Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Foto: Rafael Machado

Os erros esféricos de Ciro Gomes e o darwinismo democrático

Por Miguel do Rosário

29 de maio de 2021 : 21h37

Ciro Gomes cometeu dois graves erros políticos nos últimos dias, que podem ter comprometido fatalmente uma candidatura que já passava por uma crise existencial, desde que Lula voltou ao páreo e bloqueou o crescimento do pedetista junto a largas fatias do eleitorado.

O primeiro erro foi puxar para si a trapalhada de Carlos Lupi, cuja postagem em favor da “impressão do voto” produziu uma enxurrada de menções negativas.

O segundo erro, e que também parece ter sido uma posição partidária, foi um posicionamento dúbio, inseguro, sobre as manifestações que ocorreriam neste dia 29 de maio, em várias cidades do país. Ciro postou um vídeo em que apoia os protestos, mas sem nenhuma ênfase, sem nenhuma energia. Não deve ter agradado nem quem apoia os protestos, nem que não os apoia. Quando não se tem nada a dizer, é sempre melhor não dizer nada.

Mas nesse post eu queria falar apenas do primeiro erro.

O físico suíço Fritz Zwicky, pioneiro nos estudos sobre “matéria escura” e supernovas, dizia que “os astrônomos são idiotas esféricos. Seja qual for o ângulo pelo qual os olhamos, são sempre idiotas!”

A ideia de Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, de vir a público lançar suspeitas sobre a integridade do processo eleitoral e defender a “impressão do voto”, me fez pensar na frase de Zwicky.

É um erro esférico!

Ao se deixar arrastar para esse turbilhão, compartilhando e justificando a postagem do presidente de seu partido, Ciro Gomes trouxe o erro para sua própria candidatura. Tornou-se um erro esférico de Ciro Gomes.

Errar é humano, e políticos costumam ser muito humanos nesse aspecto.

Alguns políticos erram mais que outros, contudo, e geralmente são esses que enfrentam mais dificuldades para vencer eleições.

Depois eles vão culpar a despolitização do povo, a má fé da imprensa, a desonestidade dos adversários, a proliferação de fakenews, fraude nas urnas…

Raros irão olhar para seus próprios erros.

O governo Dilma foi derrubado por seus acertos, dizem alguns, mas isso sempre me pareceu um pensamento oportunista, autoindulgente e, sobretudo, infecundo. Se você perde uma batalha, é claro que isso se deve, em boa parte, à força de seu adversário. Mas essa constatação não vai lhe fazer ganhar a batalha seguinte. A única reação digna do Ser perante a Derrota é a autocrítica e o aprendizado. Isso é uma verdade inscrita, literalmente, no DNA de cada célula de nosso corpo. E a Natureza, quando nos quer impor uma verdade, não poupa redundâncias. O ser humano tem cerca de 1 trilhão de células. Em cada uma delas, temos o mesmo recado: errou, perdeu.

Errou, perdeu. A cada vez que um ser vivo cometeu um erro, entrou onde não deveria entrar, comeu o que não deveria comer, mexeu com quem não deveria mexer, demorou demais para se esconder, ele simplesmente morreu e não passou seus genes adiante. Nós somos os herdeiros do outro, do cara que errou menos.

Isso é Darwin. É vida.

É democracia também. Se você fala ou faz besteira, perde eleição, e outro, que erra menos, ocupa o seu lugar.

Sempre gostei de pensar o conceito democrático como uma forma de inteligência muito antiga, vinculada à própria evolução.

O neurocientista Jeff Hawkings, que lançou há pouco o livro “A thousand brains”, trabalha com a teoria de que os neurônios humanos (nos animais não deve ser diferente) organizam as informações apreendidas pelos sentidos através de um mecanismo “democrático”, ou seja, quando olhamos ou tocamos uma xícara de café, milhares de informações simultâneas, diferentes entre si, às vezes contraditórias, atingem nosso cérebro. Então nossos neurônios “votam” naquela que lhes parece a mais correta, a mais útil, a que faz mais sentido, e assim formamos uma imagem única em nossa cabeça, a imagem “eleita”.

David Stasavage, professor de Ciências Sociais na Universidade de Nova York, publicou há pouco um livro intitulado “The Decline and Rise of Democracy: A Global History from Antiquity to Today”, onde defende a tese de que a cultura democrática é muito mais antiga do que se imaginava. Definitivamente, não apareceu “do nada” na Grécia Antiga.

Uma vez o professor Wanderley Guilherme do Santos especulou, num de seus livros, sobre essa origem “biológica” do princípio democrático. Infelizmente, foram apenas uma ou duas frases sobre isso.

Na maioria das vezes, o Ser não tem oportunidade de fazer autocrítica. Ele simplesmente morre e desaparece.

A autocrítica do Ser, de qualquer forma, é silenciosa. O tatu não fica se lamuriando em público por não ter se enfiado em seu buraco na hora certa e por causa disso quase ter sido devorado por uma onça. Ele simplesmente toma a decisão de ser mais rápido da próxima vez.

Mas voltemos à manifestação de Carlos Lupi, e porque eu acho que foi um erro grotesco, que pode ter comprometido fatalmente a candidatura Ciro Gomes.

Em primeiro lugar, não se trata aqui de uma opinião pessoal. A reação à postagem de Carlos Lupi foi devastadoramente negativa. Milhares e milhares de pessoas simplesmente ridicularizaram a ideia. Parte da própria militância cirista ficou em estado de choque, sem entender porque o PDT fizera uma coisa tão idiota e inoportuna.

“O pior, para mim, não foi nem a questão do voto impresso, mas a razão que alegaram, de ser uma bandeira histórica de Brizola. Brizola morreu há mais de vinte anos. Não havia nem smartphones na época! Bizarro!”, me disse uma militante cirista.

