História: Brizola na Unicamp em 1987

Últimos comentários sobre ataques à Tábata Amaral

Por Miguel do Rosário

14 de maio de 2019 : 05h15

Segue a versão editada de um texto que publiquei na minha página pessoal do Facebook, há alguns dias, e que provocou bastante repercussão. Muita gente gostou. Outros, nem tanto. Hesitei em trazê-lo aqui, porque estou um pouco cansado de polêmicas. Mas aí está, para ficar no banco de dados do blog.

Prometo que ficarei um tempo sem falar em Tábata Amaral.

***

Pequeno textão-desabafo sobre o caso Tábata Amaral X esquerda:

O ódio e o preconceito contra Tabata Amaral é completamente sem sentido. Pessoas inteligentes repetem clichês idiotas, tipo “Tábata é de direita”, sem a mínima preocupação com a incoerência e hipocrisia vindo de quem conhece a política brasileira.

Direita por que?

Tábata é contra casamento gay? Não, é a favor.

Tábata é contra facilitar o acesso às armas? Sim, é contra.

Tábata é a favor de uma política carcerária mais humana? Sim, é.

Tábata é a favor da expansão dos investimentos públicos em educação e pesquisa? Sim, é.

É a favor do Estado adotar políticas de distribuição de renda? É.

Ela se reivindica de esquerda? Sim, de centro-esquerda e progressista.

Onde é que Tábata é de direita? Alguém pode responder? Não, não pode, porque é dessas idiotices que se diz sem pensar.

Na verdade, o que eu percebo é a emergência do identitarismo mais bizarro e nocivo à política de todos: o identitarismo autoesquerdista. A pessoa se considera de esquerda, ou considera o outro de esquerda, não mais por suas ações e pensamentos, mas como uma questão de identidade. Eu sou de esquerda e ponto final! E o outro, o diferente, não é de esquerda! E ai de quem afirmar o contrário!

Esse binarismo é idiota e despolitizante.

E assim qualquer imbecil pode ser de esquerda: não precisa estudar, não precisa fazer nada de concreto ou objetivo, basta dar alguns likes em algum post de alguma campanha partidária.

O ódio é tão grande que extravasa e acaba se voltando contra qualquer um que a turba acha que está “do outro lado”. E aí se volta contra o Cafezinho e contra minha pessoa.

Muita gente se acovarda diante dessas ondas de linchamento. Alguns aceitam-na, incorporam-na. Justificam-na.

Eu não. Eu acho que isso é antidemocrático, antipolítico e antiprogressista. E foi essa cultura que elegeu Bolsonaro.

Como essa onda vem sobretudo de setores do PT, seria um sinal de generosidade que as lideranças do partido agissem explicitamente no sentido de neutralizar esse tipo de coisa. Ou então não venham falar em “união da esquerda” ou “frente democrática” e outras platitudes do gênero.

Por parte do PSOL, já houve vários sinais neste sentido. Parlamentares do PSOL fizeram fotos ao lado de Tábata e Marcelo Freixo acaba de elogiar a deputada numa entrevista ao El País (o que inclusive lhe valeu um desses hilários ataques do PCO).

Percebendo a estranha onda de ódio sectário, o governador Flavio Dino também teceu elogios à deputada em suas redes sociais.

O PT não pode se fazer de sonso. Ou neutraliza os ataques da militância petista à Tábata, ou depois não venha reclamar das ferroadas dos trabalhistas e de Ciro Gomes, que naturalmente irão defender a sua correligionária.

Os patrulhadores e linchadores pensam a política sob um paradigma radicalmente schmittiano, de amigo X inimigo. Se é meu “amigo”, pode tudo, pode nomear Levy, pode tirar foto com Maluf, com Doria, pode ser aliado de Cunha. Se é meu “inimigo”, pode-se usar qualquer jogo sujo para destruí-lo, pode-se usar um paradigma ultrarradical, que nunca se usou para julgar os “amigos”, para condená-la e fuzilá-la sumariamente.

Um amigo veio com papo complicado de que a Tábata está preocupada com “eficiência”, o que seria um “marco liberal”.

De novo, isso é loucura! Eficiência não tem ideologia. Nem Tábata pode ser resumida a só “eficiência”.

Só porque ela tem cara de competente e “eficiente”, é de direita?

Agora, ela é esperta, no bom sentido, e procura encurralar os neoliberais do governo, como foi o caso de sua voadora no ministro da Educação, com cobranças de eficiência que, ela sabia, iriam repercutir na mídia liberal e provocar danos irreversíveis ao governo.

Dito e feito. Algumas semanas depois do episódio, o ministro foi demitido.

Ainda sobre esse episódio, porém, seria injusto dizer que a fala de Tábata se limitou a “cobranças de planejamento estratégico”.

Ora, não é verdade. O momento mais dramático da fala de Tábata foi quando ela confronta o ministro com a sua história pessoal, lembrando que perdeu o pai e amigos para violência e drogas, e que tinha convicção de que se eles tivessem tido acesso à educação pública de qualidade, isso não teria ocorrido. Foi uma fala classista, de uma verdadeira trabalhista!

De qualquer forma, a esquerda não pode delirar ao ponto de jogar conceitos como “eficiência” para a direita.

Mao Tsé Tung já avisava: sejamos revolucionários E TÉCNICOS.

A garota veio de família miserável, a família ainda vive em casa de ocupação. Sua militância é inteiramente voltada para melhorar a educação pública brasileira.

Não é justo chamar Tábata de neoliberal.

Neoliberal, me desculpem, é quem nomeia Levy para o ministério da Fazenda, Cardoso para a pasta da Justiça, Paulo Bernardo para Comunicação, e sanciona as leis da Ficha Limpa, da delação premiada, e assiste, impassível, a população carcerária quadruplicar no país.

E não, ela não defende a reforma de previdência de Bolsonaro. Isso é mais uma das mentiras abomináveis que se usam contra ela.

Ela apoia uma reforma da previdência justa, com base na proposta do Mauro Benevides, deputado federal de seu próprio partido.

Ah, ela quer fazer “ajustes” na proposta de Bolsonaro. Meu caro, isso é política. O jogo é fazer o máximo possível de ajustes, de maneira a preservar o regime de repartição, isolar a capitalização apenas como um complemento. Enfim, conter danos e melhorar a reforma.

O objetivo não é dar o grito de “ganhei”, ou pior, fazer um teatro político que visa justamente perder mas com aura “heroica”.

Se ao cabo, Bolsonaro gritar “ganhei”, mas a reforma da Previdência aprovada tiver sido devidamente aparada, cortada, ajustada, com o regime de capitalização convertido em apenas complementar, com a preservação da aposentadoria rural, com ajustes no tempo de transição, então a oposição terá sido vitoriosa!

Nesse ponto, acho a Tábata bem menos “bobinha” do que seu rostinho angelical, meio infantil, deixa transparecer.

Ela está entrando firme no debate da reforma, chamando-o para si, sinalizando abertura ao diálogo, o que lhe permite acumular capital político para defender o que ela acredita, tanto no campo da reforma quanto em outros.

O objetivo de uma oposição propositiva é conter danos, ampliar a base de apoios e ajudar o país a fazer a transição desse regime policialiesco, fascistoide, que entramos, por conta de todos os erros que NÓS, da esquerda, cometemos, para uma fase posterior, de normalidade democrática, racionalidade pública e crescimento econômico.

Não concorda com a Tábata? Natural. Mas tenham respeito, ao menos.

E usem a razão, leiam um pouco mais sobre ela. Divirjam democraticamente, sem promover linchamento e fake news.

É óbvio que, na atual conjuntura, uma liderança política progressista, com capacidade (em virtude de seu próprio talento e capital político) de penetrar em nichos da opinião pública até então fechados para a esquerda, é um tesouro!

O Haddad não estava tentando, no segundo turno, obter o apoio de Fernando Henrique Cardoso e Joaquim Barbosa? Não tentou furar a bolha da esquerda? Não tiraram o vermelho da campanha, mudaram as cores, e fizeram de tudo para conquistar o centro?

Só o PT pode fazer? Ninguém mais? E isso só vale na campanha, e não no processo político? O interesse é só ganhar eleição, e que se dane a política?

Qual a lógica de se falar em “frente democrática” e se tentar isolar Tábata Amaral?

Eu tenho minhas críticas, duras, à Tábata.

