Live diária do Cafezinho, hoje às 19:00

A fala de Guedes na FGV

Por Redação

08 de fevereiro de 2020 : 11h47

A palestra de Paulo Guedes que provocou a ira – justificada – do funcionalismo público brasileiro, por comparar o servidor a “parasitas”, pode ser vista na íntegra do vídeo abaixo:

Fala do Mansueto, secretário do Tesouro Nacional: 1:45:27
Fala do ministro da Economia, Paulo Guedes: 2:47:35

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

10 de fevereiro de 2020 às 17h06

Retificação do meu comentário anterior que, sem explicação, não permite que as pessoas o leiam na íntegra, lá vai.
“É lamentável que tal manifestação desmerecida, aos servidores públicos do Brasil, venha de um ministro do povo que, constitucionalmente, conforme o Parágrafo Único do Artigo 1º da Constituição Federal diz: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”, outorga-lhe autoridade nos termos da lei específica, para ele ajudar o seu governo sim, a realizar para o bem da nação e do país o que dispõe o Artigo 3º da CF, que trata dos Objetivos Fundamentais da República Federativa do Brasil.
Para os que não conhecem ou não lêem a Constituição Federal, justifica repetirmos aqui, a íntegra desse importante ítem constitucional que, todos os cidadãos conscientes deveriam tê-lo na ponta da língua, aí está “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II – garantir o desenvolvimento nacional;
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.”
Voltando ao assunto, que se caracteriza como desrespeito e ofensa ao que todos os servidores públicos do Brasil, fizeram para que essa pátria fosse livre, forte, independente, segura, soberana, fraterna e cenário de bem-estar e de felicidade para sua população.
Se este país chegou a ser reconhecido e respeitado no mundo inteiro, foi porque, atrás de cada Política Pública e na sua implementação, estavam servidores públicos das mais variadas atividades dos 03 Poderes da República Federativa do Brasil.
Se o Brasil conheceu momentos em sua história de preocupação e valorização do ser humano, de combate a pobreza, a desigualdade, à corrupção, à sonegação, ao desenvolvimento mais justo do país, com o fortalecimento das universidades, dos centros de pesquisa e de geração de ciência e tecnologia, das empresas estratégicas, da saúde, da educação, da cidadania, da segurança pública, do agronegócio produtivo, da agricultura familiar e da agroindútria sustentável, da proteção e da conservação do meio-ambiente, da modernização da infra-estrutura física de armazenamento da produção e da mobilidade urbana e rural, etc, só para exemplificar a importância da participação do servidor público em tudo isso, porque, o servidor público é a prova e presença real de que o Estado Brasileiro Existe.
Agora, ofender genericamente os servidores públicos do Brasil, entendo eu, como cidadão e pratícipe do povo brasileiro, que tal procedimento não condiz com a autoridade que um ministro têm para servir bem o povo que lhe paga para isso. Talvez, o procedimento esperado do ministro pelo povo que depende em suas necessidades, dos serviços cada vez melhores e necessários dos servidores públicos, fosse o seguinte: “de hoje endiante, estamos promovendo estudo para identificar os pontos fracos e/ou gargalos na prestação de serviços públicos por falta de servidores públicos para fazermos a reposição, capacitá-los e valorizarmos tais profissionais, para atendermos melhor a população do país, em suas carências e necessidades.”
A justificativa para o que sugerimos, e talvez, vossos assessores não tenham notados, estão nos links abaixo que, dentre outras coisas, mostram que o Brasil, dentre as 10 Potências econômicas é o que menos tem proporcionalmente à sua população, menos servidores públicos pois, pois enquanto ele, 2º o IBGE, tinha em 2012, 1,6% de servidores públicos, e talvez por isso, seja um dos países mais injustos do planeta, já que essa mesma pesquisa do link, mostra o contrário, os países mais desenvolvidos, ricos e mais justos, são os que apresentam maiores percentuais de servidores públicos do que nós, em relação á população.
E verdade que nem um cidadão brasileiro concorda com pessoas intituladas “servidores públicos” que não trabalham e nem produzem, pois são os oportunistas ou espertos que como muitos outros tipos de gente, vivem à sombra dos outros, no Brasil.
Pense melhor no que falou e quando vier a públicos cite os dados do IBGE que, diferente de 2012, hoje deve ser muito menor.
São as nossas sugestões e contribuições, ao assunto.
Anexo os links abaixo:
https://jornalggn.com.br/noticia/pronunciamento-de-guedes-nao-e-surpresa-diz-sindireceita/ ;
https://oppceufc.wordpress.com/2019/01/17/os-15-paises-com-mais-servidores-publicos-no-mundo-2/ ;
https://valor.globo.com/brasil/noticia/2013/03/15/ibge-funcionarios-publicos-eram-16-da-populacao-brasileira-em-2012.ghtml ;
Sebastião Farias
Um brasileiro nordestinamazônida”