Alguns quadros ciristas, provavelmente os mesmos que estimularam Lupi a fazer a postagem, adotaram uma estratégia de defesa agressiva, batendo na própria militância cirista, em todo mundo, num esforço desesperado para manter de pé a narrativa de que não foi um erro, e que Lupi foi “corajoso”.

É inegável que um ato de suicídio político e eleitoral requer um bocado de coragem!

A defesa mais divertida da manifestação de Carlos Lupi veio da deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL), a quem Ciro Gomes já chamou de “burra”.

Como de fato a inteligência não é seu forte, a deputada Carla Zambelli talvez não tenha percebido que é um bocado estranho transformar o debate sobre um dispositivo tecnológico eletrônico numa bandeira das “últimas décadas”.

Entretanto, o erro de Lupi, de Ciro e do PDT, não é daqueles que prejudicam apenas aqueles que erraram. Um pai alcóolatra não prejudica apenas a si mesmo, mas a toda família.

Lupi não cometeu um erro trivial. Ao insinuar que, sem a impressão do voto, a “fraude impera”, ele ajudou a alimentar a teoria de conspiração do bolsonarismo, que visa claramente desprestigiar o processo eleitoral, com intenções golpistas.

Dificilmente haverá tempo hábil para votar ou implementar a impressão do voto em 2022. E se houvesse tempo, essa não é uma prioridade nesse momento, em que temos o maior desemprego da história, milhões de pessoas passando fome, e, sobretudo, sem que jamais tenha havido, até agora, denúncias consistentes nem de fraudes nem de tentativas de fraude.

Nossas urnas, dizem seus críticos, são de primeira geração, ou seja, seriam antigas. De fato, elas são as mesmas há várias eleições. Mas muita coisa evoluiu nos últimos anos. A apuração acontece hoje em tempo recorde, o que facilita muito o trabalho de se verificar irregularidades. O Brasil possui uma burocracia especializada experiente, formada pelos servidores dos tribunais eleitorais regionais e do Tribunal Superior Eleitoral. Imagino que poucos países do mundo tenham uma burocracia com tanta excelência, e focada exclusivamente na organização e na segurança do processo eleitoral. Fazer esse debate sem a mediação dos servidores dos próprios tribunais, ou pior, em posição de confronto com os próprios ministros do TSE, passa a imagem de teórico de conspiração, o que é a maneira mais rápida para desqualificar o debate necessário sobre a segurança das urnas.

Agora, eu francamente acho um absurdo que os defensores do voto impresso aleguem que isso é uma bandeira histórica do PDT. Isso não é verdade. Não há qualquer menção a “voto impresso” no Estatuto do PDT, na Carta a Lisboa, na Carta de Mendes, ou na Carta de São Paulo, que são os documentos fundamentais do partido.

O que se pode ler, repetidamente, em todos esses documentos, é a fé no regime democrático e na capacidade do Brasil se desenvolver com soberania e justiça social.  As palavras “democracia” e “desenvolvimento” estão entre as que mais se repetem.

Democracia pressupõe confiança e respeito pelo processo democrático. E o processo democrático no Brasil usa urna eletrônica, há muitos anos. Há vulnerabilidades, mas temos uma instituição de excelência que goza de grande confiança e prestígio popular.

Naturalmente, é preciso modernizar sempre. Mas lançar suspeitas, alimentar teorias de conspiração sobre fraudes? Isso joga contra a democracia, e não vejo isso nos documentos fundamentais do PDT.

A expressão “desenvolvimento”, por sua vez, tão importante para o PDT que é quase uma ideologia política, o desenvolvimentismo, tem de significar, hoje, uma aposta na pesquisa científica, na modernização de nossas indústrias, e, naturalmente, nas tecnologias digitais!

Defender a “impressão do voto” com base no argumento de que o brasileiro confiaria mais no papel impresso,  é subestimar a inteligência do povo, que, mesmo humilde, com poucos recursos, já tem larga experiência com novas tecnologias.

O caminho não é a impressão do voto, o que além de tudo é uma iniciativa totalmente contrária ao meio ambiente, pois papel significa a morte de árvores. O caminho é aprofundar a digitalização do voto! Quando pudermos resolver questões relativas à milícia e ao risco de intimidação dos eleitores, temos que caminhar para o voto por celular, o que permitiria inclusive aprofundarmos e agilizarmos ainda mais o processo democrático, com realização de plebiscitos, enquetes e referendos que intensifiquem a participação cidadã na vida pública! Essa deveria ser, para mim, uma bandeira digna de um partido desenvolvimentista e democrático!

Enfim, é realmente muito triste que o PDT e Ciro Gomes se deixem conduzir por um punhado de obsessivos e teóricos de conspiração, que parecem ignorar completamente o fato de que a defesa da “impressão do voto”, nesse momento, e da maneira como foi formulada, prejudicou muito a candidatura trabalhista. Os poucos influencers importantes que ainda apoiavam Ciro Gomes imediatamente se posicionaram contra esse delírio.

A semana terminava com um depoimento devastador de Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, na CPI da Pandemia. Teríamos manifestações populares no sábado 29. Esses eram os focos absolutos! Bater em Bolsonaro, ponto final! Trazer a pauta da impressão de voto para a frente do debate ajudou a desviar a atenção da CPI e colocou o PDT e Ciro Gomes numa posição de “aliados” de uma pauta retrógrada. Minha amiga cirista definiu bem: bizarro!

Errou, perdeu.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

68 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Visite www.votoseguro.org

16 de julho de 2021 às 17h22

Caro Miguel,

estar desinformado não é crime; agora persistir no erro seria (mesmo sem teres conhecimentos aprofundados em informática).

O problema é que não há como votar eletronicamente de forma confiável sem o voto impresso ou tecnologia blockchain. É necessário que exista uma forma de auditoria independente (externa).

Parabéns ao PDT por manter viva a tradição de questionar a segurança das urnas eletrônicas desde 1998! Enquanto o TSE muitas vezes mente, muitas fraudes e irregularidades estão documentadas no site http://www.votoseguro.org.