Eu, por exemplo, acho que ela e o Movimento Acredito erraram feio ao dar crédito (não hoje, mas há dois meses) àquele picareta e agente da CIA, Juan Guaidó.

Ora, mas não foi só a Tabata! Foi o planeta inteiro, incluindo aí toda a esquerda europeia e americana.

Quem acabou segurando Maduro foi o Putin, que é um cara de de direita, mas que tem interesses geopolíticos contrários ao imperialismo.

Da minha parte, sinto imensa admiração por essa garota, que considero corajosa e progressista, uma verdadeira joia da política nacional.

E se eu divergir dela, será com respeito e educação, como faço com qualquer político de quem discordo.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

33 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José

15 de maio de 2019 às 02h30

Ao que me parece, enquanto o PT articula assumidamente a candidatura de Ana Estela Haddad para prefeita de São Paulo (uma mulher que nunca antes participou ativamente da política, não foi sequer vereadora ou secretária, apenas tem afinidade ideológica com o partido, senão, não seria esposa de uma das maiores lideranças petistas), espalhou-se por aí que a Tábata Amaral seria a aposta do PDT para o comando da capital paulista. A própria deputada ficou sabendo de sua pré-candidatura pelos jornais.

Coincidentemente, uma deputada progressista, em pleno exercício de seu mandato, passou a ganhar notoriedade e relevância, principalmente após esculachar o monstruoso ministro da Educação do governo Bolsonaro, quando surgem as notícias sobre sua possível candidatura à Prefeitura: não parece óbvio o jogo sujo do PT em inventar apelidinhos infantilóides como Batata Liberal contra uma possível ameaça para que retornem ao comando da maior capital da América Latina? Ana Estela não é conhecida e poderia chegar à eleição com uma força bem inferior à de Amaral dentre o eleitorado de esquerda e centro-esquerda. Não falarei nunca mais em aliança entre petistas e pedetistas com o PT sendo coadjuvante depois de escancararem o que pensam eleitoralmente na eleição de 2018, mas se Tábata derrotasse Ana Estela, por que não convidar petistas para secretarias no governo municipal? Os inimigos do povo em São Paulo ano que vem serão Bruno Covas, Joice ou Janaina, Datena, Russomanno, Meirelles… e não Tábata, Ana Estela, Nádia/Orlando ou PSOL. Se repete mais uma vez a fantasia de histeria petista de que o PT é o defensor guerreiro e incansável dos trabalhadores, e o PDT é “direitista” e o “coroné é fujão”, agora na micro-disputa municipal vindoura. E mais uma vez, a saber, teremos o PDT com uma candidatura com mais experiência e preparo político que o PT. E mais uma vez estaremos sujeitos a entregarmos a eleição para o PSL. E mais uma vez, por culpa da cultura de ódio da militância petista.

Responder

NeoTupi

15 de maio de 2019 às 01h28

Não considero essas perguntas suficientes para definir um político como sendo esquerda.
FHC, Serra, Luciano Huck responderiam igual a Tábata estas mesmas perguntas.
Não basta pensar “a favor” ou “contra”, no caso de político, ainda mais com mandato. Tem que se engajar e se alinhar de fato em lutas políticas que levem às transformações daquilo que pensa ser a favor ou contra.

Tábata sofre de um problema que ela vai ter de superar, para um lado ou para outro: ele não vem de movimentos sociais, nunca foi uma liderança de base do que ela diz pretender respresentar (suas origens pobres). Foi eleita como uma cara nova desconhecida com bom currículo, e com campanha patrocinada por milionários liberais. É o velho dilema da velha política: representar o eleitor ou o financiador da campanha?

Responder

    Mandarim

    22 de maio de 2019 às 19h25

    Touche!
    Gostaria de ver o autor do textao adicionar uma pergunta sobre o posicionamento da deputada da Ambev em relacao a destruicao da previdencia publica proposta pelo atual ‘governo’ de milicianos, assumir que a menina guarana e pro-reforma do Guedes e continuar o texto, dizendo que ela se opoe a adocao de uma politica de exterminio dos homossexuais em campos de concentracao, e, por isso, e esquerda.
    O golpe causou mais estragos do que a maioria imagina.
    Muita gente perdeu a capacidade de juntar le com cre, como, sem duvida aconteceu aqui com o Miguel e o Cafezinho…
    Lamentavel.

    Responder

Chiara

14 de maio de 2019 às 23h56

Excelente “desabafo”, análise precisa, à esquerda e à direita. Se é que eles estariam de algum lado – porque a mim parece que cada qual está no seu próprio umbigo -, passou da hora de ambos os lados pararem de falar bobagem e começarem a escutar – o outro, seja ele quem for e principalmente se ele for diferente, discordante, dissonante. Valeu!

Responder

João

14 de maio de 2019 às 20h17

O Lula afirmou em entrevista que a saída para a crise no pais é um presidente com credibilidade perante investidores internacionais, superávit primário e estimulo ao credito visando consumo. Se orgulha de que os bancos nunca lucraram tanto como no governo dele. E para muitos é o ícone da oposicão, do que significa ser “esquerda”, e até revolucionário, radical. Essas mesmas pessoas acham que neoliberal é a Tabata Amaral? Que o Ciro é de direita? Apesar de criticarem o petismo exatamente por esses pontos? O que a pretensa esquerda ganha com um sectarismo tão irracional como esse? Vaidade? Conforto emocional no interior da sua bolha de classe média?

Responder

14 de maio de 2019 às 18h38

Meu problema com Tábata Amaral ou com qualquer figura pública tida como “progressista” tem a ver com as coisas com as coisas com as quais se compromete nesse momento peculiar da vida política do continente e do mundo. Haddad, por exemplo, falando que “golpe” era uma palavra forte demais, elogiando Moro antes das eleições e desejando sorte ao governo Bolsonaro foi demais para mim. Como liderança, nesse contexto político anômico em que estamos vivendo , não me convence de forma alguma. Num momento de normalidade democrática, poderia passar por aceitável. Tábata Amaral também não me convence. Carecemos de ousadia e coragem política. O “novo” de verdade não está aí dando sopa e é bom que não nos iludamos a esse respeito.
A questão da Venezuela é uma questão em que a esquerda deve ir defesa da soberania venezuelana. E não da narrativa imperialista que domina a Grande Mídia. Não dá para bancar os “isentões” nisso. Para mim, declarações equívocas têm , sim, que ser contestadas. Duela a quién duela.

Responder

Paulo

14 de maio de 2019 às 18h16

Sobre a Tábata teremos que aguardar, pra ver realmente como se desenvolverá sua vida pública. É uma figura politica (não diria, ainda, liderança) promissora. Torço por ela, mas os esquerdistas radicais, e, especialmente, os petistas, não. É natural a reação destes últimos, pois Tábata pode se lançar numa eleição majoritária e roubar votos do PT, além de agregar, ainda, parcela da classe média. Ou seja, é uma potencial concorrente. É só disso que se trata. Tentar convencer os petistas do contrário é inútil. Lembro-me que isolaram o Brizolla e farão o mesmo com essa menina, considerando-a da mesma vertente trabalhista, que, pra eles, não é “profunda” o suficiente, na opção socializante que demarca seus estatutos.

Responder

    Paulo

    14 de maio de 2019 às 18h19

    No entanto, considero um erro do PDT (leia-se Ciro, e Benevides, seu fiel escudeiro) essa insistência no Regime de Capitalização, em relação à Previdência. A Previdência tem que manter pública, universal e distributiva, sob controle do Estado, não de bancos – nem mesmo os estatais, ou ainda, “comissões de trabalhadores”, porque, nessas hipótese vai dar ruim…

    Responder

      14 de maio de 2019 às 18h46

      Paulo,

      Concordo totalmente, Paulo. Não à lógica de capitalização que torna o trabalhador completamente vulnerável. O compromisso político dos progressistas deve ser com a previdência pública.

      Responder

edson tadeu

14 de maio de 2019 às 16h38

Eu respeito muito Miguel do Rosario, principalmente pelo seu livro A PRIVATARIA TUCANA, foi um livro onde ele entregou todo o seu potencial e acima de tudo se arriscou a enfrentar uma quadrilha tucana que o negocio deles é : TEM QUE SER UM QUE AGENTE MANDE MATAR”. mais continuo achando que voce nao foi bem quando atacou o 247 – Quanto a Tabata mostre que o que falaram a seu respeito e seu envolvimento do o empresario facista e voce ha de reconhecer que a deputada Tabata nao poderia ter publicado um video reconhecendo Guaidó como legitimo presidente ja que ele perdeu as eleiçoes e elas foram vigiadas por organismos internacionais e deram como legitimas e depois com a pressao dos EUA parece que deram marcha ré. Se la faz um video dessa natureza ela deixa claro qual o seu posicionamento politico nao tem como defende-la.Agora se mais tarde ela vai ser outra pessoa ai vamos ter que esperarpara ver.

