Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Boa notícia: 103,3 mil pessoas já se recuperaram do coronavírus

Por Redação

24 de março de 2020 : 13h00

A universidade Johns Hopkins, uma das instituições mais prestigiadas do mundo, montou um serviço online de acompanhamento dos casos de contaminação, morte e recuperação, em escala global.

Segundo o serviço, que pode ser acessado aqui, o número de casos confirmados de contaminação já chega a 396 mil, o número de mortes a 17,2 mil, e o número de pessoas que se recuperaram do vírus já é de 103,3 mil. 

Evidentemente, esses números, por se tratarem apenas de casos confirmados, devem estar subestimados, mas de qualquer forma é uma boa notícia que um número grande de pessoas tenha se recuperado. 

***

A notícia ruim é que o mesmo mapa interativo da Jonhs Hopkins traz um gráfico com a evolução do número de casos, em números absolutos, em números diários. E o que se vê é um aumento impressionante. Mas isso é inevitável, na medida em que o vírus se espalha.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

24 de março de 2020 às 18h25

O problema nem é o índice de letalidade, abaixo de outras epidemias, o problema é a facilidade de contágio, que acaba produzindo mais mortes. Fora o prejuízo à economia. Se essa quarentena de 2 semanas (aqui em São Paulo) não aplainar o gráfico de crescimento de contágios, vai ficar muito ruim, pois teremos que permanecer nesse recolhimento compulsório por semanas e até meses…

Responder

chichano goncalvez

24 de março de 2020 às 13h36

Esperamos, que as poucas atitudes de nossos governantes, aumentem e com isso possamos sair o quanto antes desse pesadelo, como a China saiu rapidamente.

Responder

Wellington

24 de março de 2020 às 13h31

A taxa de letalidade no Brasil acredito que nao serà elevada (espero pelo menos) e limitada aos centros urbanos maiores jà que hà bastante distancia entre as cidades.

Coisa diferente da Italia por exemplo onde em 30 minutos de carro Vc passa facil por 5 ou 6 pequenas cidades e a movimentaçào de pessoas entre as mesma é elevadissima.

Nas cidades menos a risco nào seria o caso de evitar de parar completamente as atividades e “isolar” somente os grupos de risco para que as outras pessoas possam trabalhar normalmente ou quase…?

Responder

Deixe uma resposta