Responder

Batista

31 de maio de 2021 às 11h58

Os erros esféricos de Narciro originam-se da quadradura do círculo da classe dominante plana, rasa e ignara, que corteja como derradeira esperança para que não venha a passar, quando setembro de 22 vier, l’automne à nouveau sur les bords de Seine, maintenant à droite.

Responder

ROBERTO MARTINS LOUZADA

31 de maio de 2021 às 10h14

Miguel do Rosario
O mais brilhante escritor e jornalista dos últimos anos.
Texto inigualável, cheio de referência teórica de renomados pensadores. não tem com quem compara-lo com um mundo de ” eu acho”.
Poderia parar por aqui e ser considerado um bajulador, mas prossigo para divergir e expor o pensamento que, a OPOSIÇÃO ingenuamente permitiu a DIREITA se apossar do Verde e Amarelo agora vem entregar de bandeja o voto impresso como bandeira de DIREITA
OPOSIÇÃO INCOPETENTE permitirá BOLSONARO FOR EVER

Responder

Belchior Medeiros

31 de maio de 2021 às 07h42

A comprovação do voto se necessário for é fundamental para a democracia. Parece que Miguel está menosprezando a direita e também menosprezando a necessidade de combater na prática qualquer tentativa de fraude eleição. O voto impresso como Lupi e Ciro defendem é correto. Dizer que não é o momento para defender o que é correto é apostar e compactuar com o atraso. Perder uma eleição não significa o fim, agora ganhar mentindo ou escondendo o que pensa de cada tema da sociedade, com certeza não vale a pena. Ciro e Lupi acertaram, independente do resultado de qualquer eleição. Nessa quem está perdendo é Miguel.

Responder

Querlon

30 de maio de 2021 às 22h17

Os defensores da “siensia” aglomerados explorando politicamente as mortes …?

Ridículos…

Responder

jose carlos rodrigues arana

30 de maio de 2021 às 20h34

No artigo sobre o voto impresso, Miguel utilizou a seguinte frase: “.. foi um tiro no pé”.
Penso que agora foram dois tiros. Um cada pé. Fica difícil saber se poderá caminhar.

Responder

Elves

30 de maio de 2021 às 19h09

Mais um querendo derrubar a verdadeira esquerda.

Responder

Jeann Câmara

30 de maio de 2021 às 17h57

Miguel, você errou feio ao apoiar o Ciro DA FORMA como você fez.

Errou, perdeu.

Responder

Francisco

30 de maio de 2021 às 17h43

Ciro Gomes é um bom técnico, mas não tem cabeça para a política. Certos movimentos e significados escapam à sua visão de técnico. Se, por um altamente improvável acidente histórico, vier a se tornar Presidente, não conseguirá realizar sequer 1/3 do seu projeto de governo, por sua absoluta inabilidade política. Em pouco tempo, arranjará conflito com todas as demais forças, sejam aliadas ou opositoras.
A culpa do fracasso será, obviamente, dos outros. Ciro Gomes é um daqueles que não enxergam os próprios erros, e, por isso, pouco ou nada aprende com eles.

Responder

Marta

30 de maio de 2021 às 16h16

Quer dizer, não sou a favor do voto impresso porque Bolsonaro defende a tese, ainda que por outras razões? Então concordar com o golpista lavajatista do STF, da turma de curitiba, Barroso, que é contra o voto impresso, ta tudo bem? Quer dizer que ninguém pode questionar as urnas eletrônicas, são infaliveis e inquestionáveis, logo aqui no Brasil, algo tão perfeito que não existe em nenhum outro lugar do mundo.

Responder

Ugo

30 de maio de 2021 às 16h10

Já grudaram novamente no saco do Lula ?

Mudam de rumo fácil hein…

Responder

    Willy

    30 de maio de 2021 às 22h14

    Caso contrário hoje estariam defendendo o discurso de Ciro Gomes, gente ridícula, sem coerência.

    O mesmo vale para as aglomerações…. nenhuma palavra.

    Responder

    Hilario

    31 de maio de 2021 às 10h51

    Jà.

    Responder

Marta

30 de maio de 2021 às 16h07

Ciro não pode ser criticado por sua posição, sempre chamou Bolsonaro de Genocida justamente por promover aglomerações em meio aos momentos mais críticos da pandemia e agora, de repente, dizer que aprova as aglomerações dos protestos (ainda que seja necessário encontrar meios de uma reação contra o Bolsonarismo sem torna-se também parte desse genocídio), só porque foi a esquerda quem fez, isso é hipocrisia inclusive sua, demagogia. É preciso ter coerência e ser verdadeiro com seu ponto de vista!

Responder

30 de maio de 2021 às 15h06

Não há João Santana que salve. E não é pela bobagem de defender na atual circunstância o voto impresso, do qual sou a favor. Eu fiquei contente como o PHA quando Lula sancionou o voto impresso em 2009 (o STF barrou). Vejo a trajetória do Ciro de fora, pois não sou cirista, e a mim não surpreende o que está acontecendo com ele politicamente – independente de voto impresso e de vídeo molenga sobre a manifestação. Aliás, parece que Lula não disse nada sobre a manifestação, nem antes nem depois. Mas é ele que fica associado à mobilização popular – pois foi o que o PT e ele fizeram por décadas. Essa é uma grande, enorme, diferença.

Responder

Alexandre Neres

30 de maio de 2021 às 14h42

Errou, perdeu. Empreendedor de si mesmo, se você não deu certo, o único responsável e culpado é você mesmo. Viva Spencer! Viva o darwinismo social! Viva a meritocracia!

Ora, ora. Vamos nos abster do fato de que o neoliberalismo da terceira via e a meritocracia foram os grandes responsáveis por Trump e o fortalecimento da extrema-direita mundo afora.