Responder

Miramar

14 de maio de 2019 às 15h41

Miguel

Entendo seu cansaço, pois também estou cansado de falsas polêmicas. No entanto, se frequento esse blog é por que sei que esse é democrático de fato, divulgando informações sobre todas as correntes de pensamento, inclusive da deputada Tabata, em quem votei.
No entanto, se não possível a aplicação de uma política de moderação de comentários , me pergunto se não é o caso de seguir a sugestão do comentarista Alan C e simplesmente desativar momentaneamente o espaço de publicação de comentários. Esse espaço definitivamente não ficará menos democrático pela ausência dos mal intencionados. Quem for fanático poderá continuar comentando nas redes sociais. Eu da minha parte, optei por não me inscrever em nenhuma.

Responder

Carlos

14 de maio de 2019 às 15h29

A deputada Tábata do Amaral estudou nos Estados Unidos financiado pelo homem mais rico do Brasil (Jorge Paulo Lemann) e lá sofreu uma lavagem cerebral aprendendo a adorar e defender com unhas e dentes os interesses do imperialismo americano. A deputada Tábata do Amaral na verdade finge ser de esquerda, pois lembremos que senador Lasier Martins que é um senadores mais reacionários do Senado Federal foi eleito pelo PDT. Vamos lembrar bem que a Tábata do Amaral defendeu a ajuda humanitária do império americano a Venezuela e foi na época criticada pela esquerda, sendo que a própria Cruz Vermelha se recusou a participar desta entrega de ajuda humanitária no país sul- americano. No dia 23 de fevereiro de 2019 houve aquela tentativa fracassada de entrega de ajuda humanitária a Venezuela pela fonteira colombiana e pela fronteira brasileira. Então três dias depois (no dia 26 de fevereiro de 2019), a deputada Tábata do Amaral publica um vídeo reconhecendo o Juan Guaidó como o legítimo presidente da Venezuela, e o presidente Nicolas Maduro como um usurpador , ou seja o mesmo discurso do Donald Trump, do Bolsonaro, da Globo e da grande mídia brasileira. Desde o dia 15 de janeiro de 2019, quando o Juan Guaidó recebeu neste dia um telefonema do vice- presidente americano Mike Pense e então poucos dias depois (no dia 23 de janeiro de 2019) se autoproclamou presidente da Venezuela com o apoio do império americano, já era dito desde aquela época pela esquerda que o Juan Guaidó não passava de um capacho do Donald Trump.

Responder

    Miramar

    14 de maio de 2019 às 15h56

    Mentira1 não, ela não sofreu lavagem cerebral. Apenas pensa diferente de você.

    Mentira2 ela não é funcionária do Lehmann. Quem é funcionário do
    Lehmann é o Fernando Haddad (direito dele). Ela apenas recebeu uma bolsa de estudos em que não foi cobrada nenhuma concordância ideológica.

    Mentira3 ela não pode ter mentido dizendo ser uma pessoa de esquerda e não ser, pela simples razão de que ela nunca disse ser de esquerda. Ela se declara uma pessoa de centro-esquerda. E qualquer pessoa que gosta de estudar sabe que esquerda e centro-esquerda são coisas totalmente diferentes.

    Mentira4 não ela não apoia uma intervenção militar para derrubar Maduro, muito menos uma intervenção estrangeira. Defende uma abertura democrática no regime, com a realização de novas eleições. Quanto a questão do Juan Guaido, em fevereiro até os governos socialistas de Portugal e Espanha o apoiavam. Idem para toda a Internacional Socialista e Bernie Sanders.

