Canal Revolução Industrial entrevista Luis Felipe Giesteira

Crédito: https://twitter.com/ManonAubryFr/status/1202596141721894912

Greve geral na França contra reforma da Previdência

Por Redação

05 de dezembro de 2019 : 13h16

No RFI

Greve geral: passeata em Paris é marcada por confrontos com a polícia

Publicado em: 05/12/2019 – 16:48
Modificado em: 05/12/2019 – 17:04

A passeata organizada pelos sindicados franceses nesta quinta-feira (5) em Paris foi marcada por violência. Militantes radicais atacaram a polícia, que revidou com bombas de gás lacrimogêneo em Paris. Focos de incêndio foram registrados no centro da cidade, parcialmente paralisada pela greve geral contra o projeto de reforma do sistema de aposentadoria. Incidentes também foram registrados em outras partes do país.

Os primeiros confrontos foram registrados pouco antes das 16h no horário local (12h em Brasília), quando o cortejo parisiense estava na metade seu percurso. Equipamentos de um canteiro de obras perto da Place de la République, no centro de Paris, foram incendiados e várias vitrines de lojas foram quebradas.

A polícia foi atacada por militantes radicais “black blocks”, que carregavam um faixa com os dizerem “Marx ou crève” (Marx ou morte, em tradução livre). As forças de ordem responderam com bombas de gás lacrimogêneo, provocando muito tumulto na região, onde até então milhares de pessoas manifestavam de forma pacífica.

Apesar das imagens de confrontos divulgadas em todos os canais de televisão, o primeiro-ministro francês, Edouard Philippe declarou que a manifestação transcorria sem problemas.

Cerca de 6 mil policiais foram mobilizados para garantir a segurança durante a passeata. As autoridades temiam uma possível participação de manifestantes radicais, como nos protestos recentes organizados pelos “coletes amarelos”. O governo já havia pedido que os comerciantes situados no trajeto do cortejo fechassem seus estabelecimentos e protegessem suas vitrines.

Forte adesão

A greve contra o projeto de reforma da Previdência registrou uma forte adesão principalmente entre os principais atingidos pelas medidas: ferroviários, professores e funcionários do setor da Saúde. Mas o setor privado também conta com grevistas. Ao meio-dia, havia 180.000 manifestantes nas ruas das principais cidades francesas.

Cerca de 80% dos trens foram cancelados no país. Em Paris, os ônibus praticamente não circulam e ao menos 11 das 14 linhas do metrô estão fechadas. No setor aéreo, 20% dos voos de curta e média distância foram cancelados. Cerca de 46% dos professores aderiram à paralisação, 78% deles em Paris.

A empresa de transportes públicos da capital já informou que a greve deve continuar pode ser prolongada até segunda-feira (9).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

05 de dezembro de 2019 às 19h17

Lá eles defendem seus interesses. Por aqui, quase metade aprovou a Reforma da Previdência. Dou um desconto pela campanha suja feita na grande imprensa pela Reforma e pela desinformação e ignorância do nosso povo. Mas chega a beirar a falta de inteligência…

Responder

Carlos Marighella

05 de dezembro de 2019 às 16h02

Aprende brasil

Responder

chichano goncalvez

05 de dezembro de 2019 às 13h22

O povo na França, no Ecuador, no Chile, no Libano, e em outros lugares está nas “calles”, e tu povinho brasileiro, onde estás ? Enquanto o teu salario perde a cada dia o poder de compra, e o aumento é pura ficção. Hasta quando compañero ?

Responder

Deixe uma resposta