoso operador de câmbio. Creio que D’ávila cai como uma luva ao lado de Gabeira e da turma da Globonews com suas entrevistas chapa-branca e suas risadinhas.

Responder

Cido

09 de maio de 2019 às 16h54

É o mesmo papo do Marco Feliciano. Só faltam dizer que comiam lavagem de porco.
Isso é papo de quem quer enganar os outros. 171.

Responder

Valeria

09 de maio de 2019 às 14h57

Esse Cafezinho já foi confiável como jornalismo!
Virou neoliberalista como a Tabata e seus patrocinadores!
Enojada disso tudo!

Responder

    Miguel do Rosário

    09 de maio de 2019 às 15h17

    Esse fascismo travestido de “esquerda” é assustador. Assista à entrevista. Tábata Amaral não tem nada de neoliberal. Neoliberal é o Joaquim Levy e quem o nomeia Ministro da Fazenda.

    Responder

      Francisco

      09 de maio de 2019 às 16h32

      Cafezinho, falando em Tábata, que tal esquece-la por um minuto e, em consideração a ela que diz-se sobremaneira preocupada e empenhada com a educação no Brasil, esclarecer nosotros e Ricardo Kotscho sobre o questionamento que faz em nota (abaixo) antes do texto de seu último post, “Mais armas, menos educação”, sobre a educação sob ataque dos bolsonauros:

      “Em tempo: os presidentes nacionais de PT, PSB, PSOL, PCdoB e PCB divulgaram na manhã desta quinta-feira uma nota criticando o corte de verbas na educação, em apoio às manifestações de estudantes e professores marcadas para o próximo dia 15. Só uma pergunta: o PDT faz parte da oposição ou do governo?”

      Responder

      Nostradamus (bacia & banquinho )

      09 de maio de 2019 às 16h33

      Miguel, querido, não perca assim a compostura e totós os referenciais. Se a Valéria ao seu juízo merece uma resposta, muito bem. Fale com ela e não misture as coisas. Não aproveita a oportunidade para desovar seu ódio feito criança. Não faz como o Bolsonaro que é um irresponsável que estimula esse tipo de coisa. Olha só os outros comentários que o seguem… sentem-se autorizados e sem razão. Reflita. Foi uma mancada. Mereceria uma desculpa. Senta o pau na guria e não em quem não tem nada a ver. Fico sobremaneira chocado, ressentido, agredido.

      Responder

        PS

        09 de maio de 2019 às 16h37

        Correção: Não perca assim a compostura e todos os referenciais.

        Responder

        Oblivion

        09 de maio de 2019 às 21h13

        Nostradamus, talvez comentaristas como a Valéria possam ser bolsominions atiçando a desunião no campo progressista. Mas entendo que o Miguel perca a paciência ao ver supostos petistas chamando qualquer possível ameaça no campo progressista ser de direita, neoliberal, pró bozo, etc. Afinal, o governo Dilma final colocou um cara como o Levy na economia, o pt colocou temer e sua corja na linha sucessória e em cargos de primeiro escalão, no governo deles caras como Eduardo Cunha indicavam cargos chaves em empresas estratégicas… Por isso que eu digo que ela não merecia mesmo ser eleita senadora, e aí os petistas me chamam de tudo e me colocam no mesmo balaio que bolsominions desprezíveis. Se o pt quisesse mesmo mudar essa batalha que só divide o campo progressista a cúpula podre teria que abraçar junto os principais nomes (sim, Ciro, Tábata, Molon, Marina, PSB, dino, etc…) e ir junto contra a maluquice generalizada que o desgoverno tá espalhando sabendo que, sim, as vezes existirão pontos de vistas diferentes.

        Responder

      antonio

      09 de maio de 2019 às 17h02

      Fascismo é esse anti-petismo doentio que até hoje quer culpabilizar o governo Dilma, por sido o governo que mais criou emprego, democratizou o acesso à educação, à habitação. Fascismo é criminalizar Dilma por ter colocado Joaquim Levy no governo sob suas rédeas. E, para fazer isso, não tiveram vergonha nenhuma em servir de escada para o fascismo que viria se instalar no país com a derrubada de um governo legítimo, eleito democraticamente. É defender uma ex-pobre que fica utilizando o mesmíssimo discurso burguês de ter vindo de baixo para justificar a defesa da reforma da previdência. Foi esse fascismo que colocou os canalhas de 2013 nas ruas para destruir o país e nos deixar como estamos hoje. com infelicidade admito que só agora entendo verdadeiramente o porquê de tanto me criticarem por defender esse blog.

      Responder

        Redação

        09 de maio de 2019 às 19h14

        Quem está “criminalizando” Dilma? Estou só dizendo que é incoerente chamar Tábata Amaral de neoliberal, sobretudo se a crítica vem de quem defendeu, como eu defendi (criticamente, mas defendi) os governos petistas. Se a crítica vier do PCB ou do PSOL, acho injusta, mas não é tão incoerente. Fascismo é usar fake news contra Tábata Amaral, dizendo que ela defende a reforma da Previdência de Bolsonaro. Ora, procure no Google Lula ou Dilma apoiam reforma da previdência? http://g1.globo.com/globo-news/jornal-das-dez/videos/v/dilma-defende-reforma-na-previdencia-e-admite-que-governo-demorou-para-reconhecer-crise/4724273/

        A esquerda sempre apoiou reforma da previdência, mas uma reforma justa.