    Responder

      Carlos

      14 de maio de 2019 às 20h14

      Primeiro ponto: A deputada Tábata do Amaral foi sim financiada pelo Jorge Paulo Lemann, pois ela chegou a ser funcionária da Ambev. Há até uma matéria de agosto de 2018 (em pleno período eleitoral de 2018) da Isto é Dinheiro intitulada “Os candidatos de Jorge Paulo Lemann”. Nesta matéria é falado sobre os então candidatos nas eleições de 2018 (entre eles a Tábata do Amaral) que tiveram os estudos nas melhores universidades do mundo financiados pelo homem mais rico do Brasil. https://www.istoedinheiro.com.br/os-candidatos-de-lemann/ A Tábata do Amaral só conseguiu estudar e ter visibilidade política (tanto que se elegeu como deputada federal) graças as bençãos do seu padrinho político Jorge Paulo Lemann.
      Segundo ponto: A deputada federal Tábata do Amaral deve ter sofrido sim uma lavagem cerebral nos Estados Unidos no seu período de estudos em Havard e aprendeu assim a idolatrar o império americano, pois só isso explica ela reconhecer o fantoche do império americano (Juan Guaidó) como o presidente legítimo da Venezuela. Mesmo com todos estes acontecimentos na Venezuela depois do dia 26 de fevereiro de 2019 (quando a Tábata do Amaral declarou que o Juan Guaidó era o presidente legítimo da Venezuela), quando até houve uma tentativa de golpe de estado na Venezuela por parte do Juan Guaidó no dia 30 de abril de 2019, ela não se pronunciou mais sobre o assunto e sendo assim significa que ela continua com a mesma opinião do Bolsonaro, do Donald Trump, da Globo e grande mídia (de que o Juan Guaidó é o presidente legítimo da Venezuela e que o Nicolas Maduro é um usurpador no cargo de presidente da Venezuela).
      Terceiro ponto que uma é contradição muito grande quando a deputada Tábata do Amaral diz que reconhece o Juan Guaidó como presidente da Venezuela e ao mesmo tempo defende a não intervenção americana no território americano. O Juan Guaidó chegou a defender a intervenção americana na Venezuela, poucos dias depois do dia 23 de janeiro de 2019 (o dia em que o Juan Guaidó se autodeclarou presidente da Venezuela). https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/02/08/guaido-diz-a-afp-que-nao-descarta-autorizar-intervencao-dos-eua-na-venezuela.ghtml Mesmo sabendo que o Juan Guaidó defende a intervenção americana na Venezuela a deputada Tábata do Amaral no dia 26 de fevereiro de 2019, ratificou o seu apoio ao fantoche do império americano.

      Responder

        Miramar

        15 de maio de 2019 às 00h21

        Começando pelo final
        Você declara que a deputada Tabata não se pronunciou mais sobre a questão venezuelana e é segundo você isso significa a adesão às idéias de Juan Guaido. Bem, o fato é que a Tabata só se pronunciou sobre essas questões nas ocasiões em que foi perguntada. A única vez que isso aconteceu foi em fevereiro de 2019. Dois meses antes de Juan Guaido se pronunciar favorável a intervenção americana. Aliás, em seu vídeo ela esclarece que a posição de Guaido só se legitimaria se esse continuasse a exigir a realização de novas eleições, uma vez que Maduro já demonstrou que não está interessado nisso.

        A idéia de lavagem cerebral seria patética se não fosse bizarramente criminosa e autoritária. Quer dizer que todo mundo que não compactua com a visão de mundo da extrema esquerda é foi cooptado pelo imperialismo americano (mesmo que essa pessoa não tenha uma fala favorável a isso). O pior de tudo é a cafonice. Sua terminologia poderia facilmente ser reproduzida em um aparelho guerrilheiro dos anos 60.

        Jorge Paulo Lehmann é padrinho político de Tabata Amaral?! Bom, você poderia ser menos original e dizer apenas que a Tabata é apadrinhada pelo Ciro Gomes, aquele representante da falsa esquerda ( como o Politiburo Petista) o definiu. Mas confesso que como piada me divertiu. Aliás se eu tiver a oportunidade de conversar com algum jovem morador de uma casa de ocupação filho de uma bordadeira e de um cobrador de ônibus, e esse jovem receber uma bolsa de estudos em uma universidade importante voh preveni-lo para que não aceite. Principalmente se for para Harvard. Lá eles fazem lavagem cerebral com as pessoas, e as transformam em capachos do imperialismo.