Barroso diz que não há mais possibilidade de golpe no Brasil. Barroso diz que como magistrado não tem preferência partidária e entoa seu discurso fazendo proselitismo político e defendendo o falso moralismo, ou seja, que nem quando a pessoa diz que não quer falar sobre o assunto tal, por óbvio vai exatamente tratar dele. O iluminista do Projac impediu a candidatura de Lula em 2018, contrariando o entendimento uníssono do TSE de permitir que o cidadão se candidate e depois, se for o caso, é cassado, não obstante a recomendação do Comitê de Direitos Humanos da ONU para que Lula concorresse. As eleições de 2018 foram tão forjadas quanto as da República Velha. O duro foi ter que aturar sedizentes progressistas pronunciar alto e em bom som que a candidatura de Lula em 2018 era uma farsa. Hoje em dia, depois de ter sido desmontada a pantomima da Lava Jato, constata-se que Lula não tinha nenhuma outra opção para desconstituir o ardil e provar sua dignidade senão insistir em sua candidatura, deixando o verdugo expor seu guizo e sua falta de vergonha.

Que lindo exaltar o vencedor! O golpe de 2016, a edição do debate na Rede Globo de 1989 entre Lula e Collor, tudo isso são meros detalhes, o que vale é vencer, não importam os meios. “Errou, perdeu.” “Isso é Darwin. É vida.”. Nada mais simplista. Nada mais simplório.

Nesse sentido, Dilma é a culpada pelo golpe de 2016. Os pactos por cima, tradição recorrente no Brasil, os que estão sendo celebrados nesse exato momento, não vêm ao caso, inclusive os que anistiaram os militares dos crimes que cometeram contra a humanidade. Em 2018, esses mesmos velhacos militares emparedaram o STF que se acoelhou. É a vida. A primeira mulher eleita presidenta pelo Brasil é a culpada por ter sido desferido o golpe. A culpada do estupro é a saia curta da estuprada. Este é o nosso Brasil profundo. Simples assim!

Responder

Pauloaa

30 de maio de 2021 às 14h23

Seu texto sendo usado pelo DCM E 247! Parabéns vc conseguiu expor Ciro Gomes. Quem será o idiota esférico ?

Responder

DANILO MIRANDA CAETANO

30 de maio de 2021 às 14h21

Para os que trazem a defesa do voto impresso por partidos de esquerda em 2015, digo apenas uma coisa: não havia essa “turma boa” no poder questionando a lisura do processo eleitoral (no poder, reitero). Não será possível, portanto, um debate sobre isso, na medida e profundidade necessárias, nesse momento. Simples assim.

Levantar essa bandeira agora, devidamente capturada pela turma bolsonarista, equivale a jogar água no moinho do caos eleitoral.

Responder

Felipe Candil

30 de maio de 2021 às 13h52

De todas as perspectivas que se pode ter sobre esse posicionamento do PDT, tu fizeste exatamente a leitura dos fatos de uma forma que me fez ver pela primeira vez O Cafézinho sendo repostado no 247 sem ser atacado!! Provavelmente em breve será postado no DCM também!

O Timing do PDT foi errado?
Sim!
O assunto merece melhor observância?
Definitivamente!
Há uma enorme hipocrisia no debate que merece ser combatida?
Sim!
Aqui se combateu essa hipocrisia?
Com afagos!

Responder

Renato mascarello

30 de maio de 2021 às 13h50

Está postura talvez faça corro com o objetivo da contratação do marqueteiro.Isto é, repaginar Ciro para tentar torna lo candidato viável. Ciro caminha na direção contrária do trabalhismo.

Responder

Sigma7

30 de maio de 2021 às 13h27

Lamentável O Cafezinho ter se transformado em mais um blog que visa desqualificar o Ciro. Anotem: o jogo eleitoral aind a aí se jogado. O neoliberal Lula terá uma surpresa.

Responder

R.

30 de maio de 2021 às 13h02

Será que a militância petista contra o Impeachment de Bolsonaro também é um “erro esférico” que condena a candidatura de Lula ao fracasso já 1 ano e meio antes da eleição? Ou talvez as propostas de Lula de privatizar estatais estratégicas para agradar o grande capital? Sua análise neste artigo é surreal, reflete o discurso anti Ciro dos blogs sujos petistas que difamam e inventam notícias falsas e falsas polêmicas incessantemente para criar um clima derrotista pro adversário e de “já ganhou” pro Lula. O diferencial do cafezinho sempre foi ser crítico a essa perspectiva militante da mídia petista, se começar a publicar artigos com esse viés, por que o público deveria ler este blog em vez de migrar pro 247 ou DCM?

Responder

Mandarim

30 de maio de 2021 às 12h54

Miguel do Rosário, você sempre se posiciona do lado contrário do interesse nacional. É impressionante. Inocência ou má-fé? As urnas eletrônicas brasileira de 1ª geração NÃO SÃO AUDITÁVEIS. O consenso fabricado em torno do contrário sugere que o consórcio do golpe conta com elas em 2022. O espantalho Bolsonaro está sendo usado, com seu dedo podre, pra fazer com que a “oposição” responda sem reflexão, por reação, CONTRA O QUE QUER QUE O ESPANTALHO DEFENDA. É Guerra Híbrida, arrebanhamento da discussão pública, cismogênese na veia. Acho que você sabe, né? Mas marca posição em favor da fabricação do consenso. Lembra do Brizola? Se a Globo for a favor, somos contra? Vai ver o espaço de propaganda que os Marinho estão dando pro garoto-propaganda da urna milagrosa brasileira e sua suposta infalibilidade. Cresce, pôrra!

