Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Crédito: Metrópole

Juiz de DF torna réu Lula, Palocci e Paulo Bernardo

Por Redação

06 de junho de 2019 : 19h16

A denúncia é baseada em delação de Marcelo Odebrecht.

***

Trecho de matéria no Estadão:

Lula, Palocci e Paulo Bernardo no banco dos réus por propina da Odebrecht

Juiz Vallisney de Oliveira acolhe denúncia da Procuradoria contra ex-presidente e seus ex-ministros por supostamente terem acertado o recebimento, em 2010, de R$ 64 milhões da empreiteira

Pepita Ortega e Fausto Macedo

06 de junho de 2019 | 16h29

O juiz Vallisney de Oliveira da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, aceitou nesta quarta, 5, denúncia por corrupção apresentada contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário Marcelo Odebrecht e os ex-ministros Antonio Palocci e Paulo Bernardo.

A investigação também atinge a deputada federal Gleisi Hoffman (PT). Por ter foro privilegiado, ela foi denunciada pela procuradora-geral, Raquel Dodge, por lavagem de dinheiro e corrupção, no valor de R$ 5 milhões, referentes a repasses da empreiteira em 2014. A petista responde pela denúncia perante ao Supremo Tribunal Federal. Para Lula, Palocci, Paulo Bernardo e os delatores, a ação penal corre na Justiça Federal.

Lula e Palocci são acusados de terem acertado o recebimento de R$ 64 milhões em troca do aumento do limite da linha de crédito para exportação de bens e serviços entre Brasil e Angola, em benefício da Construtora Odebrecht. Segundo os autos, a autorização pelo Governo Brasileiro teria sido de US$ 1 bi.

O inquérito tem como base a delação do ex-presidente da Odebrecht, Marcelo.

“No caso específico dessa negociação, em 2009, início de 2010, até porque eu acho que estava se aproximando da eleição, veio o pedido solicitado para mim por Paulo Bernardo, na época, que veio por indicação do presidente Lula, para que a gente desse uma contribuição de US$ 40 milhões e eles estariam fazendo a aprovação da linha de US$ 1 bilhão para exportação de bens e serviços”, declarou Odebrecht, em depoimento.

“Em 2009, 2010, teve uma negociação de uma linha de crédito envolvendo Angola que se dava entre os dois país”, explicou Odebrecht.

O delator revelou que o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda, governo Lula, e Casa Civil, governo Dilma Rousseff) era o principal interlocutor das propinas acertadas pela Odebrecht com o PT.

“Todos pagamentos eram autorizados por Palocci.”

(…)

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rocha

10 de junho de 2019 às 05h17

Vallisney, o juizeco que postou no facebook, que a Dilma tinha que sofrer impechament, para que o dólar caísse, para ele poder passear em Miami. Depois apagou o post, mas já tinha sido printado. Este é o juízes que os dois burro-chós acima, veneram..

Responder

Olavo

07 de junho de 2019 às 10h33

Falou em roubalheira, falou PT… o partidazinho safado…

Responder

Paulo

06 de junho de 2019 às 19h47

Eu queria saber por que a Justiça Federal em São Paulo segue na contramão da 13ª Vara, em Curitiba; do juiz Bretas, no RJ; e desse Vallisney, em Brasília? Alô PGR e JF em Sampa, vamos acordar!

Responder

Marcio

06 de junho de 2019 às 19h22

Quadrilha de assaltantes…nada mais

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?