        Rapaz, já conversei com alguns petistas bobocas nesse site, mas garanto que nenhum foi tão original.

        Responder

Cassino PT

14 de maio de 2019 às 15h05

Se você ainda não conhece os cassinos virtuais, não sabe o que está perdendo! São diversos jogos e muitas oportunidades de lucrar. Você pode testar a sua sorte na página https://casino-portugal.pt/ utilizando dinheiro real ou apenas jogando por diversão. Saiba como participar e aproveite as incríveis máquinas de caça-níquel e outros simuladores que irão aumentar o ritmo da sua diversão.

Responder

Aliança Nacional Libertadora

14 de maio de 2019 às 13h19

Engraçado esse esforço do café com leite…….mas entendo porque o questionamento sobre a Tatibitábata enerva a quinta coluna…..é como a Falha de São Paulo defendendo FHC e suas posições sociais e política internacional…..outro que se diz de ” esquerda”…..aliás tem vocação para a ala “esquerdista” tucana…..o irônico é sua forja em anos petistas…..por ferreiros tucanos liberais……a impressão da tentativa de captar um discurso tão caro a um país tão desigual com aquele velho interesse de “esperar o bolo crescer”……..Tucanato queimado como direita…..inventa-se outra esquerda……passa uma mão de tinta….o menos avermelhada possível….mas o suficiente para fortalecer o discurso……e fragmentar o progressimo………um Macronismo…

Responder

LUPE

14 de maio de 2019 às 13h13

Caros leitores

Como já comentei,
não conheço bem a deputada.

Mas,
basta só uma coisa
para me fazer suspeitar
de suas posições políticas: >>>> o apoio do “comentarista” Sergio Araujo,

que invariavelmente comparece ao Cafezinho
com “comentários” sórdidos, e cretinos

evidentemente de extrema direita.

Em minha opinião Sergio Araujo é até mais que isso,
é um agente dos nossos inimigos.

Junte-se a isso o fato que a deputada
defende a “Reforma (Destruição) da Previdência.

Sei lá por que Miguel do Rosário a promove tanto……….

Responder

J Fernando

14 de maio de 2019 às 12h04

Questionário que identificará sua posição política:
– Você é contra o casamento gay? Sim, direita. Não, esquerda.
– Você é contra o acesso às armas? Não, direita. Sim, esquerda.
– Você é a favor de políticas carcerárias mais humanas? Não, direita. Sim, esquerda.
– Você é a favor dos investimentos públicos em educação e pesquisa? Não, direita. Sim, esquerda.
– Você é a favor de políticas de distribuição de rendas pelo estado? Não, direita. Sim, esquerda.
E PRINCIPALMENTE:
– Você se define como direita ou esquerda? Sua resposta a essa pergunta define sua posição política independente de suas respostas acima.

Muitos consideram as posições de Tábata à direita pelas alianças que ela tem com Luciano Huck e Lehmann, por alguns de seus posicionamentos em relação à Venezuela e o apoio à Reforma Previdenciária do governo atual. Gosto da Tábata, independente se ela se diz de esquerda ou direita. Acredito que ela mostrará a que veio. E se há críticas excessivas sobre a deputada, ela deverá aprender a tirar o melhor possível destas críticas.

Responder

    Sérgio Araújo

    14 de maio de 2019 às 13h23

    São perguntas banais, estupidas e inuteis…principalmente.

    A Tábata é de esquerda mas não é afeita de esquerdofrenia, não é comunista/socialista (ou como se chama essa porcaria), é uma pessoa normal que usa a própria cabeça, só isso.

    Onde está o problema ?

    Responder

      Alan C

      14 de maio de 2019 às 13h38

      A direitofrenia mais pura

      Responder

      J Fernando

      15 de maio de 2019 às 14h46

      Que problema?
      As perguntas são banais para definir se alguém é de direita ou esquerda e até você concordou com isso.
      Talvez o problema seja você com “esquerdofrenia” e “comunista/socialista”.
      Em nenhum momento eu disse que a opção política dela é um problema. É salutar para o país que novas faces se apresentem politicamente, seja de direita ou esquerda. Precisamos de renovação, urgente. Tábata é uma promessa política futura, positiva para o país.