Responder

Liliana Tozzo

30 de maio de 2021 às 12h09

Miguel do Rosário que decepção com você. Não foi erro do PDT defender voto impresso, mas acerto.
E realmente é uma bandeira do pDT, e tmab~em foi no PT votada no Clongresso, e sancionada pela Dila em 2015. E vetada pelo STF.
Nao trata-se de levar papelzinho para casa, mas sim de uma impressora acoplada a urna eletronica, que quando o eleitor vota confere sua votação tanto eletronicamente, como impressa está OK deposita esta impressão em urma urna inviolável. O que aconteceu com o Lupi é que ele foi mal assessorado, e se expressou mal também. Nao sei se for ingênuo, ou foi proposital para gerar mais polêmica.
Todos nós principalmente da esquerda deveriamos defender a votação eletrônica + impressa. Já que não temos codigos abertos para apuração. Não é porque o Bolsanaro defende, que temos que ser contra, que dizer se o Bolsanaro falar que a terra é redonda, vamos defender que é plana. Tamb~em achei desenlegante susbstimar a inteligência da Deputada Carla Zambelli, principalmente quanda esta acerta o discurso. Fazer oposição ao governo sim, mas de forma racional, fundamentada e concreta. Não em forma de lacração, sem fundamento racionais e concretos, como podemos critica-los se estamos nos igulando a eles no discurso. Eu creio que as pessoas que criticam este projeto, ou são ingênuas(que hoje em dia e dificil de encontrar), ou age de má fé pois sabem da verdade sobre deste assunto e fingem ser o correto o contrário. Ainda mais que em seu blog(Gustavo Castanhol e no Viomundo ja teve 2 pessoas explicando técnicamente e de forma simples, o porque defender a urna impressa também.

Responder

    Alan C

    30 de maio de 2021 às 17h58

    Melhor comentário do tópico.

    Responder

      EdsonLuiz.

      31 de maio de 2021 às 16h36

      Sim! Melhor comentário do tópico.

      Responder

    Valeriana

    31 de maio de 2021 às 10h57

    Nao é isso, se Lula nao tivesse voltado a ser elegivel o Miguel estaria defendendo a tese de Ciro Gomes…um Lulaminion sem coerencia assim como apontava as aglomeraçoes de Bolsonaro mas nem um piu sobre as aglomeraçoes de esquerda.

    Responder

    Saint

    31 de maio de 2021 às 12h33

    Análise minudente e incontestável.
    Parabéns!

    Responder

Lincoln

30 de maio de 2021 às 11h39

Caro Miguel e demais desse site

A candidatura de Ciro não está comprometida ao fracasso por esse dois erros e sim por outro maior: LULA.

Desde a anulação das condenações injustas ao ex presidente Lula, todo o quadro político teve significativa mudança, essa eleição tende a ser um plebiscito entre Lula e Bolsonaro.
Ciro se posicionou como herdeiro do discurso da Lava Jato, acreditando que Bolsonaro se esvazia e terá um segundo turno entre ele e Lula, está errado, e será novamente coadjuvante no processo eleitoral.
O fato é que a tendência é de vitória de Lula no primeiro turno, mesmo que Bolsonaro não vire água.

Ciro deveria se posicionar como aliado de Lula, mas infelizmente não fará esse gesto.

Responder

    Sepulveda

    30 de maio de 2021 às 16h10

    Aliado de Lula é Sarney, Renan, Jucá, Cabral, Eduardo Paes, Eunício, Delfim Neto, Meirelles…

    Responder

Pablo Rodrigo da Silva

30 de maio de 2021 às 10h47

Miguel,

Sempre aprendo algo relevante toda vez que leio um de seus artigos. Eles são muito bem fundamentados e cheios de boas ideias.
Essa atitude do PDT quanto ao voto impresso e a própria forma truculenta e estúpida de Ciro Gomes quando se refere a Lula vão corroendo paulatinamente a capacidade do partido e de seus quadros de propor um projeto de futuro consistente, melhor e que agregue pessoas de forma positiva.
Ciro Gomes parece guardar um rancor tão profundo e odiento que não consegue perceber que somente a si e ao partido é que ele tem prejudicado.
Se continuar nesse toada e, com a assunção de pautas retrógradas e toscas, o PDT vai acabar se candidatando a ser o partido de filiação do Bozonazi para as eleições de 2022.

Responder

    Sepulveda

    30 de maio de 2021 às 16h11

    Sério? Tu parou pra pensar no que acabou de dizer? Será que só os Bolsominions são robôs??

    Responder

    Efrem Ventura

    31 de maio de 2021 às 11h01

    Cirolipa faz bem a bater no Lula de olho nos votos de quem votou no Bolsonaro e nao gostou e de quem nunca mais votarà para a facçào petista.

    Responder

Sergio Pedro Pisandelli

30 de maio de 2021 às 10h46

A “Lei do retorno” está escrita no “Código da Vida”. A toda ação, se contrapõe uma reação. Palavras de Newton. Talvez a tranquilidade e o sossego de quem fala e pratica a verdade, sem subterfúgios nem modulações, seja estar em paz com vida e consigo mesmo, sem estar sujeito aos efeitos da lei do retorno. O retorno é sempre ruim para quem adapta a verdade aos seus interesses. Principalmente para quem faz dessa prática uma tradição. Errar é humano, persistir no erro é ignorância, assimilar o erro dos outros é simplesmente suicida. Você pode concordar ou não, porém essa é minha opinião, aqui, somente entre nós.

Responder

Paulo

30 de maio de 2021 às 10h34

Miguel, creio q no caso do voto impresso a duas posicoes distintas, os q aqueditam em tudo q a elite diz e faz, e os q ao menos desconfiam.
Vc não tem perfil de ser destes q confusão na elite, então creio q e do sub grupo , o dos pagos para distorcer fatos simples!
Vc voltou a se alinhar com a máquina petista? Crie vergonha nessa cara!

Responder

marco

30 de maio de 2021 às 10h01

Acreditar na imparcialidade desse judiciário militante neoliberal depois de todas as falcatruas contra o campo da esquerda é no mínimo “burrice”.
Ter a possibilidade de auditoria na urna eletrônica ainda de primeira geração ,como a brasileira é uma necessidade vital além de ser uma pauta histórica da esquerda brasileira.
Lembro que a decisão sobre o voto impresso e auditável já esta aprovada desde meados de 2015 com os votos de todos os partidos da esquerda.
Segundo a lei , o voto deve ser secreto, a apuração ,não!
Inacreditável, acreditar nesse consórcio canalha de togados e fardados como garantidores da lisura nas eleições chega a ser má fé.