Responder

Paulo

10 de fevereiro de 2020 às 15h14

Trabalhadores uni-vos.; Nada é mias parasita do que este desgoverno protofascista.

Responder

Breno

08 de fevereiro de 2020 às 18h33

“O funcionalismo teve aumento de 50% acima da inflação, tem estabilidade de emprego, tem aposentadoria generosa, tem tudo. O hospedeiro está morrendo. O cara virou um parasita e o dinheiro não está chegando no povo…a aprovação de uma reforma administrativa é necessária para fazer com que mais recursos possam ser direcionadas a áreas essenciais”.
Quem é contra mais recursos para serviços públicos essenciais? Por que?
Quais poderiam ser os objetivos de quem quis tirá-la de contexto, além de manter privilégios e impedir que haja mais recursos e melhores serviços públicos essenciais à população, expondo a incompetência e conivência de governos anteriores com um sistema de privilégios de alguns às custas da população?”

Limpeza no chiqueiro !!

Responder

Breno

08 de fevereiro de 2020 às 18h27

“O funcionalismo teve aumento de 50% acima da inflação, tem estabilidade de emprego, tem aposentadoria generosa, tem tudo. O hospedeiro está morrendo. O cara virou um parasita e o dinheiro não está chegando no povo…a aprovação de uma reforma administrativa é necessária para fazer com que mais recursos possam ser direcionadas a áreas essenciais”.
Quem é contra mais recursos para serviços públicos essenciais? Por que?
Quais poderiam ser os objetivos de quem quis tirá-la de contexto, além de manter privilégios e impedir que haja mais recursos e melhores serviços públicos essenciais à população, expondo a incompetência e conivência de governos anteriores com um sistema de privilégios de alguns às custas da população?”

Responder

Sebastião

08 de fevereiro de 2020 às 17h21

É lamentável que tal manifestação desmerecida, aos servidores públicos do Brasil, venha de um ministro do povo que, constitucionalmente, conforme o Parágrafo Único do Artigo 1º da Constituição Federal diz: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”, outorga-lhe autoridade nos termos da lei específica, para ele ajudar o seu governo sim, a realizar para o bem da nação e do país o que dispõe o Artigo 3º da CF, que trata dos Objetivos Fundamentais da República Federativa do Brasil.
Para os que não conhecem ou não lêem a Constituição Federal, justifica repetirmos aqui, a íntegra desse importante ítem constitucional que, todos os cidadãos conscientes deveriam tê-lo na ponta da língua, aí está “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II – garantir o desenvolvimento nacional;
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.”
Voltando ao assunto, que se caracteriza como desrespeito e ofensa ao que todos os servidores públicos do Brasil, fizeram para que essa pátria fosse livre, forte, independente, segura, soberana, fraterna e cenário de bem-estar e de felicidade para sua população.
Se este país chegou a ser reconhecido e respeitado no mundo inteiro, foi porque, atrás de cada Política Pública e na sua implementação, estavam servidores públicos das mais variadas atividades dos 03 Poderes da República Federativa do Brasil.
Se o Brasil conheceu momentos em sua história de preocupação e valorização do ser humano, de combate a pobreza, a desigualdade, à corrupção, à sonegação, ao desenvolvimento mais justo do país, com o fortalecimento das universidades, dos centros de pesquisa e de geração de ciência e tecnologia, das empresas estratégicas, da saúde, da educação, da cidadania, da segurança pública, do agronegócio produtivo, da agricultura familiar e da agroindútria sustentável, da proteção e da conservação do meio-ambiente, da modernização da infra-estrutura física de armazenamento da produção e da mobilidade urbana e rural, etc, só para exemplificar a importância da participação do servidor público em tudo isso, porque, o servidor público é a prova e presença real de que o Estado Brasileiro Existe.
Agora, ofender genericamente os servidores públicos do Brasil, entendo eu, como cidadão e pratícipe do povo brasileiro, que tal procedimento não condiz com a autoridade que um ministro têm para servir bem o povo que lhe paga para isso. Talvez, o procedimento esperado do ministro pelo povo que depende em suas necessidades, dos serviços cada vez melhores e necessários dos servidores públicos, fosse o seguinte: “de hoje endiante, estamos promovendo estudo para identificar os pontos fracos e/ou gargalos na prestação de serviços públicos por falta de servidores públicos para fazermos a reposição, capacitá-los e valorizarmos tais profissionais, para atendermos melhor a população do país, em suas carências e necessidades.”
A justificativa para o que sugerimos, e talvez, vossos assessores não tenham notados, estão nos links abaixo que, dentre outras coisas, mostram que o Brasil, dentre as 10 Potências econômicas é o que menos tem proporcionalmente à sua população, menos servidores públicos pois, pois enquanto ele, 2º o IBGE, tinha em 2012, 1,6% de servidores públicos, e talvez por isso, seja um dos países mais injustos do planeta, já que essa mesma pesquisa do link, mostra o contrário, os países mais desenvolvidos, ricos e mais justos, são os que apresentam maiores percentuais de servidores públicos do que nós, em relação á população.
E verdade que nem um cidadão brasileiro concorda com pessoas intituladas “servidores públicos” que não trabalham e nem produzem, pois são os oportunistas ou espertos que como muitos outros tipos de gente, vivem à sombra dos outros, no Brasil.
Pense melhor no que falou e quando vier a públicos cite os dados do IBGE que, diferente de 2012, hoje deve ser muito menor.
São as nossas sugestões e contribuições, ao assunto.
Anexo os links abaixo:
https://jornalggn.com.br/noticia/pronunciamento-de-guedes-nao-e-surpresa-diz-sindireceita/ ;
https://oppceufc.wordpress.com/2019/01/17/os-15-paises-com-mais-servidores-publicos-no-mundo-2/ ;
https://valor.globo.com/brasil/noticia/2013/03/15/ibge-funcionarios-publicos-eram-16-da-populacao-brasileira-em-2012.ghtml ;
Sebastião Farias
Um brasileiro nordestinamazônida

Responder

Alan C

08 de fevereiro de 2020 às 17h20

Posto Ipiranga pseudo liberal.

Responder

Wellington

08 de fevereiro de 2020 às 15h18

Após décadas de aparelhamento não há dúvida que tudo, do começo ao fim precise de um boa sacudida, quem cair, caiu.

Responder

Renato

08 de fevereiro de 2020 às 15h06

Tenho uma colega de trabalho que , e outras que foram em condições parecidas, que foi pra casa, aposentada aos 45 anos com direito integralidade e paridade. Minha tia morreu aos 85 anos recebendo pensão do pai, cabo do bombeiro do RJ !

Responder

Paulo

08 de fevereiro de 2020 às 12h04

Porco Guedes continua sendo um mentiroso nato, além da porquice tradicional. Em 35 anos de serviço público nunca vi nada igual. Mostrou seu despreparo moral e técnico. Sobre a moral nem vou falar, julguem os senhores! Tecnicamente, é mentira que os servidores recebam reajustes periódicos (quem recebe, geralmente, são os trabalhadores da iniciativa privada, já que os dissídios coletivos têm data certa, todo ano). Dilmadrasta não concedeu reajuste, nem Temerário, nem, muito menos, o Bolsonabo. Esse homem vai destruir o Estado brasileiro, a pretexto de reformá-lo…

Responder

Deixe uma resposta