      Responder

    Ivan

    14 de maio de 2019 às 13h35

    No sentido ideológico não há aliança nenhuma entre a deputada e o Jorge Paulo Lemann, há apenas uma relação de contribuição não remunerada, a deputada é membro da Fundação Lemann como bolsista, e a bolsa dela é de Harvard.

    Responder

      J Fernando

      15 de maio de 2019 às 14h37

      Obrigado pela informação, Ivan.
      E, neste caso, uma bolsa de estudos, não tem como ficar contra.

      Responder

Sergio Araujo

14 de maio de 2019 às 11h05

Tábata é contra casamento gay? Não, é a favor.
Tábata é contra facilitar o acesso às armas? Sim, é contra.
Tábata é a favor de uma política carcerária mais humana? Sim, é.
Tábata é a favor da expansão dos investimentos públicos em educação e pesquisa? Sim, é.
É a favor do Estado adotar políticas de distribuição de renda? É.
Ela se reivindica de esquerda? Sim, de centro-esquerda e progressista.

Rsponder “corretamente” a essas perguntas fàz a pessoa ser de direita ou esquerda ?

Responder

    Sergio Araujo

    14 de maio de 2019 às 11h18

    Vòce é contra casamento gay? NAO
    Vòce é contra facilitar o acesso às armas? NAO
    Vòce é a favor de uma política carcerária mais humana? SIM
    Vòce é a favor da expansão dos investimentos públicos em educação e pesquisa? SIM
    Vòce a favor do Estado adotar políticas de distribuição de renda? NAO

    3-2 nunca votei mas descubrì hoje de ser de esquerda.

    Responder

Alexandre Neres

14 de maio de 2019 às 10h40

Caro Miguel, acho que este assunto já deu. Fica evidente pela forma como encadeia o texto que está sendo um prosélito, por exemplo ao defendê-la ardorosamente ao dizer que todo o planeta, incluída toda a esquerda europeia e estadunidense. Como bom vira-lata que sou, como poderia discordar de gente tão graúda? O bate-e-assopra salta aos olhos. A Tábata, até pela natural inexperiência, como todo ser humano, tem lá seus erros e desacertos. Ela tem que ir se moldando aos poucos. Minha preocupação fica com movimentos sob a batuta do Luciano Huck ou estudos sob os auspícios de Lehmann. Li num jornalão hoje que ela está na brazil week na “América”, junto com deputados jovens, um do Novo que já nasceu velho, onde estaria o mito se não tivesse sido defenestrado pelo prefeito de NY e colocado o rabinho entre as pernas.

Responder

Alan C

14 de maio de 2019 às 10h36

Miguel, apenas uma sugestão baseado na sua introdução, se não é possível uma moderação e vc já está no ponto de hesitar publicar matérias e análises no seu próprio blog, que tal desativar temporariamente os comentários?

Outra alternativa é desativar comentários nas publicações mais “polemicas”. O Reinaldo Azevedo, só pra citar um exemplo, faz isso no blog dele.

Uma coisa é certa, não é pelos simpatizantes da esquerda/centro-esquerda que vc está hesitante, certo? A participação do lado de lá não é ao acaso e vc sabe bem disso…

Responder

    Sergio Araujo

    14 de maio de 2019 às 11h32

    Balilla.

    Responder

      Alan C

      14 de maio de 2019 às 12h46

      do laranjal

      Responder

        Sérgio Araújo

        14 de maio de 2019 às 17h30

        Do bananal no​ caso.

        Responder

    Paulo

    14 de maio de 2019 às 18h30

    Desativar os comentários? Por quê? O contraditório é sempre saudável. Os xingamentos são sempre condenáveis, e, por minha experiência nas redes, digo que basta ignorá-los que eles se anulam por si próprios…

    Responder

Fábio maia

14 de maio de 2019 às 10h34

Neutralizar ataques…. eufemismo para enquadramento. Miguel, a deputada como você e uma pessoa pública, com um agravante e pública e paga pelos cofres públicos. Com o produto de minha contribuição fiscal. Nada melhor para um agente público do fiscalização e controle pela opinião pública. Tá achando ruim se sujeitar a isso? Não se candidate. Simples assim. Não quer brincar não desca pro play

Responder

Deixe uma resposta

x
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com