Responder

Caco

30 de maio de 2021 às 09h49

Não sou Cirista. Muito menos Bozonarista.
Concordo que o momento foi totalmente inoportuno. Véspera de manifestação.
Mas, conhecendo um pouco de Tecnologia de Informação e Comunicação, tenho dúvidas sobre o voto eletrônico.
Nem a ‘meca’ da tecnologia, os EUA, o adotou completamente até hoje.
Por que? A resposta a esta pergunta é fundamental.
É claro que é oportunismo do Bozo e ele sabe que esta ele já ganhou…
Quanto ao ‘errou, perdeu’, costumo brincar que meus erros são meus maiores acertos rsrsrs
É evidente que só se aprende com os erros. Neste sentido, o que é ganho e o que é perda? O Tatu perde a ser comido pela onça? Ou vira Onça?
O Darwinismo, da forma como vem sendo erroneamente interpretado, está ultrapassado. Nem se fale no Darwinismo Social.
A verdade é que a Onça, o Tatu, Nós, somos seres colaborativos na maior parte do tempo. A competição na Natureza é algo que ocorre, mas não é a que prepondera.
Não há julgamento de valor entre comer e ser comido na natureza. O animal come para matar sua forme. Ele não mata para desperdiçar…
Nós humanos é que desperdiçamos a Natureza!!!

Responder

Sepulveda

30 de maio de 2021 às 09h47

Não há erro em defender uma alternativa de controle externo do processo eleitoral, justa e auditável quando necessária. Não é porque Bolsonaro é a favor, por razões outras, que temos que ser contra. Nada é perfeito, tudo necessita ser aprimorado e em se tratando de processos eletrônicos, quem os conhece sabe muito bem que não há inviolabilidade absoluta, nem mesmo dos sistemas da NASA, que dirá do TSE brasileiro.
Infantilidade de quem costuma apontar erros dos outros e não enxergar a sua própria incapacidade em ser um analista político, nunca foi manchete do 247, mas quando resolveu falar de Ciro lhe deram a chamada principal, daí a infantilidade.
O PT se preocupa com Ciro e não com Bolsonaro, a matemática é simples, Ciro é o que tem a menor rejeição. Passada a euforia desse primeiro momento em que Bolsonaro finalmente derrete sua popularidade, o eleitor revoltado com esse governo votaria em qualquer um apenas para retirá-lo do poder. Se Bolsonaro mais tarde não ser a ameaça que representa eleitoralmente até então, nesse momento o eleitor passará a ter mais liberdade para repensar seu voto, momento em que as mazelas dos governos do PT e suas alianças espúrias voltarão a memória da população. Esse cenário é favorável a Ciro, claro que com ajustes, mas Ciro tem mais acertos que erros, conseguiu retirar do PT o manto da “inquestionabilidade” com suas críticas. O PT não pode reclamar, pois já de muito tempo tem feito duros ataques a Ciro, Brizola e ao PDT. Não precisa ser expect para perceber que nesse cenário, tende a crescer uma nova via, chamada terceira, tanto que hoje a preocupação da mídia petista é incurtir na mente do eleitor que não há espaço para terceira via justamente por temer esse cenário. Ciro tira voto da esquerda e da Direita, e se os petistas não gostam das criticas de Ciro, muitos da esquerda vêem razão, outros na Direita também e por aí segue o desespero petista sendo acalentado pela infantilidade de alguns que se deixam influenciar pela leitura do momento, momento de transição, diga-se de passagem, para o real cenário que conduizirá ao pleito de 2022.

Responder

Nelson M. Mendes

30 de maio de 2021 às 09h44

Eu acho que o primeiro grande erro de Ciro, em tempos recentes, foi dizer que sua missão era, “necessariamente, derrotar o PT no primeiro turno”. Foi o primeiro passo na direção do suicídio político. Se concorrer em 2022, vai terminar com 4%…

Responder

    Marta

    30 de maio de 2021 às 16h24

    Até parece que o petismo manda no Brasil, Eu mesmo só voto em Lula se não tiver alternativa e muitos são assim, basta vê a rejeição dele nas pesquisas, gigantesca, acima dele só Bolsonaro em rejeição. O tempo que Lula era um deus nesse país passou e se o PT ainda não aprendeu a lição, vai se surpreender daqui até a eleição.

    Responder

Robson

30 de maio de 2021 às 07h56

Excelente artigo.
“Buracos Negros”, “neurociência”, “darwinismo democrático”, “erro partidário”, “se deixou levar”, realmente esclarecedor.
Ia votar no Ciro.
Agora vou votar no Lula.
Obrigado.

Responder

    Marta

    30 de maio de 2021 às 16h24

    Deixa de mentir petista, tu nunca votou em Ciro

    Responder

      Robson

      31 de maio de 2021 às 13h55

      Beijossss!!!!
      13 13 13

      Responder

    marco

    30 de maio de 2021 às 17h21

    É o famoso lero-lero !!!

    Responder

Rogério

30 de maio de 2021 às 07h24

Meu amigo Miguel!
O Ciro não vai ser eleito presidente pelo que disse ou deixou de dizer e sim pelos mesmos motivos pelos quais Brizola e Enéias nunca o foram, ou seja, por apontar o dedo para os verdadeiros causadores da tragédia brasileira, simples assim. Em qualquer situação, vão propagandear suas falas de forma pejorativa, sempre recortando trechos e publicando de modo a denegrí-lo. Agora mesmo, esse seu texto foi publicado pelo DCM, que nunca lhe deu ouvidos, tampouco considerou seus apontamentos anteriores. E o engraçado é que todo mundo tem uma crítica ou sugestão sobre como o Ciro deveria se comportar e pelo visto, pisar em ovos ainda é pouco pra ele. Te aconselho a se esquecer do Ciro e se aprochegar ao PT, quem sabe em 2023 rola alguma publicidade deles por aqui e o canal possa se manter por mais tempo. O que vejo acontecer com o Ciro é a prova de que o sistema é bruto e que jamais permitirão a eleição de alguém que ameace seus interesses.

