Paulo Gala e Fausto Oliveira comentam riscos de “livre comércio” com a China

FOTO STÉFERSON FARIA - Lula visita canteiro de obras do gasoduto Urucu-Coari-Manaus

Maia escala ESTATAL Petrobrás para salvar a Amazônia

Por Tadeu Porto

23 de agosto de 2019 : 12h44

A gente se acostumou a ler a grande mídia dizer que o Pré-Sal era inviável e não era (muito pelo contrário, é uma mina de outro). Lemos também que a Petrobrás estava quebrada, e a realidade é que, a despeito do assalto que a Lava Jato fez na empresa, ela continua firme e forte, como foi planejado na década passada.

Agora a mídia fala sobre a privatização da Petrobrás.

Primeiramente, vale lembrar que Petroleiros e petroleiras se preparam para uma greve histórica contra a privatização da empresa, as medidas antissindicais do governo Bolsonaro e o corte de direitos da categoria.

Em segundo lugar, vale observar agora, com muito carinho, que a empresa escalada para salvar a Amazônia é a nossa estatal de petróleo.

Maia anuncia que quer utilizar 2,5 bilhões da estatal para salvar a amazônia.

Que coisa não? Liberais querem usar uma “estatal quebrada” para, literalmente, tirar o pais das chamas.

Não foram considerados nem os bancos com seus lucros recordes e nem as empresas privatizadas como a Vale. Não foi considerado sequer o dinheiro público que foi utilizado para atrair deputados a votar a favor da Reforma da Previdência.

Na hora do aperto, sempre foi assim: chama a estatal. Chama a empresa que tem compromisso social com o país e que pode salvar a economia inteira.

Dá para imaginar o efeito catastrófico que teríamos se privatizarem a Petrobrás.

Tadeu Porto

Colunista do Cafezinho e diretor da Federação Única dos Petroleiros e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »