Live de Tico Santa Cruz com Ciro Gomes

Pesquisa do Atlas Político sinaliza vitória esmagadora de Bolsonaro no 1º turno

Por Redação

13 de fevereiro de 2020 : 11h17

O El País divulgou uma pesquisa do Atlas Político que traz um quadro preocupante para o campo progressista. Realizada entre os dias 7 e 9 de fevereiro, pela internet, via “convites randomizados”, ela mostra que a aprovação de Jair Bolsonaro teria crescido de 27%, em novembro, para 29% hoje, e sua rejeição caído cinco pontos, de 42% para 37%.

A aprovação de Sergio Moro, por sua vez, teria crescido seis pontos desde novembro, chegando a 54%. Embora ainda esteja longe dos 60% que tinha em maio, antes das reportagens do Intercept sobre a “Vaza Jato”, o fato é que o “ciclo de deterioração” (a expressão é do El País) de seu prestígio “parece que está se revertendo”. Após a Vaza Jato, a aprovação de Moro tinha despencado para 50%.

Entre os políticos com maior índice de avaliação negativa estão, por ordem, Rodrigo Maia (66%), João Dória (64%) e Fernando Haddad (59%). Esses percentuais também são negativos para a oposição, na medida em que  Rodrigo Maia, presidente da Câmara, tem agido como um anteparo importante contra os excessos autoritários do governo; e Fernando Haddad ainda é o principal nome do PT para as eleições de 2022.

Nas pesquisas de intenção de voto, a pesquisa trouxe cenários um pouco confusos. Por exemplo, no cenário com Lula, a pesquisa incluiu na mesma sondagem Bolsonaro e Moro. É inverossímil que os dois participem do pleito como adversários; será um ou outro. De qualquer forma, neste cenário, Bolsonaro obteve 32% e Moro, 20%, contra 28% de Lula. Os eleitores de Bolsonaro e Moro são os mesmos, então faz sentido somá-los, e a soma dá 52% dos eleitores, ou 58% dos votos válidos, o que significaria mais de 10 milhões de votos acima do necessário para uma vitória no primeiro turno.

(Mesmo sem considerar votos válidos, 52% já seriam suficientes para uma vitória no primeiro turno).

No primeiro tuno de 2018, já descontados abstenções, nulos e brancos, foram registrados 107,0 milhões de votos válidos. Isso significa que um candidato que obtiver 58% no 1º turno terá 62,2 milhões de votos.

No segundo cenário, sem Moro e sem Lula, a pesquisa usou apenas um nome de oposição, o governador Flavio Dino (PCdoB), que pontuou 13%. Neste cenário, a quantidade de indecisos, votos em brancos ou nulos, explodiu para 27% (contra 9% no cenário 1). Bolsonaro pontuou 41% dos votos, mas como a quantidade de nulos é muito elevada, este percentual corresponderia aos mesmos 58% dos votos válidos do cenário anterior, novamente mais que o suficiente para uma vitória tranquila no primeiro turno.

Considerando que os eleitores de João Dória e Huck não parecem muito próximos de Flavio Dino, soa mais provável que estes migrem para Bolsonaro num eventual segundo turno, afastando ainda mais as chances de vitória da oposição.

O Atlas Político informou que não incluiu o nome de Ciro Gomes, terceiro lugar na eleição no primeiro turno de 2018, com mais de 13 milhões de votos, para “delimitar o número de cenários”.

É a primeira pesquisa a mostrar o nome do governador Flavio Dino. Esperemos que, a partir de agora, outras pesquisas façam o mesmo, visto que ele se tornou um dos quadros mais importantes da oposição.

Entretanto, é positivamente ridículo que a oposição enxergue qualquer coisa de positivo numa pesquisa que traga um quadro tão dramático e preocupante para si mesma.

Por outro lado, essa pesquisa é de qualidade inferior, por não trazer dados estratificados (por região, renda, escolaridade, etc), e ser feita exclusivamente pela internet.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ian Snider

13 de fevereiro de 2020 às 21h19

Pesquisa de Internet? Pra piorar, não incluíram o Ciro Gomes na pesquisa. Que comédia, rsrsrs… O que deu na cabeça do M, Rosário pra publicar isso?

Responder

marcenaria criativa

13 de fevereiro de 2020 às 16h35

Só 9 comentários nessa matéria ? Kkkkk Cadê as bibas da resistência ?

Responder

    Abdel Romenia

    13 de fevereiro de 2020 às 16h40

    Comentar o que ? Só se o Moro se filiar ao PSOL para e esquerlha bueiro de esgoto ganhar as eleições. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

      Monza 87

      13 de fevereiro de 2020 às 17h47

      São as “armadilhas” do Guilherme B kkkkkkkkkk

      Responder

Alan C

13 de fevereiro de 2020 às 12h12

Pra essa “pesquisa” ficar 100% escalafobética era só tirar o Dino e colocar o Alckmin ou o aécio pra ser a eleição da direitosca… rsrs

Próximooo!!!

Responder

    Evandro Garcia

    13 de fevereiro de 2020 às 12h25

    Calma Guilherme que é sò quinta hoje….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

      Alan C

      13 de fevereiro de 2020 às 12h28

      Calma andressa que é sò quinta hoje… Não caia na “armadilha” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

    Andressa

    13 de fevereiro de 2020 às 12h27

    Porque tirar se tà aì e disse que é pre-candidato…?

    Tem até o Lula que nem pode ser candidato, nào tem outros nesse momento.

    Responder

      Capitãozinho do Mato

      13 de fevereiro de 2020 às 23h28

      Tem o guilherme comprando soja na china kkkkkkk

      Responder

sandro46

13 de fevereiro de 2020 às 11h47

“O Atlas Político informou que não incluiu o nome de Ciro Gomes” para que a pesquisa fosse levada a serio. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Abdel Romenia

13 de fevereiro de 2020 às 11h39

Doria, Dino, Huck, Cirolipa, é o Cirque do Soleil…? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Andressa

13 de fevereiro de 2020 às 11h27

Sem os bilhoes de propinas para campanhas, sindicatos, etc… e os financiamentos (tambèm bilhonarios) a Globo a esquerda nào volta ao poder nunca mais, no Brasil quase ninguem é de esquerda.

Responder

    Andressa

    13 de fevereiro de 2020 às 11h36

    “bilionarios”

    Responder

    Alan C

    13 de fevereiro de 2020 às 12h29

    Esse é o sonho do guilherme B kkkkkk

    Responder

    Ian Snider

    13 de fevereiro de 2020 às 21h26

    A Globo está no poder junto com Paulo Guedes o FMI, ô iludido!

    Responder

    Ian Snider

    13 de fevereiro de 2020 às 21h30

    A Globo continua no poder junto com Paulo Guedes e o FMI, ô iludido!

    Responder

Deixe uma resposta