Responder

EDUARDO MITARAKIS

30 de maio de 2021 às 06h28

O retorno do Lula ao xadrez político-eleitoral desbalanceou o equilíbrio das forças atuantes até então e forçou a alguns “opositores” a tentarem novas (novas?!?!) estratégias. Vejo esse cenário mais pela ótica da astrofísica. Lula é um corpo celeste cuja gravidade é mais forte que todos os demais (Ciro, Doris, Hulk, Moro etc). Fatalmente esses terão que permanecer numa distância orbital segura, evitando ser atraídos e consumidos ou, no caso oposto, ser lançados na escuridão do universo político. Esse movimento do Ciro pode transformá-lo num meteorito, queimando e se desintegrando rapidamente.

Responder

Filipe

30 de maio de 2021 às 05h49

Você vive cometendo erros esféricos e não passa de um idiota esférico, do Rosário. Apoiou Ciro em 2018, aparentemente vai ser um cachorrinho de madame de Tabata Amaral e não sabe porra nenhum de evolução biológica. As espécies biológicas não erram. Não existe o conceito de acertar e de errar na evolução biológica. Antes de escrever idiotices, estude um pouco mais.

Responder

Paulo César Cabelo

30 de maio de 2021 às 05h07

Miguel do Rosário num raro momento de lucidez.
Acho que ele tomou os remédios hoje , amanhã ele esquece de tomar e diz que o Ciro vai pro segundo turno.

Responder

helio

30 de maio de 2021 às 01h01

É, Miguel, não lhe tiro a razão, a sua perspicácia revela o erro grosseiro do Ciro Gomes (aliou-se ao Bolsonaro? Votará pelo retorno do “Orelhão”? Teremos o carro com partida à manivela? Rs), mas sabemos que não são somente os que você cita. O ataque a Lula e ao PT para herdar o voto dos bolsonaristas e centro direita, é o grande erro. O Ciro não parece viver em estado de vigília. Comete seguidos erros, logo quando se defronta com um mestre da política, contra o qual não teria chance, mesmo com uma estratégia ausente de erros.

Responder

lucas

30 de maio de 2021 às 00h55

Não pode colocar link externo nos comentários, mas qualquer um pode pesquisar que em 2015, a câmara dos deputados já havia aprovado essa proposta de voto impresso, com aprovação de toda a esquerda brasileira inclusive.
Tem até vídeo de Glauber Braga elogiando a proposta.

O voto continuaria eletrônico, e se tornaria auditável, é uma boa prática democrática, não há motivo racional para ser contra.

Repito: não se trata de trocar urna eletrônica por voto em papel.

Responder

lucas

30 de maio de 2021 às 00h23

As pessoas caiem em histeria facilmente.
A esquerda inteira votou a favor dessa proposta em 2015, só foi barrada por falta de verba, alegaram na época. Tem até vídeo de Glauber Braga a favor:

https://www.camara.leg.br/evento-legislativo/39651/sessao/52859?video=1434491183210

Não se trata de abandonar a urna eletrônica e voltar pro papel, apenas permitir que a urna seja auditável. O VOTO CONTINUA ELETRÔNICO E SECRETO.

Não foi apenas Bolsonaro ou Aécio Neves que contestaram resultados eleitorais.

Flávio Dino em 2009 acusou a família Sarney de manipular eleições no Maranhão. Brizola teve seus motivos nos anos 80.

Não havia como fazer auditoria em nenhum dos casos citados.

Responder

Rony Lopes Lunguinho

30 de maio de 2021 às 00h22

Olá Miguel
Acompanho suas colunas e as vezes você peca por superlativisar coisas que uma parte da imprensa faz. É coerente considerar que o momento em se debater este tema é errado pensando em eleições, você tem razão, onde cai nos meios dos dois gabinetes do ódio instituído no PT e da extrema direita fazendo seu jogo sujo de sempre distorcendo a luta em transparência e auditação que o Brizola sempre lutou.
Algo que você deixa de fora e o mais importante é que não devemos deixar essas bandeiras caírem na mão da extrema direita, onde eles fazem proselitismo em cima de uma tema sério. Pegar este tema e trazer para a seriedade do debate deve ser apoiado.
Portanto, eles já roubaram nossa bandeira, estão matando nossos irmãos, que mais vamos deixar eles praticarem hipocrisia em cima?
O custo eleitoral pode até ser alto, mas nada deve estar a frente da coerência. É mais que evidente desde o início e claro tanto no Lupi quando no Ciro que eles serão transparentes. O Ciro cansa de dizer que cederá, mas não venderá a alma para ser presidente.

Responder

Ricardo JC

30 de maio de 2021 às 00h14

Bla, blá, blá e faltou dizer o óbvio!! A contagem manual de votos sempre foi terreno fértil para fraudes eleitorais. Quem já viveu a experiência de uma apuração manual, como eu, sabe do que estou falando. É uma roubalheira enorme, tanto na contagem quanto no preenchimento dos mapas. Nenhuma chance, mas nenhuma mesmo, disto ser mais “auditável” do que uma eleição eletrônica.