        Responder

          Nelsonz

          09 de maio de 2019 às 23h07

          Parece que o cafezinho esquece que a eleição de Dilma foi uma das mais dificeis do Brasil e que rachou o pais. Parece que esquece que o cunha e o temer e não só o aécio fizeram de tudo para atrapalhar o governo. Parece que esquece que o empresariado e a midia, que o judiciário e o ministério publico fizeram de tudo pra atrapalhar o governo eleito. E o que vcs acham q devia ser feito? Usar ainda mais a pretrobras, bnds, bb e caixa pra alavancar a economia? Todo mundo,inclusive parte da esquerda era oposição ao PT/DILMA. Usar as estatais para alavancar investimentos era taxado de crime porque o dinheiro ia para as empreiteiras, empresários e diretores todos envolvidos o chantageados a ser envolvidos nos esquemas perseguidos pela lava jato. E tinha as pedaladas. Desate este nó górdio e parem de criticar os outros sem estar em seu lugar; Quer conhecer uma pessoa? Calce os seus sapatos!

          Antonio

          10 de maio de 2019 às 12h00

          Não parece. É. Aqui no Cafezinho, O Rosário esquece SELETIVAMENTE. Aliás o fascismo de esquerda esquece SELETIVAMENTE das pautas bomba de 2015, de que Dilma precisava ter um ministro neoliberal, mas que estivesse sob suas rédeas, apenas para acalmar o mercado. Esquece SELETIVAMENTE de que essa é uma estratégia legítima de qualquer governo de esquerda, que se encontra no poder naquelas condições de profundo ataque à democracia. Ataque aliás perpetrado por gente dita de esquerda que SELETIVAMENTE ataca a esquerda para defender uma figura dessas que é a favor da reforma da previdência, quando, na verdade, a previdência é superavitária e fraudada pelos empresários que não pagam a previdência, pois nosso modelo de previdenciário taxa o capital.

          Antonio

          10 de maio de 2019 às 12h08

          Veja como as coisas aqui são esquisitas. Eu usei o termo CULPABILIZAR. Ela usa esse discurso canalha burguês do pobre que venceu na vida. E todo esse papo furado dela de dizer que é uma construção de pais, professores e tal é conversa mole. Na verdade, ela não diz que foi apenas durante os governos Lula e Dilma que gente como ela pode ser finalmente gente. E ela é, sim, a favor da reforma da previdência. E NÃO importa se ela pensa em outro modelo. O fato é que ela não fala contra os empresários que fraudam a previdência. Será que ninguém acha esquisito isso? Que essa menina fique com esse papo furado sem que ninguém se dê conta da conversa mole dela?

      Alan C

      09 de maio de 2019 às 17h27

      Neoliberal é quem chama o Meirelles Bank of Boston pra comandar o Banco Central por uma década.

      Responder

        Antonio

        10 de maio de 2019 às 13h10

        Meireles era um empregado, cara pálida. E você sabe sabe muito bem o que patrão faz com empregado que não obedece, Meireles obedeceu aos governos de Lula e Dilma e o Brasil se tornou a sexta maior economia do mundo, teve as menores taxas de desempregos de nossa história, comparadas a países de pleno emprego, a renda e o poder de compra do brasileiro crescia e o Brasil era considerado uma das maiores potências econômicas do mundo.

        Responder

    CezarR

    09 de maio de 2019 às 16h01

    A pessoa veio debaixo, lá debaixo, a família ainda mora em casa de ocupação e uma pentelha petista vem chamá-la de NeoLiberal! Olha, PT já deu! Quem viver verá!

    Responder

      Nostra

      09 de maio de 2019 às 16h43

      O que tem a ver a cor da pintura do cabelo com os miolos do ser criatura ? E as faculdades cursos e injeções eletrônicas não valem nada ? Nem câmbio automático ? Cada um mesmo !!!

      Responder

      Aliança Nacional Libertadora

      10 de maio de 2019 às 12h14

      Ela é da terra dos neoliberais pobres…

      Responder

        Aliança Nacional Libertadora

        10 de maio de 2019 às 12h19

        Ela é self-made? O mais surreal é que no fosse o PT provavelmente não existiria….a quinta coluna não precisaria criá-la.

        Responder

    Jeferson

    09 de maio de 2019 às 16h10

    Militonta pelega, vcs só sabem repetir esta ladainha? Viro o disco pelega. Tá ruim o Cafezinho? Vaza para o chiqueiro do blog 247. Lá vc pode babar a vontade nas bolas dos bandidos da esquerda. Cada uma que aparece…

    Responder

      Admar

      09 de maio de 2019 às 19h40

      E os Ciristas babam nas Bolas de quem, do Miguel do Rosário???????

      Responder

Deixe uma resposta