Responder

Netho

29 de maio de 2021 às 23h42

Não se trata de rebuscar o formalismo programático insinuando a ausência de fundamento oficial à abstrusa reedição da fraudação eleitoral à base argumentativa do bico de pena eletronizado. Não se trata disso. O fato é que Brizola teve sua eleição (quase) surrupiada por muito pouco nas eleições a governador no estado do Rio de janeiro.
O escândalo ficou conhecido como ‘Proconsult” no pleito eleitoral de 1982 para favorecer o candidato da ditadura Moreira Franco, conhecido atualmente como “Angorá” na Planilha da Odebrecht.
O sistema computadorizado de votos havia sido programado para transformar os votos em branco como sendo válidos a favor do “Angorá”.
Brizola ficou traumatizado por identificar o risco potencial contido nos sistemas de processamento.
Daí sua peroração e ladainhas, desde os anos 80, chamando atenção para a fraude do “bico de pena informatizado”.
Evidentemente que, decorridas as eleições com a urna eletrônica, Brizola nunca mais deu azo ao assunto, mais preocupado com o peso do poder econômico das grandes empresas no processo eleitoral. Tanto que passou a defender o financiamento pública exclusivo, sem doação de pessoa física nem jurídica.
Lupi parece viver no mundo da Lua. Nem parece conhecer o Rio de Janeiro.
O voto impresso, atualmente, é a bandeira das milícias cariocas.
As milícias não têm interesse nas ”votações nacionais”, mas tão somente nas votações nas regiões sob os ”seus domínios”.
O voto impresso é a melhor forma das milícias controlarem a votação dos seus ”cercadinhos”, haja vista seus interesses provinciais na eleição de vereadores e prefeitos, bem como governadores, onde quase sempre influenciam diretamente a escolha dos secretários de segurança pública.
Sem dúvida alguma, Lupi deu um tiro nos seus dois pés.
Ao mesmo tempo, Ciro surfou a onda para dar um tiro no ouvido.
No meio da pandemia, com MEIO MILHÃO DE MORTOS, o PDT fez a única menção político-eleitoral descabida e despropositada diante da conjuntura política, econômica e sanitária.
O que mesmo está fazendo João Santana que, em tese, deveria estar tratando da condução da campanha política e da agenda eleitoral do PDT?
A impressão é que o trio tomou muita cachaça e o gole de graça foi oferecido ao santo errado; isto é, ao Belzebu das Milícias.
O troféu dos idiotas do mês de maio fica com Carlos Lupi e Bia Kissis.
João Santana deve ter cheirado e fumado todas, porque só um cretino fundamental pautaria tal assunto na agenda de quem se apresenta com a terceira via ”a tudo que está aí”.

Responder

A.C

29 de maio de 2021 às 23h15

Realmente, me parece que foi ingênuo do presidente do PDT pautar isso agora. Continuo com Ciro firme e forte, porém precisamos evitar tais deslizes.

Responder

Codorna

29 de maio de 2021 às 22h41

Os brasileiros são os que mais usam celulares e redes sociais no mundo mais pela maioria não sabem ler e escrever.
Assim como ler e escrever são a base de uma sociedade o voto é a base da democracia e tem que ser feito no papel com um simples X.

Responder

Willy

29 de maio de 2021 às 22h35

Algumas coisas são mais bem feitas sem o auxílio da tecnologia, uma dessa é o voto.

Responder

Paulo

29 de maio de 2021 às 22h23

Esse “erro” de Ciro e de seu “staff” é da magnitude da aposta na “capitalização esclarecida”, quando da Reforma da Previdência…Taí o perigo de acreditar, acriticamente, em marqueteiros…Mas ainda dou um voto de confiança no Ciro – só o fato de não ser bandido, num país de políticos bandidos, como o Brasil, milita em seu favor…

Responder

Claudio

29 de maio de 2021 às 22h14

Ciro vem errando há algum tempo, vou votar no Ciro pelo seu projeto, mas ele vai perder pela arrogância.

Responder

    JESSE OLIVEIRA GUIMARAES

    30 de maio de 2021 às 21h50

    É o meu pensamento. Não foi o problema do voto impresso. Vou votar no Ciro pela segunda vez se estiver vivo, mas me causa desconforto ver tantos ataques a partidos que deveriam ser futuros aliados e poucos ao genocida.

    Responder

O Demolidor

29 de maio de 2021 às 22h13

De novo“ e o PT“? Lula Bloqueou o “crescimento“? A Dilma precisa de uma autocritica por levar um golpe?

Miguel esta desesperado….

Responder

    Marta

    30 de maio de 2021 às 16h26

    Robô

    Responder

      O Demolidor

      30 de maio de 2021 às 23h25

      Quinta Coluna…

      Responder

Ugo

29 de maio de 2021 às 22h02

Até hoje não consigo porque a cada 2 minuto esse pessoal do Butantã da entrevistas, faz coletivas de imprensa, enche o saco e por contra ninguém dá Fiocruz fica fazendo isso, mas fazem a vacina sem se propagandar, calados e sem ralar o escroto dos outros principalmente ?

Alguém explica ?

Responder

    Batista

    30 de maio de 2021 às 21h30

    Talvez pelo Butantan pertencer ao Estado de São Paulo e não ao Capetão como ‘o meu’, ‘exército’, ‘ministério da Saúde’, ‘FIOCRUZ’, etc., né?

    Responder

Tales carneiro

29 de maio de 2021 às 21h58

Essa posição tão incisiva de vcs contra impressão do voto e a auditabilidade das votações me faz desconfiar que possa haver mesmo algo de suspeito nessas urnas eletrônicas. Ninguém quer acabar com o voto secreto ou voltar às votações em cédulas de papel. Se quer apenas adicionar uma camada a mais de segurança ao processo. Quem é contra isso ou é burro ou é mal intencionado.

Responder

Ronei

29 de maio de 2021 às 21h51

“O caminho não é a impressão do voto, o que além de tudo é uma iniciativa totalmente contrária ao meio ambiente, pois papel significa a morte de árvores.”.

Que argumentos hein….kkkkkkk

Responder

Tony

29 de maio de 2021 às 21h49

Depois que Lula foi colocado de volta ao jogo pelo STF começaram a apontar os erros de Cirolipa quando antes tentavam empurrar o mesmo para frente.

São puxa saco de Lula e nada mais…Lulaminions.

Responder

Deixe uma resposta